Vaticano concede “nada obsta” à beatificação de Frei Bruno

freibruno01
Frei Bruno Linden

São Paulo (SP) – As preces de milhares de devotos, amigos, confrades e admiradores de Frei Bruno Linden foram atendidas. O bispo da Diocese de Joaçaba (SC), Dom Mário Marquez, OFMCap, informou ao governo provincial da Província Franciscana da Imaculada Conceição que recebeu o edital concedendo o “Nihil obstat” (nada obsta) para dar continuidade à causa de Frei Bruno Linden. O documento, datado do dia 7 de maio de 2013 e assinado pelo Cardeal Angelo Amato, Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, decreta não existir impedimento para a continuação do processo de beatificação do frade franciscano.

Com esse “sinal verde” da Santa Sé, a partir de agora Dom Mario Marquez assume o processo diocesano da causa. “Nesta fase, Dom Mario vai nomear o Tribunal Eclesiástico que recolherá os depoimentos juramentados sobre as virtudes do candidato. Simultaneamente será nomeada a Comissão Histórica que vai reunir todos os documentos relativos à vida de Frei Bruno e também será constituída uma comissão para coletar e analisar os possíveis milagres de Frei Bruno”, explicou Frei Estevão Ottenbreit, Vigário Provincial e Vice-postulador da Causa.

Segundo Frei Estevão, ainda não foi definida uma agenda dos próximos passos a serem dados. “Deverei me encontrar com Dom Mário durante a Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, para definir a data de abertura deste Processo Canônico sobre a vida, virtudes e fama de santidade de Frei Bruno Linden”, explicou Frei Estevão.

Para a Província da Imaculada Conceição, que celebrou em 15 de julho 338 anos de fundação, a notícia não poderia ser melhor, como explica o Ministro Provincial Frei Fidêncio Vanboemmel: “A primeira coisa que me veio à mente foi: ‘que belo presente de aniversário a nossa Província recebeu hoje na festa franciscana de São Boaventura de Bagnoregio e na festa dos 338 anos de sua fundação’. E a história construída por vidas exemplares, como Santo Antônio de San’Ana Galvão e Frei Bruno.

“Este ‘sinal verde’ nos enche de alegria porque, como Província, podemos finalmente dar uma resposta ao grande clamor do povo que, insistentemente, nos pede a beatificação do ‘santo’ Frei Bruno. Este clamor popular vem de longa data. A prova mais evidente desta manifestação popular é a Romaria Penitencial em honra a Frei Bruno que acontece na cidade de Joaçaba, local da sua sepultura, desde 1987. Faça sol ou faça chuva, a cada ano que passa o clamor popular é mais vibrante e a devoção cresce sensivelmente!”, recorda o Ministro Provincial.

“Querer que Frei Bruno seja beatificado (e canonizado) é reconhecer nele a importância do peregrinar apostólico em espírito de pobreza e humildade, de sermos austeros e disciplinados na vida de oração, de jamais medirmos esforços para atender as pessoas, principalmente aquelas que mais necessitam da nossa misericórdia”, completa o Ministro Provincial.

Frei Bruno era sacerdote da Ordem dos Frades Menores – Província da Imaculada Conceição do Brasil. Nascido em 1876 em Dusseldorf, na Alemanha, ingressou aos 18 anos na família franciscana, recebendo o hábito em 1894. No mesmo ano, foi transferido para o Brasil.

Sua ordenação sacerdotal ocorreu em 1901, em Petrópolis (RJ). Em 1904, foi transferido para o sul do país, atuando em diversas localidades dos Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Exerceu a missão de superior e de pároco diversas vezes, e também foi coadjutor.

De 1926 a 1945, atuou na cidade de Rodeio (SC). Neste período, foi o orientador espiritual da Companhia das Irmãs Catequistas Franciscanas. Quando completou 80 anos, seus superiores o enviaram para a cidade de Joaçaba (SC). Em seus últimos anos de vida, Frei Bruno exerceu o apostolado de visita às famílias. Atendeu confissões até o último dia de sua vida. Faleceu no dia 25 de fevereiro de 1960.

(CM-franciscanos.org)

Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2013/07/16/vaticano_concede_nada_obsta_%C3%A0_beatifica%C3%A7%C3%A3o_de_frei_bruno/bra-710758 do site da Rádio Vaticano

Você sabe como uma pessoa se torna santo? Veja as etapas do processo de santificação

Antigamente somente o Papa podia promover uma causa de canonização, mas hoje em dia, os bispos têm autoridade para isso. Portanto em qualquer diocese do mundo pode-se iniciar uma causa de canonização.

Para cada causa é escolhido pelo bispo um postulador, espécie de advogado, que tem a tarefa de investigar detalhadamente a vida do candidato para conhecer sua fama de santidade.

Quando a causa é iniciada, o candidato recebe o título de Servo de Deus. O primeiro processo é o das virtudes ou martírio. Este é o passo mais demorado porque o postulador deve investigar minuciosamente a vida do Servo de Deus. Em se tratando de um mártir, devem ser estudadas as circunstâncias que envolveram sua morte para comprovar se houve realmente o martírio. Ao terminar este processo, a pessoa é considerada Venerável.

O segundo processo é o milagre da beatificação. Para se tornar beato é necessário comprovar um milagre ocorrido por sua intercessão. No caso dos mártires, não é necessária a comprovação de milagre. Irmã Lindalva passou a ser Venerável em 16 de dezembro de 2006, quando o decreto do seu martírio como serva de Deus foi promulgado. Agora é aguardada a cerimônia da beatificação, já que ela é dispensada de milagre.

O terceiro e último processo é o milagre para a canonização. Este tem que ter ocorrido após a beatificação. Comprovado este milagre o beato é canonizado e o novo Santo passa a ser cultuado universalmente.

Fonte Canção Nova

João Paulo II próximo a canonização

Aprovado o primeiro milagre de João Paulo II

A Comissão Médica consultada pelo Vaticano aprovou um milagre atribuído a João Paulo II, e assim a sua beatificação  avança significativamente, informaram os meios de comunicação italianos no último dia 4. O Papa João Paulo II morreu em 2005.

De acordo com os jornais italiano, os médicos e teólogos consultados pela Congregação para as Causas dos Santos, reunidos em sigilo, estimaram que a cura da freira francesa Marie Simon-Pierre, que sofria de mal de Parkinson, foi “imediata e inexplicável”. A comissão liderada pelo médico particular de Bento XVI, Patrizio Polisca, aprovou o milagre apresentado. A aprovação dos especialistas deverá ser ratificada por uma comissão de cardeais e bispos da Congregação para a Causa dos Santos.

A freira francesa, que era enfermeira, curou-se inexplicavelmente após suas orações e pedidos a João Paulo II poucos meses depois de sua morte, em abril de 2005.

A beatificação é o primeiro passo no caminho para a canonização, que exige a prova de intercessão em dois milagres. No dia 19 de dezembro de 2009, o papa Bento XVI aprovou as “virtudes heróicas” do papa polonês João Paulo II venerado já em vida. Com elas, iniciou-se a investigação do “milagre” atribuído, que deve ser examinado por várias comissões.

O processo de beatificação de João Paulo II foi iniciado por Bento XVI dois meses após a morte, no dia 2 de abril de 2005, de seu antecessor.

Por Marquione Ban

Imagem da internet

Fonte: CNBB