São José, servo bom e fiel

Toda a vida de Jesus foi orientada ao serviço de Deus, desde a Sua mais tenra idade. O Evangelho evidencia esse aspecto de Sua identidade quando, ainda adolescente, deu a Seus pais uma resposta enigmática: “Vocês não sabem que eu devo preocupar-me com as coisas do meu Pai?”. Logo, Sua atenção estava toda voltada para Deus, ficando, em segundo plano, Sua família humana.

A arrogância não teve lugar no coração de Jesus. Em Nazaré, esteve submisso a Seus pais.“E crescia em sabedoria, idade e graça diante de Deus e daqueles com quem convivia”. Sua condição de Filho de Deus não O dispensou de fazer a penosa experiência de transformar o cotidiano em fonte de sabedoria nem de estar, continuamente, atento para discernir a vontade do Senhor nos mínimos fatos, aparentemente, sem importância. Esta foi uma exigência do Mistério da Encarnação. Seria pura incongruência se, tendo assumido nossa condição humana, o Filho de Deus fosse privilegiado por uma condição de vida que O dispensasse da busca cotidiana da vontade divina.

Nessa experiência de crescimento, Jesus contou com a presença solícita de Seus pais. O Evangelho sublinha a atitude de Maria, que “guardava todas estas coisas no coração”.Entretanto, o mesmo pode ser dito de José. Afinal, exigia-se dos três a mesma fidelidade ao desígnio de Deus.

Quando a bondade divina escolhe alguém para uma graça singular, dá-lhe todos os carismas necessários, o que aumenta fortemente a sua beleza espiritual. Foi isso mesmo o que aconteceu com São José, pai de nosso Senhor Jesus Cristo, segundo a Lei, e verdadeiro esposo da Rainha do mundo e Soberana dos anjos.

O Pai Eterno  escolheu José para ser o sustento e o fiel guardião dos Seus principais tesouros, isto é, do Seu Filho e de Sua esposa; função que ele cumpriu com toda fidelidade. Por isso, o Senhor lhe disse: “Servo bom e fiel, entra na alegria do teu Senhor” (Mt 25,21).

Se você comparar São José a todo o restante da Igreja de Cristo, não verá que ele foi o homem particularmente escolhido, pelo qual Cristo entrou no mundo de uma maneira regular e honrosa? Se toda a Santa Igreja é devedora para com a Virgem Maria, após ela é a São José que devemos um reconhecimento e um respeito sem igual.

Ele é, na verdade, a conclusão do Antigo Testamento. É nele que a dignidade dos patriarcas e dos profetas recebe o fruto prometido. Só ele possuiu, na realidade, o que a bondade divina lhes havia prometido. Não podemos certamente duvidar: a intimidade e o respeito que Cristo prestava a José, ao longo da Sua vida, como um filho para com Seu pai, Ele não o pôde renegar no Céu. Pelo contrário, enriqueceu-o e completou-o. Por isso, o Senhor acrescenta: “Entra na alegria do teu Senhor”.

Espírito que orienta nossa vida para Deus, ajude-nos a crescer, a cada dia, em sabedoria e graça, buscando como Jesus adequar nossa vida ao querer do Pai.

Padre Bantu Mendonça

Sexta-feira dedicada ao Sagrado Coração de Jesus: Jesus manso e humilde de coração. Fazei nosso coração semelhante ao vosso

Oremos:
Sacratíssimo Coração de Jesus, de infinita misericórdia, que estais em todo os sacrários da terra, convertei os pecadores, salvai os agonizantes e tende piedade das almas do purgatório: dai-lhes a paz, o descanso e a luz eterna. Amém.

1 (1)

Crise vocacional e escassez de padres serão debatidas em Seminário

Cartaz do Seminário VocacionalTem início hoje, 20, o 2º Seminário sobre a Formação Presbiteral, em Aparecida (SP). O evento é uma iniciativa da Organização dos Seminários e Institutos do Brasil (OSIB) e Comissão Episcopal para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB. Esses grupos tem a missão de animar a formação dos futuros sacerdotes e dos formadores na Igreja do Brasil. O arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência dos Bispos, cardeal Raymundo Damasceno Assis participará da solenidade de abertura, no subsolo do Santuário Nacional.

A proposta do evento é refletir, à luz da Palavra de Deus e dos Documentos do Concílio Vaticano II, sobre a formação dos seminaristas na perspectiva humana e cristã, a partir do  tema  “Presbíteros segundo o Coração de Jesus para o mundo de hoje” e lema “Corramos com perseverança com os olhos fixos em Jesus” (Hb 12, 1-2). O objetivo principal é contribuir com ações efetivas na formação presbiteral.

De acordo com assessor da Pastoral Vocacional da CNBB, padre Valdecir Ferreira, o encontro será momento oportuno para avaliar a formação presbiteral no Brasil, no contexto atual.

“Percebemos o quanto essa juventude que ingressa em nossos seminários passa por mudanças significativas. Portanto, olhamos com muita esperança para a formação e ao mesmo tempo com preocupação”, explica.

O presidente da OSIB, padre Domingos Barbosa Filho explica que após 13 anos da realização do último seminário é necessário buscar novos métodos formativos. “Diante das novas diretrizes da formação presbiteral, conforme o Documento 93 da CNBB e considerando os novos tempos, se julgou oportuno que fosse repensada formação: os tempos mudaram, surgiram novos desafios, os jovens que recebemos nas casas de formação trazem problemáticas novas”, comenta.

Texto base

Para o Seminário, foi desenvolvido um texto base para auxiliar nas reflexões do encontro que prossegue até o dia 25. O biblista e bispo de Palmas-Francisco Beltrão (PR), dom José Antônio Peruzzo, destaca que a dinâmica eclesial formativa deve se pautar na liberdade e na obediência, a exemplo do sacerdócio de Jesus, por meio da misericórdia.

“Partindo do escrito bíblico dirigido aos Hebreus, e observando como o autor interpretou as disposições pessoais de Jesus no seu porte de ‘Sumo Sacerdote’, o texto inspirado sugere importantes critérios e valores a cultivar para o ideário do jovem que se encaminha para o ministério”, relatou. Ainda segundo Peruzzo, “jamais se deve esquecer que o ministro ordenado é ‘configurado’, ou seja, leva em si a figura de Cristo compadecido. Sem esses traços, há o grave risco de ‘desfigurar’ a bondade e obediência do Senhor”, disse.

Estarão presentes os bispos da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, dom Pedro Brito Guimarães, dom Jaime Spengler, dom Waldemar Passini e dom Esmeraldo Barreto. Participam também do Seminário, formadores, professores, psicólogos, diretores espirituais, formandos. Seminaristas, bispos dos regionais responsáveis pelas vocações, representantes da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) e conferencistas convidados.

Acompanhe o evento pelo Facebook.

Fonte CNBB

Papa Francisco escolhe a fraternidade como tema para o Dia Mundial da Paz 2014

foto News.va

(ACI/EWTN Noticias).- A Sala de Imprensa da Santa Sé informou que o Papa Francisco escolheu “a fraternidade” como tema para o 47º Dia Mundial da Paz, o primeiro de seu pontificado. Com este tema reitera seu chamado a superar uma “cultura do descartável” e promover a “cultura do encontro” para avançar na construção de um mundo mais justo e pacífico.

“A fraternidade é um dom que cada homem e mulher carrega consigo enquanto ser humano, filho de um mesmo Pai. E diante de tantos dramas que afetam a família dos povos —pobreza, fome, subdesenvolvimento, conflitos bélicos, migrações, contaminação, desigualdade, injustiça, crime organizado, fundamentalismos —, a fraternidade é fundamento e caminho para a paz”, assinala a Santa Sé em uma nota.

O texto adverte que “a cultura do bem-estar leva à perda do sentido da responsabilidade e da relação fraterna. Os demais, invés de serem nossos ‘semelhantes’, convertem-se em antagonistas ou inimigos, e frequentemente são coisificados. Não é estranho que os pobres sejam considerados um ‘lastro’, um impedimento para o desenvolvimento”.

“No máximo -denunciou-, são objeto de uma ajuda assistencialista ou compassiva. Não são vistos como irmãos, chamados a compartilhar os dons da criação, os bens do progresso e da cultura, a participar da mesma mesa davida em plenitude, a ser protagonistas do desenvolvimento integral e inclusivo”.

Por isso, “a fraternidade, dom e tarefa que vem de Deus Pai, convoca-nos a sermos solidários contra a desigualdade e a pobreza que debilitam a vida social, a atender a cada pessoa, em especial os mais frágeis e indefesos, a amá-los como a nós mesmos, com o mesmo coração de Jesus Cristo”.

“Em um mundo cada vez mais interdependente, não pode faltar o bem da fraternidade, que vence a difusão dessa globalização da indiferença, a qual se referiu em repetidas ocasiões o Papa Francisco. A globalização da indiferença deve ser substituída por uma globalização da fraternidade”.

Finalmente, recorda que “a fraternidade toca todos os aspectos da vida, incluída a economia, as finanças, a sociedade civil, a política, a investigação, o desenvolvimento, as instituições públicas e culturais. O Papa Francisco, no início de seu ministério, com uma Mensagem que está em continuidade com a de seus Predecessores, propõe a todos o caminho da fraternidade, para dar um rosto mais humano ao mundo”.

O Dia Mundial da Paz foi iniciado pelo Papa Paulo VI e se celebra no primeiro dia de cada ano. A mensagem escolhida se envia às Igrejas particulares e às chancelarias de todo o mundo “para destacar o valor essencial da paz e a necessidade de trabalhar incansavelmente para obtê-la”.

Jesus manso e humilde do coração, fazei nossos corações semelhante ao Vosso

Hoje a Igreja em todo mundo celebra o coração puro e misericordioso de Cristo.

Jesus deixou doze grandes promessas às pessoas que, aproveitando-se da Sua divina misericórdia, participassem das comunhões reparadoras das primeiras sextas-feiras. Não se sabe quem compôs a lista com as 12 promessas do Sagrado Coração de Jesus, tiradas das revelações de Nosso Senhor à santa Margarida. Sabe-se só que é fidedigna –as promessas estão de fato contidas nas revelações – e que o trabalho anônimo foi de grande mérito e utilidade.

M. Kemper, um modesto comerciante de Dayton, cidadezinha norte-americana, iniciou, em 1882, um trabalho de ampla divulgação delas. A partir deste primeiro impulso, tiveram propagação mundial. Normalmente conhecidas como as 12 Promessas do Coração de Jesus, a mais importante é a 12ª, chamada a Grande Promessa.

São elas:

 – “Darei aos devotos do meu coração as graças necessárias ao seu estado”;
2ª – “Farei reinar a paz nas famílias”;
 – “Eu os consolarei em todas as tuas penas”;
 – “Serei o refúgio seguro durante a vida, sobretudo na hora da morte”;
5ª – “Derramarei copiosas bênçãos”;
 – “Os pecadores acharão em meu coração a fonte e o oceano infinito da misericórdia”;
 – “As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas”;
 – “E as almas elevar-se-ão rapidamente a uma grande perfeição”;
 – “Abençoarei as casas em que se acharem expostas e forem veneradas a imagem do meu coração”;
10ª – “Darei aos sacerdotes o dom de tocar os corações mais endurecidos”;
11ª – “As pessoas que propagarem essa devoção terão seus nomes escritos indelevelmente em seu coração”;
12ª – “O amor todo poderoso do meu coração concederá a graça da perseverança final a todos que comungarem na primeira sexta-feira do mês por nove meses seguidos”;

scj2

Hoje é 1ª Sexta do mês: oremos ao Sagrado Coração de Jesus

Oremos:
Sacratíssimo Coração de Jesus, de infinita misericórdia, que estais em todo os sacrários da terra, convertei os pecadores, salvai os agonizantes e tende piedade das almas do purgatório: dai-lhes a paz, o descanso e a luz eterna. Amém.

1 (1)

6º DOR DE NOSSA SENHORA: Uma lança atravessa o coração de Jesus

 Introdução

Com a alma imersa na mais profunda dor, Maria viu Longinus transpassar o coração de seu Filho, sem poder dizer uma palavra! Derramou muitas lágrimas… Só Deus pode compreender o martírio desta hora, na alma e no coração!

Depois depositaram Jesus em seus braços, não cândido e belo comoem Belém… Mortoe chagado, parecendo mais um leproso do que aquele adorável e encantador menino, que tantas vezes apertara ao seu coração!

Se Maria tanto sofreu, não será ela capaz de compreender os nossos sofrimentos? Por que, então, não recorramos a Maria com mais confiança, ela que tem tanto valor diante do Altíssimo?

Por muito ter sofrido aos pés da cruz, muito lhe foi dado! Se não tivesse sofrido tanto, não teria recebido os tesouros do Paraíso em suas mãos.

A dor de ver transpassar o Coração de Jesus com a lança, conferiu a Maria o poder de introduzir, em seu amável Coração, a todos aqueles que a ele recorrerem. Corramos todos a Maria, porque ela pode nos colocar dentro do Coração Santíssimo de Jesus Crucificado, morada de amor e de eterna felicidade!

O sofrimento é sempre um bem para a alma. Regozijemo-nos, pois, com Maria, que foi a segunda mártir do Calvário! Sua alma e seu coração participaram dos suplícios do Salvador, conforme a vontade do Altíssimo, para reparar o pecado da primeira mulher! Jesus foi o novo Adão e Maria a nova Eva, livrando assim a humanidade do cativeiro no qual se achava presa.

Para correspondemos, porém, a tanto amor, sejamos muito confiantes em Maria, não nos afligindo nas contrariedades da vida; ao contrário, confiemos todos os nossos receios e dores a Ela, que saberá dar em abundância os tesouros do Coração de Jesus!

Não nos esqueçamos de meditar esta imensa dor, quando nossa cruz estiver pesada. Nela encontraremos força para sofrer por amor a Jesus que sofreu na Cruz a mais infame das mortes.

Maria Santíssima sempre demonstrou especial solicitude para com os sofredores. Esta afirmação é confirmada por inúmeras pessoas que, sobretudo na hora da doença, acorrem aos Santuários Marianos para invocar a Mãe do Salvador. No aconchego de seus braços maternos, elas recobram a força para lutar e se sentem consolados.

Evangelho Mt 27,57-61

 57.À tardinha, um homem rico de Arimatéia, chamado José, que era também discípulo de Jesus,58.foi procurar Pilatos e pediu-lhe o corpo de Jesus. Pilatos cedeu-o.59.José tomou o corpo, envolveu-o num lençol branco60.e o depositou num sepulcro novo, que tinha mandado talhar para si na rocha. Depois rolou uma grande pedra à entrada do sepulcro e foi-se embora.61.Maria Madalena e a outra Maria ficaram lá, sentadas defronte do túmulo.

Leia mais em: http://www.bibliacatolica.com.br/01/47/27.php#ixzz1qcnX3Egf

Oração Inicial

Virgem dolorosíssima, seríamos ingratos se não nos esforçássemos em promover a memória e o culto de vossas Dores particulares, graças para uma sincera penitência, oportunos auxílios e socorros em todas as necessidades e perigos. Dai-nos a saúde do corpo para que possamos cumprir nossos deveres com ânimo e alegria, e com a mesma disposição sirvamos a vosso Filho Jesus.   Por N. S. J. C.  –  AMÉM.

Jesus manso e humilde de coração, fazei nossos corações semelhante ao Vosso

Sagrado Coração de Jesus – Oração

“No Coração de Jesus existe tudo o que precisamos: fortaleza para os fracos, coragem para os tímidos, luz e conselho para os hesitantes; e para todos: humildade, paz, caridade e alegria de viver”. (Santa Paula Frassinetti)

Ó Coração sacratíssimo de Jesus, fonte viva e vivificante de Vida Eterna, tesouro infinito de divindade, fornalha ardente de amor divino, vós sois o lugar do meu descanso, o refúgio da minha segurança.

Ó meu amável Salvador, inflamai o meu coração daquele amor ardentíssimo do qual arde o vosso; derramai nele as inumeráveis graças de que o vosso Coração é a fonte.

Fazei que a vossa Vontade seja a minha e que a minha vontade seja eternamente conforme a vossa. Amém.

Confira a programação para as missas de finados em Ipatinga e Fabriciano

Missa no cemitério Parque Senhora da Paz, Ipatinga

É mandamento da Igreja que todos os seus fieis guardem além dos domingos, mandamento de Deus, os dias santos. Entre eles, a solenidade de Finados e Todos os Santos. Todos os Santos a igreja faz memória hoje, mas a grande comemoração será nas missas de domingo. Finados, dia de oração pelos irmãos que aguardam a ressurreição, é amanhã.

Em Ipatinga não vai ser diferente. Nós poderemos rezar pelos mortos no cemitério Parque Senhora da Paz em dois horários: às 8h30 e às 16h. Nas comunidades, onde se celebra a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, os fieis terão mais uma oportunidade de rezar as almas. As celebrações e missas começam as 19h30. A expectativa de publico é de 15 mil pessoas durante todo o dia. Informe-se e participe!

Fabriciano

O cemitério municipal Senhor do Bonfim, no bairro Giovannini, já está preparado para receber visitantes nesta sexta-feira (2), Dia de Finados.  O local funcionará das 6h às 21h, e a expectativa é receber cerca de 10 mil visitantes.

A missa será na capela do cemitério em dois horários: às 8h, com o bispo Dom Odilon Guimarães, da diocese de Itabira/Coronel Fabriciano; e às 16h, com o padre Estanislau Pirola (Fabriciano). No cemitério particular Vale Parque Jardim da Saudade (Todos os Santos), a celebração será às 9h, e será realizada pelo padre Geraldo Ildeo (Ipatinga).

Também haverá missa na Igreja Matriz São Sebastião (Centro), às 7h, com o padre com José Macedo; e na Catedral, às 19h, com o padre Cláudio Antônio, ambos da Paróquia São Sebastião (Fabriciano).

PAIXÃO DE CRISTO: emoção no parque

I018132.JPG

Ontem aconteceu no Parque Ipanema, em Ipatinga, o tradicional Teatro da Paixão de Cristo. Este ano foi a 17ª edição do evento que conta a participação de mais de 100 jovens católicos da cidade.

Veja a matéria do maior jornal diário de Ipatinga – Diário do Aço:

IPATINGA – Mesmo sob sol forte e o calor do Vale do Aço o público lotou o Parque Ipanema, para assistir a encenação da Paixão de Cristo.   Produzido pelas Paróquias da Igreja Católica de Ipatinga, o evento ocorreu na última sexta-feira (6). Para driblar o tempo quente as populares sombrinhas, geralmente usadas em tempos de chuva, se destacaram em meio à multidão que cercava a lagoa do parque.

A programação da “Sexta-Feira Santa” foi iniciada por volta da 8h30, com caminhada saindo do trevo do bairro Jardim Panorama em direção ao Parque Ipanema. Todos os anos o trajeto é feito antes da encenação em sinal de misericórdia. Para trabalhar o tema da fraternidade 2012 entre os jovens, os fiéis traziam o lema “Vida sim, Drogas não!”.

Com objetivo de enfatizar o lema durante toda a marcha, os participantes faziam declarações e protestos com relação ao abandono dos jovens mergulhados nas drogas. Em seguida após a concentração de atores e expectadores nas proximidades da lagoa, o teatro da Paixão de Cristo foi iniciado. Baseada nos relatos bíblicos, a peça é feita em forma de Via Sacra, que divide a caminhada de Jesus rumo à crucificação em 15 estações.

A ressurreição lembrada neste “Domingo de Páscoa” está prevista para ser apresentada hoje no Santuário São Judas Tadeu, no bairro Canaã, às 19h30. Segundo a coordenação do evento o ator que representa Jesus fará uma levitação de oito metros, usando técnicas da arte, para mostrar a ascensão de Jesus ao céu.

Celebração

O Padre Geraldo Ildeu da Paróquia Sagrado Coração de Jesus destaca que desde o início da sua história, a igreja celebra toda a caminhada do Messias, do seu nascimento até a morte e ressurreição, enfatizando a cruz como encontro de toda burrice e sujeira humana com a infinita misericórdia de Deus. “Então a igreja como mãe e mestra procura incentivar os católicos e cristãos do mundo inteiro a estar por dentro do que aconteceu porque, Jesus venceu, mas sofreu na cruz”, afirmou.

Fonte Diário do Aço

Foto: Wôlmer Ezequiel

6º DOR DE NOSSA SENHORA: Uma lança atravessa o coração de Jesus

 Introdução

Com a alma imersa na mais profunda dor, Maria viu Longinus transpassar o coração de seu Filho, sem poder dizer uma palavra! Derramou muitas lágrimas… Só Deus pode compreender o martírio desta hora, na alma e no coração!

Depois depositaram Jesus em seus braços, não cândido e belo comoem Belém… Mortoe chagado, parecendo mais um leproso do que aquele adorável e encantador menino, que tantas vezes apertara ao seu coração!

Se Maria tanto sofreu, não será ela capaz de compreender os nossos sofrimentos? Por que, então, não recorramos a Maria com mais confiança, ela que tem tanto valor diante do Altíssimo?

Por muito ter sofrido aos pés da cruz, muito lhe foi dado! Se não tivesse sofrido tanto, não teria recebido os tesouros do Paraíso em suas mãos.

A dor de ver transpassar o Coração de Jesus com a lança, conferiu a Maria o poder de introduzir, em seu amável Coração, a todos aqueles que a ele recorrerem. Corramos todos a Maria, porque ela pode nos colocar dentro do Coração Santíssimo de Jesus Crucificado, morada de amor e de eterna felicidade!

O sofrimento é sempre um bem para a alma. Regozijemo-nos, pois, com Maria, que foi a segunda mártir do Calvário! Sua alma e seu coração participaram dos suplícios do Salvador, conforme a vontade do Altíssimo, para reparar o pecado da primeira mulher! Jesus foi o novo Adão e Maria a nova Eva, livrando assim a humanidade do cativeiro no qual se achava presa.

Para correspondemos, porém, a tanto amor, sejamos muito confiantes em Maria, não nos afligindo nas contrariedades da vida; ao contrário, confiemos todos os nossos receios e dores a Ela, que saberá dar em abundância os tesouros do Coração de Jesus!

Não nos esqueçamos de meditar esta imensa dor, quando nossa cruz estiver pesada. Nela encontraremos força para sofrer por amor a Jesus que sofreu na Cruz a mais infame das mortes.

Maria Santíssima sempre demonstrou especial solicitude para com os sofredores. Esta afirmação é confirmada por inúmeras pessoas que, sobretudo na hora da doença, acorrem aos Santuários Marianos para invocar a Mãe do Salvador. No aconchego de seus braços maternos, elas recobram a força para lutar e se sentem consolados.

Evangelho Mt 27,57-61

 57.À tardinha, um homem rico de Arimatéia, chamado José, que era também discípulo de Jesus,58.foi procurar Pilatos e pediu-lhe o corpo de Jesus. Pilatos cedeu-o.59.José tomou o corpo, envolveu-o num lençol branco60.e o depositou num sepulcro novo, que tinha mandado talhar para si na rocha. Depois rolou uma grande pedra à entrada do sepulcro e foi-se embora.61.Maria Madalena e a outra Maria ficaram lá, sentadas defronte do túmulo.

Leia mais em: http://www.bibliacatolica.com.br/01/47/27.php#ixzz1qcnX3Egf

Oração Inicial

Virgem dolorosíssima, seríamos ingratos se não nos esforçássemos em promover a memória e o culto de vossas Dores particulares, graças para uma sincera penitência, oportunos auxílios e socorros em todas as necessidades e perigos. Dai-nos a saúde do corpo para que possamos cumprir nossos deveres com ânimo e alegria, e com a mesma disposição sirvamos a vosso Filho Jesus.   Por N. S. J. C.  –  AMÉM.

PARÓQUIA SAGRADA FAMÍLIA PREPARA TRÊS SEMANAS DE FESTA

Semana das Dores, Semana Santa e festa de aniversário movimentam a paróquia

Os fieis da Paróquia Sagrada Família vão viver a tradição católica com maior fervor durante o final deste mês de março e inicio de abril. A paróquia realiza três semanas de festas e ações litúrgicas. A programação começa neste domingo, com a tradicional Semana das Dores, depois começam os trabalhos da Semana Santa e termina o período de festas com as comemorações do quarto aniversário da paróquia.

A Semana das Dores será celebrada em todas as comunidades da paróquia entre os dias 25 e 31 de março. As celebrações acontecem sempre as 19h30. As Paróquia Sagrada Família abrange os bairros Jardim Panorama (Comunidades Menino Jesus e Sagrado Coração de Jesus), Caçula (Comunidade Imaculada Conceição), Caravelas (Comunidade São Pedro) e Parque Caravelas (Comunidade Nossa Senhora das Graças). No sábado, dia 31, haverá em todas as comunidades a festa de Nossa Senhora das Dores com procissão.

SEMANA SANTA

Já a Semana Santa contará com uma programação especial. Destaca-se as confissões comunitárias para os trabalhadores, desempregados, pensionistas e aposentados  na comunidade Nossa Senhora das Graças. Confissão para casais na comunidade Menino Jesus e para os jovens na comunidade Imaculada Conceição.

Ainda durante a Semana Santa os fieis vão viver com grande intensidade o tríduo pascal, a quinta-feira santa, sexta-feira da paixão e sábado de aleluia que cuminam com a grande festa da ressurreição em todas as comunidades.

ANIVERÁRIO DA PARÓQUIA

Em 13 de março de 2008 a Paróquia Sagrada Família foi instituída em Ipatinga. Para comemorar a data a paróquia vai fazer uma grande festa. O tríduo em celebração a instituição da paróquia começa no dia 10 de abril e termina no dia 12. No dia 13 será a grande festa.

Para comemorar os quatros anos de paróquia, a Pastoral Litúrgica junto com Padre Aloísio Vieira, pároco,  convidaram para celebrar a festa alguns padres da região. Padres Alex, Paróquia São Geraldo – Ipatinga,  celebra no dia 10/04. Já o Padre Odilon – Paróquia do Ipaba preside a missa no dia 11/04. No dia 12/04 é a vez de Dom Odilon Guimarães, bispo de Itabira/Cel. Fabriciano. No dia do aniversário a celebração fica por conta do Padre Aloísio Vieira.  As celebrações acontecem sempre as 19h30.

Após a missa haverá partilha e apresentação de Tiba da TV Canção Nova.

PROGRAMAÇÃO

Confira a programação das três semanas que conta com celebrações, confissões comunitárias, missas, procissões e celebrações, shows. A programação também pode ser acessada no site http://www.psfipatinga.com.br .

25 a 30/03 – Semana das Dores

19h30 – em todas as comunidades

31/03 – Sábado

“Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria de Cléofas e Maria Madalena”. (Jo.19,25)

19h30 Celebração e procissão das dores de Nossa Senhora na comunidade Nossa Senhora das Graças
19h30 Celebração e procissão das dores de Nossa Senhora na comunidade Menino Jesus
19h30 Celebração e procissão das dores de Nossa Senhora na comunidade Sagrado Coração de Jesus
19h30 Missa e procissão das dores de Nossa Senhora na comunidade Imaculada Conceição – Pe. Aloísio
19h30 Celebração e procissão das dores de Nossa Senhora na comunidade São Pedro

SEMANA SANTA

01/04 – Domingo de Ramos

“Pegaram ramos de palmeira e saíram ao encontro de Jesus”. (Jo.12,13)

07h Bênção dos Ramos, procissão e Missa na comunidade São Pedro – Pe. Aloísio
10h Bênção dos Ramos, procissão e Missa na comunidade Imaculada Conceição – Pe. Aloísio
18h Bênção dos Ramos, procissão e Missa na comunidade Sagrado Coração de Jesus para Menino Jesus e Sag. Coração de Jesus – Pe. Aloísio
18h Procissão de Ramos e celebração na comunidade São Pedro
19h30 Procissão de Ramos e celebração na comunidade Nossa Senhora das Graças

02/04 – Segunda feira

“Dito isto, Pilatos saiu de novo ao encontro dos judeus e lhes disse: ‘Não encontro nele nenhum crime’.” (Jo. 18,38b)

19h Confissão comunitária do trabalhador, desempregado, pensionista e aposentado na comunidade Nossa Senhora das Graças – Pe. Aloísio

03/04 – Terça feira

“Eu, Javé, chamei vocês para a justiça, tomei-os pela mão, e lhes dei forma, e os coloquei como aliança de um povo e luz para as nações”. (Is.42,6)

19h Confissão comunitária para casais na comunidade Menino Jesus – Pe. Aloísio

04/04 – Quarta feira

“Jesus disse: Minha alma está triste até à morte, fiquem aqui e vigiem comigo”. (Mt.26,38)

19h30 Via Sacra na comunidade Imaculada Conceição
19h30 Via Sacra na comunidade Nossa Senhora das Graças

19h30 Via Sacra na Comunidade Menino Jesus

05/04 – Quinta feira

“Jesus disse: Desejei comer com vocês esta ceia pascal, antes de sofrer”. (Lc.22,15)

09h Missa do Crisma em Coronel Fabriciano – Catedral de São Sebastião
19h30 Missa do Lava-pés e da Instituição da Eucaristia e Sacerdócio na comunidade São Pedro, procissão e adoração do Santíssimo – Pe. Aloísio

06/04 – Sexta feira

“Jesus respondeu: Você daria a vida por mim?” (Jo.13,38a)

08h Teatro da  Paixão de Cristo e Caminha da Misericórdia (trevo do Jardim Panorama)
15h Ação Litúrgica, adoração da Cruz e Eucaristia na comunidade Imaculada Conceição
15h Ação Litúrgica, adoração da Cruz e Eucaristia na comunidade Sagrada Coração de Jesus
15h Ação Litúrgica, adoração da Cruz e Eucaristia na comunidade Menino Jesus
15h Ação Litúrgica, adoração da Cruz e Eucaristia na comunidade Nossa Senhora das Graças
15h Ação Litúrgica, adoração da Cruz e Eucaristia na comunidade São Pedro

07/04 – Sábado

“No primeiro dia da semana, bem de madrugada, as mulheres foram ao túmulo de Jesus, levando perfumes que haviam preparado”.(Lc.24,1)

09h Confissão comunitária dos enfermos na comunidade N. Sra. Graças – Pe. Aloísio
16h Confissão Comunitária para jovens na comunidade I. Conceição – Pe. Aloísio
18h Bênção do fogo e Círios na comunidade São Pedro, procissão das Luzes para a Igreja, missa e procissão do Santíssimo – Pe. Aloísio

08/04 – Domingo

“E nós somos testemunhas de tudo o que Jesus fez na terra dos judeus e em Jerusalém”. (At.10,39)

07h Celebração de Páscoa na comunidade São Pedro
08h30 Missa de Páscoa na comunidade Menino Jesus – Pe. Aloísio
10h Missa de Páscoa na comunidade Imaculada Conceição – Pe. Aloísio
18h Missa de Páscoa na comunidade São Pedro, procissão da vitória Nossa Senhora, Bênção do Santíssimo – Pe. Aloísio

ANIVERSÁRIO DA PARÓQUIA

10/04 – Terça-feira

19h30 – 1º dia do Tríduo em comemoração ao aniversário da Paróquia Sagrada Família – Pe. Alex

11/04 – Quarta-feira

19h30 – 2º dia do Tríduo em comemoração ao aniversário da Paróquia Sagrada Família – Pe. Odilon

12/04 – Quinta-feira

19h30 – 3º dia do Tríduo em comemoração ao aniversário da Paróquia Sagrada Família – Dom Odilon

13/04 – Sexta-feira

19h30 – Festa de aniversário da Paróquia Sagrada Família – Pe. Aloísio Vieira

São José, servo bom e fiel

Toda a vida de Jesus foi orientada ao serviço de Deus, desde a Sua mais tenra idade. O Evangelho evidencia esse aspecto de Sua identidade quando, ainda adolescente, deu a Seus pais uma resposta enigmática: “Vocês não sabem que eu devo preocupar-me com as coisas do meu Pai?”. Logo, Sua atenção estava toda voltada para Deus, ficando, em segundo plano, Sua família humana.

A arrogância não teve lugar no coração de Jesus. Em Nazaré, esteve submisso a Seus pais.“E crescia em sabedoria, idade e graça diante de Deus e daqueles com quem convivia”. Sua condição de Filho de Deus não O dispensou de fazer a penosa experiência de transformar o cotidiano em fonte de sabedoria nem de estar, continuamente, atento para discernir a vontade do Senhor nos mínimos fatos, aparentemente, sem importância. Esta foi uma exigência do Mistério da Encarnação. Seria pura incongruência se, tendo assumido nossa condição humana, o Filho de Deus fosse privilegiado por uma condição de vida que O dispensasse da busca cotidiana da vontade divina.

Nessa experiência de crescimento, Jesus contou com a presença solícita de Seus pais. O Evangelho sublinha a atitude de Maria, que “guardava todas estas coisas no coração”.Entretanto, o mesmo pode ser dito de José. Afinal, exigia-se dos três a mesma fidelidade ao desígnio de Deus.

Quando a bondade divina escolhe alguém para uma graça singular, dá-lhe todos os carismas necessários, o que aumenta fortemente a sua beleza espiritual. Foi isso mesmo o que aconteceu com São José, pai de nosso Senhor Jesus Cristo, segundo a Lei, e verdadeiro esposo da Rainha do mundo e Soberana dos anjos.

O Pai Eterno  escolheu José para ser o sustento e o fiel guardião dos Seus principais tesouros, isto é, do Seu Filho e de Sua esposa; função que ele cumpriu com toda fidelidade. Por isso, o Senhor lhe disse: “Servo bom e fiel, entra na alegria do teu Senhor” (Mt 25,21).

Se você comparar São José a todo o restante da Igreja de Cristo, não verá que ele foi o homem particularmente escolhido, pelo qual Cristo entrou no mundo de uma maneira regular e honrosa? Se toda a Santa Igreja é devedora para com a Virgem Maria, após ela é a São José que devemos um reconhecimento e um respeito sem igual.

Ele é, na verdade, a conclusão do Antigo Testamento. É nele que a dignidade dos patriarcas e dos profetas recebe o fruto prometido. Só ele possuiu, na realidade, o que a bondade divina lhes havia prometido. Não podemos certamente duvidar: a intimidade e o respeito que Cristo prestava a José, ao longo da Sua vida, como um filho para com Seu pai, Ele não o pôde renegar no Céu. Pelo contrário, enriqueceu-o e completou-o. Por isso, o Senhor acrescenta: “Entra na alegria do teu Senhor”.

Espírito que orienta nossa vida para Deus, ajude-nos a crescer, a cada dia, em sabedoria e graça, buscando como Jesus adequar nossa vida ao querer do Pai.

Padre Bantu Mendonça