Sexta-feira inicia a novena de São Sebastião

São Sebastião rogai por nós!!

Dia 11/01, sexta-feira, começa aqui no O Anunciador a Novena em Devoção a São Sebastião. Vamos rezar juntos para que São Sebastião, homem como nós, mas que viveu o evangelho aqui na terra tornando-se santo possa nos ensinar a imitar Cristo com tamanho amor e nos guiar a santidade junto a Jesus.

São Sebastião, rogai por nós.

Anúncios

Vaticano rechaça as declarações de líder lefebvrista: Judeus não são inimigos da Igreja

Pe. Federico Lombardi

(ACI).- O Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, rechaçou as declarações realizadas pelo Superior Geral da Fraternidade Sacerdotal São Pio X (FSSPX – lefebvristas), Bernard Fellay, quem chamou os judeus de “inimigos da Igreja”.

Em suas declarações emitidas desde a Academia de Nossa Senhora do Monte Carmelo, em New Hamburg, Ontario (Canadá), Fellay responsabilizou os judeus de estar por trás da exigência que a Santa Sé faz à FSSPX para que aceite o Concílio Vaticano II, e destacou que o apoio dos líderes judeus ao Concílio demonstra que “o Vaticano II é assunto deles, não da Igreja”.

Por sua parte, em 8 de janeiro o Pe. Lombardi recordou em declarações à imprensa que Fellay não pode falar em nome da Igreja e precisou que é absolutamente impossível falar do povo judeu como “inimigos da Igreja”, já que segundo a tradição dos Papas e da Igreja, seu compromisso é procurar o diálogo inter-religioso.

Sem entrar em detalhes sobre as declarações de Fellay, o porta-voz do Vaticano sublinhou que a relação da Igreja com o povo judeu é de “unidade e caridade”, e isto se expressa de maneira particular no Concílio Vaticano II, mais concretamente na Nostra Aetate, um dos documentos que os lefebvristas rejeitam.

Conforme assinala a Rádio Vaticano, o porta-voz também recordou que, ao longo da história, os Papas demonstraram com frequência palavras e atos dirigidos a fomentar o diálogo com o povo judeu, assim como para com outras religiões.

É o caso da visita do Beato João Paulo II e do Papa Bento XVI ao Muro das Lamentações de Jerusalém (Israel), ou as visitas de Bento XVI às sinagogas de Colônia (Alemanha) no ano 2005, Nova Iorque em 2008, e Roma em 2010, nas quais foi bem recebido.

Para animar à reconciliação entre a FSSPX e a Igreja, em 21 de janeiro de 2009 Bento XVI decidiu levantar a excomunhão que pesava sobre os quatro bispos ordenados por Lefebvre em 1988: Bernard Fellay, Richard Williamson, Alfonso de Galarreta e Tissier de Mallerais.

Em 4 de fevereiro de 2009, a Secretaria de Estado Vaticano indicou em um comunicado que os quatro bispos estão obrigados ao “pleno reconhecimento do Concílio Vaticano II” e do Magistério de todos os Papas posteriores a Pio XII.

Dois anos mais tarde, em 14 de setembro de 2011, a Congregação para a Doutrina da Fé entregou à FSSPX um preâmbulo doutrinal contendo “alguns princípios doutrinais e critérios de interpretação da doutrina católica, necessários para garantir a fidelidade ao Magistério da Igreja e o ‘sentire cum Ecclesia’ (sentir com a Igreja)”.

Depois do inicial rechaço dos lefebvristas, em fevereiro de 2012 a Pontifícia Comissão Ecclesia Dei, encarregada do diálogo com a FSSPX, anunciou estes que pediram “um tempo adicional de reflexão e estudo” para analisar o preâmbulo doutrinal.

Brasil é fonte e destino do tráfico humano, diz relatório da OIM

trafico_de_seres_humanosUm estudo realizado pela Organização Internacional para as Migrações, OIM, apontou o Brasil como um dos países fonte de vítimas de tráfico humano, ao lado da Bulgária, China, Índia, Nigéria. Entre os três principais estão a Ucrânia, o Haiti e o Iêmen.

O relatório resultou da análise das tendências de tráfico de pessoas através de informações de mais de 150 pontos de operação. Os principais países de destino são a Federação Russa, o Haiti, o Iêmen, a Tailândia e o Cazaquistão. Embora em menor escala em relação à Argentina, o Brasil também é tido como ponto de chegada de pessoas traficadas de países como a Bolívia e o Paraguai.

Na Europa, Portugal é um dos pontos de destino ao lado da Alemanha, Itália e Espanha. Todos recebem um número significativo de migrantes do Cone Sul e particularmente dos países andinos. Migrantes originários de Angola e Moçambique estão na lista dos refugiados africanos, caribenhos e asiáticos que se movimentam para a Europa ou transitam pela América do Sul a caminho dos Estados Unidos e Canadá.

Campanha da Fraternidade

Em 2014, a Campanha da Fraternidade terá como tema “Fraternidade e Tráfico Humano”, e o lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou.” (Gl 5,1)

De acordo com o secretário executivo da Campanha da Fraternidade, padre Luiz Carlos Dias, o objetivo geral, a partir da reafirmação da defesa e da reverência pela dignidade dos filhos e filhas de Deus, é mobilizar a sociedade através da denúncia do tráfico humano de modo a contribuir pela erradicação desse mal.

“Pastores pedem heroína evangélica à Globo” – e acaso houve alguma católica?

Leia matéria no link abaixo, mas não deixe de ler a critica. Cuidado com o pedes, pois pode ser atendido.

Clique Aqui

///////////////////////////////////////

Opinião

Não me lembro em minha curta vida, 27 anos, ter visto um protagonista católica. Vi sim mulheres que se ajoelhavam diante imagens de santos, Padre caricatos e obedientes a coronéis e  beatas. Vi beatas falsas, que andavam com o terço no pescoço mas não respeitavam de forma alguma as doutrinas da Igreja.

De fato, assim como também não vi protestantes sendo representados de forma equivalente a realidade de quem os são. Do mesmo modos os católicos, como disse acima, não passam de caricaturas do que realmente são. Sempre durante esses anos de minha vida, nas novelas a quebra de valores sendo colocada como normal.

Outro fato, é que na maioria das pesquisas muitos não praticantes da igreja ou apenas misseiros por tradição são retratados de forma fiel. Se estou no bar bebendo, sou católico. Se estou me prostituindo, sou católico. Essa é a resposta social dada a pergunta qual a sua religião?

Quero ver sim nas novelas, da Globo, SBT e Record protagonistas realmente seguidores de suas doutrinas. Seja ela católica ou protestante. Digo isso referindo aos valores que são deturpados pela TV. Por exemplo: a igreja não ensina que se deve abandonar o esposa ou esposa por causa de outra mulher ou homem. A TV diz que pode. Essa protagonista é católica ou protestante? Nunca foi e nunca será, como diria Capitão Nascimento (Filme Tropa de Elite).

É hora dos autores, boêmios por opção, mostrarem os valores que devem ser seguido e que a igreja sempre ensinou. É hora de nós católicos realmente nos comportarmos como tal. Seguir a igreja é seguir a Cristo na sua plenitude. Não diante do primeiro problema romper com os seus valores e viver loucamente como as novelas nos propõe.

Ainda, ano passado todos assistiram a uma novela chamada Avenida Brasil. Em sue final a vilã pagou por seu crimes e foi morar sozinha no lixão. A cena do perdão de seu filho, ao levar o neto para vê-la, e  da mocinha indo junto, deixou muitos decepcionados, pois estes esperavam uma vingança maior como o assassinato da vilã ou ainda ela fugindo com uma fortuna.

Frustração  social em ver que alguém se redimiu ou tenta se redimir. Isso não é ser cristão. Cuidado pastor Silas ao pedir uma protagonista protestante nas novelas. Nunca houve de fato protagonista católica, apenas que se dizia ser. A TV consegue estereotipar qualquer coisa e nosso povo ainda é fraco na fé para compreender.

Revista Times: Promotores do aborto têm perdido as batalhas contra os pro-vidas nos EUA

A capa deste mês da Revista Times

(ACI/EWTN Noticias).- Na capa de sua edição de janeiro de 2013, a famosa revista americana Times, assegura que embora “40 anos atrás, os ativistas do direito ao aborto obtiveram uma épica vitória com (a sentença da Corte Suprema no caso) Roe vs. Wade”, que permitiu a legalização do aborto nos Estados Unidos, “eles estiveram perdendo desde então” para os pró-vidas.


Conforme explica Kate Pickert, autora do artigo de capa, desde que em janeiro de 1973 a Corte Suprema dos Estados Unidos converteu em um direito federal o acesso ao aborto, “o movimento pro-choice (abortista) vem  perdendo” as suas lutas.

“Em muitas partes do país, atualmente, recorrer a um aborto é mais difícil que em muitos lugares desde a década de 1970”.

Pickert assinalou que “há menos médicos dispostos a realizar o procedimento e menos clínicas abortistas no negócio”.

“Os ativistas pro-choice (abortistas) foram ultrapassados por seus contrapartes pró-vidas, que pressionaram exitosamente para obter regulações estatais que limitam o acesso” ao aborto, escreveu.

“Muitos estados requerem atualmente que as mulheres passem por aconselhamento, períodos de espera ou ultrassons antes de submeter-se a abortos”, indicou.

Para a jornalista americana, “a causa pró-vida esteve ganhando a guerra do aborto, em parte, porque buscou uma estratégia organizada e bem executada”.

Além disso, reconheceu, “a opinião pública está crescentemente” do lado pró-vida.

“Graças ao ultrassom pré-natal e aos avanços da neonatologia, os americanos podem agora saber como se vê um feto e que os bebês nascidos tão prematuramente como às 24 semanas agora podem sobreviver”, assinalou Pickert.

A jornalista da Times disse que “apesar de que três quartos dos americanos acreditarem que o aborto deveria ser legal em alguns ou todos os casos, a maioria apoia leis estatais que regulem o procedimento, e cada vez menos se identificam a si mesmos como ‘pro-choice’ nas pesquisas de opinião pública”.

Pickert também retratou a divisão geracional que destrói por dentro a causa abortista, pois “os jovens ativistas do direito ao aborto reclamam de que as líderes das organizações feministas”, que tinham 20 ou 30 anos quando se legalizou o aborto nos Estados Unidos, “não estão dispostas a passar a tocha às novas gerações”.

Entretanto, para Kate Pickert, um dos principais motivos da derrota dos promotores do aborto é que “em uma democracia dinâmica como os Estados Unidos, defender o status quo é sempre mais difícil que lutar para mudá-lo”.

Uma das expressões mais claras do avanço da causa pró-vida nos Estados Unidos é a multitudinária marcha nacional pela defesa da vida que mobilizam centenas de milhares de pessoas, com frequência ignoradas pelos meios, todos os anos em janeiro, no aniversário da sentença de Roe vs. Wade.

A última marcha, em 2012, reuniu mais de 400 mil pessoas que durante várias horas suportaram intenso frio, neblina e até chuva enquanto percorriam as principais ruas da capital americana até a sede do Capitólio.

Cáritas promove campanha em prol das vítimas das chuvas no Rio de Janeiro

caritasbrasileiraA Cáritas da arquidiocese do Rio de Janeiro (RJ), em sua Campanha de Emergência, está recebendo doações para os desabrigados, vítimas das chuvas na Baixada Fluminense. Em menos de 24h, o temporal já causou muitos transtornos à população.

As fortes chuvas começaram por volta das 2h da madrugada da quinta-feira, 3 de janeiro, em Xerém, distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, provocando uma morte. A chuva trouxe muita destruição e deixou centenas de pessoas desabrigadas. Rios e córregos da região subiram rapidamente, moradores deixaram as casas praticamente só com a roupa do corpo. A força da correnteza arrastou casas inteiras, deixou carros empilhados e destruiu quatro pontes.

O arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, lamentou a tragédia e enfatizou a campanha para ajudar as vítimas das chuvas. “Todo ano, nesse mês de janeiro, nós vemos que as chuvas se intensificam e nós sabemos dessa realidade urbana aqui em nossa região do Rio de Janeiro, que sofre com relação às chuvas, ao deslizamento, a inundações… famílias perdem seus bens, perdem suas casas, algumas pessoas perdem também a vida. A arquidiocese do Rio de está fazendo sua arrecadação tanto de dinheiro, como de alimentos, água e algumas coisas necessárias para as pessoas, para enviarmos através das Cáritas também dessas cidades e Dioceses, para as pessoas que mais necessitam. É um jeito de nós encontrarmos Cristo na pessoa do outro”, afirmou.

Para aderir à campanha, as doações de roupas, calçados e alimentos podem ser feitas na sede Cáritas (Rua dos Arcos, 54, Catedral, subsolo). A ajuda também pode ser feita através de depósito: Banco Bradesco: conta corrente 48500-4, agência 0814 –1, em nome de Cáritas Emergência. Banco do Brasil: conta corrente 3000-4, agência 3114-3, em nome de Cáritas.

João Paulo II pode ser canonizado ainda este ano. Anúncio deve ser na Semana Santa

Capa JPII-1Por The Tablet | Tradução: Fratres in Unum.com – O beato Papa João Paulo II poderia ser canonizado em outubro, no final do atual Ano da Fé, segundo a Agência de Informação Católica (KAI), de propriedade da Igreja polonesa.

A agência, que é comandada por um comitê de bispos da Polônia, afirmou ter recebido “informações não confirmadas” em Roma de que o Vaticano está perto de ratificar várias “curas inexplicáveis” desde a beatificação do finado Papa na Praça de São Pedro, no mês de maio [de 2011].

A agência informou na semana passada: “O Santo Padre irá… ouvir a opinião de cardeais em Roma em um consistório extraordinário. Então, podemos esperar que outubro seja o mês óbvio para a canonização”.

Ela acrescentou que Bento XVI anunciaria a canonização, provavelmente, na Semana Santa.

Foto de bebê cumprimentando o médico no ventre materno dá volta ao mundo

Foto: Facebook.com/AClassicPinupA

 (ACI/EWTN Noticias).- Randy e Alicia Atkins, um casal norte-americano, conseguiu tirar uma foto do instante no qual, durante o nascimento por cesárea, sua filha Nevaeh conseguia agarrar a mão do doutor Allan Sawyer, uma imagem que está dando volta ao mundo.

Conforme relatou Randy ao site AZFamily.com, “o doutor me chamou e disse, ‘hei, ela está agarrando meu dedo’. Assim fui correndo para lá e tirei a foto, eu estava assombrado olhando. Era uma imagem impressionante”.

Alicia, fotógrafa profissional e proprietária da página do Facebook A Classic Pin-Up, assinalou que depois da publicação da foto de sua filha agarrando a mão do médico “não pensávamos que íamos ter tais comentários positivos. Pensávamos que ia conseguir mais negativos, como ‘isso é nojento’. Porém, todos comentaram que era a melhor coisa do mundo”.

Na sua página do Facebook, Alicia agradeceu a “todos os que comentaram, compartilharam, curtiram e expressaram seu amor pela foto da nossa filha nos últimos dias”.

“A foto tornou-se completamente viral em todo mundo, e como podem imaginar, estamos um pouco constrangidos”, disse.

Alicia assegurou que “obviamente não pensamos que isso seria tão imenso como o é agora”.

“Por favor, sejam pacientes conosco se não lhes respondermos imediatamente, já que ainda temos que atender aos nossos três filhos e aos nossos trabalhos. E, é obvio, as crianças estão em primeiro lugar. Obrigada de novo”.

O caso do casal norte-americano recorda ao de Samuel, um bebê com espinha bífida que foi operado antes de nascer, e que foi retratado por um fotógrafo do USA Today durante a cirurgia, no momento no qual esticava sua mão do interior do útero de sua mãe para agarrar um dos dedos do médico que o estava operando.

Exposição fotográfica no Rio de Janeiro destaca o valor da vida humana em todas as idades

(ACI/EWTN Noticias).- A exposição fotográfica Vida em Movimento, que reúne as 25 fotografias finalistas do concurso fotográfico que levou o mesmo nome será inaugurada na próxima quinta-feira, 10 de janeiro de 2013 no Centro Cultural Correios . O concurso e a exposição são uma iniciativa do Centro de Estudos Culturais (CEC), que visa mostrar o valor e a beleza da vida humana em seus diversos estágios por meio da fotografia.

Martín Ugarteche Fernández, Diretor do CEC no Brasil, afirmou, em nome dos organizadores, que o concurso busca contribuir na construção de uma cultura de vida, paz e reconciliação.

A fotografia vencedora do concurso, “Corrida para a vida” de Liane Giesel, as quatro menções honrosas e as demais finalistas, foram agrupadas em grupos temáticos, de acordo com o aspecto da vida humana retratado pelo autor: fé, natureza, sociedade, comunhão, família e infância. Cada grupo temático é acompanhado por textos que expressam  a contribuição católica na reflexão sobre o tema e a sua relação com a vida humana.

“O objetivo da exposição é promover uma cultura da vida, mostrando a beleza da vida humana em todos seus estágios, desde a concepção até seu termo natural. Acompanham as fotos trechos de encíclicas do Papa Bento XVI e do Beato João Paulo II, assim como da Gaudium et spes, das Sagradas Escrituras e das Confissões de Santo Agostinho. A nossa expectativa é compartilhar com todos os que visitem a exposição e com o mundo da cultura em geral a riqueza da nossa fé, da qual brota um profundo amor e respeito pela vida humana”, disse Martín Ugarteche, diretor do CEC e professor da Universidade Católica de Petrópolis.

A exposição permanecerá no Centro Cultural Correios até o dia 9 de fevereiro de 2013, para depois continuar seu percurso por outras cidades brasileiras. Vida em Movimento conta com o patrocínio da UTE Fluminense e o apoio da Arquidiocese do Rio de Janeiro, o Movimento de Vida Cristã e da Sociedade Petropolitana de Fotografia.

O CEC (Centro de Estudos Culturais) é uma associação de católicos, principalmente leigos, que buscam evangelizar a cultura por meio de diversas iniciativas e projetos.

No Brasil o CEC organizou recentemente com sucesso a décima edição do Concurso Artístico Histórias de Natal, que busca recuperar o sentido autêntico da festa do Natal. Também organiza as Jornadas de Pensamento Católico e exposições artísticas itinerantes, tais como a Exposição “São Paulo, mestre da fé e da verdade”, realizada durante o Ano Paulino e que percorreu várias cidades brasileiras, com mais de 20.000 visitantes. A sede do Centro de Estudos Culturais está localizada em São Paulo, com filiais no Rio de Janeiro e Petrópolis(RJ).

Mulher narra o drama de ser criada por pai homossexual

Dawn Stefanowicz

(ACI/EWTN Noticias).- Com a finalidade de mostrar a influência negativa que as crianças sofrem quando são criadas por pais homossexuais, a canadense Dawn Stefanowicz publicou o livro  “Out from Under: The Impact of Homossexual Parenting”( Fora da escuridão. O impacto da paternidade homossexual), onde narra sua experiência de crescer em um lar com um progenitor gay.

“A pequena Cynthia Dawn -este é seu nome completo- nasceu em Toronto nos anos 60 em umas condições de grave mal-estar familiar e pessoal, em grande parte, ignoradas deliberadamente pelo mundo dos adultos, começando pelos seus professores”, explica um artigo escrito pela neuropsiquiatra infantil Caterina Saccà.

A menina, indicou, “sente-se traída afetivamente por um pai ausente, na busca contínua de relações homossexuais com casais de convivência ou ocasionais, e sem o cuidado adequado de uma mãe que, por sua vez, precisa de ajuda (devido à diabete). Cynthia entra em uma espiral de confusão e vergonha alimentada pela exposição direta e precoce a práticas de natureza explicitamente sexual”.

O texto difundido através da página Web familyandmedia.eu, narra que logo depois de cair em “um estado de destruição da personalidade e da dignidade humana”, Dawn conseguiu na vida adulta reconciliar-se com seu passado “complicado e traumático” graças a anos de terapia “e a profunda fé em Deus”.

“Somente depois da morte do pai -derrotado pela AIDS como muitos dos seus companheiros sexuais- e logo após da morte da mãe; esta mulher convertida com o passar dos anos em esposa e mãe de um menino e uma menina, teve a coragem de tornar pública sua terrível experiência, com o fim de ‘mostrar a todos como as estruturas familiares podem incidir negativamente no desenvolvimento das crianças’”, acrescentou o site.

Atualmente, divulgar seu testemunho se converteu para Dawn Stefanowicz em “uma batalha a favor do bem-estar dos filhos e da importância da família natural -instituição natural fundada no matrimônio entre um homem e uma mulher- e contra a legalização das adoções e das uniões homossexuais”.

Nesse sentido, Saccà esclarece que “qualificar precipitadamente como homófobas, enganosas ou desleais, as argumentações que defendem a paternidade natural, além de ser reducionista, não contribui com elementos significativos de crescimento e de novidade em um debate destinado ao público, na ausência de uma mudança de rumo, para escorregar no pântano dos estéreis combates ideológicos”.

Sobretudo, indicou, a perita tendo em conta resultados como o da recente pesquisa realizada no Reino Unido pela agência ComRes (encomendado pela fundação Catholic Voices), que mostra “como os mesmos gays e transexuais não consideram o matrimônio homossexual uma prioridade”.

“Portanto, em vésperas de decisões destinadas indevidamente a reavivar a polêmica (…), chegam também testemunhos fortes como o de Dawn Stefanowicz, capazes de oferecer elementos concretos para a reflexão sobre a identidade e responsabilidade dos pais de família. São testemunhos que podem, ao menos uma vez, colocar-nos com os pés na terra”, finalizou.

Mais informações sobre o testemunho de Dawn Stefanowicz no site (em inglês):http://www.dawnstefanowicz.org/index.html

Socialistas da França anunciam campanha contra “vírus da religião”

Manuel Valls e François Hollande

(ACI).- O governo socialista da França anunciou a criação de um “Observatório Nacional da Laicidade”, uma iniciativa que na prática se traduziria em uma violação à liberdade religiosa com a deportação de muçulmanos, judeus e cristãos que sejam considerados portadores de uma “patologia religiosa”.

O presidente Francois Hollande, que em sua campanha eleitoral ofereceu legalizar as uniões homossexuais equiparadas ao matrimônio, disse em 10 de dezembro que no ano 2013 se estabelecerá o chamado Observatório.

Este organismo, assinala um comunicado oficial da presidência, “terá como tarefa formular propostas sobre a transmissão da ‘moral pública’ para dar-lhe um lugar digno na escola”.

Embora o comunicado não especifique os alcances do Observatório, foi o Ministro do Interior, Manuel Valls, quem explicou sua missão. O funcionário indicou que “o objetivo não é combater as opiniões com a força, mas ser detector e compreender quando uma opinião se faz potencialmente violenta e chega ao excesso criminal. O objetivo é identificar quando é bom intervir para lutar com o que se converte em uma patologia religiosa”.

Valls –cujo governo permite a pornografia com moças de 18 anos de idade– ressaltou que o Observatório se enfocará em extremistas de todos os credos e pôs como exemplo o grupo lefebvrista Civitas, cujas ações considerou “nos limites da legalidade”, quando protestou em mais de uma ocasião contra o aborto, a lei de uniões gay e em defesa da liberdade religiosa.

Sobre esta iniciativa do governo francês, a agência Reuters assinala que “a França deportará a imãs estrangeiros e radicais debandados de grupos religiosos, incluindo os tradicionalistas católicos de linha dura, se uma nova política de segurança revela que sofrem de uma ‘patologia religiosa’ e podem fazer-se violentos”.

Valls disse também que “os criacionistas nos Estados Unidos e no mundo islâmico, os extremistas muçulmanos e os católicos ultratradicionalistas e os judeus ultraortodoxos querem viver separadamente do mundo moderno”.

Com este Observatório, o governo da França seria quem dita quem são os católicos “que se comportam bem” quando no país se debate uma lei para legalizar as uniões homossexuais que foi rechaçada no dia 17 de novembro deste ano por uma maré humana de aproximadamente 250 mil pessoas que saiu às ruas das principais cidades do país.