Arquivo da tag: são domingos

Fotógrafo e modelos seminus invadem igreja e realizam ensaio fotográfico em Catanduva-SP

Infelizmente tem pessoas que gostam de causar polêmica e se promover em cima da fé cristã e da igreja católica. Esse absurdo aconteceu no Brasil que cada dia mais vive a desmoralização de valores e a falta de respeito as instituições. O mais engraçado é que se essas imagens tivessem sido feitas em outro lugar que não fosse a igreja e se ela se posicionasse contra, choveria palavras de  indignados contra a decisão da igreja. Como foi o contrário, ninguém se move contra.

Como cristão católico não aceito tal ação. O bispo fez correto em perdoar, mas se o fotografo se sentiu perdoado realmente ele nem deveria usar as fotos ultrajantes a Deus, a igreja e a todo nós cristãos.

Leia parte da matéria da Folha de São Paulo.

__________________________________

(Folha de São Paulo) O bispo dom Otacílio Luziano da Silva, perdoou o fotógrafo Márcio Costa pelas imagens de modelos seminus feitas dentro da paróquia de São Domingos, em Catanduva (a 388 km de São Paulo) mesmo chamando a ação de “sacrilégio”.

Um ensaio fotográfico de um homem seminu com asas de anjo gerou polêmica na cidade. Segundo a igreja, modelos “invadiram” o local e imagens com roupas íntimas foram feitas pelo fotógrafo.

Em nota, o bispo afirmou que “não será o ressarcimento em dinheiro decorrente de uma ação judicial que restabelecerá a injustiça praticada contra o sagrado, nem mesmo ação penal, embora seja este o caminho natural dos que se sentem lesados”.

Ainda segundo ele, é preciso que o fotógrafo se arrependa e reconheça o erro. “Tivemos nossa fé ofendida, mas não queremos prejudicá-lo.”

Clique aqui para continuar a ler. 

Saiba mais:

Fotos de ‘anjo’ de sunga em igreja paulista vão parar na Justiça

O Rosário da Virgem Maria

Dom Canísio Klaus
Bispo de Santa Cruz do Sul (RS)

No final de outubro, muitas comunidades invocam a bênção para as capelinhas de Nossa Senhora e fazem o envio das zeladoras para que promovam a sua visita a todas as famílias católicas. Junto a isso, é reforçado o convite para a oração do Terço, uma vez que outubro, além de ser o mês das Missões, é também o mês do Rosário. Uma das mais eficazes formas de ser missionário e manter viva a chama da fé no coração das pessoas é, certamente, a visita da capelinha de Nossa Senhora associada à oração do Terço.

A oração do Santo Rosário, que é um conjunto de quatro Terços, tem sua origem no século IX da era cristã. Surgiu ao lado dos mosteiros como forma de oração do povo simples, que não tinha condições de participar da oração dos 150 salmos que eram rezados pelos monges. São Domingos de Gusmão lhe deu a forma usual em 1206, propondo a sua oração “pela conversão dos pecadores”. Dividiu o Rosário de 150 Ave-Marias em três terços, com 50 Ave-Marias cada um. Em 1500 associou-se a cada dezena de Ave-Marias um episódio da vida de Jesus ou de Maria. Foi assim que surgiu o Rosário com os mistérios gozosos, dolorosos e gloriosos. Em 2002, João Paulo II lhe acrescentou os Mistérios Luminosos, propondo o acréscimo de mais 50 Ave-Marias. Com isso, o Rosário passou a ser composto por quatro Terços de 50 Ave-Marias cada um.

Na Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae, escrita por ocasião do lançamento do Ano do Rosário em 2002, o papa João Paulo II disse que “o Rosário é oração amada por numerosos santos e estimulada pelo magistério. Na sua simplicidade e profundidade, permanece uma oração de grande significado e destinado a produzir frutos de santidade”. Mais adiante, a partir da convicção de que a “família que reza unida permanece unida”, propõe “o relançamento do Rosário nas famílias cristãs como ajuda eficaz para conter os efeitos devastadores da crise de nossa época”. Por isso pede “a todos aqueles que se dedicam à pastoral das famílias para sugerirem com convicção a recitação do Rosário”.

Na Diocese de Santa Cruz do Sul temos a alegria de contar com muitas capelinhas de Nossa Senhora e vários grupos que se reúnem para a oração do Terço. Pessoalmente sou testemunha de que nos lugares onde esta prática é mais usual, as comunidades são mais sólidas e as famílias se conservam mais unidas. Por isso, estamos distribuindo por toda a Diocese um pequeno manual, destinado, principalmente, para as crianças, que traz orientações sobre a oração do Rosário. Queremos que todas as pessoas aprendam esta oração e a rezem seguidamente na família, nos grupos de oração e de forma individual.

Que Nossa Senhora do Rosário siga a nos guiar nos passos de seu filho Jesus de Nazaré e nos firme na fé no Deus Pai, Filho e Espírito Santo! Amém.

Todas as “Nossas Senhoras” são a mesma mãe de Deus: Nossa Senhora do Rosário

Hoje vamos conhecer a história de Nossa do Rosário. Veja:

Nossa Senhora do RosárioEsta festa foi instituída pelo Papa Pio V em 1571, quando celebrou-se a vitória dos cristãos na batalha naval de Lepanto. Nesta batalha os cristãos católicos, em meio a recitação do Rosário, resistiram aos ataques dos turcos otomanos vencendo-os em combate.

A celebração de hoje convida-nos à meditação dos Mistérios de Cristo, os quais nos guiam à Encarnação, Paixão, Morte e Ressurreição do Filho de Deus.

A origem do Rosário é muito antiga, pois conta-se que os monges anacoretas usavam pedrinhas para contar o número das orações vocais. Desta forma, nos conventos medievais, os irmãos leigos dispensados da recitação do Saltério (pela pouca familiaridade com o latim), completavam suas práticas de piedade com a recitação de Pai-Nossos e, para a contagem, o Doutor da Igreja São Beda, o Venerável (séc. VII-VIII), havia sugerido a adoção de vários grãos enfiados em um barbante.

Na história também encontramos Maria que apareceu a São Domingos e indicou-lhe o Rosário como potente arma para a conversão: “Quero que saiba que, a principal peça de combate, tem sido sempre o Saltério Angélico (Rosário) que é a pedra fundamental do Novo Testamento. Assim quero que alcances estas almas endurecidas e as conquiste para Deus, com a oração do meu Saltério”.

Essa devoção, propagada principalmente pelos filhos de São Domingos, recebe da Igreja a melhor aprovação e foi enriquecida por muitas indulgências. Essa grinalda de 200 rosas – por isso Rosário – é rezado praticamente em todas as línguas, e o saudoso Papa João Paulo II e tantos outros Papas que o precederam recomendaram esta singela e poderosa oração, com a qual, por intercessão da Virgem Maria, alcançamos muitas graças de Jesus, como nos ensina a própria Virgem Santíssima em todas as suas aparições.

Nossa Senhora do Rosário, rogai por nós!