Brasil tem novos santos. Confira:

Vaticano, 15 Out. 17 / 07:36 am (ACI).- O Papa Francisco canonizou neste domingo, 15 de outubro, na Praça de São Pedro do Vaticano, os protomártires do Brasil André de Soveral, Ambrósio Francisco Ferro, Mateus Moreira e 27 companheiros, junto a outros 5 beatos.

Após escutar o Prefeito da Congregação para a Causa dos Santos , Cardeal Angelo Amato, para que os 35 beatos fossem inscritos no livro dos santos, procedeu-se a leitura de suas biografias e a recitação da ladainha dos santos.

Em seguida, diante de uma Praça de São Pedro repleta de milhares de peregrinos e enfeitada com estandartes dos novos santos, o Pontífice leu a seguinte fórmula de canonização:

Santos Católicos
Estes serão os primeiros mártires nascidos no Brasil a serem canonizados.

“Em honra da Santíssima Trindade, para exaltação da fé católica e incremento da vida cristã, com a autoridade de nosso Senhor Jesus Cristo, dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo e a nossa, depois de termos longamente refletido, implorado várias vezes o auxílio divino e ouvido o parecer de muitos Irmãos nossos no Episcopado, declaramos e definimos como Santos os Beatos: André de Soveral, Ambrósio Francisco Ferro, Mateus Moreira e seus 27 companheiros, Cristóvão, Antônio e João, Faustino Miguez, Angelo D’Acri, e inscrevemo-los no Catálogo dos Santos, estabelecendo que, em toda a Igreja, sejam devotamente honrados entre os Santos. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”.

Convidados ao banquete do Reino 

Posteriormente, durante a sua homilia, o Papa Francisco comparou a relação da Igreja com Deus com a dos esposos. “Nosso relacionamento com Ele não se pode limitar ao dos devotados súbditos com o rei, ao dos servos fiéis com o patrão ou ao dos alunos diligentes com o mestre, mas é, antes de tudo, o relacionamento da noiva amada com o noivo”.

“O Senhor deseja-nos, procura-nos e convida-nos, e não se contenta com o nosso bom cumprimento dos deveres e a observância das suas leis, mas quer uma verdadeira e própria comunhão de vida conosco, uma relação feita de diálogo, confiança e perdão”, afirmou.

O Papa destacou que a vida cristã é “uma história de amor com Deus”. Nela, “quem toma gratuitamente a iniciativa é o Senhor e nenhum de nós pode gloriar-se de ter a exclusividade do convite: ninguém é privilegiado relativamente aos outros, mas cada um é privilegiado diante de Deus”.

É desse “amor gratuito, terno e privilegiado” que “nasce e renasce incessantemente a vida cristã”. O Santo Padre convidou a conservar esse amor, por que “se se perde de vista o amor, a vida cristã torna-se estéril, torna-se um corpo sem alma, uma moral impossível, um conjunto de princípios e leis a respeitar sem um porquê”.

Uma das consequências de perder a consciência do amor de Deus é a rotina, o cair em “uma vida cristã rotineira, onde nos contentamos com a ‘normalidade’, sem zelo nem entusiasmo e com a memória curta”.

A partir do Evangelho do dia, no qual se conta a parábola do esposo que convida para seu casamento os seus amigos e familiares, mas muitos recusaram o convite, o Pontífice adverte sobre o perigo de dar as costas ao amor, de rechaçar o convite do esposo, o convite de Jesus Cristo.

Os convidados que recusaram o fizeram porque estavam ocupados com suas terras, seus negócios. Francisco destacou a palavra “seu”. “É a chave para entender o motivo da recusa”.

“De fato, os convidados não pensavam que as núpcias fossem tristes ou chatas, mas simplesmente ‘não se importaram’: viviam distraídos com os seus interesses, preferiam ter qualquer coisa em vez de se comprometer, como o amor exige”.

É uma atitude egoísta a que leva se afastar do amor, “não por malvadez, mas porque se prefere o seu: as seguranças, a autoafirmação, as comodidades… Então reclinamo-nos nas poltronas dos lucros, dos prazeres, de qualquer passatempo que nos faça estar um pouco alegres”.

“Mas deste modo envelhece-se depressa e mal, porque se envelhece dentro: quando o coração não se dilata, fecha-se. E quando tudo fica dependente do próprio eu – daquilo com que concordo, daquilo que me serve, daquilo que pretendo –, tornamo-nos rígidos e maus”.

Diante dessa recusa, frente a essa humilhação daqueles que foram distinguidos com o convite, o esposo segue convidando, mas desta vez, todos aqueles que estavam nos caminhos. “Às injustiças sofridas, Deus responde com um amor maior”.

Anúncios

Hoje é dia de Nossa Senhora do Rosário

Esta festa foi instituída pelo Papa Pio V em 1571, quando celebrou-se a vitória dos cristãos na batalha naval de Lepanto. Nesta batalha os cristãos católicos, em meio a recitação do Rosário, resistiram aos ataques dos turcos otomanos vencendo-os em combate.

A celebração de hoje convida-nos à meditação dos Mistérios de Cristo, os quais nos guiam à Encarnação, Paixão, Morte e Ressurreição do Filho de Deus.

A origem do Rosário é muito antiga, pois conta-se que os monges anacoretas usavam pedrinhas para contar o número das orações vocais. Desta forma, nos conventos medievais, os irmãos leigos dispensados da recitação do Saltério (pela pouca familiaridade com o latim), completavam suas práticas de piedade com a recitação de Pai-Nossos e, para a contagem, o Doutor da Igreja São Beda, o Venerável (séc. VII-VIII), havia sugerido a adoção de vários grãos enfiados em um barbante.

Na história também encontramos Maria que apareceu a São Domingos e indicou-lhe o Rosário como potente arma para a conversão: “Quero que saiba que, a principal peça de combate, tem sido sempre o Saltério Angélico (Rosário) que é a pedra fundamental do Novo Testamento. Assim quero que alcances estas almas endurecidas e as conquiste para Deus, com a oração do meu Saltério”.

Essa devoção, propagada principalmente pelos filhos de São Domingos, recebe da Igreja a melhor aprovação e foi enriquecida por muitas indulgências. Essa grinalda de 200 rosas – por isso Rosário – é rezado praticamente em todas as línguas, e o saudoso Papa João Paulo II e tantos outros Papas que o precederam recomendaram esta singela e poderosa oração, com a qual, por intercessão da Virgem Maria, alcançamos muitas graças de Jesus, como nos ensina a própria Virgem Santíssima em todas as suas aparições.

Nossa Senhora do Rosário, rogai por nós!

Reze conosco o Rosário aqui

Brasil pode ter primeira pastora trans

Você não leu errado. O Brasil está próximo, segundo o Jornal Extra, de ter a primeira pastora transexual. Sal Moretti, maquiadora de famosas, como Preta Gil, pertence a igreja protestante Pentecostal Anabatista, na Barra, da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Sal Moretti
Sal Moretti em seu antes e depois. Foto: divulgação/Jornal Extra

Sua história com a fé deu início quanto ia cometer suicídio na Pedra da Gávea, mas foi impedida por uma voz. Segundo Sal, esta voz era Deus. Desde então entrou firme na comunidade e atua em um ministério da igreja. Ela se sentiu amada e, finalmente, parou de lutar contra sua transexualidade:

“Não me importa o título que venha a ter. Hoje já tenho meu ministério, vou aos encontros de jovens. Não levanto a bandeira LGBT u a bandeira evangélica. Levanto a bandeira do ser humano. Quero que outras pessoas se sintam como eu: respeitadas por serem quem são”.

Ela também disse:

“Jesus não exclui”

Leia a matéria do jornal aqui.

Mas e a Igreja Católica, o que diz?

Para a situação acima de Sal se tornar pastor, nada. Afinal não compete a igreja interferir em uma doutrina protestante. Mas, a Igreja tem posicionamento sobre a questão do gênero e homoafetividade no Catecismo. No site da editora Cléofas há um texto do professor Felipe Aquino que possui várias explicações sobre isso. Abaixo um resumo do que fala o Catecismo, mas em suma, as palavras da Igreja sobre o tema são ACOLHER, AMAR e ENSINAR. Veja:

A Congregação para a doutrina da Fé, do Vaticano, já publicou vários documentos sobre a homossexualidade, todos evidenciando o caráter imoral da “prática” homossexual, não da tendência: 1 – Persona Humana, de 29/12/1975; Carta aos Bispos da Igreja Católica sobre o Atendimento Pastoral das Pessoas Homossexuais, de 1986 e “Algumas reflexões acerca da resposta a proposta legislativas sobre a não-discriminação das pessoas homossexuais”, de 1992. A Igreja tem o direito de ensinar a seus filhos a lei de Deus sobre este assunto. O Catecismo da Igreja fala do assunto nos números 2357 a 2359.

A homossexualidade se reveste de formas muito variáveis ao longo dos séculos e das culturas. A sua gênese psíquica continua amplamente inexplicada. Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves (Gn 19,1-29; Rm 1,24-27; 1Cor 6,9-10; 1Tm 1,10), a tradição sempre declarou que “os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados” (CDF, decl. Persona humana, 8). São contrários à lei natural. Fecham o ato sexual ao dom da vida. Não procedem de uma complementaridade afetiva e sexual verdadeira. Em caso algum podem ser aprovados” (§2357).

A Igreja reconhece que: “Um número não negligenciável de homens e de mulheres apresenta tendências homossexuais profundamente enraizadas. Esta inclinação objetivamente desordenada constitui, para a maioria, uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á para com eles todo sinal de discriminação injusta. Estas pessoas são chamadas a realizar a vontade de Deus em sua vida, e se forem cristãs, a unir ao sacrifício da cruz do Senhor as dificuldades que podem encontrar por causa de sua condição”. (§2358)

“As pessoas homossexuais são chamadas à castidade. Pelas virtudes de autodomínio, educadores da liberdade interior, às vezes pelo apoio de uma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem se aproximar, gradual e resolutamente, da perfeição cristã” (§2359).

Outro texto legal este aqui: Homossexualidade e Esperança. Agora, me conte o você pensa sobre isso? Comente.

 

 

Igreja Católica condena a idolatria a Nossa Senhora

Meus amados, o título é um tanto quanto apelatório, mas necessário. Sem ele você não estaria lendo esse texto nesta hora. Já falamos em várias postagens que nós católicos não adoramos a Maria e/ou aos santos e santas. Apenas veneramos e por meio desta ação lembramos quem os inspirou a na vida de santidade, Jesus Cristo.

Em um artigo postado pela Church Pop,  temos uma informação relevante e que mostra que desdes os primórdios da Igreja, que sim era católica, havia a condenação a adoração a Nossa Senhora e aos santos e santas. Esse pensamento sempre foi claro. PARA NÓS CATÓLICOS O ÚNICO DIGNO DE ADORAÇÃO É DEUS: PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO. Ninguém mais pode ser adorado, nem sequer a bem-aventurada Mãe de Deus…

Ninguém!

Se é desde o começo conte-nos uma caso sobre isso? Eis aí sua resposta “jovem padawan”.

Então, na história da Igreja se conhece um grupo de “cristãos” que caíram no erro de adorar a Virgem Maria. Esta é a história da sua heresia e de como foram condenados pela Igreja.

As heresias são tão antigas como a própria história do Cristianismo. Por isso, a Igreja tem que atuar diligentemente para denunciá-las e para que o povo de Deus não seja confundido.

No séc. IV apareceu um grupo de autodenominados “cristãos”, conhecidos como Coliridianos, os quais se reuniam num culto de adoração à Virgem Maria. Este estranho culto consistia em oferecer bolos e pastéis à Virgem, como sinal de adoração. Na realidade, eles não eram cristãos, eram uma seita gnóstica integrada majoritariamente por mulheres que tomaram a figura de Maria, mesclando-a com deuses pagãos para confundir os verdadeiros cristãos.

Quando Santo Epifânio, bispo de Salamina, soube desta heresia, não tardou em denunciá-la e condená-la em nome de toda a Igreja Católica. Tal condenação pode ler-se, em sua célebre “Paranión”, em que também denuncia outras heresias da época.

“É ridícula e, na opinião dos sábios, totalmente absurda”, assim Santo Epifanio descrevia a heresia coliridiana, “pois aqueles que, com uma atitude insolente, são suspeitos de fazer estas coisas, prejudicando a mente das pessoas (…) pessoas que se inclinam nesta direção são culpadas de terem feito pior dano”.

Também, Santo Epifânio esclareceu a diferença entre o verdadeiro culto a Deus e a verdadeira devoção à Virgem Maria: “Seja Maria honrada. Sejam Pai, Filho e Espírito Santo adorados, mas ninguém adore à Maria”.

Mais isso não prova que condenam a idolatria aos santos e Nossa Senhora.

O mesmo ensinamento imutado pelo bispo é o que está em nossa doutrina. Veja o Catecismo da Igreja Católica:

“Todas as gerações me chamarão bem-aventurada” (Lc , 48): “A piedade da Igreja para com a Santíssima Virgem é intrínseco ao culto cristão” (MC 56) A Santíssima Virgem “é honrada com razão pela Igreja com um culto especial. E, em afeto, desde os tempos mais antigos, se venera a Virgem Maria com o título de Mãe de Deus”, sob cuja proteção, se achegam os fiéis suplicantes em todos os seus pedidos e necessidades… Este culto (…) também é todo singular, é essencialmente diferente do culto de adoração a Deus, ao Verbo Encarnado, ao Pai e ao Espírito santo, mas o favorece poderosamente”. (LG); encontra sua expressão nas festas litúrgicas dedicadas à Mãe de Deus (cf. SC 103) e na oração mariana, como o Santo Rosário, “síntese de todo evangelho” (Catecismo da Igreja Católica 971).

Ainda tem dúvidas sobre isso? Vamos conversar. Comente e compartilhe.

Paz e bem!

Por Marquione Ban com informações de Church Pop

Quem dizem por aí que Eu sou?

Bom dia! Paz e Bem 🙏🙏🙏

Pegando emprestado o minisermão do Padre Joaozinho. São sabias palavras contidas em uma leitura de um minuto. Leiam.

*‪#minisermao* (27/08/17) Quem pergunta valoriza o que o outro tem para dizer. Perguntar é um jeito de amar. Faça muitas perguntas. Jesus foi um perguntador; desde os 12 anos, quando foi perdido e reencontrado no templo, Maria perguntou: “Não sabias que estávamos aflitos te procurando?” Ele respondeu com uma pergunta: “Vocês não sabiam que Eu devia estar na casa de meu pai?” E Jesus perguntou a vida inteira. Naquele dia, em Cesareia de Filipe, perguntou aos apóstolos: “Quem dizem por aí que Eu sou?” Mas a pergunta genérica foi depois mais pessoal: “Mas, para vocês, quem Eu sou?” Pedro deu a resposta correta. Jesus era hábil em perguntar; valorizava o que o outro tinha para responder. Pergunte sempre. (Mt 16,13-20) Pe. Joãozinho, Scj.

Você sabe a diferença entre Assunção e Ascensão?

Hoje é dia de Assunção de Nossa Senhora e também de Nossa Senhora da Sáude. A igreja em todo o mundo celebra a subida de Maria ao céu. Contudo, você sabe o que significa assunção? E a igreja já celebrou a ascensão de Jesus Cristo este ano. Mas como assim?

Assunção de Maria ao céu
A assunção de Nossa Senhora constitui uma verdade de fé, que faz parte da doutrina da comunidade cristã. Proclamado em meados do século XX, foi o último dogma mariano definido pela Igreja.

Estou reblogando este post aqui para que entendamos melhor a diferença dessas duas festas. Sei que para muitos deu um nó, não é? Embora as palavras sejam parecidas seu significado e sua festas são distintas. Vejamos!

Ascensão de Cristo

Ascensão de Jesus Cristo é celebra-se depois do Tempo Pascal, encerrando esse período de festa pela ressurreição de Cristo e marca o anuncio da chegada de Pentecostes. É uma festa móvel da igreja. A Ascensão de Cristo significa que Jesus subiu ao céu – At 1, 1- 11. O significado da festa também é o da palavra. Ascender significa subir por sua conta. Cristo vai ao céu pelo seu poder. Ninguém o leva.

E a Assunção…

A festa da Assunção de Nossa Senhora, marca um dia importante na vida do católico, pois celebramos um dos dogmas marianos mais importantes. Maria subiu ao céu e é santa. A Assunção de Maria significa que o magnifica, oração cantada por Maria se cumpriu – Lc 1. Ser assunto significa que alguém o levou. Maria foi assunta ao céu. Jesus a leva. Aí está o sentido desta festa. Maria é levada ao céu pelo seu Filho e Mestre Jesus.

Então, a diferença entre assunção e ascensão é simples. Ascensão é subir ao céu por sua conta, como Cristo fez. Assunção é ser levada ao céu, como é o caso de Nossa Senhora.

Crença antiga

A crença na assunção de Nossa Senhora é antiga, remontando ao século IV. O povo cristão já acreditava no fato. S. Efrém (+ 373) afirmava que o corpo virginal de Maria não sofreu corrupção depois da morte. S. Epifânio (+ 403) dizia que o fim dela foi prodigioso e que ela possuía o Reino dos Céus ainda com a carne.

No século VI, já acontecia, em Jerusalém, a festa da Dormição (Trânsito) de Nossa Senhora, fixada, por decreto imperial, para 15 de agosto. Pelo ano 600, tal festa era celebrada também em Constantinopla. No Ocidente, a partir do século VII celebrava-se em Roma a mesma festa, patrocinada pelo Papa S. Sérgio I (687-701). De Roma, a festa passou para a França e a Inglaterra no século VIII, tomando o título de “Assunção de Santa Maria”. Este título sugeria a ressurreição imediata da Virgem Santíssima e a sua glorificação na bem-aventurança celeste

A partir do século VII, no Oriente, eram numerosos os testemunhos de escritores e teólogos que defendiam a assunção de Nossa Senhora, embora houve pensadores que tinham incertezas sobre seu destino final. Do século X em diante, os orientais consolidaram sua convicção sobre a glorificação corpórea da Virgem Santíssima, amplamente divulgada entre o clero, os teólogos e o povo em geral.

E aí? Gostou de nosso post? Compartilhe nas redes sociais e marque seus amigos que ainda tem dúvidas ou comente aqui. Paz e bem amados!

São Bento, rogai por nós!!

Abade vem de “Abbá”, que significa pai, e isto o santo de hoje bem soube ser do monaquismo ocidental. São Bento nasceu em Núrcia, próximo de Roma, em 480, numa nobre família que o enviou para estudar na Cidade Eterna, no período de decadência do Império.

Diante da decadência – também moral e espiritual – o jovem Bento abandonou todos os projetos humanos para se retirar nas montanhas da Úmbria, onde dedicou-se à vida de oração, meditação e aos diversos exercícios para a santidade. Depois de três anos numa retirada gruta, passou a atrair outros que se tornaram discípulos de Cristo pelos passos traçados por ele, que buscou nas Regras de São Pacômio e de São Basílio uma maneira ocidental e romana de vida monástica. Foi assim que nasceu o famoso mosteiro de Monte Cassino.

A Regra Beneditina, devido a sua eficácia de inspiração que formava cristãos santos por meio do seguimento dos ensinamentos de Jesus e da prática dos Mandamentos e conselhos evangélicos, logo encantou e dominou a Europa, principalmente com a máxima “Ora et labora”. Para São Bento a vida comunitária facilitaria a vivência da Regra, pois dela depende o total equilíbrio psicológico; desta maneira os inúmeros mosteiros, que enriqueceram o Cristianismo no Ocidente, tornaram-se faróis de evangelização, ciência, escolas de agricultura, entre outras, isso até mesmo depois de São Bento ter entrado no céu com 67 anos.

São Bento, rogai por nós!

Corpo e Sangue de Cristo, lavai-nos!

Hoje celebramos a solenidade do Corpo e Sangue de Cristo. Neste dia santo oremos juntos a oração que São Tomás de Aquino elevou a Deus Pai:

Ó Deus eterno e todo poderoso, eis que me aproximo do Sacramento do vosso Filho único, Nosso Senhor Jesus Cristo.

Impuro, venho à fonte da misericórdia; cego, à luz da eterna claridade; pobre e indigente, ao Senhor do céu e da terra.

Imploro, pois, a abundância da vossa liberalidade, para que vos digneis curar a minha fraqueza, lavar as minhas manchas, iluminar minha cegueira, enriquecer minha pobreza, vestir minha nudez.

Que eu receba o pão dos anjos, o rei dos reis e o Senhor dos senhores com o respeito e a humildade, com a contrição e a devoção, a pureza e a fé, o propósito e a intenção que convém à salvação da minha alma.

Dai-me que receba não só o Sacramento do Corpo e Sangue do Senhor, mas também o seu efeito e a sua força.

Ó Deus de mansidão, fazei-me acolher com tais disposições o Corpo que vosso Filho único, Nosso Senhor Jesus Cristo, recebeu da Virgem Maria, que seja incorporado ao seu Corpo Místico e contado entre seus membros.

Ó Pai cheio de amor, fazei que, recebendo agora vosso Filho sob o véu do Sacramento, possa na eternidade contemplá-Lo face a face.

Amén.

Hoje é dia de Santo Antônio! Rezemos…

Ó Deus eterno e todo-poderoso, destes Santo Antônio ao Vosso povo como grande pregador e intercessor em todas as necessidades. Fazei-nos por seu auxílio seguir os ensinamentos da vida cristã e sentir a Vossa ajuda em todas as provações. Assim seja. 

Santo Antônio, rogai por nós! 

Conheça mais sobre Santo Antônio, clique aqui.

Casal se casa pela segunda vez

Quando a amor é guiado pelo Espírito Santo vemos coisas como essa. Um casal de Ipatinga-MG, meus amigos e tenho orgulho demais deles, casou-se pela segunda vez. Isso mesmo! Eles separam e casaram de novo. Ana Paula e Wilkerson se apaixonaram, casaram e depois se separaram. No entanto, como diz o velho ditado, “Deus escreve certo por linhas tortas”, eles reataram e depois do retorno buscaram não somente a união, mas o sacramento de Deus e suas bençãos para a vida a dois.

O legal desta linda história de amor, é a união familiar e seus valores. Graças ao amor que sentiam um pelo outro e a ajuda dos cunhados os dois puderam se entender e voltar a viver sua história. Leia a matéria linda que a repórter Patrícia Belo, do G1 dos Vales fez AQUI.

Casal casa duas vezes
Ana Paula e Wilkerson se recasaram e buscaram a benção de Deus para sua união. (Foto: Arquivo Pessoal)

 

Não é amor quando…

A Secretaria de Políticas para as Mulheres lançou a campanha de alerta aos relacionamentos abusivos, em ocasião ao Dia dos Namorados. Lembre-se de não deixar nada e nem ninguém lhe impor nada. Amor é dom. É gratuito. Não explora, agride – físico e verbal -, não prende. Ele liberta.

#NãoéAmorQuando 

Vamos publicar cards coloridos, infográficos, textos e vídeos. Vamos compartilhar!

Último dia da Coroa do Espírito Santo 

Rezemos:

Em nome do Pai, Filho e Espírito Santo, amém. 

Levamos em nossos corações anseios, necessidades que muitas vezes nem precisamos de fato. Peçamos ao Espírito Santo muita luz para nos guiar no meio dos pecados.

 LITURGIA DIÁRIA

Domingo de Pentecostes – Missa do Dia da Páscoa.

1ª Leitura – At 2,1-11
“Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar”.

Salmo – Sl 103,1ab.24ac.29bc-30 31.34 (R.30)

R. “Enviai o vosso Espírito, Senhor, e da terra toda a face renovai”.

2ª Leitura – 1Cor 12,3b-7.12-13

“Fomos batizados num único Espírito para formarmos um único corpo”.

Evangelho – Jo 20,19-23

“Assim como o Pai me enviou também eu vos envio: Recebei o Espírito Santo.”

COROA

Vinde, Espírito do Santo Temor de Deus, reinai em nossa vontade e fazei que estejamos sempre dispostos a antes sofrer e morrer que Vos ofender.


Rezemos 7vezes:

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos Vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso amor, vinde e renovai a face da terra.

Após as 7 invocações digamos:

Ó Maria, que por obra do Espírito Santo, concebestes o Salvador, rogai por nós!

Em nome do Pai, Filho e Espirito Santo.

Sexto dia da Coroa do Espírito Santo

Rezemos em nome do Pai, Filho, Espírito Santo. Amém.

Vinde, Espírito de Piedade, vinde morar em nossos corações, tomai conta deles e santificai todos os seus afetos.


Rezemos 7 vezes:

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos Vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso amor, vinde e renovai a face da terra.

Após as 7 invocações digamos:

Ó Maria, que por obra do Espírito Santo, concebestes o Salvador, rogai por nós!

Em nome do Pai, Filho e Espirito Santo.

O Apocalipse segundo o islã e segundo o Evangelho

Padre Olmes Milani, CS, é um sacerdote católico em missão nos Emirados Árabes Unidos. Ele escreveu um artigo para a Rádio Vaticano, onde aborda o tema do juízo final a partir das perspectivas islâmica e cristã. Um comparativo. Ele mostra semelhanças e diferenças. Interessante. Leia. 

Amigas e amigos, é com votos de paz e esperança que os saúdo. Partilho algumas informações sobre o tema da ressurreição no Islã e as convergências e divergências com o cristianismo.

No Ilsã

Na doutrina islâmica, a ressurreição é precedida pelo fim do mundo. O anjo de Deus tocará a trombeta e todos os habitantes da terra cairão inconscientes, com exceção daqueles que são poupados por Deus.

A descrição do fim é apocalíptica. A terra será achatada, as montanhas serão reduzidas a pó, uma fenda aparecerá no céu, os planetas dispersos e os túmulos revirados.

A trombeta tocará mais uma vez e as pessoas serão ressuscitadas com seus corpos físicos originais. Ao terceiro toque, as pessoas levantar-se-ão de seus túmulos, ressuscitadas.

Seres humanos, crentes ou ímpios, demônios e animais serão reunidos na Grande Planície do Encontro onde esperarão o julgamento.

Haverá balanças para pesar os atos dos homens. Em seguida os registros dos atos realizados nessa vida, serão entregues. Quem recebe seu registro na mão direita terá uma prestação de contas fácil e voltará feliz para a sua família. Entretanto, a pessoa que receber o seu registro na mão esquerda será jogada no fogo.

Com os registros em mãos, todos serão julgados e informados sobre suas boas ações e pecados. Os crentes reconhecerão seus erros e serão perdoados. Os descrentes não terão boas ações para declarar porque já foram recompensados em vida.

No Cristianismo

No fim dos tempos, Cristo diz que “todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. E colocará as ovelhas à sua direita, e os cabritos à sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Venham vocês, que são abençoados por meu Pai. Recebam como herança o Reino que meu Pai lhes preparou desde a criação do mundo. Pois eu estava com fome, e vocês me deram de comer; eu estava com sede, e me deram de beber; eu era estrangeiro, e me receberam em sua casa; eu estava sem roupa, e me vestiram; eu estava doente, e cuidaram de mim; eu estava na prisão, e vocês foram me visitar’. Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? Quando foi que te vimos doente ou preso, e fomos te visitar?’ Então o Rei lhes responderá: ‘Eu garanto a vocês: todas as vezes que vocês fizeram isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizeram”. (Mt 25,32-40). Quem não teve a sabedoria de ver Cristo nas pessoas que sofrem, será enviado para um estado de sofrimento. Nós não queremos isso. Almejamos a salvação.

_________

Pe. Olmes Milani, CS, missionário, das Arábias para a Rádio Vaticano

Quinto dia da Coroa do Espírito Santo

Em nome do Pai, Filho e Espírito Santo. Amém. 

Rezemos pedindo Ciência.

Vinde, Espírito de Ciência, sede o Mestre de nossas almas e ajudai-nos a praticar os Vossos santos ensinamentos.

Rezemos 7 vezes:

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos Vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso amor, vinde e renovai a face da terra.

Após as 7 invocações digamos:

Ó Maria, que por obra do Espírito Santo, concebestes o Salvador, rogai por nós!

Em nome do Pai, Filho e Espirito Santo.


Quarto dia da Coroa do Espírito Santo

Irmãos,

hoje me enrolei todo com trabalho e só agora pude postar a coroa. Rezemos juntos.

Em nome do Pai, Filho e Espírito Santo, amém.

Vinde, Espírito de Fortaleza, dai-nos força, constância e vitória nas batalhas contra os nossos inimigos espirituais e corporais.

Rezemos 7 vezes:

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos Vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso amor, vinde e renovai a face da terra.

Após as 7 invocações digamos:

Ó Maria, que por obra do Espírito Santo, concebestes o Salvador, rogai por nós!

Em nome do Pai, Filho e Espirito Santo.

Você sabia? Apenas 7 mulheres no mundo podem vestir branco diante do Papa

Neste mês de maio, houve uma repercussão muito grande sobre a foto tirada no Vaticano com Trump, presidente dos EUA, sua esposa e filha junto ao Papa Francisco. A polêmica se deu por dois motivos. O primeiro, a expressão nada alegre de Francisco. O segundo, a primeira dama e sua filha, Melania e Ivanka Trump, estavam de preto ao lado dos dois.

A foto circulou o mundo, que na sua ociosidade criativa, principalmente aqui em terras tupiniquins, brincou com esses dois fatos. Associaram a imagem a uma série de terro norte americana chamada American Horror Story – AHS, e outras bizarrices por aí.

ng8547398
Família Trump e o Papa

No entanto, fiz toda essa introdução para passar para você uma regra de etiqueta papal que há muito é usada no Vaticano. Não é uma regra. Tanto é que o próprio pontífice pode anular ao seu gosto.

A Santa Sé não impõe um código de vestimenta a ser adotado de modo obrigatório, mas sugere um protocolo para visitas de Estado e audiências com o Papa, tanto para homens quanto para mulheres. No caso feminino, o protocolo requer vestido preto longo e gola alta, mangas compridas e mantilha preta. No entanto, por motivos históricos, algumas rainhas católicas ou consortes católicas de reis têm sido tradicionalmente isentas de usar o preto: trata-se do assim chamado “privilégio do branco”, uma especial prerrogativa concedida e mantida a critério do Papa.

Privilégio do Branco

Atualmente, são apenas sete as rainhas, princesas ou consortes de monarcas e monarcas eméritos a quem é concedido o “privilégio do branco”: a rainha consorte Letícia, da Espanha; a rainha emérita Sofia, também da Espanha; a rainha consorte Matilde, da Bélgica; a rainha emérita Paula, também da Bélgica; a grã-duquesa Maria Teresa, de Luxemburgo; a princesa Charlene, de Mônaco; e a princesa Marina, de Nápoles, por pertencer à Casa de Saboia.

Trata-se de uma tradição cujo sentido é o de reverenciar a importância do Sumo Pontífice, mas, como disse antes, os próprios Papas não exigem à risca o seu cumprimento. Já houve na história recente, diversas mulheres chefes de governo ou de Estado que foram recebidas pelos Papas sem estarem vestidas de preto.

papa-branco-1
Rainha emérita Sofia da Espanha, uma das que podem se vestir de branco diante do papa.

Foi o caso, por exemplo, das ex-presidentes irlandesas Mary Robinson e Mary McAleese, além da ex-primeira-dama Raíssa Gorbachova, da antiga União Soviética, todas em encontros com São João Paulo II.

Em diversas ocasiões, as próprias rainhas e princesas que têm o “privilégio do branco” preferiram não fazer uso dessa prerrogativa, escolhendo vestir-se de preto em gesto de reverência ao Santo Padre.

 Por Marquione Ban, com trechos do texto publicado em Aleteia