Arquivo da tag: Google ++

Super Papa Francisco!

Ano passado só deu Papa Francisco na internet. Foi nome mais buscado no Google e Facebook. Eleito a pessoa do ano pela revista Times. Ganhou o Brasil e o mundo na JMJ, onde demonstrou sua enorme simpatia e simplicidade.  Em suma, o Papa é pop. Prova disso foi o tuite que o Vaticano divulgou com um grafite do Papa Francisco. Na imagem o Papa aparece com o “super-homem”, vestido com a tradicional roupa branca dos papas e com um maleta escrita valores (Referência ao fato de que o Pontífice argentino carrega sua bagagem pessoal quando viaja).

O Super Papa
O Super Papa

O tuite dizia:

“Compartilhamos esse graffiti que vimos hoje”

O rei da net

No Google, o nome do primeiro sumo pontífice latino-americano é o mais procurado por mês, com 1,7 milhão de consultas. Também é o mais mencionado em nível mundial na rede, com 49 milhões de referências.

Francisco supera o presidente americano, Barack Obama (1,5 milhão de consultas por mês e 38 milhões de referências), e o presidente russo, Vladimir Putin (246 mil consultas e 8 milhões de referências).

Quando comparado com outras personalidades do mundo do esporte, do espetáculo e dos negócios, Francisco aparece em terceira posição, depois do grupo musical juvenil One Direction (78 milhões) e do cantor adolescente Justin Bieber (53 milhões), que construiu sua popularidade na internet.

O estudo “A rede ama o papa Francisco” foi feito pela empresa 3rdPlace para o site católico Aleteia.org.

Com informações do Jornal O Globo

 

Turismo virtual: Google Maps oferece passeio pelas catacumbas de Roma

(ACI/EWTN Noticias).- Google criou um mapa digital de duas grandes catacumbas em Roma para mostrar aos usuários a beleza dos lugares históricos e despertar a curiosidade por aprender mais sobre eles.

“Se podes encontrar as catacumbas, afrescos e museus online, então terás a vontade de saber mais,” disse Georgia Albetino ao grupo ACI em uma entrevista, em 19 de novembro.

“Assim, o nosso objetivo é justamente fazer que cada vez mais pessoas aprendam sobre a cultura universal, e nossa própria cultura italiana”, adicionou.

Albetino é a líder da equipe de políticas públicas do Google na Itália, e esteve presente na conferência de imprensa de 19 de novembro, onde anunciou o novo projeto, realizado na Catacumba de Priscila.

A Catacumba de Priscila foi utilizada como cemitério cristão desde finais do século II até o século IV, e se compõe de um grande número de murais de santos e símbolos cristãos, alguns dos quais se encontram atualmente em restauração.

Acredita-se que o nome da catacumba se deve a uma mulher chamada Priscila, de quem se acreditava que era a esposa de um homem que se converteu ao cristianismo e foi condenado à morte pelo imperador Domiciano.

catacumbas

A inspiração para o novo sistema de mapa que detalha as catacumbas, indicou Albetino, vem de “uma grande ideia que Google tem de tentar colocar na Web a maior quantidade de conteúdo cultural que seja possível”.

As catacumbas surgiram originalmente como um tema de interesse, revelou o diretor de políticas, durante um encontro entre o Cardeal Ravasi, Presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, e o presidente executivo do Google, Eric Schmidt.

Durante o debate sobre “como enriquecer o mundo da Internet,” indicou Albetino que “a ideia era boa, existem conteúdos incrivelmente valiosos, como por exemplo, as catacumbas, por que não as colocamos no Maps? E assim foi como tudo começou”.

Até agora, as Catacumbas de Priscila e de Dino Companion são as únicas disponíveis no Google Maps, e apesar de que “não existam planos a futuro quanto às catacumbas”, Albetino explicou que eram muito importantes, especialmente na cultura italiana, já que “nos contam algo sobre nossa história, assim como também sobre as nossas origens [W1]”.

Fabricio Bisconti, superintendente arqueológico das catacumbas da Comissão Pontifícia de Arqueologia Sagrada, explicou ao grupo ACI que outro motivo fundamental foi entregar “um trajeto virtual às pessoas com deficiência física”.

Aqueles que “não podem visitar” as catacumbas devido a alguma “grande dificuldade”, observou, também devem ter a possibilidade de apreciar sua beleza, adicionando que “este foi nosso primeiro motivo”.

Albetino revelou que outro “projeto fantástico” no qual Google está trabalhando na Itália, é “digitalizar todos os livros das três principais bibliotecas: Nápoles, Roma e Florência, e deixá-los disponíveis na Internet, e logo pretendem também digitalizar os maiores museus com o mesmo propósito”.

O objetivo de todo este projeto, indicou, é “mostrar ao mundo as belezas que têm”.

O novo mapa das catacumbas pode ser visto em AQUI.

Google Street View inclui Basílica de Nossa Aparecida em suas visualições

O Google anunciou nesta quinta-feira (13) que adicionou mais de mil novos destinos ao Street View, serviço que permite a visualização diversos locais do planeta por meio de fotos. Agora, é possível visitar a basílica de Nossa Senhora Aparecida, assim como a catedral gótica de Seville, na Espanha e outros endereços pelo mundo afora.

13164431

Imagem de Nossa Senhora fica intacta depois da devastadora passagem do furacão Sandy nos EUA

Imagem da Virgem Maria em meio aos escombros no bairro Breezy Point of Queens, NY, terça-feira. Fogo destruiu pelo menos 80 casas lá como Sandy atingiu a comunidade à beira-mar.

 

Como não sei falar e muito menos ler o idioma inglês, recorri ao Google. Dá para compreender o quanto o povo americano está sofrendo e as informações da tragédia na tradução.

Hoje o Papa, em Roma, rezou pelas vítimas desse furacão, Sandy, que passou pelo Caribe e vai em direção ao Canadá. Nós também somos chamados a rezar por eles também.

Leia a matéria do jornal The Wall Street Journal

_____________________________

Marcha Megastorm Sandy de destruição ceifou pelo menos 43 vidas em os EUA e deixou mais de oito milhões de pessoas sem energia elétrica na terça-feira tarde, em uma das maiores tempestades já para golpear a costa leste.

Diminuída, mas ainda perigoso, a tempestade agitou todo Pensilvânia na terça-feira em um arco em direção Canadá e os EUA nordeste começou seu lento processo de recuperação. Em Nova York, os mercados financeiros se esperava para retomar a negociação quarta-feira, apesar de grandes pedaços da cidade estão sem eletricidade e sua vasta rede de metrôs permanece ociosas por inundações histórico.

Ao amanhecer terça-feira no rastro da tempestade de destroços, que começou a expor histórias de heroísmo e tragédia, decisões ruins e golpes de sorte.

New Jersey tomou um golpe particularmente grave. Partes do calçadão famoso Atlantic City foram reduzidas a estilhaços, a cidade cassino em si, mas tudo submerso. A Seaside montanha russa Parque estava torcido no Oceano Atlântico. Inúmeras casas foram danificadas ou destruídas.

“O nível de devastação no Jersey Shore é impensável”, o governador Chris Christie disse em uma coletiva de imprensa.

Em Broad Channel, em Nova York, uma mãe de 29 anos de idade, foi forçado a mergulhar e nadar para fora da janela da frente de sua casa com sua filha de 8 anos de idade. Peças de West Virginia foram forçados a cavar a partir de três metros de neve. Em Long Island, um homem acendeu um fogo de artifício que ele confundiu com uma vela, e soprou a mão dele, segundo a polícia. E, em Freeport, NY, Nicole Smith evacuado e depois voltou para casa para encontrar um barco em seu gramado.Ela pediu transeuntes por US $ 5 para tirar uma foto.

O entulho disse a um conto de como a segurança poderia ser evasivo no caminho da tempestade. Uma menina de 13 anos foi encontrado morto, de pijama, um bloco de sua desbotada Staten Island casa, um menino de 11 anos e um amigo dele de 13 anos de idade, foram esmagados debaixo de uma árvore que atingiu um casa no subúrbio de Nova York, Westchester County.

No bairro de Nova York de Queens, uma vez que os ventos tinham acalmado manhã terça-feira, Joe Jordan entrei fora descalço para avaliar o quão mal a tempestade tinha danificado seu bairro de longa data, Breezy Point. Durante a noite, um incêndio tinha nivelado mais de 100 casas, dezenas de outras foram arrancadas de seus alicerces pela tempestade.

Lei mais AQUI

Google criticada por ceder à pressão global para impor a agenda gay

(ACI/EWTN Noticias).- A pressão da companhia Google para obter o reconhecimento legal das relações homossexuais em países como a Polônia ofendeu os seus críticos, que asseguram que a firma deveria preocupar-se com as violações contra direitos humanos fundamentais básicos em outros lugares.

Em diálogo com o grupo ACI no dia 17 de julho, o diretor do Instituto Tertio Millenio de Cracovia (Polônia), Pe. Maciej Zieba, lamentou que “a Google não pode distinguir entre discriminação, tolerância e promoção”.

“Na minha opinião, seria muito melhor se a Google, com o mesmo zelo, se concentrasse nas violações de direitos humanos em muitos países da Ásia e África, onde são violados direitos humanos elementares”.

No dia 7 de julho em Londres, o diretor do departamento de Diversidade e Inclusão da Google, Mark Palmer-Edgecumbe, disse na Conferência Global de Lugares LGBT (Lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) para o trabalho que desenvolverá iniciativas em todo mundo como parte de seu “muito ambicioso trabalho”.

“Queremos que nossos empregados que são gays ou lésbicas ou transgêneros tenham a mesma experiência fora do escritório como a que têm dentro dele”, disse.

A campanha se enfocará em países como a Polônia, que não reconhece os “matrimônios” homossexuais, e Singapura, que criminaliza os atos homossexuais.

Um registro de 8 de julho da página de diversidade da companhia afirma: “a Google acredita que os direitos LGBT são direitos humanos. Estamos nos associando com organizações ao redor do mundo para despenalizar a homossexualidade e eliminar a homofobia”.

Entretanto, o gigante da Internet modificou posteriormente a forma de apresentar sua campanha. O escritório da companhia em Varsovia (Polônia) recentemente recebeu o político e ativista homossexual Krystian Legierski para uma “conversação de escritório aberto e um almoço para discutir a importância das leis de associação civis”.

O P. Zieba se sentiu surpreso pelo uso inicial de uma linguagem de fé por parte da Google. A promoção de uma fé, disse, será uma “espécie de trabalho “missionário”.

“Mas esta forma de trabalho missionário no século XXI parece bastante anacrônica, e realizá-la desde o exterior é um sintoma de mau gosto”, assinalou.

O sacerdote indicou que a discriminação contra a mulher, perseguições religiosas, a falta de liberdade de expressão e a perseguição da oposição política em outros países são causas muito mais importantes.

O P. Zieba também rechaçou a afirmação de que os católicos poloneses são intolerantes.

“Os católicos devem opor-se a qualquer forma de intolerância ou discriminação”, afirmou o sacerdote que também assinalou a existência de “representantes de minorias sexuais” no parlamento nacional e nos meios de comunicação.

O comentarista católico polonês-americano George Weigel também criticou a campanha da Google, dizendo que não significa “nada de bom” para a defesa do matrimônio e da moral pública.

Em um correio enviado ao grupo ACI no dia 14 de julho, Weigel disse que “não vejo por que é um assunto do Google a forma que a Polônia defina por matrimônio o que é definido pela natureza, não pelos fornecedores de Internet, nem pelos governos”.

Weigel disse que o ativismo gay na Polônia foi “o mesmo que em outras partes”, em referência a que “uma pequena minoria vendeu exitosamente a falsa noção de que a homossexualidade é o equivalente à raça para os propósitos das leis de direitos civis e humanos”.

Os católicos na Polônia e nos Estados Unidos, disse, deveriam escrever às companhias que apóiam as agendas políticas homossexuais e expressar “sua oposição a esta propaganda”.

A iniciativa da Google assinala o trabalho da companhia nas celebrações do orgulho gay, em cidades dos Estados Unidos, em São Paulo (no Brasil), Tel Aviv (Israel) e Varsóvia (Polônia). Seus sócios incluem a Campanha de Direitos humanos, a Associação Nacional de Jornalistas Lésbicas e Gays, e a StoneWall.

Entre os apresentadores convidados na Conferência “Legalizem o Amor” da Google, figuraram Peter Tatchell, um ativista britânico com uma história de ações anti-católicas e anti-cristãs. Em abril de 1998, junto a outros ativistas, ele irrompeu durante o Sermão Pascal do Arcebispo de Canterbury, no Reino Unido.

Em 2004, Tatchell e outros ativistas, usando uma linguagem insultante para os fiéis e o clero, bloquearam o ingresso à Catedral de Westminster (Reino Unido) e impediram que os católicos fossem à Missa de Domingo de Ramos.

O ativista britânico se opôs s defesa da liberdade religiosa de agências de adoção cristãs que queriam dar crianças em adoção apenas a casais casados.

A carência destes amparos causou o fechamento de muitas agências católicas de adoção no Reino Unido.

Tatchell também foi um dos que pediram a prisão do Papa Bento XVI durante sua visita ao Reino Unido em 2010.

Dalai Lama e Desmond Tutu realizam palestra pela paz hoje no Google ++

Hoje no Google ++ – a nova rede social da Google – às 15h30, acontece Hangout – serviços de vídeos da G+ – o líder espiritual do Tibete, Dalai Lama, e o arcebispo de Desmound Tutu realizaram uma conferência ao vivo pela paz. O projeto faz parte de uma serie de palestras pela paz que o líder budista irá promover.

A conferência será retransmitida da cidade de Cape, África do Sul. Para participar é necessário ser usuário da rede social. Todos que tem gmail já possuem perfil na rede.