Arquivo da tag: Brasilia

Arcebispo de Brasilia será cardeal

dom-sergio
Dom Sérgio da Rocha é arcebispo de Brasília – Foto do Google

O GLOBO | Em um anúncio surpresa neste domingo, o Papa Francisco anunciou que elevará 17 prelados à função de cardeais. Dentre eles, está o brasileiro Dom Sérgio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Além disso, 13 desta lista têm menos de 80 anos e, por isso, são elegíveis para entrar no conclave que no futuro escolherá o próximo chefe do Vaticano.

O pontífice escolheu religiosos de cinco continentes, seguindo a sua tradição de nomear cardeais dos mais distantes e periféricos cantos do mundo — oferecendo mais representatividade a África, Oceania, Ásia e América do Sul do que à Europa, que por muito tempo dominou o Colégio Cardinalício.

Leia mais sobre esse assunto em O Globo

Brasília sedia 9º Encontro Nacional de Fé e Política

 banner_fepoliticaDebater e construir um nova política, que congregue a todos sempre foi o foco deste encontro ecumênico. Tive a oportunidade de participar de dois encontros. O que me marcou foi o 7º encontro na Baixada Fluminense. Lá, vi a alegria de um povo sofrido e a necessidade de entrarmos na política para construirmos um mundo novo e possível.

Hoje, com a fala do Papa Francisco que a “política é suja por que os cristãos não entram nela” o encontro debate a “Cultura do Bem Viver: partilha e poder.” O evento será nos dias 15, 16 e 17 de novembro, na Universidade Católica de Brasília.  As inscrições são feitas pelo site féepolítica.org.br.

Serviço:

9º ENCONTRO NACIONAL FÉ E POLÍTICA

Tema: Cultura do Bem Viver: partilha e poder.

Data: 15, 16 e 17 de novembro de 2013.

Local: Universidade Católica de Brasília – UCB

Endereço: Campus I – QS 07 Lote 01 EPCT, Águas Claras, Taguatinga/DF.

Veja a programação: 

 DIA 15 – SEXTA-FEIRA (FERIADO)

14h – Recepção e credenciamento (Centro Educacional Católica de Brasília – área interna da Universidade Católica de Brasília).

17h às 20h – Acolhida/Celebração

  • Abertura oficial:
  • Representante Nacional Movimento Fé e Política;
  • Representante Local;
  • Governador;
  • Reitor da Universidade Católica de Brasília – UCB;
  • Conselho Nacional de Igrejas Cristãs – CONIC;
  • Arcebispo de Brasília.

Atividade Cultural

Encaminhamento dos participantes para as comunidades (hospedagem solidária e jantar nas casas das famílias parceiras do Movimento Fé e Política do DF).

DIA 16 – SÁBADO

8h30 – Mística

9h – Memória do Movimento Fé e Política

Apresentação da temática

9h30 às 12h – Mesa sobre o tema geral

  • Cultura do Bem Viver (Graciela Chamorro)
  • Partilha na Cultura do Bem viver (Paul Singer)
  • Poder na Cultura do Bem viver (Frei Betto)

12h às 13h45 – Almoço

14h às 17h – Fóruns Temáticos (Blocos A, B, C, D e Auditórios da UCB).

1. Mobilização Social, Educação Popular e Cidadania

Facilitadores: Selvino Heck e Ricardo Spíndola

2. Juventudes e Protagonismo Social

Facilitadores: Vanildes Gonçalves e Carmem Lúcia

3. Redes Sociais e novas tecnologias de comunicação

Facilitadores: Carlos Ângelo e Geniberto Campos

4. Democracia e construção do poder popular

Facilitador: Ivo Lesbaupin e Chico Whitaker

5. Memória e Comissões da Verdade

Facilitadora: Sueli Belato e Paulo Abrão (a confirmar)

6. Direitos Humanos e Cultura de Paz

Facilitador: Daniel Seidel e Marili Quadros

7. Direitos Sociais e Participação Popular.

Facilitador: Guilherme Delgado e Ana Ligia

8. Ecologia e Direitos da Terra

Facilitador: Pedro Ribeiro e Pedro Ivo

9. Gênero e Poder

Facilitadora: Tânia Mara e Alessandra Miranda

10.  Racismo e Poder

Facilitadores: Felipe da Silva Freitas e Carlos Alberto Santos de Paulo

11.  Tráfico de Seres Humanos

Facilitadora: Ir. Rosita Milesi e William Cesar de Andrade

12.  Espiritualidades do Bem-Viver

Facilitador: Marcelo Barros (a confirmar) e Ademar Sato (a confirmar)

13.  Consumismo e Partilha: desafios

Facilitador: Luiz Siveres

14.  Matriz Energética e Mudanças Climáticas

Facilitador: Ivo Poletto  e Ir. Delci

15.  Estado e Reforma Política

Facilitador: José Antônio Moroni e Juiz Marlon Reis

16.  Violência e Juventude

Facilitadoras: Hildete Emanuele Souza e Severine Carmem Macedo (a confirmar).

17.  Terra e Territórios

Facilitador: Paulo Maldos  e Marina (MST)

18.  Resíduos Sólidos

Facilitadores: Ronei Alves da Silva e Daniel Higino.

19.  Estado laico e poder

Facilitador: Thierry Linard e Ademar Bertucci

20.  Poder local e bem viver

Facilitador: Gilberto Carvalho (Presidência da República)

21.  Direito a alimentação e comércio internacional

Facilitadora: Maria Emília Lisboa Pacheco (CONSEA) e Patrus Ananinas (a confirmar)

22. Os indignados e os novos movimentos de contestação

Facilitadores: Aurélio Rodrigues da Silva e José Lisboa Moreira de Oliveira

23. Relações de trabalho

Facilitador: Bernardo Lestienne, Leda Gonçalves, Juiz Leador Machado do TST (a confirmar)

24. Políticas Públicas para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

Facilitador: Ulisses Ridel (a confirmar), Olavo (a confirmar)

25. Economia Popular Solidária: boas práticas comunitárias

Facilitador: Deusani Noleto e Débora Lago (Cáritas Brasileira)

26.  Arte, Cultura e Empoderamento

Facilitador: Zé Vicente

Apresentação cultural entre 18h e 20h.

DIA 17 – DOMINGO

8h30 – Mística de abertura do dia.

9h – Conferência Final “Cultura do bem viver: Partilha e Poder” – Frei Carlos Mesters.

10h – Apresentação de Militantes com responsabilidade pública.

10h30 – Celebração de envio.

11h30 – Encerramento.

12h – Almoço.

Observação: Esta programação ainda passará por alguns ajustes após as confirmações de alguns dos facilitadores dos fóruns temáticos do dia 16/11.

Giro de Notícias: Papa, Messi, CNBB, CFM, Aborto

Papa fará visita a Brasília em julho

E o papa Francisco confirmou viagem a Brasília em julho. Vai se encontrar com a presidente Dilma Rousseff, o que transformará sua vinda ao país, para a Jornada Mundial da Juventude, no Rio, em visita oficial.

Palavra do Papa

Ao dirigir, nesta manhã, 23, um discurso aos membros do Corpo Diplomático acreditado junto à Santa Sé, o Papa Francisco explicou que seu nome se deve ao grande santo de Assis e seu amor aos pobres, e precisou que existe em nossos dias uma pobreza espiritual ainda maior que é a ditadura do relativismo, como a chamava Bento XVI.

“Como sabeis, há vários motivos que, ao escolher o meu nome, me levaram a pensar em Francisco de Assis, uma figura bem conhecida mesmo além das fronteiras da Itália e da Europa, inclusive entre os que não professam a fé católica. Um dos primeiros é o amor que Francisco tinha pelos pobres”, disse o Santo Padre.

Messi quer ver o Papa

pppapamessi210313O atacante do Barcelona e principal figura da seleção argentina de futebol, Lionel Messi, disse que gostaria de conhecer seu compatriota o Papa Francisco. Em breves declarações à imprensa argentina Messi afirmou que “é um orgulho para todos nós que somos argentinos o Papa seja daqui”.

CNBB se manifesta a respeito da decisão do CFM sobre o aborto

O presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e Família da CNBB, dom João Carlos Petrini, divulgou nesta sexta-feira, 22 de março, algumas considerações a respeito de uma nota publicada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), que apoia o direito de aborto até a 12ª semana de gestação. A seguir, a íntegra da mensagem.

“O Conselho Federal de Medicina ao se manifestar favorável ao aborto até 12 semanas parece não ter levado em consideração todos os fatores que entram em jogo nas situações que se pretendem enfrentar. Sua decisão, que não contou com a unanimidade dos Conselhos Regionais, deixa uma mensagem inequívoca: quando alguém atrapalha, pode ser eliminado.” – Continue a ler AQUI.

Eutanásia velada: CFM decide que paciente poderá escolher se tratar ou não em caso de doenças terminais

Ao levantar hoje e ver os jornais me deparei com a informação de que o Conselho Federal de Medicina – CFM –  aprovou a medida em que o doente em faze terminal escolha se tratar ou não. Os jornais e jornalistas de plantão, afirmam em suas matérias que essa decisão foi ótima. “Acertou o CFM”, disse Alexandre Garcia – respeitado jornalista – em sua coluna no Jornal Bom Dia Brasil, da Rede Globo. Alexandre Garcia foi além. Disse que essa decisão é humanitária e “vai diminuir gastos com as UTI’s”.

Em minha opinião o que o Conselho fez foi simplesmente legalizar a eutanásia. Foi ir contra a vida, dom de Deus. Cabe agora a nós cristãos discernirmos entre o que Cristo ensina e o que os homens de pouca fé, ou nenhuma, querem que façamos. No milagre da ação de Deus em nossa vida, parece que já desacreditamos.

Ah! Havia me esquecido. O médico que recusar atender o desejo do paciente pode perder seu registro e autorização no Conselho.

Leia a matéria do Estadão, onde evidentemente, eles defendem a decisão do CFM.

/////////////////////////////////////////////////

DÉBORA BERGAMASCO / BRASÍLIA – O Estado de S.Paulo

A partir de hoje, qualquer pessoa plenamente lúcida, saudável ou não, e maior de 18 anos poderá declarar ao seu médico se, em caso de doença terminal e irreversível, optará pela morte natural ou vai querer que sejam adotadas até medidas extremas, dolorosas e extenuantes para mantê-la viva por mais tempo.

Até agora, a decisão cabia à família e não ao paciente, especialmente em casos de impossibilidade de comunicação ou de demência senil. O doente também poderá designar ao médico um representante para comunicar a decisão.

Esse procedimento é chamado de “testamento vital” ou “diretiva antecipada de vontade” e passa a valer com a publicação hoje, no Diário Oficial, de uma resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM). O texto diz que, para ser válida, basta que a vontade do paciente conste em seu prontuário médico, sem necessitar de assinatura, registro em cartório ou testemunhas.

A decisão é facultativa e pode ser revogada a qualquer momento, mas só a pedido do próprio paciente. Ciente de que dúvidas e polêmicas virão por aí, o presidente do CFM, Roberto D’Avila, fez questão de explicar que “em hipótese alguma a vida do paciente será abreviada e a eutanásia continua proibida”.

Ele afirma que o médico continuará obrigado a fazer tudo o que for possível para curar o doente. A fim de se explicar, ele deu o exemplo de seu próprio pai, que morreu em 1990.

“Ele tinha um câncer já impossível de ser curado, estava muito fraco e pediu para que não fosse entubado nem internado na UTI. Ele escolheu esperar pela morte em casa, cercado pelos filhos e netos, sem tomar mais a quimioterapia que só lhe causava desconforto e não poderia curá-lo. Pediu para que, se seu coração parasse, ninguém tentasse reanimá-lo e o deixássemos partir em paz. Respeitamos a decisão dele.”

Outros países já adotam esse tipo de diretiva antecipada, como EUA, Espanha, Holanda, Argentina e Portugal.

Especialistas em cuidados paliativos consideram a nova norma uma evolução. Para Pedro Caruso, diretor de UTI do Hospital A.C. Camargo, o País está em um limbo jurídico no que se refere ao tema. “Não há um arcabouço legal para a decisão. Embora não exista lei, a situação se apresenta todos os dias nos hospitais.”

Para ele, o fato de o paciente não precisar deixar por escrito sua posição é positivo. “É uma decisão muito difícil e um momento delicado. Não precisa burocratizar e impor mais sofrimento.”

A médica Ana Paula de Oliveira Ramos, responsável pelo Setor de Medicina Paliativa da Unifesp, enfatiza a importância de o assunto ser abordado o quanto antes, o que nem sempre ocorre. “Enquanto o paciente está bem, é mais fácil falar sobre o assunto. Se está mal e o tema vem à tona, já surge a associação de que ele está morrendo.”

Dúvidas. O testamento vital só poderá ser aplicado quando houver uma doença do tipo crônica degenerativa, como câncer, Alzheimer, Parkinson ou algo que coloque o paciente em estado vegetativo.

Com a figura do médico de família cada vez mais rara, para que não se corra o risco de a informação não chegar ao profissional que comanda o tratamento, a sugestão de D’Avila é que se “comunique a decisão a todos os médicos pelos quais passar”.

E se a família desconhecer a decisão e duvidar da anotação no prontuário, pensando que se trata de uma medida para reduzir custos? “Deve prevalecer a relação de confiança entre médico e paciente. Os procedimentos adotados pelos médicos não são submetidos a nenhum interesse de operadoras ou hospitais”, afirma o presidente do CFM. / COLABOROU MARIANA LENHARO

Rio + 20…. Enquanto isso na Warner brasileira – Brasília – Tom e Jerry salvam uma cachoeira

“Os olhos do mundo estão voltados para o Brasil”. Assim começa todos os telejornais brasileiros e assim são as manchetes dos impressos nessa pátria gentil. Fato relevante e importante para a sociedade tupiniquim que contém grandes reservas naturais a serem cuidadas pelo governo. Outra coisa que o governo deve cuidar é de suas reservas de popularidade, embora o povo tenha memória curta. Muito curta. Quase um Alzheimer.

É, a preservação das florestas de dinheiro publico para o bem político de um ser chamado político começou. Creio que com inspiração na Rio +20 e Cúpula dos Povos. Afinal a grande floresta verde de reais está se esgotando. Será? Não, isso só aconteceria em sonhos, ou melhor, pesadelos dos sofistas do planalto. Dos éticos. É nesse contesto de Rio +20 e Cúpula dos Povos que Tom and Jerry  entram em ação na CPI de preservação das cachoeiras. Ou de quem nela se banhou.

Como no desenho, Tom e Jerry sempre se estranham e vão as vias de se extinguirem. Contudo diante a ameaça em comum de alguém se unem facilmente. Em Brasília, a Warner brasileira, ou até mesmo a Disney, afinal lá são produzidos belos contos de fada, assistimos, ou não, ao  filme “O que há por trás da Cachoeira”. Na verdade, como sempre sabemos, espero, que os filmes de contos de fadas, heróis e outros seres são ficção, a CPI também é.

Ontem, 14/06, houve uma grande encenação de abandono da CPI por parte de Tom – oposição – e uma “trolagem”  de Jerry – Governo – pela não aprovação da convocação do dono da Delta. Empresa mergulhada nas águas dessa cachoeira, assim como o Senador ético e governadores semelhantes. Sem falar em outros membros do governo e da CPI que fizeram um tour por Paris com Cachoeira.

A Rio + 20 corre o risco de novamente não gerar grandes frutos ambientais para o planeta. A Cúpula dos Povos continuará com os status de evento paralelo. Já a CPI do Cachoeira terá o destino mais bonito de todos. A preservação. O desfecho que o mundo espera na Rio + 20 acontecerá em Brasília. No final as águas de cachoeira serão preservadas e Tom e Jerry saíram abraçados comendo queijo e peixe. A Rio+20, só Deus sabe.

Ah! Me esqueci do povo, inclusive eu. Mas não me lembro de nada hoje, ontem e nem daqui uns dias.

Por Marquione Ban

CNBB abre Campanha da Fraternidade 2012 nesta quarta-feira de cinzas

O secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Ulrich Steiner, abre, na Quarta-feira de Cinzas, 22, às 14h, na sede da Conferência, em Brasília (DF), a Campanha da Fraternidade-2012. O tema proposto para a Campanha deste ano é  “Fraternidade e Saúde Pública” e o lema “Que a saúde se difunda sobre a terra”, tirado do livro do Eclesiástico.

O ministro da saúde, Alexandre Rocha Santos Padilha, confirmou sua presença. Além dele, participarão do ato de abertura da CF o sanitarista Nelson Rodrigues dos Santos; o Gestor de Relações Institucionais da Pastoral da Criança e membro do Conselho Nacional de Saúde, Clovis Boufleur, e o cirurgião e membro da equipe de assessoria da Pastoral da Saúde do Conselho Episcopal Latino-americano, André Luiz de Oliveira. O ato é aberto à imprensa.

A CF-2012 tem como objetivo geral “refletir sobre a realdiade da saúde no Brasil em vista de uma vida saudável, suscitando o espírito fraterno e comunitário das pessoas na atenção aos enfermos e mobiliza por melhoria no sistema público de saúde”.

Realizada desde 1964, a Campanha da Fraternidade mobiliza todas as comunidades catóilcas do país e procura envolver outros segmentos da sociedade no debate do tema escolhido. São produzidos vários materiais para uso das comunidades com destaque para o texto-base, produzido por uma equipe de especialistas.

A Campanha acontece durante todo o período da quaresma que, segundo o secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, “é o caminho que nos leva ao encontro do Crucificado-ressuscitado”.

Na apresentação do texto-base, dom Leonardo, eplica que, com esta Campanha da Fraternidade, a Igreja quer sensibilizar as pessoas sobre a “dura realidade de irmãos e irmãs que não têm acesso à assistência de saúde pública condizente com suas necessidades e dignidade”.

Marcha contra Corrupção deve reunir mais de 25 mil em Brasília

Mais de 25 mil pessoas já confirmaram participação na Marcha contra a Corrupção, marcada para esta quarta-feira, 7, em Brasília, paralelamente às comemorações do Dia da Independência. A manifestação, convocada pelas redes sociais na internet e definida como apartidária, quer chamar a atenção para os recentes escândalos envolvendo desvio de dinheiro público.

Entre os alvos dos protestos, estão os casos de corrupção nos ministérios dos Transportes, Turismo e Agricultura e a absolvição da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), flagrada recebendo um pacote de dinheiro do esquema de corrupção do governo do Distrito Federal, conhecido como mensalão do DEM, à época em que o governador era José Roberto Arruda.

“Não temos nada a festejar no dia 7 de setembro. Pinte sua cara, vista sua camisa preta, vamos mostrar nossa indignação”, diz a convocação da marcha, feita por meio de redes sociais na internet. A concentração está marcada para as 9h, no Museu da República, na Esplanada dos Ministérios. A confirmação da presença dos manifestantes é feita pelas próprias redes sociais.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) manifestaram apoio à Marcha contra a Corrupção. As entidades dizem que a manifestação será uma oportunidade para buscar apoio popular a causas como o fim do voto secreto no Congresso Nacional, a redução de cargos comissionados, a transparência dos gastos públicos e a declaração imediata da constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa, que aguarda julgamento definitivo no Supremo Tribunal Federal (STF).

Além do protesto em Brasília, manifestações com o mesmo objetivo estão sendo convocadas em outras cidades. Em São Paulo, a concentração será na Avenida Paulista, em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp), a partir das 9h. No Rio de Janeiro, o movimento dos “Caras-pintadas contra a Corrupção” vai se reunir na Cinelândia, no centro, no mesmo horário.

Manifestação em Brasília pede a aprovação do Estatuto do Nascituro

brasilsemabortoDebaixo de um sol de 33 graus e com a umidade relativa do ar em 20%, mais de mil pessoas se reuniram em frente à Biblioteca Nacional, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF), para participar da 4ª Marcha Nacional da Cidadania pela Vida, que neste ano teve como tema “Quero viver! Você me ajuda?”. A marcha é uma iniciativa do Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto.

A todo o momento os manifestantes, que ocuparam ordenadamente duas faixas da Esplanada dos Ministérios, gritavam palavras de ordem pedindo o fim do aborto no país e a aprovação do Projeto de Lei 478/2007, conhecido como Estatuto do Nascituro, dos ex-deputados federais Luiz Bassuma e Miguel Martini, que tramita no Congresso Nacional.

organizadoramarchacontraabortoSegundo a presidente do Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto, doutora Lenise Garcia, o objetivo da manifestação foi pleitear junto ao Congresso Nacional a aprovação do Estatuto do Nascituro. “Viemos hoje a Brasília pedir a aprovação imediata da PL 478/2007. Este estatuto garante uma série de direitos à criança, desde a concepção ao término natural da vida, estipula garantias para a mãe grávida, e outras medidas de proteção da sociedade”.

Marília de Castro, coordenadora do Movimento em São Paulo (SP), falou da importância que o movimento tem alcançado e destacou a experiência bem sucedida das manifestações no estado. “O primeiro ato público em defesa da vida da criança aconteceu na Sé, em São Paulo, à época reunimos mais de 15 mil pessoas. Uma verdadeira demonstração de amor a vida e de indignação com quem pratica o aborto. Desde então, as manifestação recebem cada vez mais pessoas. O que devemos destacar é que é um movimento suprareligioso e suprapartidário, ou seja, é um movimento da sociedade brasileira”.

padrerafaelfornasiermarchaO assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família, da CNBB, padre Rafael Fornasier, explicou que a importância desse ato por ser ecumênico, reunindo católicos, espíritas, evangélicos e até ateus. “É significante socialmente essa manifestação, pois reúne diversas denominações, que defendem a vida, desde o seio materno, até o seu termino natural; é uma mensagem para a sociedade brasileira. Não é uma questão apenas de religião, mas uma questão moral, ética e que envolvem todos os cidadãos, todas as classes, principalmente os políticos. A nossa luta, enquanto Igreja é propor a vida, a beleza da vida e levar essa mensagem para todo o mundo”, destacou.

“O Brasil já tem leis aprovadas como o Estatuto da Criança e do Adolescente, o Estatuto do Idoso e já existe proposta para aprovar o Estatuto da Juventude. Chegou a hora de o país ter o seu Estatuto do Nascituro, que já foi aprovado na Comissão de Seguridade Social e Família, mas precisa ser aprovado também por mais duas Comissões na Câmara dos Deputados”, disse o ex-deputado, Luiz Bassuma.

pessoascontraoabortoA integrante de projetos sociais e de evangelização Jamila Macedo disse que os manifestantes querem mostrar à população que o aborto é um crime. “Se ainda existem divergências quanto ao início da vida, não podemos correr o risco de deixar que centenas de crianças morram até ser decidido”, disse.

Os organizadores da marcha pretendem entregar ao presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), mais de 50 mil assinaturas pedindo a aprovação do Estatuto.

CNBB reativa missa com os parlamentares

missaparlamentares_fev2011

Cerca de 40 pessoas dentre senadores, deputados, assessores parlamentares e integrantes da CNBB participaram, na manhã desta quinta-feira, 24, da Missa dos Parlamentares, na capela da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A celebração, retomada após o recesso parlamentar, é organizada pela Assessoria Política da CNBB e pela Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP).

O secretário geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, presidiu a missa e lembrou o compromisso do cristão de ser sal da terra, segundo o evangelho.  “Somos chamados a ser sal da terra e a vivermos a opção pelo reino de Deus em cada atitude. E essa escolha não se limita às ações, mas, principalmente, ao que trazemos em nosso coração”, disse dom Dimas. “Devemos fazer o que Jesus faria em nosso lugar e, para isso, é preciso conhecê-Lo”, acrescentou.

No momento das preces, os parlamentares apresentaram intenções em favor da paz na Líbia, pediram inspiração para seu trabalho e fizeram memória de alguns falecidos, lembrando especialmente a mãe do deputado Chico Alencar, ocorrida nesta semana.

A missa dos parlamentares é celebrada uma vez por mês, na terceira quinta-feira do mês,  sempre às 8 horas.

“São os valores comuns que nos unem hoje aqui. É maravilhoso ver os parlamentares reunidos para pedir as bênçãos de Deus sobre os brasileiros, sobre o Brasil”, disse o deputado federal, Gabriel Chalita (PSB/SP). “Todos nós, políticos, o somos porque fomos escolhidos pelo povo e por Deus. Sendo assim, não podemos nos afastar do Senhor”, disse a vereadora Marlene Parra (PT / RO), que, em visita a Brasília, foi convidada a participar da celebração.

Fonte CNBB

Imagem da Internet

 

Corrida contra a corrupção. Vamos Correr?

A Esplanada dos Ministérios será o local da 1ª Corrida contra a Corrupção, que acontece no dia 12, em Brasília. O evento pretende estimular a população sobre a importância do controle social para fiscalizar e exigir transparência no uso do dinheiro público.

A iniciativa é a primeira ação do projeto “Venceremos a Corrupção”, que conta com o apoio das organizações não governamentais Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), Contas Abertas, o Instituto de Fiscalização e Controle (IFC) e a Comunidade de Inteligência Policial e Análise Evidencial (Cipae) em parceria com várias outras entidades. O projeto piloto será em Brasília, mas a partir do próximo se estenderá a todas as capitais brasileiras.

Com a proximidade do Dia Mundial de Combate à Corrupção, comemorado no dia 9 de dezembro, a ideia é chamar a atenção de toda a sociedade brasileira para permanecer mobilizada na luta contra a corrupção no Brasil.

De acordo com um dos idealizadores do projeto, Duque Dantas, novas ações estão sendo elaboradas para o ano que vem. Uma delas é o fortalecimento dos índices de transparência nas instituições. “Já é obrigado por lei que municípios de no mínimo 50 mil habitantes tenham um portal de transparência em seu site. O projeto pretende mobilizar a sociedade para que todos esses municípios sejam cobrados pela sua própria população”, disse.

“Outra ação é capacitar as entidades organizadas para saber exatamente o que cobrar da prefeitura quanto à transparência e anticorrupção”, completou. Segundo Dantas, o IFC já trabalha com ONGs municipais que, entre outras atividades, trabalham na capacitação da população nesse sentido. Outras 112 ONGs são vinculadas ao Instituto.
Corrida contra a Corrupção

O evento vai contar com três percursos diferentes. Todos serão na Esplanada dos Ministérios e o ponto de encontro inicial é o Congresso Nacional. Os participantes poderão optar pelo circuito de 10 quilômetros com largada na Esplanada dos Ministérios subindo até o Memorial JK e retornando à Esplanada para a bandeirada final.

A segunda opção é a prova de cinco quilômetros que faz a volta na Rodoviária do Plano Piloto e retorna para a Esplanada. Já a terceira opção será uma caminhada de aproximadamente 1.500 metros, que visa reunir adultos e crianças em uma confraternização com objetivo de mostrar que a sociedade deve continuar mobilizada para combater a corrupção em todos os níveis.

As inscrições estão sendo realizadas no   http://www.venceremosacorrupcao.net.br.

O custo é de R$   30 reais.  O evento premiará todos que cruzarem a linha de chegada com medalhas de participação além de troféus e medalhas para os primeiros colocados em cada categoria.
Dia Mundial de Combate à Corrupção

O dia 9 de dezembro foi instituído em 2003 pela Assembleia Geral das Nações Unidas como Dia Internacional contra a Corrupção. A data se refere à convenção da ONU assinada por 110 países que se comprometiam a cooperar para rastrear e recuperar dinheiro e bens desviados, assim como criminalizar o suborno e a lavagem de dinheiro, entre outros aspectos.

No entanto, a convenção entrou em vigor internacionalmente apenas em maio de 2005. No Brasil, o texto passou a valer com força de lei apenas em 2006.

Fonte: Catolicanet.com.br