Arquivo da tag: Beata Irmã Dulce

Beatificação de Irmã Dulce completa 2 anos nesta quarta-feira

Irmã Duce: dois da sua beatificada
Irmã Duce: dois da sua beatificada

Redação Portal A12 Há exatamente dois anos, Irmã Dulce era beatificada no Parque de Exposições em Salvador (BA).

A cerimônia de Beatificação, que reuniu mais de 70 mil pessoas, foi presidida pelo Cardeal arcebispo emérito de Salvador, Dom Geraldo Majella Agnelo.

Neste domingo (26), celebrações em homenagem aos 99 anos de nascimento de Irmã Dulce serão realizadas em Salvador.

A agenda festiva, que contará com a participação de paróquias da capital e do interior, terá procissão – com concentração na Colina Sagrada às 15h30 e saída às 16h – e missa solene, às 17h, no Santuário da freira baiana, localizado no Largo de Roma.

Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, nascida em 26 de maio de 1914, filha de Augusto Lopes Pontes e Dulce Maria de Souza, desde muito nova já mostrava dedicação a pessoas carentes, mendigos e doentes.

Aos 13 anos transformou a casa da família em um centro de atendimento a estas pessoas. Sua casa ficou conhecida como ‘A Portaria de São Francisco’, por conta do número de carentes que se aglomeravam a porta.

Nesta época, Maria Rita manifestou pela primeira vez o desejo de se dedicar à vida religiosa. Após seis anos, Maria Rita se transformou em Irmã Dulce, o ‘Anjo bom da Bahia’.

Hoje é dia da Beata Irmã Dulce, o anjo bom do Brasil

Irmã Dulce morreu em 13 de março de 1992, pouco tempo antes de completar 78 anos. A fragilidade com que viveu os últimos 30 anos da sua vida, com a saúde abalada seriamente – tinha 70% da capacidade respiratória comprometida – não impediu que ela construísse e mantivesse uma das maiores e mais respeitadas instituições filantrópicas do país, batendo de porta em porta pelas ruas de Salvador, nos mercados, feiras livres ou nos gabinetes de governadores, prefeitos, secretários, presidentes da República, sempre com a determinação de quem fez da própria vida um instrumento vivo da fé.

Segunda filha do dentista Augusto Lopes Pontes, professor da Faculdade de Odontologia, e de Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes, ao nascer em 26 de maio de 1914 em Salvador, Irmã Dulce recebeu o nome de Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes. Aos 13 anos, ela já havia transformado a casa da família, na Rua da Independência, 61, num centro de atendimento a pessoas carentes. É nessa época que ela manifesta pela primeira vez o desejo de se dedicar à vida religiosa, após visitar com uma tia áreas onde habitavam pessoas pobres.

A sua vocação para trabalhar em benefício da população carente teve a influência direta da família, uma herança do pai que ela levou adiante, com o apoio decisivo da irmã, Dulcinha.

Em 8 de fevereiro de 1933, logo após a sua formatura como professora, Maria Rita entrava para a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, na cidade de São Cristóvão, em Sergipe. Pouco mais de um ano depois, em 15 de agosto de 1934, era ordenada freira, aos 20 anos de idade, recebendo o nome de Irmã Dulce, em homenagem à sua mãe.

A primeira missão de Irmã Dulce como freira foi ensinar em um colégio mantido pela sua congregação no bairro da Massaranduba, na Cidade Baixa, em Salvador. Mas, o seu pensamento estava voltado para o trabalho com os pobres. Já em 1935, dava assistência à comunidade pobre de Alagados e de Itapagipe, também na Cidade Baixa, área onde viriam a se concentrar as principais atividades das Obras Sociais Irmã Dulce.

Os primeiros anos do trabalho da jovem missionária foram intensos. Em 1936, ela fundava a União Operária São Francisco, primeiro movimento cristão operário da Bahia. Em 1937, funda, juntamente com Frei Hildebrando Kruthaup, o Círculo Operário da Bahia, mantido com a arrecadação de três cinemas que ambos haviam construído através de doações – o Cine Roma, o Cine Plataforma e o Cine São Caetano. Em maio de 1939, Irmã Dulce inaugurava o Colégio Santo Antônio, escola pública voltada para operários e filhos de operários, no bairro da Massaranduba.

Nesse mesmo ano, Irmã Dulce invadiu cinco casas na Ilha dos Ratos, para abrigar doentes que recolhia nas ruas. Expulsa do lugar, ela peregrinou durante uma década, levando os seus doentes por vários lugares, até, por fim, instalá-los no galinheiro do Convento Santo Antônio, que improvisou em albergue e que deu origem ao Hospital Santo Antonio, o centro de um complexo médico, social e educacional que continua com as portas abertas para os pobres da Bahia e de todo o Brasil.

O incentivo para construir a sua obra, Irmã Dulce teve do povo baiano, de brasileiros dos diversos estados e de personalidades internacionais. Em 1988, ela foi indicada pelo então presidente da República, José Sarney, com o apoio da Rainha Sílvia, da Suécia, para o Prêmio Nobel da Paz. Oito anos antes, no dia 7 de julho de 1980, Irmã Dulce ouviu do Papa João Paulo II, na sua primeira visita ao país, o incentivo para prosseguir com a sua obra.

Os dois voltariam a se encontrar em 20 de outubro de 1991, na segunda visita do Sumo Pontífice ao Brasil. João Paulo II fez questão de quebrar o rigor da sua agenda e foi ao Convento Santo Antônio visitar Irmã Dulce, já bastante debilitada, no seu leito de enferma. Cinco meses depois da visita do Papa, os baianos chorariam a morte do Anjo Bom. No velório, na Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, políticos, empresários, artistas, se misturavam a dor das milhares de pessoas simples, anônimas. Muitas delas, identificadas com o que poderíamos chamar do último nível da escala social, justamente para quem Irmã Dulce dedicou a sua obra.

Cine Anunciador Especial – Irmã Dulce, o Documentário

Acesse também:

Canal Obras Sociais de Irmã Dulce – Youtube

Conheça os Patronos e Intercessores da JMJ 2013

Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, divulgou hoje à tarde os nomes dos santos e beatos que são patronos e intercessores da Jornada Mundial da Juventude, JMJ 2013, que será realizada no Rio de Janeiro. Os nomes foram divulgados durante a cerimônia realizada no Santuário de Nossa Senhora da Penha. Uma procissão compostas por jovens e religiosos, que subiram  as escadarias do Santuário de Nossa Senhora da Penha, marcou o evento. Após a procissão, Dom Orani, do alto das escadarias, divulgou o  cinco patronos e 13 intercessores da JMJ 2013.

Os cinco patronos são: Nossa Senhora Aparecida, São Sebastião, Frei Galvão, Santa Teresa de Lisieux e Beato João Paulo II. Já os intercessores são: Santa Rosa de Lima, Santa Teresa de Los Andes, Santa Laura Vicuña, Beato José de Anchieta, Beata Albertina Berkenbrock, Beata Chiara Luce Badano, Beata Irmã Dulce, Beato Adílio Daronch, Beato Pier Giogio Frassati, Beato Isidoro Bakanja, Beato Ozanam, São Jorge e Santos André Kim e companheiros.

O arcebispo do Rio afirmou que o evento será de grande importância para a Igreja Católica, principalmente para os jovens: “Será um momento de importante integração entre os jovens de todo o mundo. Eles também fazem parte do futuro do País e é fundamental que haja união entre todos. É um privilégio para o Rio receber esse evento”.

Durante a divulgação O Anunciador acompanhou a divulgação pelo twitter. Veja o “prints” da tela na hora da divulgação:

Veja o documentário sobre a Beata Irmã Dulce, o “Anjo Bom da Bahia”

Produzido pela TV Aparecida, o ‘Irmã Dulce o Documentário’ foi exibido no dia 22, data da beatificação de Irmã Dulce.

No dia 31 de maio foi liberado no canal oficial da TV Aparecida no youtube e no site a primeira parte do documentário sobre a vida e obras de Irmã Dulce.

O documentário inicia com relatos de histórias emocionantes das ações de Irmã Dulce, contatadas por pessoas que foram ajudadas, ajudaram e conviveram com a beata.

Veja o vídeo:

Fonte Redação Rede Aparecida

Rezemos a Deus Pai pedindo a intercessão de Irmã Dulce

Agora os católicos do Brasil podem rezar ao Senhor por intercessão da Bem-Aventurada Dulce dos Pobres. Com a cerimônia de beatificação realizada na tarde deste domingo, 22, o culto a religiosa baiana é inscrito no calendário do país, com a memória celebrada no dia 13 de agosto (dia em que a freira recebeu os votos religiosos).

A seguir, confira a oração para pedir graças por intercessão da nova beata:

Senhor nosso Deus
Recordando a vossa Serva Dulce Lopes Pontes,
Ardente de amor por vós e pelos irmãos,
Nós vos agradecemos pelo seu serviço a favor
Dos pobres e excluídos.
Renovai-nos na fé e na caridade,
E concedei-nos a seu exemplo vivermos em comunhão
Com simplicidade e humildade,
Guiados pela douçura do Espírito de Cristo
Bendito nos séculos dos séculos. Amém!
Já está disponível para download também a novena de Irmã Dulce. O material é composto de nove encontros de oração que apresentam a vida da religiosa como exemplo para quem busca um encontro íntimo com Deus. Segundo a Arquidiocese de Salvador (BA), a novena deve ter seu início sempre no dia 13, terminando no 21 de cada mês.

.: Clique para baixar