Arquivo da tag: o chamado

Homossexuais não devem ser julgados ou marginalizados. “O Catecismo da Igreja Católica explica isso muito bem”, diz Papa

1_1G1 | O Papa Francisco disse nesta segunda-feira (29) que os homossexuais não devem ser “julgados ou marginalizados” e que devem ser integrados à sociedade.

Conversando com jornalistas a bordo do avião que o levou do Rio a Roma após a Jornada Mundial da Juventude, Francisco também afirmou que, segundo o Catecismo da Igreja Católica, a orientação homossexual não é pecado, mas os atos, sim.

“Se uma pessoa é gay e procura Deus e a boa vontade divina, quem sou eu para julgá-la?”, disse.

“O Catecismo da Igreja Católica explica isso muito bem”, disse. “Ele diz que eles não devem ser marginalizados por causa disso, mas que devem ser integrados à sociedade.”

“O problema não é ter essa orientação. Devemos ser irmãos. O problema é fazer lobby por essa orientação, ou lobbies de pessoas invejosas, lobbies políticos, lobbies macônicos, tantos lobbies. Esse é o pior problema”, disse.

As declarações foram feitas quando o Papa respondia a uma pergunta sobre o chamado lobby gay do Vaticano.

“Vocês veem muito escrito sobre o lobby gay. Eu ainda não vi ninguém no Vaticano com um documento de identidade dizendo que é gay”, brincou.

Mulheres
Francisco também afirmou que a proibição de mulheres sacerdotes na Igreja Católica é “definitiva”, apesar de que ele gostaria que elas tivessem mais papéis de liderança nas atividades pastorais e de administração.

“A Igreja falou e disse ‘não’… essa porta está fechada”, disse, em seu primeiro pronunciamento público sobre o tema como Papa.

Ele se referiu a um documento firmado pelo falecido Papa João Paulo II de que o banimento do sacerdócio feminino era parte dos ensinamentos infalíveis da Igreja e é definitivo.

A Igreja afirma que não pode ordenar mulheres porque Jesus só escolheu homens para serem seus apóstolos. Defensores do sacerdócio feminino dizem que ele estava agindo conforme os costumes daquele tempo.

Banco do Vaticano

O pontífice também disse que o banco do Vaticano, envolvido em uma série de escândalos, deve ser “honesto e transparente”, e que ele vai ouvir as recomendações de uma comissão que criou para definir se o banco deve ser reformado ou mesmo fechado.

O Vaticano anunciou nesta segunda que assinou um acordo sobre a troca de informações financeiras e bancárias com a Itália para combater a lavagem de dinheiro, confirmando reportagem da Reuters na semana passada.

Viagem de volta
O avião que transportava o pontífice, um Airbus A330 da companhia Alitalia, aterrissou no aeroporto de Ciampino, em Roma, às 11h25 (6h25 de Brasília), após percorrer os 9.201 quilômetros que separam o Rio de Janeirox da capital italiana.

O Papa desceu a escada do avião carregando a sua maleta preta de mão, que havia chamado a atenção já na viagem de ida.

Do aeroporto, o pontífice foi de helicóptero até o Vaticano, pondo fim a sua primeira viagem internacional como Papa.

O Papa mandou uma mensagem pelo Twitter avisando que chegou, dizendo que sua alegria era maior que seu cansaço.

1_2

MINISTÉRIO VIDA RELUZ ECENRRA FESTA DE NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO EM CACHOEIRA ESCURA

Banda fará show no dia 29 de junho em Cachoeira Escura, Belo Oriente-MG
Banda fará show no dia 29 de junho em Cachoeira Escura, Belo Oriente-MG

PASCOM | DIOCESE DE ITABIRA/FABRICIANO |A Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, do distrito de Cachoeira Escura, Belo Oriente-MG, realizou entre os dias 18 e 26 de junho, Novena em Honra a sua padroeira, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que tem o dia 27 de junho reservado na Liturgia Católica.

Nestes dias de oração, padre Jefferson Veronês, responsável pela paróquia, conta com o auxílio de outros padres para a celebração das Missas; diga-se, de passagem, o ponto alto de comunhão e espiritualidade, com a expressiva participação dos fiéis paroquianos e visitantes. Segundo a programação, o horário das celebrações varia entre 19h e 19h30. Também não faltam as tradicionais barracas de comidas tradicionais, e a animada Quadrilha dançada pelos jovens da paróquia.

Um momento não menos esperado é o show com o Ministério Vida Reluz, que acontecerá no sábado (29), após a Missa Campal das 19h30, na área de eventos de Cachoeira Escura.

A História da Banda Vida Reluz

Vida Reluz é uma banda brasileira de Música Católica Popular, originária de São José dos Campos. Foi fundada em 1985 por Walmir Alencar e Cidinha Moraes. A banda já lançou oito álbuns até o momento e duas coletâneas, todos pela gravadora Paulinas-COMEP.

No início, a banda fora formada como Grupo da Bíblia, e fazia parte da Sociedade de São Vicente de Paulo da paróquia que frequentavam em São José dos Campos, SP. Após dez anos de carreira, eles conheceram o padre Joãozinho, SCJ, já consagrado compositor e cantor da Paulinas Comep. Ele os indicou para a gravadora, e, em 1995 mesmo, saiu o chamado “álbum azul”, Vida Reluz, seu primeiro CD, que ganhou disco de ouro e se tornou um divisor de águas, inaugurando uma nova era na música católica popular. Trouxe vários hits, entre eles “Acreditar no Amor” e “Perfeito É Quem Te Criou”.

Após o primeiro disco, a vocalista Elaine Cristina decide dar uma pausa em suas atividades na banda. Após dois anos, em 1997, o grupo lança o álbum Celebra a Vitória, que foi muito aclamado pela crítica e teve ótima vendagem, também ganhando disco de ouro e se tornando um clássico para a banda. Este álbum mantém a sonoridade do anterior e ousa mais ainda, com guitarras e baixo marcantes, grooves de bateria, teclados e pianos ótimamente trabalhados e os vocais que marcaram a cara da banda, trazendo hits como “Deus Quero Louvar-Te”, “Declaramos” e a faixa-título “Celebra a Vitória”, que tem participação de Eugênio Jorge.

Após o lançamento de Celebra a Vitória, Elaine Cristina retorna ao coro da banda. Neste tempo, em 28 de março de 1998, após uma reunião, o baterista e percussionista Erik Rodrigues, o baixista Marcelo Soares, o vocalista e guitarrista Luiz Palma e o tecladista Gilbert decidem sair da banda. O violonista C. Henrique permanece ainda uma semana para ajudar a banda, mas também decide sair do grupo. Também o vocalista Walmir Alencar sai do grupo musical neste ano, indo fazer carreira solo1 , embora ainda tivesse grande contato com o grupo.

Após a saída da maioria da banda, novos integrantes entram e o disco Deus Imenso é lançado em 2000. Este disco foi o primeiro e único a ganhar disco de ouro com a nova formação. São sucessos: “Diante do Rei”, “Quem É Filho de Deus” e a faixa-título “Deus Imenso”. Ainda na divulgação do disco, o baterista R. Júnior, o segundo baixista Everton Oliveira e o saxofonista Marquinho também decidem deixar a banda, tendo Marquinho se juntado ao já solo Gilbert e formado a dupla Marquinho e Gilbert.

Em 2002, Walmir Alencar corta definitivamente os laços musicais com o grupo, alegando que o Senhor tinha uma missão diferente para ele. Também a vocalista Elaine Cristina decide neste ano deixar a banda. Apesar disto, o grupo continua a gravar e em 2003 lança o disco Deus É Capaz, que apresenta o novo vocalista Felipe Souza. Apesar da faixa-título, “Deus É Capaz”, ter recebido certo airplay, o álbum não foi muito bem em vendas e acabou culminando na saída definitiva de Elaine Cristina da banda.

Num esforço de reconstrução e união, em 2004 o grupo grava Gratidão, lançado em fevereiro de 2005. Gratidão foi melhor que o predecessor e lançou sucessos como “Nome Maravilhoso” e “Gratidão”. Em 7 de setembro de 2005, comemorando os vinte anos de carreira da banda, eles decidem gravar um show, cujo registro em CD e DVD resulta no aclamado álbum ao vivo Vida Reluz – Ao Vivo, muito vendido no mercado católico.

Recentemente, em 2009, a banda se mudou para a gravadora da comunidade católica Canção Nova, o DAVI, e lança o disco Toma o Teu Lugar, Senhor.

De volta à Paulinas-COMEP, depois de um tempo sem lançar discos, o ministério lança o CD Restaurado pra Adorar, produzido pelo ex-integrante e amigo Walmir Alencar.

Bento XVI: A loucura da Cruz é converter o sofrimento em grito de amor a Deus

(ACI/EWTN Noticias).- No dia que a Igrejacelebra a Exaltação da Santa Cruz e ao assinar a exortação Ecclesia in Medio Oriente, o Papa Bento XVI assinalou que a loucura da Cruz é a “de saber converter nosso sofrimento em grito de amor a Deus”.

Na Basílica grego-melquita de São Paulo de Harissa o Santo Padre assinou o chamado documento, fruto da Assembleia Especial para o Médio Oriente do Sínodo dos Bispos, realizado em outubro de 2010.

Em seu discurso ante as autoridades da Igreja Maronita (católica) no Líbano e em meio da alegria dos fiéis presentes fora e dentro da Basílica, o Papa disse que “agora é precisamente quando temos que celebrar a vitória do amor sobre o ódio, do perdão sobre a vingança, do serviço sobre o domínio, da humildade sobre o orgulho, da unidade sobre a divisão”.

À luz da festa de hoje e tendo em vista uma aplicação frutuosa da Exortação, convido todos a que não tenham medo, permaneçam na verdade e a cultivem na pureza da fé. Esta é a linguagem da Cruz gloriosa“.

O Papa ressaltou que “Esta é a loucura da Cruz: a de saber converter os nossos sofrimentos em grito de amor a Deus e de misericórdia para com o próximo;?e a de saber também transformar, seres atacados e feridos na sua fé e identidade, em vasos de barro prontos a serem cumulados pela abundância dos dons divinos mais preciosos que o ouro”.

Sobre o documento que acaba de assinar, Bento XVI indicou que este “quer ajudar cada um dos discípulos do Senhor a viver plenamente e a transmitir realmente aquilo que ele mesmo se tornou pelo batismo: um filho da Luz, um ser iluminado por Deus, uma lâmpada nova na escuridão tenebrosa do mundo para que das trevas brilhe a luz”.

“Este documento quer contribuir para despojar a fé daquilo que a ensombra, de tudo o que pode ofuscar o esplendor da luz de Cristo. Assim a comunhão é uma autêntica adesão a Cristo, e o testemunho é uma irradiação do mistério pascal que dá um sentido pleno à Cruz gloriosa. Nós seguimos e ´proclamamos Cristo crucificado (…) poder de Deus e sabedoria de Deus`”.

O Papa sublinhou também que “Ecclesia in Medio Oriente oferece elementos que podem ajudar a um exame de consciência pessoal e comunitário, uma avaliação objetiva do compromisso e desejo de santidade de cada discípulo de Cristo. A Exortação abre ao verdadeiro diálogo inter-religioso fundado na fé em Deus Uno e Criador”.

“Quer também contribuir para um ecumenismo repleto de ardor humano, espiritual e caritativo, na verdade e amor evangélicos, que vai buscar a sua força ao mandato do Ressuscitado: ‘Ide, pois, fazei discípulos de todos os povos, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a cumprir tudo quanto vos tenho mandado. E sabei que Eu estarei sempre convosco até o fim dos tempos`”.

Bento XVI comentou logo que “É providencial que este ato tenha lugar precisamente no dia da Festa da Exaltação da Santa Cruz, cuja celebração nasceu no Oriente em 335, na sequência da Dedicação da Basílica da Ressurreição sobre o Gólgota e o sepulcro de Nosso Senhor construída pelo imperador Constantino, o Grande, que venerais como santo”.

“Dentro de um mês, celebrar-se-ão os 1700 anos da aparição que lhe fez ver, na noite simbólica da sua incredulidade, o monograma cintilante de Cristo enquanto uma voz lhe dizia: «Por este sinal, vencerás!». Mais tarde, Constantino assinou o Édito de Milão e deu o seu nome a Constantinopla. Parece-me que a Exortação pós-sinodal pode ser lida e interpretada à luz da festa da Exaltação da Santa Cruz”, afirmou o Santo Padre.

 

Essa leitura, explicou o Papa, “conduz a uma descoberta autêntica da identidade do batizado e da Igreja e, ao mesmo tempo, constitui como que um apelo ao testemunho na comunhão e pela comunhão”.

“Porventura a comunhão e o testemunho cristãos não estão fundados no mistério pascal, na crucifixão, morte e ressurreição de Cristo? Não é aqui que encontram a sua plena realização? Existe um vínculo indivisível entre a Cruz e a Ressurreição, que não pode ser esquecido pelo cristão; sem este vínculo, exaltar a Cruz significaria justificar o sofrimento e a morte vendo neles apenas uma fatalidade”.

“Para um cristão, exaltar a Cruz quer dizer entrar em comunhão com a totalidade do amor incondicional de Deus pelo homem; é fazer um ato de fé. Exaltar a Cruz, na perspectiva da Ressurreição, é desejar viver e manifestar a totalidade deste amor; é fazer um ato de amor. Exaltar a Cruz leva ao compromisso de ser arauto da comunhão fraterna e eclesial, fonte do verdadeiro testemunho cristão; é fazer um ato de esperança.”.

O Papa disse também que a Exortação procura ser um chamado para que, em meio das dificuldades e da dor na região, se possa vencer a “tentação de ignorar ou esquecer a cruz gloriosa”.

Para concluir, Bento XVI fez um claro chamado aos católicos do Médio Oriente a vencer o temor: “Não temais, porque a Igreja universal vos acompanha com a sua solidariedade humana e espiritual”.

“Por intercessão da Virgem Maria, a Theotókos, invoco com grande afeto a abundância dos dons divinos sobre todos vós. Deus conceda a todos os povos do Médio Oriente viverem na paz, na fraternidade e na liberdade religiosa! Deus vos abençoe a todos”, terminou.