Arquivo da tag: seis anos

Há seis anos O Anunciador era apenas um trabalho acadêmico

Parabéns! Parabéns! Seis de O Anunciador.
Parabéns! Parabéns! Seis de O Anunciador.

Conversamos um pouco em agosto sobre vocação e profissão. Ficou bem claro que profissão é a aquilo que escolhemos mas não nos satisfaz por inteiro. Trata-se de habilidade. Vocação é o chamado. Convocação de Deus para usar seus dons em algum projeto maior. Te satisfaz.

Neste mês de setembro, O Anunciador completa seis anos. Junto com ele, eu, Marquione Ban, completo seis anos de minha  escolha por perenizar um trabalho acadêmico em uma missão. Neste mês, me peguei pensando várias vezes nesse texto. Em mais um aniversário. Nos posts mais procurados e que deram mais visualizações. Nas vezes em que pensei em desistir. Contudo, todas as vezes que esses pensamentos vinham, lembrava da diferença entre vocação e profissão.

Obrigado Mãezinha por suas intercessões junto ao Pai!
Obrigado Mãezinha por suas intercessões junto ao Pai!

Essa diferença é simples, mas complica a mente da gente. Durante esses seis anos não havia entendido uma grande conquista que tenho por não entender essa diferença. Sou privilegiado. Posso misturar meu oficio com minha vocação. Posso fundir o prazer da profissão ao serviço pastoral.

Gostaria, por isso, agradecer a Deus Pai que me sustenta de força e perseverança. Agradecer a Maria, que afinal, depois de um breve abandono a esse projeto, no dia da Imaculada Conceição vi e reconheci a vocação, chamado de Deus para manter esse projeto. Agradecer a vocês, meus leitores, que sempre aqui estão. Obrigado!

Eu, Marquione Ban
Eu, Marquione Ban

Que Deus nos guie por mais seis anos!

Paz e bem!

Marquione Ban

Evangelho do Dia- Jo 2,13-25

 

Destruí, este templo e, em três dias eu o levantarei.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 2,13-25

13Estava próxima a Páscoa dos judeus
e Jesus subiu a Jerusalém.
14No Templo,
encontrou os vendedores de bois, ovelhas e pombas
e os cambistas que estavam aí sentados.
15Fez então um chicote de cordas
e expulsou todos do Templo,
junto com as ovelhas e os bois;
espalhou as moedas
e derrubou as mesas dos cambistas.
16E disse aos que vendiam pombas:
‘Tirai isto daqui!
Não façais da casa de meu Pai uma casa de comércio!’
17Seus discípulos lembraram-se, mais tarde,
que a Escritura diz:
‘O zelo por tua casa me consumirá’.
18Então os judeus perguntaram a Jesus:
‘Que sinal nos mostras para agir assim?’
19Ele respondeu:
‘Destruí, este Templo,
e em três dias o levantarei.’
20Os judeus disseram:
‘Quarenta e seis anos foram precisos para a construção
deste santuário e tu o levantarás em três dias?’
21Mas Jesus estava falando do Templo do seu corpo.
22Quando Jesus ressuscitou,
os discípulos lembraram-se do que ele tinha dito
e acreditaram na Escritura e na palavra dele.
23Jesus estava em Jerusalém durante a festa da Páscoa.
Vendo os sinais que realizava,
muitos creram no seu nome.
24Mas Jesus não lhes dava crédito,
pois ele conhecia a todos;
25e não precisava do testemunho de ninguém acerca do ser
humano, porque ele conhecia o homem por dentro.
Palavra Salvação.