Viva a Cristo Rei do Universo!

Rezemos juntos neste dia glorioso a Ladainha a Cristo, Rei do Universo

Senhor,

tende piedade de nós.

Imagem de Cristo Rei do Universo
Obrigado Pai por mais este ano!

Cristo,

tende piedade de nós.

Senhor,

tende piedade de nós.

Cristo ouvi-nos.

Cristo, atendei-nos.

Deus Pai do céu,

tende piedade de nós.

Deus Filho Redentor do mundo,

tende piedade de nós.

Deus Espírito Santo,

tende piedade de nós.

Santíssima Trindade, que sois um só Deus,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei e senhor do universo,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei do céu a da terra,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei soberano de todas as nações,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei anunciado pelos profetas,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei entronizado na cruz,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei ressuscitado dentre os mortos,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei sentado a direita de Deus Pai,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei de infinita majestade,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei exaltado no trono da graça,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei de misericórdia,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei de cujo lado aberto brotaram sangue e água,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei compassivo,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei, autor e eficácia dos sacramentos,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei verdadeiramente presente no santíssimo sacramento do altar,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei do coração arde de amor,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei que é alfa e ômega,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei que foi, que é e que virá,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei de cujo trono nos aproximamos confiantes,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei do qual provém toda autoridade,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei cujo reino não é deste mundo,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei que cura toda divisão,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei ferido por nossa indiferença,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei manso e humilde de coração,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei que habitais os corações,

tende piedade de nós.

Senhor Jesus Cristo, rei das famílias,

tende piedade de nós

Amém.

“Cristo: centro da criação, do povo e da história”. O Papa encerra o Ano da Fé

Cidade do Vaticano (RV) – O Ano da Fé, convocado por Bento XVI e aberto em 11 de outubro de 2012, cinquenta anos após o Concílio Vaticano II e vinte após o Catecismo da Igreja Católica, chegou ao fim neste domingo, 24, com a missa de encerramento celebrada às 10h30 (locais) por Papa Francisco, na Praça São Pedro.

Os fiéis presentes foram premiados com uma manhã sem chuvas, apesar de fria. A cidade de Roma e todo o centro da Itália têm sido atingidos por mau-tempo há vários dias. Além das dezenas de milhares de fiéis, 1.200 patriarcas e arcebispos das Igrejas católicas de rito e tradição oriental, além de cardeais, bispos e sacerdotes participaram da cerimônia, que teve caráter solene.

Papa Francisco começou sua homilia justamente recordando que neste domingo, em que a Igreja também celebra a solenidade de Cristo Rei do universo, um pensamento cheio de carinho e gratidão deve ser dirigido ao Papa emérito: “Com a iniciativa do Ano da Fé, Bento XVI nos ofereceu a oportunidade de redescobrirmos a beleza do caminho de fé que teve início no dia do nosso Batismo e nos tornou filhos de Deus e irmãos na Igreja”.

Aos representantes das Igrejas Orientais Católicas, Francisco manifestou reconhecimento por confessarem o nome de Cristo com tanta fidelidade, “paga muitas vezes por caro preço”, e idealmente, quis “alcançar todos os cristãos que vivem na Terra Santa, na Síria e em todo o Oriente, a fim de obter para todos o dom da paz e da concórdia”.

“Jesus é o centro da criação”, disse o Papa comentando a segunda leitura. “Assim sendo, a atitude que se requer do crente – se o quer ser de verdade – é reconhecer e aceitar na vida esta centralidade de Jesus Cristo, nos pensamentos, nas palavras e nas obras. Quando se perde este centro, substituindo-o por outra coisa qualquer, disso só derivam danos para o meio ambiente que nos rodeia e para o próprio homem”.

A primeira Leitura, por sua vez, mostrou que além de ser centro da criação, Cristo é centro do povo de Deus. Descendente do rei David, é o «irmão» ao redor do qual se constitui o povo, que cuida do seu povo, de todos nós, a preço da sua vida. “Nele, nós somos um só; unidos a Ele, partilhamos um só caminho, um único destino”, lembrou o Bispo de Roma.

Por fim, Cristo é o centro da história da humanidade e de cada homem: “A Ele podemos referir as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias de que está tecida a nossa vida. Quando Jesus está no centro, até os momentos mais sombrios da nossa existência se iluminam: Ele dá-nos esperança, como fez com o bom ladrão no Evangelho deste domingo”.

Lucas narra que enquanto todos os outros menosprezavam Jesus, um homem que errou na vida, mas que estava arrependido, se agarrou a Jesus e lhe suplicou que se lembrasse dele. Jesus pronuncia apenas a palavra do perdão, não a da condenação; e quando o homem encontrou a coragem de pedir o perdão, o Senhor não deixou sem resposta seu pedido.

A promessa de Jesus ao bom ladrão nos dá uma grande esperança”, garantiu Francisco: “Ela diz que a graça de Deus é sempre mais abundante de quanto pedira a oração. Peçamos ao Senhor que Se lembre de nós, certos de que, pela sua misericórdia, poderemos partilhar a sua glória no Paraíso”, conclui o Papa.

Cristo Rei do Universo

O Ano Litúrgico, constituído por diversos ciclos, termina com a Festa de Cristo Rei. Jesus nasce com o título de Rei e é agora proclamado pela Igreja como Rei do universo. É o cume de um reinado que foi manifestado num amor extremo, selado na cruz e na glorificação eterna.

Numa visão, o profeta Daniel contempla o trono de Deus e seu juízo sobre o mundo. Ele vê também alguém como “filho de homem” sobre o trono (Dn 7, 9-14). Nos Evangelhos, a expressão “filho de homem” refere-se a Jesus Cristo, àquele que veio do alto para construir o Reino de Deus.

Devemos entender que não são os poderes do mundo que determinam a história, mas sim, aquele que é o Senhor da história, fazendo triunfar o seu Reino. Isto significa que a última palavra sobre o mundo pertence a Deus. É até uma questão de fé e certeza de que as forças do mundo são meramente passageiras.

O centro da história é Jesus Cristo, que veio como Rei, caminha como Rei e termina seu ciclo na terra como Rei. É o mesmo que dizer: “aquele que é, que era e que vem”. Ele é o cumprimento da Aliança feita por Deus com Abraão lá no passado, que só acontece no gesto de doação total na prática do amor.
Mesmo dizendo que o Brasil é o maior país cristão do mundo, Jesus continua sendo o grande desconhecido pelo nosso povo. Desta forma, não criamos paixão por Ele e agimos de forma desregrada, sem compromisso social e ferindo a dignidade das pessoas. Não conseguimos perceber que o amor cristão implica defender a vida do outro, que tem o mesmo direito que nós.Jesus nunca impôs seu poder através do uso da violência desumana, porque não tinha pretensões egoístas. Sua ação ia além dos limites do mundo e passava por uma prática de testemunho coerente e visível aos olhos da sociedade de seu tempo. Com isto Ele instaurou um reinado que contradiz com os poderes mundanos.

Dom Paulo Mendes Peixoto
Arcebispo de Uberaba – MG

#NoNatal eu comemoro o nascimento de Jesus. E Você?

No último dia 25/11 celebramos o dia de Cristo Rei do Universo e com a proclamação de Jesus como nosso rei encerramos mais um ano. Para a Igreja o ano termina com está festa. Isto significa que já estamos em um novo ano e que estamos nos preparando para a chegada de?… Errado quem respondeu Papai Noel. Estamos preparando para a vinda de Jesus.

No natal não comemoramos os “presentes do Papai Noel”, mas sim o maior presente que Deus nos deu, enquanto humanidade, seu filho Jesus. No natal celebramos o nascimento de nosso salvador. Aquele que nos deu a vida de volta e definitiva.

Pensando nisso, neste tempo de preparação para o nascimento de Cristo, advento (que ainda vamos falar sobre ele aqui no blog), O Anunciador sugere uma campanha nas redes sociais, blogs e sites católicos, nas igrejas e onde quer que um cristão esteja. Ensine aos seus que no Natal celebramos Jesus. Comemoro seu nascimento. Sua vinda

Use no twitter a hashtag #NoNatalEuComemoroJesus ou #NoNatal e coloque a frente a ideia da campanha. No face produza memes, como os que estão abaixo (irei fazer mais ao decorrer do mês) e também compartilhe. Vamos começar uma catequese sobre o Natal.

Papai Noel não existe. Trocar presentes é até bem vindo, mas sempre lembrando que o grande homenageado neste natal é Jesus.

Cristo Rei do universo

O Ano Litúrgico, constituído por diversos ciclos, termina com a Festa de Cristo Rei. Jesus nasce com o título de Rei e é agora proclamado pela Igreja como Rei do universo. É o cume de um reinado que foi manifestado num amor extremo, selado na cruz e na glorificação eterna.

Numa visão, o profeta Daniel contempla o trono de Deus e seu juízo sobre o mundo. Ele vê também alguém como “filho de homem” sobre o trono (Dn 7, 9-14). Nos Evangelhos, a expressão “filho de homem” refere-se a Jesus Cristo, àquele que veio do alto para construir o Reino de Deus.

Devemos entender que não são os poderes do mundo que determinam a história, mas sim, aquele que é o Senhor da história, fazendo triunfar o seu Reino. Isto significa que a última palavra sobre o mundo pertence a Deus. É até uma questão de fé e certeza de que as forças do mundo são meramente passageiras.

O centro da história é Jesus Cristo, que veio como Rei, caminha como Rei e termina seu ciclo na terra como Rei. É o mesmo que dizer: “aquele que é, que era e que vem”. Ele é o cumprimento da Aliança feita por Deus com Abraão lá no passado, que só acontece no gesto de doação total na prática do amor.
Mesmo dizendo que o Brasil é o maior país cristão do mundo, Jesus continua sendo o grande desconhecido pelo nosso povo. Desta forma, não criamos paixão por Ele e agimos de forma desregrada, sem compromisso social e ferindo a dignidade das pessoas. Não conseguimos perceber que o amor cristão implica defender a vida do outro, que tem o mesmo direito que nós.

Jesus nunca impôs seu poder através do uso da violência desumana, porque não tinha pretensões egoístas. Sua ação ia além dos limites do mundo e passava por uma prática de testemunho coerente e visível aos olhos da sociedade de seu tempo. Com isto Ele instaurou um reinado que contradiz com os poderes mundanos.

Dom Paulo Mendes Peixoto
Arcebispo de Uberaba – MG

7º dia da Setena de Cristo Rei do Universo

Iniciemos invocando a Trindade Santa

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

História da Solenidade

É a grande promessa de Jesus para nós, filhos benditos do Pai: sua realeza não é deste mundo, por isso devemos anunciar a verdade libertando os homens do pecado, dando-lhes uma verdadeira conversão do coração.

Jesus é a testemunha fiel da verdade, isto é , seu desígnio de salvação do mundo. Veio revelar com a própria vida o grande sacrifício da cruz, da sua paixão e morte por amor, nessa mesma cruz pela qual Ele atrairá todos ao seu coração. Tudo por amor, fonte primeira de união com Deus, Ele desfaz as injustiças em liberdade, tornando grande sacerdócio do povo santo de Deus em que cada um se santifica no mundo.

Ser cristão é construir o Reino de Cristo no mundo através do serviço gratuito e fraterno, humilde, deixando-se fazer a vontade do Pai. Você está disposto a fazer acontecer o Reino? De que maneira?

Junto com a solenidade de Cristo Rei, celebra-se o Dia do Leigo e da Leiga, que possuem uma vocação especial, muitas vezes esquecida. Ser leigo e leiga no mundo de hoje é um desafio. Os cristãos leigos ocupam diversos serviços na vida da Igreja e assumem uma vocação particular de constituir família e ser testemunho no meio dos outros, como pedras vivas da Igreja, trabalhadores do Reino Cristo-Rei.

Oração

A nosso Senhor Jesus Cristo. Querido nosso Senhor Jesus Cristo, vós que dissestes aos apóstolos: “E eu vos digo: ‘Pedi e vos será dado; buscai e achareis; batei e vos será aberto; porque aquele que pede, receberá; e quem busca, achará, e a quem bate será aberto. E tudo que pedires em oração, crendo, recebereis; então eu vos peço, do fundo do meu coração, concedei-me essa graça (fazer o pedido para essa setena) para que minha alma se acalme, e eu possa encontrar novamente a paz que ajuda a conservar-nos sempre unidos a vós, Senhor nosso Deus. Amém.

6º dia da Setena de Cristo Rei do Universo

Iniciemos invocando a Trindade Santa

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

História da Solenidade

Jesus Cristo é rei e pastor que nos leva ao Reino de Deus, que nos tira das trevas do erro e do pecado, que nos guia para a plena comunhão com o Pai pelo amor. Jesus nos aponta como “Caminho, Verdade e Vida” (Jo 14, 6) para que possamos imitá-lo mesmo diante de nossas fraquezas e medos, morrer com Ele para participarmos de sua vitória.

Olhando o nosso mundo, vemos o sofrimento de tantos irmãos que trazem consigo a cruz de Cristo, como sinal de vitória e de redenção do mundo. Mesmo diante das nossas aflições, dores, angustias e injustiças, não podemos ser derrotados, mesmo quando estivermos sozinhos, quando nos sentimos abandonados como os discípulos abandonaram Jesus. Portanto a amargura não poderá tomar conta de nosso coração. Não podemos querer entender a Deus em seu mistério, nem duvidar de seu amor para com todos, mas acolher tudo por amor a Deus, como festa de um grande banquete do qual um dia participaremos na eternidade.

Bem-aventurados aqueles que sofrem, são perseguidos e padecem todo tipo de injustiças, pois como servo bom e fiel, um dia acolhido por Jesus na mesa do Reino, será bendito. E Ele passando servirá aqueles que souberam viver a justiça, a caridade e fazer o bem na vida dos irmãos.

Oração

A nosso Senhor Jesus Cristo. Querido nosso Senhor Jesus Cristo, vós que dissestes aos apóstolos: “E eu vos digo: ‘Pedi e vos será dado; buscai e achareis; batei e vos será aberto; porque aquele que pede, receberá; e quem busca, achará, e a quem bate será aberto. E tudo que pedires em oração, crendo, recebereis; então eu vos peço, do fundo do meu coração, concedei-me essa graça (fazer o pedido para essa setena) para que minha alma se acalme, e eu possa encontrar novamente a paz que ajuda a conservar-nos sempre unidos a vós, Senhor nosso Deus. Amém.

5º dia da Setena de Cristo Rei do Universo

Iniciemos invocando a Trindade Santa

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

História da Solenidade

A celebração, fechando o Ano Litúrgico, traz para nós cristãos a reflexão em torno da vida de Jesus que significa para nós a salvação, onde impera no mundo o pecado.

Pilatos pergunta a Jesus se ele é rei, e Ele responde que seu reino não é deste mundo de injustiça, ódio, morte e dor.Ele é rei do reino de seu Pai que, como pastor, guia a sua Igreja neste mundo para o reino celeste. Por isso, fazer parte desse Reino é fazer comunhão com Ele, transformar o mundo em que vivemos.

Oração

A nosso Senhor Jesus Cristo. Querido nosso Senhor Jesus Cristo, vós que dissestes aos apóstolos: “E eu vos digo: ‘Pedi e vos será dado; buscai e achareis; batei e vos será aberto; porque aquele que pede, receberá; e quem busca, achará, e a quem bate será aberto. E tudo que pedires em oração, crendo, recebereis; então eu vos peço, do fundo do meu coração, concedei-me essa graça (fazer o pedido para essa setena) para que minha alma se acalme, e eu possa encontrar novamente a paz que ajuda a conservar-nos sempre unidos a vós, Senhor nosso Deus. Amém.

4º dia da Setena de Cristo Rei do Universo

Iniciemos invocando a Trindade Santa

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

História da Solenidade

1. A festa de Cristo Rei, instituída por Pio XI, tinha uma finalidade político-religiosa de mostrar o senhorio de Jesus sobre o mundo, acima das situações de ateísmo e falta de religião. Esta festa foi colocada, na reforma litúrgica, no final do ano litúrgico para dar a perceber que Cristo é o centro do universo e para Ele tudo conflui.

2. Cristo, diante de Pilatos se declara rei da verdade. Ele conhece toda a verdade, por isso dá por ela a vida. A verdade é o desígnio do Pai de implantar no mundo o reino da misericórdia amorosa.

3. Todo o povo de Deus é sacerdotal, isto é, está unido a Cristo para a transformação do mundo em um mundo que sirva a Deus no culto verdadeiro que procede de um coração que ama.

Oração

A nosso Senhor Jesus Cristo. Querido nosso Senhor Jesus Cristo, vós que dissestes aos apóstolos: “E eu vos digo: ‘Pedi e vos será dado; buscai e achareis; batei e vos será aberto; porque aquele que pede, receberá; e quem busca, achará, e a quem bate será aberto. E tudo que pedires em oração, crendo, recebereis; então eu vos peço, do fundo do meu coração, concedei-me essa graça (fazer o pedido para essa setena) para que minha alma se acalme, e eu possa encontrar novamente a paz que ajuda a conservar-nos sempre unidos a vós, Senhor nosso Deus. Amém.

3º dia da Setena de Cristo Rei do Universo

Iniciemos invocando a Trindade Santa

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

História da Solenidade

Um reino de sacerdotes. 

Todo povo de Deus tem, como Cristo esta realeza. Esta é o domínio do amor que transforma o mundo. O amor é a primeira fonte da união com Deus. Ele faz de nossos gestos de serviço aos outros, da transformação das estruturas de escravidão em liberdade, um sacerdócio do povo de Deus e de cada um que santifica o universo. Ser cristão é já construir o reino de Cristo no mundo. A modalidade de construir este reino é o serviço fraterno, humilde como Cristo fez na sua morte que o glorificou. Unindo nossa vontade à sua e a vontade do Pai, podemos crer em verdade que Ele é Rei e Senhor.

Leituras: Daniel 7,13-14; Apocalipse 1,5-8; João 18,33-37

Oração

A nosso Senhor Jesus Cristo. Querido nosso Senhor Jesus Cristo, vós que dissestes aos apóstolos: “E eu vos digo: ‘Pedi e vos será dado; buscai e achareis; batei e vos será aberto; porque aquele que pede, receberá; e quem busca, achará, e a quem bate será aberto. E tudo que pedires em oração, crendo, recebereis; então eu vos peço, do fundo do meu coração, concedei-me essa graça (fazer o pedido para essa setena) para que minha alma se acalme, e eu possa encontrar novamente a paz que ajuda a conservar-nos sempre unidos a vós, Senhor nosso Deus. Amém.

2º dia da Setena de Cristo Rei do Universo

Iniciemos invocando a Trindade Santa

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

História da Solenidade

Rei da Verdade

Mesmo que seja um reino, o é diferente dos reinos e governos do mundo. Jesus se proclama rei diante de Pilatos: “Tu és Rei?” Pergunta Pilatos diante no tribunal. “Tu o dizes, eu sou rei. Para isso nasci e vim ao mundo, para dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade escuta minha voz” (Jo 18,37). Jesus é rei da verdade. Pilatos pergunta-lhe: “O que é a verdade?” Mas não espera a resposta. (É comum em nossa vida perguntar as coisas para Deus e não querer saber a resposta). O que é esta verdade que é a identificação com Ele próprio? “Eu sou a Verdade e a vida” (Jo 14,6). Ser verdade para Jesus é ser Ele próprio o testemunho da vontade do Pai: Estabelecer no mundo o domínio da misericórdia amorosa da qual o Pai é a fonte. “Graças a esta vontade é que somos salvos” (Hb 10.10). Durante sua vida procura unicamente fazer a vontade do Pai: “E a vontade do que me enviou é esta: Que eu não perca nenhum de todos aqueles que me deu, mas que eu o ressuscite no último dia” (Jo.6,39).

Oração

A nosso Senhor Jesus Cristo. Querido nosso Senhor Jesus Cristo, vós que dissestes aos apóstolos: “E eu vos digo: ‘Pedi e vos será dado; buscai e achareis; batei e vos será aberto; porque aquele que pede, receberá; e quem busca, achará, e a quem bate será aberto. E tudo que pedires em oração, crendo, recebereis; então eu vos peço, do fundo do meu coração, concedei-me essa graça (fazer o pedido para essa setena) para que minha alma se acalme, e eu possa encontrar novamente a paz que ajuda a conservar-nos sempre unidos a vós, Senhor nosso Deus. Amém.

1º dia da Setena de Cristo Rei do Universo

Iniciemos invocando a Trindade Santa

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

História da Solenidade

A festa de Cristo Rei foi criada pelo papa Pio XI em 1925. Instituiu que fosse celebrada no último domingo de outubro. Agora, na reforma litúrgica passou ao último domingo do ano litúrgico como ponto de chegada de todo o mistério celebrado, para dar a entender que Ele é o fim para o qual se dirigem todas as coisas.

A criação desta festa tinha uma conotação política de grandiosidade. Quem, dos mais antigos, não foi da Cruzada Eucarística? Roupinha branca, fita amarela com cruz e dois traços azuis para os melhores. Qual era o comprimento? – Viva Cristo! – Rei! Este amor a Cristo Rei sustentou os cristãos na perseguição do México. Quantos mártires não entregaram a vida proclamando: Viva Cristo Rei! Quem sabe nos falte uma definição maior para o Reino de Cristo.

A oração da missa assim reza: “Deus que dispusestes restaurar todas as coisas em vosso Filho Amado, Rei do Universo, fazei que todas as criaturas, libertas da escravidão e servindo à vossa majestade vos glorifiquem eternamente”. Vejamos os termos: Rei do Universo, vossa majestade. Para este sentido endereça a primeira leitura: A glória do Filho do Homem – “Seu poder é poder eterno que não lhe será tirado e seu reino, um reino que não se dissolverá” (Dn l7,14). Cristo com sua morte e ressurreição foi feito o Senhor da Glória. Seu Reino não tem fim.

Amém

Oração

A nosso Senhor Jesus Cristo. Querido nosso Senhor Jesus Cristo, vós que dissestes aos apóstolos: “E eu vos digo: ‘Pedi e vos será dado; buscai e achareis; batei e vos será aberto; porque aquele que pede, receberá; e quem busca, achará, e a quem bate será aberto. E tudo que pedires em oração, crendo, recebereis; então eu vos peço, do fundo do meu coração, concedei-me essa graça (fazer o pedido para essa setena) para que minha alma se acalme, e eu possa encontrar novamente a paz que ajuda a conservar-nos sempre unidos a vós, Senhor nosso Deus. Amém.

Setena de Cristo Rei

No próximo domingo a Igreja, em todo o mundo, celebra Cristo Rei do Universo. A festa encerra o tempo comum  e marca o inicio de um novo ano litúrgico na Igreja, o Advento.

A partir de amanhã, iremos celebrar essa festa em sete dias, a setena de Cristo Rei do Universo.  Durante a semana vamos rezar a Cristo Rei e também aprender sobre a história desta festa.