Começam os trabalhos de abertura para beatificação da mineira Madre Tereza Margarida do Coração de Maria

Começa neste domingo, 4, o processo de beatificação da Serva de Deus, madre Tereza Margarida do Coração de Maria, carinhosamente chamada por todo de Nossa Mãe. O processo será aberto com uma missa, marcada para as 16h, que será celebrada pelo bispo de Campanha, Dom Diamantino de Carvalho.

As irmãs Carmelitas preparam, desde que chegou de Roma, a licença para a abertura do processo de beatificação de “Nossa Mãe”, em 7 de julho de 2011. A partir daí, a vida das enclausuradas girou em torno disso. Há um mês, a comunidade religiosa está fazendo uma preparação espiritual, uma vivência da prática das virtudes e ainda mais de oração e silêncio.

“A gente está se preparando para viver na intensidade este momento tão especial e único. Esta é a primeira vez que isto acontece e nos deixa muito felizes, mas aumenta a nossa responsabilidade, pois ela seguiu esta mesma vida e viveu na perfeição, ao ponto de ser reconhecida pela igreja”, afirmou a priora do Carmelo São José, irmã Vânia Maria do Espírito Santo

O processo

O processo de beatificação será aberto em sessão solene marcada para as 16h deste domingo, 4, na Matriz Nossa Senhora D’Ajuda. A partir de 14h, os restos mortais da Nossa Mãe, que foram retirados do túmulo do cemitério no dia 26 de fevereiro, já estarão em urna para visitação na igreja. Em seguida, terá início a celebração, que seguirá um ritual diferente das habituais: no final, os fiéis sairão em procissão até o Carmelo, onde os restos mortais serão colocados no túmulo e a capela será inaugurada.

O processo de retirada dos restos mortas da madre foi acompanhado por orações de Dom Diamantino Prata de Carvalho durante a abertura do caixão. O postulador da causa, Dr. Paolo Villota, também participou do ato.

Dom Diamantino nomeou duas comissões para cuidar do processo de beatificação: um Tribunal Eclesiástico e a Comissão Histórica, com cargos e posições definidas dentro da diocese. A priora do Carmelo São José pediu ajuda da comunidade para levantamento de informações sobre a vida e atuação de irmã Maria Tereza, já que foram poucos os dados da freira levadas ao Carmelo para ser incluso no processo.

“Quero deixar bem claro que nada disso será divulgado, nem vai aparecer o nome de quem recebeu uma correspondência com conselhos dela, pois podemos encontrar coisas sobre a intimidade das pessoas. Precisamos e ter em mãos a sua forma de atuação”, explicou irmã Vânia.

História

Madre Tereza nasceu em Borda da Mata, no Sul de Minas, e viveu por muito tempo em Cruzeiro, interior de São Paulo. Ela foi fundadora do Carmelo São José, onde viveu por 43 anos. Ingressou na Ordem das Carmelitas, aos 21 anos de idade, no mosteiro de Mogi das Cruzes, interior de São Paulo. Nossa Mãe, como é chamada, morreu em novembro de 2005, 40 dias antes de completar 90 anos.

Vaticano aceita pedido de beatificação de religiosa mineira

madretereza_trespontas_mgVai ser dado início ao processo de beatificação de mais uma religiosa mineira. Trata-se de Madre Tereza Margarida do Coração de Maria. O pedido de beatificação foi feito pelo município de Três Pontas, no sul de Minas Gerais à Congregação para a Causa do Santos. A religiosa foi responsável pela fundação do Carmelo São José, onde viveu enclausurada por 43 anos.

Com a aceitação do Vaticano, a religiosa se torna a segunda do município mineiro e a quinta da região do Sul de Minas a poder se tornar beata. Antes de Madre Tereza, a Congregação para as Causas do Santos consentiu a abertura do processo para o padre Vítor, de Três Pontas; Monsenhor Alderije, de Santa Rita de Caldas; Nhá Chica, de Baependi; e da irmã Carmelita, Madre Maria Imaculada, de Pouso Alegre.

Maria Luisa Resende Marques (nome de batismo), Madre Tereza Margarida abraçou a vida religiosa aos 21 anos quando entrou na Congregação das Carmelitas. Em 1962, fundou o Carmelo de São José, no município mineiro de Três Pontas.

Madre Tereza faleceu em 2005 e seu corpo está sepultado no Cemitério Municipal de Três Pontas. No momento, uma capela está sendo construída para abrigar os restos mortais da religiosa.