Papa não vai nomear uma mulher como cardeal

Folha de São Paulo – O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, disse que teoricamente e teologicamente é possível a nomeação de uma mulher como cardeal pelo papa Francisco, mas que isso não está no horizonte –ao menos de curto prazo.

Pe. Federico Lombardi.

O próximo consistório (reunião para nomeação de cardeais) está marcado para fevereiro. “Não é uma possibilidade realista. Teológica e teoricamente, é possível [nomear uma mulher cardeal]: para alguém ser cardeal, em tese, não é preciso ter sido ordenado [padre]. Mas daí a sugerir que o papa nomeará mulheres cardeais no próximo consistório não é nem remotamente realista”, declarou.

Ele não afirmou que isso nunca ocorrerá, porém, apenas que não na próxima leva de nomeações.

As especulações sobre o assunto começaram em setembro, quando o ex-padre Juan Arias, correspondente do jornal espanhol “El País” no Brasil, escreveu um artigo dizendo que Francisco cogitava elevar mulheres ao cardinalato.

No fim de semana, foi o irlandês “Irish Times” que levantou o tema, o que levou à manifestação de Lombardi.

Embora essa possibilidade nunca tenha sido confirmada, chegaram a circular nomes de mulheres “cardinaláveis”, como a teóloga Linda Hogan, do Trinity College de Dublin (Irlanda), e a ex-presidente irlandesa Mary McAleese. Desde sua eleição, Francisco tem dito que é necessário dar maior participação às mulheres na igreja.

Anúncios

EUA espionaram até o Papa

GLOBO.COM | A Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA) espionou as conversas telefônicas na Cidade do Vaticano e também as ocorridas na residência onde o cardeal argentino Jorge Bergoglio ficou hospedado antes do conclave que elegeu o papa, segundo o próximo número da publicação italiana “Panorama”.

Segundo a publicação que cita documentos do ex-técnico da CIA Edward Snowden, entre as 46 milhões de conversas telefônicas que se diz que a NSA interceptou na Itália, muitas delas se localizavam na Cidade do Vaticano.

O Papa Francisco deixa a audiência geral nesta quarta-feira (30) na Praça São Pedro, no Vaticano (Foto: Alessandro Bianchi/Reuters)

A “Panorama”, que antecipou um parte da informação que será publicada em seu número à venda na próxima sexta-feira, fala de um período de 10 de dezembro de 2012 até 8 de janeiro de 2013, mas “que supeita-se” que a espionagem continuou após conhecer o anúncio da renúncia ao pontificado do papa Bento XVI, que ocorreu em 28 de fevereiro.

A publicação acrescenta que a espionagem ocorreu durante todo o conclave para escolha do novo papa.

“Acredita-se que ‘o grande ouvido americano’ captou as conversas dos prelados no início do conclave, em 12 de março”, quando foi eleito o Papa Francisco, afirmou a revista.

“Existe a suspeita de que até mesmo as conversas do então futuro pontífice podem ter sido controladas. Jorge Bergoglio já era desde 2005 objeto da atenção da inteligência dos Estados Unidos, de acordo com os relatórios do Wikileaks”, acrescentou a Panorama.

O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, minimizou a importância desta informação.

“Não temos nenhuma informação a esse respeito e, de qualquer maneira, isso não nos preocupa”, declarou.

Entre as conversas escutadas estavam as que se produziam na Domus Internationalis Paolo VI de Roma, a residência que o então arcebispo de Buenos Aires, Bergoglio, ficou hospedado antes do começo do conclave que elegeu papa em 13 de março de 2013.

A publicação lembra que o nome do agora papa Francisco já tinha surgido nos documentos filtrados pelo portal Wikileaks de Julian Assange.

O Wikileaks revelava despachos dos serviços secretos americanos nos quais se falava de Bergoglio como um dos papáveis no conclave de 2005, assim como outros documentos datados em 2007 que relatavam sua “má relação” na Argentina com o presidente Nestor Kirchner.

Além disso, entre os espionados estaria o presidente do Instituto para as Obras de Religião (IOR), conhecido como o Banco do Vaticano, o alemão Ernst von Freyberg, que foi nomeado em fevereiro de 2013 por Bento XVI.

A revista “Panorama” explica que as chamadas captadas no Vaticano foram arquivadas sob quatro classificações: “Leadership intentions” (Intenções de liderança), “Threats to financial system” (Ameaças ao sistema financeiro), “Foreign Policy Objectives” (Objetivos de política externa) e “Human Rights” (Direitos Humanos).

Perguntado sobre esta informação, o porta-voz do escritório de imprensa do Vaticano, Federico Lombardi, afirmou que não tem informação sobre este assunto e acrescentou que não têm “nenhuma preocupação a respeito”.

Papa aprova canonização de João Paulo II e João XXIII

João Paulo II e João XXIII

(ACI/Europa Press).- O Papa Francisco aprovou o decreto de canonização do Beato João Paulo II e João XXIII, conforme explicou o porta-voz do Escritório de Imprensa do Vaticano, Padre Federico Lombardi.Os cardeais e bispos da Congregação para as Causas dos Santos aprovaram nesta terça-feira o segundo milagre atribuído ao Beato João Paulo II e que abre as portas para sua canonização, como relatado por fontes do Vaticano.

Embora não tenha havido confirmação oficial, as mesmas fontes disseram como possíveis datas para a canonização de João Paulo II o dia 24 de novembro, no fim da celebração do Ano da Fé, ou dia 08 de dezembro.

Além disso, a imprensa italiana já indicava nesta terça-feira que a cerimônia de canonização de João Paulo II poderia ser feita junto com a de João XXIII, conhecido como o “Papa Bom”.

Assim, o jornal italiano “La Stampa”, observou nesta terça-feira que “Inesperadamente, os cardeais e bispos também terão que discutir outro caso, o da canonização de João XXIII”, o Pontífice que convocou o Concílio Vaticano II, falecido há 50 anos e cuja beatificação ocorreu em 2000.

Nessa linha, afirmava que essa mudança “não prevista” demonstra “a vontade de celebrar juntas” as duas cerimônias de canonização e assinala que Roncalli e Wojtyla “poderiam ser canonizados em dezembro de 2013, imediatamente após o final do Ano da Fé, visto que a hipótese inicial de outubro parece cada vez menos plausível pela falta de tempo e problemas organizacionais”.

Karol Wojtyla foi beatificado no dia 1 º de maio de 2011, depois da aprovação do seu primeiro milagre com a assinatura do agora Bispo Emérito de Roma Bento XVI. Naquela ocasião, se tratou de uma cura, dois meses após sua morte, da religiosa francesa Marie Simon Pierre, que sofria da doença de Parkinson desde 2001, a mesma que João Paulo II sofreu em seus últimos anos.

Por sua parte, João XXIII foi beatificado por João Paulo II em setembro de 2000, durante o Jubileu, na mesma celebração da beatificação de Pio IX. Na ocasião, o milagre aprovado para a sua beatificação foi a cura da Irmã Caterina Capitani em 1966.

O Papa João XXIII convocou o Concílio Vaticano II, e morreu, enquanto o Concílio estava em andamento, muitos bispos propuseram proclamar o “Papa Bom” como santo por aclamação, mas seu sucessor, Paulo VI, optou por seguir as vias canônicas, por isso começou o processo canônico, em seguida, foi beatificado pelo seu antecessor Pio XII.

Declarações de apoio às manifestações supostamente dadas pelo Papa não são verdadeiras

(ACI/EWTN Noticias).-  O Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Padre Federico Lombardi, desmentiu o jornal espanhol El País, de forte tendência anticatólica, que assegurou hoje que o Papa Francisco “considera os protestos do Brasil justos e de acordo com o Evangelho” e se referirá a elas durante a próxima Jornada Mundial da juventude (JMJ) Rio 2013.

Com os protestos do Brasil, um importante número de cidadãos expressou seu desacordo com o aumento de tarifas no transporte público, e pedem também que cesse a corrupção no governo. Os manifestantes também criticam os elevados gastos que se realizam em vistas à Copa do Mundo de Futebol de 2014 e pedem maior investimento em saúde e educação.

Em uma nota publicada em 24 de junho, os Bispos do Brasil expressaram sua “solidariedade e apoio às manifestações”, sempre e quando estas sejam pacíficas.

Os Prelados reconheceram em seu comunicado que estes protestos são “um fenômeno que envolve o povo brasileiro e despertam uma nova consciência”. “Requer atenção e compreensão para identificar seus valores e limites, sempre com o objetivo de construir a sociedade justa e solidária que desejamos”, assinalaram.

O jornal El País, em um artigo publicado hoje, afirmou que o Papa Francisco, “no discurso que dirigirá aos mais de um milhão de jovens que se concentrarão no Rio de Janeiro com motivo da Jornada Mundial da Juventude (JMJ)” fará alusão “às manifestações, segundo informações de fonte fidedigna recebidas por este correspondente”.

O meio espanhol assegurou também que os Bispos do Brasil não teriam escrito nem publicado seu comunicado de fins de junho “se não tivessem estado antes concordado com o papa Francisco, que está por chegar ao Brasil”.

Entretanto, em comunicação com o grupo ACI, o Padre Federico Lombardi esclareceu que “o jornal El País não é a fonte dos discursos do Papa”.

Consultado pelo suposto discurso a favor das manifestações no Brasil ao que faz menção o jornal espanhol, Lombardi assinalou que “não me consta. Não vi nada a respeito”.

Erros e desinformação no El País

Já em 2006, El País inventou um suposto apoio do Papa Bento XVI às negociações iniciadas pelo governo da Espanha, com José Luis Rodríguez Zapatero, do Partido Socialista Obrero Español (PSOE) à cabeça, com o grupo terrorista ETA.

Nessa ocasião, o então delegado diocesano de Meios de Comunicação da Arquidiocese de Madri, Pe. Manuel Bru, desmentiu terminantemente as conjeturas de El País, assinalando que este atribuiu “falsamente ao Santo Padre Bento XVI um apoio explícito ao mal chamado processo de paz”.

Em 24 de janeiro deste ano, o jornal espanhol teve que deter a circulação de toda a edição do dia, depois de fazer-se público que a foto de sua capa, em que aparecia Hugo Chávez Frías entubado, era falsa.

As (verdadeiras) prioridades de Francisco

Por Andrés Beltramo Álvarez – Sacro & Profano | Tradução: Fratres in Unum.com – O que está pensando o Papa Francisco? Quais são as suas prioridades? Reformar a Cúria Romana? Cortar as cabeças dos maus clérigos? Refundar ou refundir o “banco vaticano”, o IOR? Combater com firmeza o chamado “lobby gay”? Estas e outras perguntas começam a atormentar vaticanistas e observadores. Alguns parecem “estar ansiosos” para ver Jorge Mario Bergoglio em ação, com seu estilo de governo. Quiseram antecipar suas mudanças, prever seus movimentos. Porém, o pontífice argentino é imprevisível. Tem na mente algumas claras prioridades pastorais. Sacro&Profano revela algumas das inquietudes do líder máximo da Igreja em um documento inédito.

SinodoPapaNesta quinta-feira, a imprensa noticiou a confirmação, pelo próprio Papa, de sua intenção de publicar logo a “encíclica [redigida] a quatro mãos”. Trata-se de um documento com reflexões sobre o tema da fé, cujo conteúodo (ou a maior parte dele) foi escrito por Bento XVI. A notícia surgiu do encontro que Bergoglio teve, na manhã do dia 13, com os membros do XIII Conselho Ordinário da Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos.

Há alguns dias, quando vazou a decisão do pontífice de publicar o texto herdado, um bispo italiano falou justamente de uma “encíclica a quatro mãos”. A declaração do prelado deixou em apertos a estrutura comunicativa vaticana e, em questão de horas, o porta-voz, Federico Lombardi, saiu a desmentir que se tratasse de um texto “a quatro mãos”. Matizou a informação, confirmando que Francisco ia dar continuidade ao projeto já iniciado.

Na reunião de quinta, com os membros do Conselho, surgiram muitíssimos outros aspectos. Pequenas e grandes notícias. Mas, sobretudo, no encontro ficou manifesto o estilo de governo do novo Papa, que abre jogo ao diálogo franco, mas também toma decisões. Muito suas, pessoais.

Como já acostumou praticamente a todos, em vez de ler o discurso (complicado e cheio de citações) que a Secretaria de Estado lhe havia preparado, Bergoglio decidiu iniciar com algumas palavras improvisadas. Ali falou da encíclica, mas também anunciou que não haverá exortação apostólica pós-sinodal neste ano. É costumo que o Sínodo dos Bispos ocorram a cada dois anos em Roma e reúnam clérigos de todo o mundo para analisar um tema escolhido pelo Papa. Das contribuições recebidas nesses encontros, costumava surgir um documento que o Papa assinava, porém que, na realidade, não escrevia, mas sim a Secretaria de Estado.

Agora, “com uma canetada”, Francisco exonerou esse organismo de tal encargo. E o comunicou com simplicidade e com estas palavras textuais, mescla de italiano e espanhol. Logo abriu o espaço para as contribuições livres:

“Agora deve sair a encíclica, é uma encíclica a quatro mãos, dizem… porque começou com o Papa Bento, que a entregou a mim, é um documento forte. Eu também direi aqui que recebi este grande trabalho que ele fez e que o levarei adiante. Fazer uma exortação apostólica pós-sinodal agora, depois da encíclica, [ela] acabará escondida. Depois pensei que o Ano da Fé acabará com um bom documento, algo que pode nos ajudar. Pensei nisto: fazer uma exortação sobre a evangelização em geral e dentro dela inserir os assuntos do Sínodo. Toma-se tudo o que é do Sínodo, mas em um marco mais amplo, ampliar o olhar para a evangelização em geral. Pensei nisso, gostei da idéia e irei por esse caminho. Já escrevi algo, em agosto que a casa estará mais tranquila poderei seguir adiante e por isso não respondi à pergunta sobre o esboço que vocês me enviaram. Agradeço-lhes o trabalho e vamos adiante assim, será assim. Vocês querem dizer algo? Alguma sugestão sobre isso?”.

Moderados por Nicola Eterovic, responsável pela Secretaria do Sínodo, intervieram vários cardeais e arcebispos que propuseram diversos temas para as futuras assembléias do Sínodo. Os aspectos foram os mais variados, desde a relação com o islã até a ideologia de gênero, dos desafios da Igreja na atualidade até a secularização, passando pela formação dos leigos.

Após o giro de contribuições, o Papa tomou novamente a palavra e ofereceu as suas orientações. Suas prioridades, que estiveram baseadas em “papéis, papéis e papéis” que já lhe mandaram os membros do chamado “conselho dos oitos sábados”, aquela comissão de cardeais representantes das diversas partes do mundo que ele mesmo constituiu, em 13 de abril passado, como seus conselheiros.

No primeiro lugar de suas preocupações, o líder católico mencionou a crise da família, um aspecto que o inquieta e que será motivo de uma grande reunião: seja um Sínodo especial, um ordinário ou de um encontro com presidentes das conferências episcopais de todo o mundo. A modalidade será decidida pelos “oito sábios”, em sua próxima reunião. Assim confirmou o Papa, que continuou dando uma série de orientações que servirão para escolher os três temas do próximo Sínodo, que serão submetidos em breve à sua consideração, embora possam ser quatro:

“Dirão eles, mas este é um problema que em outubro veremos o que faremos. Outra coisa é o tema da ecologia da criação, mas com a ecologia humana, esta relação, este é um problema sério porque as práticas da medicina e todas essas coisas vão contra a economia humana e a destroem. É um assunto importante.

“Sobre o tema antropológico: nós vivemos em uma antropologia ‘nova’, que faz sair de si mesma hermenêuticas novas e às vezes vemos as coisas com hermenêuticas que não são apropriadas a este problema. A laicidade se converteu em laicismo e agora secularização, praticamente. O problema da antropologia secularizada é um problema grave na Igreja hoje, é serio. No plano do encontro com Deus e a ecologia, nós vivemos uma época, por uma parte, gnóstica. O gnosticismo está na cabeça da reflexão espiritual e teológica. Por outro lado, é pelagiana, é uma verdadeira mescla entre pelagianismo e gnosticismo nesta nova cultura. Mas, como podemos ajudar as pessoas, os católicos, nesta teologia que nos propõe o secularismo, a secularização e todo o mundo secular? Esse é outro problema muito sério”.

“E depois a Igreja, o problema da ‘Ecclesia’, a mãe Igreja, com todas as suas tonalidades, entre elas a sinodalidade. Nas sugestões que chegaram, do grupo dos oito, este tema se relaciona com todas. Como fazer para encontrar um caminho de coordenação entre a sinodalidade e o bispo de Roma? Pede-se tanto sobre isso e muitos dizem: esse é trabalho da Secretaria do Sínodo. A tal ponto que a Secretaria do Sínodo se converte em um instrumento importantíssimo para esta solicitude. A sinodalidade deve ir para alguns caminhos novos, que expressem sua própria singular unidade ao ministério petrino. Creio que este é um grande desafio. Alguns pedem que o Conselho do Sínodo seja permanecente, que possa ser convocado para fazer consultas. Todas estas sugestões apareceram, o problema é rico, o problema de escolher o tema. Agradeço vosso trabalho e espero os três temas, mas se vier um quarto… bem-vindo”.

E logo surgiu um ping-pong:

Eterovic: Sim, pois é necessário escolher bem para não se dispersar demais. Excluímos uma avaliação do Concílio Vaticano II, pois não é tema do Sínodo, mas mais pastoral e bastante limitado. Porém, estas suas indicações são preciosas…

Papa Francisco: Eu digo o que chegou, porque chegaram papéis, papéis, papéis, e isso é bom, porque se vê que nas Congregações Gerais (anteriores ao conclave) os cardeais se empenharam nisso e é uma graça de Deus esta participação.

Então o Cardeal australiano George Pell se referiu ao governo colegiado da Igreja e propôs que uma ou duas vezes ao ano, por duas ou três horas, a mesma Secretaria do Sínodo se reúna com o pontífice. “Pode-se escolher um tema, nós podemos falar, isso não vai a fundo mas será uma ajuda, a expressão da sinodalidade da Igreja”, pontuou.

Nesse momento, Bergoglio interrompeu para antecipar que ampliará o conselho dos “oito sábios” e acrescentará um novo: “Falta um, já que os irmãos orientais se irritaram um pouco porque não há nenhum deles entre os oito. Falta um oriental, que ainda não foi escolhido”, disse quase sorrindo. E concluiu com uma exortação precisa: “Eu vos agradeço por este trabalho. Muito obrigado. E adiante, com liberdade, porque o ministério petrino requer sinodalidade, da qual vós sois expressão. Adiante, sem medo”. Eis o estilo Francisco. Sem mais.

Serafins surruram – O estilo coloquial e algumas passagens acima assinaladas coincidem na forma e no fundo com várias frases relatadas no resumo do encontro entre o Papa e a Conferência de Religiosos da América Latina (CLAR), vazada no início da semana, que causou um enorme debate midiático quanto a parte que fazia referência ao chamado “lobby gay” no Vaticano. O porta-voz Lombardi não pôde desmentir a veracidade dessas palavras (poderia fazê-lo sem problemas), enquanto a própria CLAR confirmou que o documento era verdadeir, embora esclareceu que não se tratava de uma transcrição literal e que as palavras correspondiam “no sentido geral” ao dito por Francisco.

Se o resumo era verdadeiro e ali se escreveu o que os assistentes escutaram, não é necessário iluminado para se dar conta que se usaram o termo “lobby gay” (num documento quase estenográfico) é porque o Papa efetivamente o pronunciou. Vocês se esqueceriam, se confundiriam ou se equivocariam se, em privado, o bispo de Roma lhes compartilhasse tal confidência? Não. Muito pelo contrário, é a primeira coisa que alguém recordaria, simplesmente porque impacta. Claro, ninguém em são juízo vazaria a informação (teoricamente).

Crer que os religiosos inventaram as palavras é francamente absurdo, tão absurdo (ou mais) que o vazamento ignóbil. E prestam um mal serviço à Igreja aqueles que, com miopia, em vez de refletir (com maturidade) sobre as preocupação do Papa, põem-se a construir argumentações para minimizar suas palavras. Má estratégia. É infantil sustentar que, porque Lombardi não as confirmou, bem como os religiosos, essas declarações nunca existiram. Essa atitude é, antes de tudo, uma negação implícita do jornalismo. Pura retórica barata. Nada de verdade.

Texto publicado no site Fratres in Unum.com

Giro de Notícias: Posse do novo Bispo; Acorda do Coma; Santa-Sé e Vietnã; JMJ; Aparecida; História de Jesus

Dom Marco Aurélio toma posse da Diocese de Itabira/Cel. Fabriciano neste domingo

No domingo, dia 16, durante a tradicional festa da Diocese de Itabira/Cel. Fabriciano acontecerá a posse canônica de Dom Marco Aurélio Gubiotti. O evento será transmitido ao vivo pela internet por meio do site www.diocesedeitabira.com.br.

Convite da Posse Canônica

Adolescente de 16 anos acorda do coma e agradece rede mundial de orações

(ACI/EWTN Noticias).- Faz um ano, a adolescente Antonia Cabrera sofreu um derrame cerebral e os médicos esperavam um desenlace fatal. Hoje pode falar, caminha com dificuldade e continua sua milagrosa recuperação convencida que está viva graças às milhares de orações que ofereceram por ela na rede social May Feelings.

Em 28 de abril de 2012, Antônia entrou em coma e os médicos informaram à família que a adolescente podia morrer ou ficar em estado de inconsciência permanente. Em 2 de maio, uma pessoa publicou seu caso na rede social de orações May Feelings.com e em pouco tempo recebeu duas mil promessas deoração e centenas de mensagens de ânimo.

Duas semanas depois, para surpresa de todos, Antonia acordou e começou um processo de recuperação que não deixa de surpreender a todos.

Santa Sé e Vietnã 

O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Padre Federico Lombardi, assinalou na manhã de ontem que o próximo encontro do grupo misto de trabalho Vietnã – Santa Sé se realizará nos dias 13 e 14 de junho.

A declaração assinala o seguinte: “o quarto encontro do Grupo misto de trabalho entre o Vietnã e a Santa Sé acontecerá no Vaticano nos dias 13 e 14 de junho, como foi concordado no terceiro encontro do mesmo celebrado em fevereiro de 2012 em Hanói (Vietnã)”.

“O objetivo da reunião é aprofundar e desenvolver as relações bilaterais entre o Vietnã e a Santa Sé”, acrescenta o sacerdote jesuíta.

Beato José de Anchieta será apresentado como musical na JMJ

“Anchieta – Para todas as tribos” é o nome do musical que será apresentado durante o festival da Jornada Mundial da Juventude Rio2013 aos peregrinos de todo o mundo, homenageando um dos intercessores da JMJ.

O Beato José de Anchieta é conhecido como o “apóstolo do Brasil” por revelar o Evangelho de Cristo aos índios do Brasil. O musical foi elaborado com a intenção de trazer ao conhecimento dos jovens a trajetória de vida do jesuíta.

Papa Francisco vai inaugurar Capela dos Apóstolos em Aparecida (SP)

A cidade de Nossa Senhora Aparecida, no interior de São Paulo, receberá a visita do Papa Francisco em julho, durante a semana em que ele virá para a Jornada Mundial da Juventude Rio2013. O santuário foi incluído no roteiro a pedido do próprio Pontífice, que é devoto de Maria.

O dia 24 de julho também será marcado pela inauguração da Capela dos Apóstolos, com a presença do Papa. O altar da capela foi sagrado pelo Papa João Paulo II em 1980, enquanto visitava o santuário.

Haverá um momento íntimo de veneração da imagem de Nossa Senhora, encontrada por três pescadores no Rio Paraíba, em 1717. O nicho onde fica a imagem, que é venerada por milhares de fiéis no interior da basílica, é controlada por controle remoto e nessa ocasião será girada para que seja possível vê-la de dentro da capela.

Aplicativo sobre a vida de Jesus voltado para crianças já está disponível no Itunes

Um  desenvolvedor de jogos Cristão lançou um aplicativo  de livro de histórias interativo para ajudar a tornar a mensagem do Evangelho mais acessível para as crianças.

“Para as crianças, nós realmente queremos que elas sejam expostas à vida de Jesus de uma forma que elas possam desfrutar e se conectar com Ele”   disse Brent Dusing o fundador e CEO da Jogos Lightside, ao grupo ACI  no dia 6 de junho.

O aplicativo, “Jornada de Jesus: seu primeiro milagre,” chegou à loja iTunes no dia 05 de junho e conta com capítulos do ministério público de Jesus a partir da Bíblia que envolve as crianças e ajudam a transmitir a história de Cristo a eles.

Adoração com o Papa na Solenidade do Corpus Christi energiza católicos em todo o mundo

Pe. Federico Lombardi e Arcebispo Rino Fisichella em coletiva de imprensa

(ACI).- O mundo católico estará unido com o Papa Francisco na festa do Corpus Christi, ocasião em que ele liderará uma “histórica” hora de Adoração Eucarística junto com fiéis de todo o mundo em simultâneo. A Adoração ocorre no contexto do Ano da Fé, convocado por Bento XVI e que o Papa Francisco dá continuidade.

“Até mesmo algumas ilhas no meio do oceano … Às duas da manhã – que nem sequer têm eletricidade – vão estar em comunhão com o Papa Francisco e conosco durante uma hora”, disse o arcebispo Rino Fisichella  que explicou a intensa reação que ele experimenta em relação ao evento de 2 de Junho.

“Eu tenho orgulho de dizer que este é um momento histórico para a Igreja, pois durante uma hora todas as igrejas do mundo estarão unidas. (…) Estaremos unidos porque a Eucaristia torna todos um só corpo e um só espírito, entrando no sentido mais profundo da Eucaristia”, partilhou o arcebispo em entrevista ao grupo ACI no dia 28 de maio.

O encontro será uma hora de adoração simultânea para a Festa de Corpus Christi, que o Papa Francisco vai iniciar na Basílica de São Pedro, às 17:00h, horário de Roma.

O Arcebispo Fisichella anunciou  no dia 28 de maio que há duas intenções para esta Hora Santa.

A primeira é pela “Igreja em todo o mundo estar unida hoje na Adoração da Santíssima Eucaristia”, que o Senhor faça que ela sempre seja obediente à sua palavra, que ela apareça perante o mundo como “bela, sem mancha nem ruga, santa e sem defeito”.

A segunda intenção é dedicada às pessoas em todo o mundo que sofrem com a violência, as drogas o tráfico de seres humanos, a insegurança econômica e por aqueles que foram empurrados às margens da sociedade.
Enquanto o Papa Francisco rezará em italiano e latim, as Horas Santas serão conduzidas no idioma local de cada país.

O Pontifício Conselho para a Nova Evangelização postou o programa que será usado em Roma no seu site, e em breve o disponibilizará também em seis idiomas.

O Ano da Fé será comemorado com outro grande evento no próximo mês, em um fim de semana dedicado à reflexão sobre encíclica “Evangelium Vitae” (O Evangelho da Vida), do Beato João Paulo II. Este será realizado em Roma entre os dias 15 e 16 de junho.

Vaticano nega que o Papa tenha feito um exorcismo em um jovem na Praça São Pedro

VATICANO (ACI).- O porta-voz do Vaticano, Padre Federico Lombardi, negou que o Papa Francisco tenha realizado um exorcismo na Praça de São Pedro no domingo 19 de maio na Solenidade de Pentecostes.

Em declarações ao Grupo ACI, o diretor do Escritório de Imprensa da Santa Sé indicou que “o Papa não teve nenhuma intenção de realizar um exorcismo, portanto é absolutamente falso que tenha feito isto. Simplesmente fez uma oração pelo doente”.

As especulações sobre o suposto exorcismo realizado pelo Papa surgiram devido a um vídeo colocado na Internet pelo canal TV 2000 da Conferência Episcopal Italiana. O vídeo é a promoção do programa “Vade Retro” (uma fórmula em latim que se usa nos ritos de exorcismo e que significa “volta atrás” ou “retrocede”) no que o sacerdote legionário Juan Reveja apresenta um jovem ao Papa.

O que o presbítero disse ao Papa não se sabe, mas sim se vê o Santo Padre com o semblante sério e logo em atitude de oração pelo menino em cadeira de rodas. Depois impõe ambas as mãos sobre ele.

Enquanto o Papa rezava, escuta-se o som como de um grunhido que provém do jovem que abre a boca e se encolhe um pouco sobre sua cadeira de rodas.

Os guardas de segurança se vendo o que aconteceu se apressaram para pegar uma carta que o Padre Reveja tinha antes do Santo Padre passar para cumprimentar a seguinte pessoa.

“Como é normal, muitos doentes e muitas pessoas em dificuldade são apresentados ao Papa, e ele sempre ora por eles”, disse o Padre Federico Lombardi ao Grupo ACI.

Cardeal Patriarca de Lisboa consagra o Pontificado do Papa Francisco à Virgem de Fátima

O Cardeal Policarpo consagra o pontificado do Papa Francisco à Virgem da Fátima em Portugal

(ACI/EWTN Noticias).- Ante milhares de fiéis presentes no santuário Mariano português, o Patriarca de Lisboa (Portugal), Cardeal José Policarpo, consagrou hoje à Virgem de Fátima o pontificado do Papa Francisco, quem em duas ocasiões lhe pediu pessoalmente que faça isto.

Dirigindo-se à Virgem de Fátima durante a cerimônia de consagração do pontificado, o Cardeal disse: “dê (ao Papa Francisco) o dom do discernimento para saber identificar os caminhos de renovação da Igreja, dê a coragem para não duvidar em seguir os caminhos sugeridos pelo Espírito Santo, protege-o nas horas duras de sofrimento, para que vença na caridade, as provas que a renovação da Igreja trará”.

Em declarações ao Grupo ACI nesta segunda-feira, o Diretor do Escritório de Imprensa da Santa Sé, Padre Federico Lombardi, assinalou que “como sabemos, em 13 de maio em Fátima (Portugal) faz-se uma celebração importante e é normal que nesta se confie o pontificado à Virgem de Fátima”.

O Cardeal Policarpo, também Presidente da Conferência Episcopal de Portugal, disse ademais, dirigindo-se à Virgem, que “somente tu, senhora, somente em teu amor maternal a toda a Igreja, podes pôr no coração do Papa Francisco o desejo de ser peregrino desde este santuário”.

Depois de recordar que os Papas João Paulo II e Bento XVI foram a Fátima, e expressando seu desejo de que o Papa Francisco também o faça, o Cardeal disse que “desde aqui, neste altar do mundo, ele poderá abençoar a humanidade, fazer sentir ao mundo de hoje que Deus ama a todos os homens e mulheres de nosso tempo, que a Igreja os ama e que você, Mãe do Redentor, os conduz com ternura pelos caminhos da salvação”.

Conforme assinala a agência Ecclesia do Episcopado português, o Patriarca destacou que os caminhos de renovação da Igreja levam a “redescobrir a atualidade” da mensagem de Fátima e “a exigência da conversação com Deus”.

“A humanidade contemporânea precisa sentir-se amada, por Deus e pela Igreja. Quando se sentir amada vencerá a tentação da violência, do materialismo, do afastamento de Deus, da perda do rumo e poderá avançar para um mundo novo onde o amor reinará”, disse logo.

Logo depois de recordar ao Bispo Emérito de Roma, Bento XVI, “que desafiou à Igreja pelos caminhos da oração” – o que foi respondido por uma grande ovação – o Bispo de Leiria-Fátima, Dom António Marto, leu uma mensagem do Papa enviada à Nunciatura Apostólica em Portugal.

“O Santo Padre manifestou seu agrado pela iniciativa e um profundo reconhecimento pela satisfação de seu desejo em união de oração com todos os peregrinos de Fátima, aos quais, de coração, concede a bênção apostólica propiciadora de todos os bens”.

No último dia 7 de abril durante a inauguração da assembleia plenária do Episcopado português, o Cardeal Policarpo assinalou que “o Papa Francisco me pediu duas vezes que consagrasse seu novo ministério a Nossa Senhora de Fátima”.

“É um mandato que posso cumprir no silêncio da oração, mas seria muito bonito que toda a Conferência Episcopal se associasse à realização desta petição. Maria nos guiará em todos nossos trabalhos e também na forma de dar cumprimento a este desejo do Papa Francisco”.

Bento XVI prepara regresso ao Vaticano.

Frates in Unam | Cidade do Vaticano, 26 abr 2013 (Ecclesia) – O Papa emérito Bento XVI vai regressar ao Vaticano nos próximos dias para residir no edifício que acolhia um mosteiro de clausura, segundo indicação do diretor da sala de imprensa da Santa Sé.

O padre Federico Lombardi disse aos jornalistas que a mudança do palácio apostólico de Castel Gandolfo, arredores de Roma, para o antigo mosteiro ‘Mater Ecclesiae’ vai acontecer “entre os finais de abril e os primeiros dias de maio”, como estava previsto.

Bento XVI deixou o Vaticano a 28 de fevereiro, dia em que deu por encerrado o seu pontificado, após ter renunciado ao mesmo.

O edifício que vai acolher o Papa emérito tem quatro pisos e sofreu obras de remodelação nos últimos meses, após a partida das religiosas que ali residiam.

Joseph Ratzinger tem estado acompanhado pelas quatro leigas consagradas que o serviram durante o pontificado e pelo seu secretário particular, D. Georg Gänswein, o atual prefeito da Casa Pontifícia, tendo recebido nos últimos dias a visita de monsenhor Georg Ratzinger, seu irmão mais velho.

Bento XVI foi eleito Papa no dia 19 de abril de 2005, sucedendo a João Paulo II; a 11 de fevereiro de 2013, Dia Mundial do Doente e memória litúrgica de Nossa Senhora de Lourdes, anunciou a renúncia ao pontificado, com efeitos a partir do dia 28 do mesmo mês, uma decisão inédita em quase 600 anos de história na Igreja Católica.

O Papa alemão evocou a “avançada idade” para justificar a sua decisão e abrir caminho à eleição do seu sucessor, Francisco, com quem se encontrou em Castel Gandolfo, a 23 de março.

As imagens de Bento XVI, nesse encontro, levaram a especulações sobre o estado de saúde do Papa emérito, com o porta-voz do Vaticano a afirmar que Joseph Ratzinger não está afetado por qualquer “doença grave”.

Papa cria grupo para o aconselhar no governo da Igreja

Cidade do Vaticano (RV) – O Santo Padre Francisco, atendendo a uma sugestão advinda no decorrer das Congregações Gerais antes do Conclave, constituiu um grupo de Cardeais para o aconselhar no governo da Igreja e para estudar um projeto de revisão da Constituição Apostólica Pastor Bonus, do Papa João Paulo II, sobre a Cúria Romana, refere um comunicado da Secretaria de Estado.

O grupo é formado pelos cardeais:

– Giuseppe Bertello, Presidente do Governatorato do Estado da Cidade do Vaticano
– Francisco Javier Errazuriz Ossa, Arcebispo emérito de Santiago do Chile
– Oswald Gracias, Arcebispo de Mumbai (Índia)
– Reinhard Marx, Arcebispo de Munique e Fresinga (Alemanha);
– Laurent Monsengwo Pasinya, Arcebispo de Kinshasa (República Democrática do Congo)
– Sean Patrick O’Malley. O.F.M. Cap., Arcebispo de Boston (EUA);
– George Pell, Arcebispo de Sidney (Austrália)
– Oscar Andrés Rodríguez Maradiaga S.D.B., Arcebispo de Tegucigalpa (Honduras), com a função de Coordenador

Faz parte também do grupo o Bispo de Albano (Itália), Dom Marcello Semeraro, com a função de secretário.

A primeira reunião coletiva do grupo foi fixada para os dias 1º, 2 e 3 de outubro de 2013. Todavia, desde já, Sua Santidade está em contato com os integrantes do mencionado grupo.

O Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, disse na coletiva realizada neste sábado que o Papa mostrou ter recebido as sugestões que o Colégio Cardinalício manifestou durante as Congregações Gerais em preparação do Conclave.

“Este é um grupo convocado para aconselhar. Quem realmente ajuda o Papa a governar a Igreja todos os dias com suas diferentes competências é a Cúria Romana, ou seja, os colaboradores estáveis e permanentes no governo da Igreja que acompanham o Papa. Parece-me importante ressaltar isso a fim de evitar discursos não pertinentes de colocar em segundo plano o serviço da Cúria ou a diminuição de suas responsabilidades. A Cúria permanece com todas as suas competências e com todas as suas responsabilidades”, destacou Pe. Lombardi.

“Fala-se da primeira reunião em outubro, então não é um grupo que deve se reunir de maneira acelerada, com a sensação de emergência. Faltam ainda muitos meses para a primeira reunião. Provavelmente passarão meses entre uma reunião e outra. No entanto, isso deve ser decidido pelo Papa no primeiro encontro”, frisou ainda o jesuíta.

Pe. Lombardi disse que o Papa, neste momento, está fazendo seu trabalho de conhecimento da Cúria Romama, de seus colaboradores. Estão previstas audiências com os prefeitos das Congregações e vários organismos vaticanos. (MJ/RB)

por Rádio Vaticano

URGENTE: Porta-voz do Vaticano nega afirmações de jornalista sobre saúde de Bento XVI

padre_lombardiO porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, diz que, ao contrário de reportagem no Jornal Espanhol El Mundo, o bispo emérito de Roma, Bento XVI, não sofre de qualquer doença.

A reportagem do jornal cita declarações da jornalista espanhola Paloma Gomez-Borrero dadas nesta terça-feira (09/04) em Madri, durante o lançamento de seu mais recente livro.

Saúde de Bento XVI está debilitada

“Bento XVI tem algo muito sério. Em 15 dias sua condição física se deteriorou muito, essas são as notícias que tenho”, afirmou Gomez-Borrero.

No entanto, em comentários dados à Catholic News Agency (CNA) nesta quarta-feira (10/04), padre Lombardi ressaltou que Bento XVI “não tem qualquer doença” e que “isso foi atestado por seus médicos”.

O padre disse que estava triste pelos comentários de Gomez-Borrero, e que a jornalista espanhola, conhecida dele há muitos anos, “fez especulações após ver imagens de um Bento exausto”.

“Mas daí a dizer que ele tem uma doença é tolice. Isso não tem base”, disse o porta-voz.

“Como sabemos, Bento XVI conduziu seu pontificado com muito comprometimento em sua idade, e por esse motivo ele está enfrentando as dores e sofrimentos de uma pessoa idosa que trabalhou duro”, padre Lombardi acrescentou.

Bento XVI foi papa durante oito anos e renunciou pouco antes de seu 86 aniversário. Durante seu pontificado, ele fez o mesmo número de viagens que o Beato João Paulo II fez no mesmo espaço de tempo, mas em uma idade bem mais avançada.

Atualmente, ele mora na residência papal de Castel Gandolfo, mas voltará a residir no Vaticano assim que as reformas no mosteiro Mater Ecclesiae forem concluídas em maio.

Desde sua eleição, o Papa Francisco visitou Bento XVI e falou com ele em algumas ocasiões por telefone. Os dois mantém uma relação próxima e cordial.

Fonte: CNA. Tradução e adaptação de Matheus Cajaíba. Link para a matéria em inglês: http://www.catholicnewsagency.com/news/vatican-spokesman-denies-report-that-benedict-xvi-is-ill/

Histórico encontro entre Papa Francisco e Bento XVI: “Somos irmãos”

208925_384370521671001_2021183676_n
Papa Francisco e Papa emérito Bento XVI em encontro histórico

Castel Gandolfo (RV) – O Papa Francisco encontrou-se neste sábado, 23, pela primeira vez com seu predecessor, o Papa emérito, Bento XVI, em Castel Gandolfo, nas proximidades de Roma. Ao meio-dia Francisco se dirigiu de helicóptero à pequena cidade para o encontro com o Papa emérito onde almoçaram juntos num fato sem precedentes na história da Igreja.

Após um voo de 20 minutos o Papa Francisco aterrissou no heliporto das Vilas Pontifícias de Castel Gandolfo, acolhido pelo Papa emérito Bento XVI. Presentes também o Bispo de Albano, Dom Marcello Semeraro e Saverio Petrillo, Diretor das Vilas Pontifícias e Dom Georg Gänswein. Papa Francisco e Bento XVI utilizaram o mesmo automóvel para chegar até a Residência Pontifícia.

Segundo o Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Padre Federico Lombardi, o helicóptero papal aterrissou às 12h15, hora de Roma. O Santo Padre estava acompanhado pelo Substituto da Secretaria de Estado, Dom Becciu, por Mons. Sapienza e por Mons. Alfred Xuereb.

Apenas o Papa tocou terra, Bento XVI se aproximou dele e houve um abraço belíssimo entre os dois, disse Pe. Lombardi. Na Residência Apostólica os dois protagonistas deste histórico encontro foram até o apartamento e imediatamente à capela para um momento de oração.

Na capela, o Papa emérito ofereceu o lugar de honra a Papa Francisco, mas esse disse: “Somos irmãos”, e pediu que se ajoelhassem juntos no mesmo banco, contou Pe. Lombardi. Após um breve momento de oração, se dirigiram para a Biblioteca privada, e por volta das 12h30, teve início o encontro reservado que durou cerca de 45 minutos.

Padre Lombardi destacou ainda que o Papa emérito estava vestindo uma simples batina branca, sem faixa e sem capa; ao invés Papa Francisco usou uma batina branca com faixa e capa.
Presentes ainda no almoço os dois secretários, portanto, Dom Georg e Mons. Xuereb.

Padre Lombardi referiu também que Papa Francisco presenteou Bento XVI com um ícone de Nossa Senhora da Humildade. O Santo Padre explicou a Bento XVI que “esta Nossa Senhora é a da Humildade, e eu pensei no senhor e quis dar-lhe um presente pelos muitos exemplos de humildade que nos deu durante o seu Pontificado”, destacou Papa Francisco.

Desde o dia 28 de fevereiro, Bento XVI reside neste local, onde acompanhou a eleição do Cardeal Bergoglio como Sumo Pontífice, e aguarda o fim das reformas no mosteiro Mater Ecclesiae dentro do Vaticano.

Papa Francisco, nos seus discursos, tem manifestado palavras de afeto a Bento XVI, chamando-o, seguidamente de “meu Predecessor, o querido e venerado Papa Bento XVI”.

Já na sua primeira aparição no balcão central da Basílica de São Pedro disse “Rezemos pelo nosso Bispo emérito Bento XVI. Rezemos todos juntos por ele, para que o Senhor o abençoe e a Virgem Maria o proteja”.

Após o almoço Papa Francisco retornou ao Vaticano. (SP)

Veja as fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fonte: Rádio Vaticano

Vaticano lança brasão e lema do Papa Francisco

 (ACI/EWTN Noticias).- O Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Padre Federico Lombardi, explicou na manhã desta segunda-feira que o escudo do Papa Francisco é essencialmente o mesmo de quando era Arcebispo e que seu lema é “Miserando atque eligendo”, que pode traduzir-se como “Olhou-o com misericórdia e o escolheu” ou “Amando-o escolheu-o”.

Nos traços essenciais o Papa Francisco decidiu conservar o mesmo emblema que manteve desde sua consagração episcopal, particularmente caracterizado pela simplicidade.

O escudo azul aparece coroado pelos símbolos da dignidade pontifícia iguais àqueles escolhidos por seu predecessor Bento XVI: a mitra colocada ao centro e no alto com as chaves entrecruzadas, uma representada com a cor do ouro e a outra com o da prata, unidas (na parte baixa da imagem) por um laço vermelho.

Em alto, aparece o emblema da Companhia de Jesus (os jesuítas), sua famíliaespiritual: um sol radiante com, ao centro e letras vermelhas, a inscrição IHS, o monograma de Cristo. Sobre a letra H se apoia a cruz, em ponta, com os três pregos em negro colocados à base.

Na parte inferior se vê a estrela e a flor de nardo. A estrela, seguindo a antiga tradição heráldica, simboliza a Santíssima Virgem Maria, Mãe de Cristo e daIgreja; enquanto a flor de nardo evoca a figura de São José, o patrono da Igreja universal cuja festa se celebra neste 19 de março, dia da inauguração do pontificado.

Na tradição iconográfica hispânica São José aparece representado com um ramo de flor de nardo na mão. Ao colocar em seu escudo estas imagens, o Papa quis expressar sua própria e particular devoção à Virgem e São José.

O lema

O lema do Santo Padre Francisco foi tomado das Homilias de São Beda o Venerável sacerdote (Hom. 21; CCL 122, 149-151), quem, comentando o episódio evangélico da vocação de São Mateus, escreve:

“Vidit ergo lesus publicanum et quia miserando atque eligendo vidit, ait illi Sequere me”, que evoca a seguinte passagem: “Jesus viu um homem, chamado Mateus, sentado à mesa de pagamento dos impostos, e lhe disse: ‘segue-me’. O viu mais com o olhar interno de seu amor que com os olhos corporais. Jesus viu o publicano, e o viu com misericórdia, escolhendo-o, (miserando atque eligendo), e lhe disse Siga-me, ‘Segue-Me, que quer dizer: ‘imite-Me’. Disse-lhe “Me siga”, mais que com seus passos, com seu modo de obrar. Porque, quem diz que está sempre em Cristo deve andar continuamente como ele e andou”.

A homilia de São Beda o Venerável, presbítero é uma comemoração à misericórdia divina e aparece reproduzida na Liturgia das Horas na festa de São Mateus que reveste de um significado ainda mais particular na vida e no itinerário espiritual do Papa.

Na festa de São Mateus de1953, o jovem Jorge Mario Bergoglio experimentou –à idade de 17 anos- em um modo muito particular, a presença amorosa de Deus em sua vida. Depois e depois de uma confissão, sentiu-se tocado no coração e advertiu que sobre si mesmo descendia a misericórdia de Deus, quem com olhar de tenro amor, chamava-o à vida religiosa na Companhia de Jesus, fundada por São Ignácio de Loyola.

Uma vez Bispo, o então Dom Bergoglio, em lembrança desse momento que o marcou profundamente, decidiu escolher como lema a expressão de São Beda “miserando atque eligendo” que quis reproduzir posteriormente também no próprio escudo pontifício.

Conclave começa na terça, dia 12

Conclave08032013

Na oitava Congregação Geral, realizada na tarde desta sexta-feira, 08 de março, o Colégio Cardinalício decidiu a data de início do Conclave que vai eleger o novo papa. Nesta terça, dia 12 de março, os 115 cardeais eleitores iniciam os trabalhos. No período da manhã, na Basílica de São Pedro, será celebrada a Missa ‘Pro eligendo Pontifice’ e na parte da tarde ocorre a entrada dos Cardeais na Capela Sistina. Os primeiros escrutínios já deverão se realizar na tarde do mesmo dia.

Mesmo com a data do Conclave confirmada, o Colégio Cardinalício realizará mais uma Congregação Geral neste sábado. O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, declarou em coletiva que os cardeais não po

Ainda segundo o padre Lombardi, os cardeais não terão que passar por revista para entrar na Capela Sistina. Apenas os funcionários e demais pessoas devem ter de se submeter a um detector de dispositivos. Durante o período de reclusão para a escolha do novo Papa, os cardeais poderão se confessar.derão receber informações externas durante o Conclave, nem poderão ler jornais, ouvir rádio, assistir à TV ou acessar a internet, como prevê a Constituição Apostólica Universi Dominici Gregis. Serão instalados bloqueadores de comunicação para impedir o uso de equipamentos e dispositivos eletrônicos, como celulares, da mesma forma como já ocorre na Sala dos Sínodos, onde têm ocorrido as congregações gerais.

Participarão do Conclave 115 cardeais, sendo necessário o voto favorável de 77 purpurados para eleger o Papa, ou seja, os 2/3 dos votantes.

O impostor: falso bispo tenta invadir conferência pré-conclave

(ACI/EWTN Noticias).- Um homem identificado como Ralph Napierski, que vestia um traje imitando o de um Bispo católico, fracassou em sua tentativa de ingressar na manhã de ontem à Sala Nova do Sínodo no Vaticano, onde se realizou a primeira Congregação Geral do Colégio Cardenalício.

Conforme informou a imprensa internacional, Napierski foi rapidamente descoberto por seus sapatos esportivos pretos, a documentação falsa e o anel de bijuteria que usava, por isso foi expulso do lugar.

No passado, Napierski falsificou documentos para identificar-se como bispo, e criou uma falsa congregação católica chamada “Corpus Dei” na Internet, cuja página Web utiliza para burlar-se da Igreja Católica.

Ao ser consultado a respeito, o porta-voz da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, assegurou à imprensa que todos os Cardeais presentes na manhã da primeira Congregação Geral eram “verdadeiros”.

ppnapierski

Curiosidade: Como chamar o Papa Bento XVI depois da renuncia

O Papa Bento XVI poderá continuar sendo chamado de Bento XVI após sua renúncia. Isso foi o que disse o porta voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, durante coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira, 14, no Vaticano.

Respondendo aos jornalistas que indagavam sobre a forma como se referir ao Papa no futuro, Padre Lombardi explicou que “ainda não se tem clareza” se será “Bispo emérito de Roma”. Mas quanto ao nome “Bento XVI”, esclareceu que é um título ao qual não pode renunciar.
papa
“Penso poder reiterar que Bento XVI é um título ao qual não pode renunciar: é o seu nome como Papa, que levou para toda a Igreja e para todo o mundo oficialmente, por oito anos. Então certamente nós continuaremos a poder dizer que é Bento XVI. Isto não muda e não pode evidentemente mudar!”, disse o porta voz.

Sobre a viagem do Papa após 28 de fevereiro, ele explicou que serão Dom George Gaenswein, que permanece prefeito da Casa Pontifícia, e as “leigas consagradas da família pontifícia”, que já se ocupam da vida cotidiana do Papa, a acompanhá-lo primeiro para Castel Gandolfo, depois para o Vaticano.

O porta voz também explicou que os cardeais que vão chegar ao Vaticano estarão a partir de 1º de março, não antes disso, na Casa Santa Marta. Ele confirmou que o conclave iniciará entre 15 e 20 de março, “a data será comunicada durante a sede vacante” e que seja o Cardeal Walter Kasper seja o Cardeal Severino Poletto poderão participar, porque completarão 80 anos em março. O limite previsto para o voto é para quem já completou esta idade no primeiro dia da sede vacante.

Com relação ao encontro do Papa com os párocos e sacerdotes de Roma, realizado também nesta quinta-feira, padre Lombardi disse aos jornalistas que foi um “testemunho único do Concílio Vaticano II”. Mais uma vez, ele voltou a reiterar que a renúncia do Pontífice aconteceu por motivos de envelhecimento e que nem a queda durante a viagem ao México nem outras motivações influíram sobre sua decisão.

fonte Canção Nova

Padre Lombardi oferece mais detalhes sobre renúncia do Papa

Padre Federico Lombardi

(ACI/EWTN Noticias).- Em uma conferência de imprensa na Sala Stampa do Vaticano, o porta-voz da Santa Sé, Padre Federico Lombardi, ofereceu à imprensa mais informações a respeito do anúncio da renúncia ao ministério petrino de Bento XVI, feito neste 13 de fevereiro pelo próprio Santo Padre em um consistório no Vaticano.

Pe. Lombardi citando o Cânon § 332 do código de direito canônico, que prevê a possibilidade que o Romano Pontífice renuncie de seu ofício.

No 28 de fevereiro às 20h, horário de Roma, o Papa vai se retirar oficialmente. A partir desse momento o período de “sede vacante”, terá início.

Em sua entrevista com Peter Seewald, o Santo Padre havia dito sobre a possibilidade de que um Papa renuncie. Quando um Papa chega à conclusão de que ele não pode mais realizar a missão confiada a ele, “ele pode e deve renunciar”, dizia o Papa ao jornalista alemão.

Lombardi prometeu mais detalhes nos próximos dias sobre como vai ser organizado o conclave que elegerá um novo Papa.

De acordo com o Pe. Lombardi, o Papa irá para Castel Gandolfo e depois ele se transladaria para um mosteiro dentro do Vaticano (habitado até agora por freiras de clausura) para uma vida de oração.

“Ele não vai, obviamente, participar do Conclave”, afirmou o porta-voz.

“O Papa deixará o cargo e os preparativos para o Conclave terão início”, disse o Pe. Lombardi. Por enquanto, tudo o que o Pe. Lombardi pôde afirmar é que o conclave teria início em março, e que a Igreja poderia ter um novo papa no tempo da Páscoa.

O anúncio de Bento no final do Consistório público para a promulgação da causa de três novos santos, foi como “um trovão em céu sereno”, afirmou o decano do Colégio Cardinalício, o Cardeal Angelo Sodano, em declarações reunidas pela Rádio Vaticano.

O anúncio foi feito em latim, e ao tomar a palavra, o Card. Sodano disse: “Santidade, recebemos sua mensagem quase que completamente incrédulos. Permita-me dizer-lhe, em nome de todos os seus colaboradores, que estamos mais do que nunca solidários com o senhor, como estivemos nesses luminosos oito anos do seu pontificado”.

O Decano do colégio cardinalício afirma que antes de 28 de fevereiro, dia em que Bento XVI deseja concluir seu serviço como Papa, “teremos modo de expressar-lhe melhor os nossos sentimentos”. “Certamente, as estrelas no céu continuam sempre brilhando e assim brilhará sempre em meio a nós a estrela do seu pontificado”, concluiu o Cardeal que ofereceu ao Pontífice um longo e caloroso abraço.

Ouça a renuncia do Papa AQUI

Habemus twitter papal: Papa abrirá conta no microblog dia 03 de dezembro

(ACI/EWTN Noticias).- O Papa Bento XVI estreará sua conta pessoal de Twitter em dezembro. Para o lançamento está programada uma conferência de imprensa no Vaticano na segunda-feira, 03/12.

Na coletiva de imprensa estarão presentes o Presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, Dom Claudio Maria Celli, o Secretário desse dicastério, Mons. Paul Tighe, o porta-voz vaticano, Padre Federico Lombardi, o diretor de L´Osservatore Romano, Gian Maria Vian, e o novo assessor de comunicação da Secretaria de Estado vaticana, Greg Burke.

Representando a rede social Twitter também estará presente na conferência de imprensa a sua Diretora de Inovação Social, a doutora Claire Diaz-Ortiz.

No último 9 de novembro, o Padre Lombardi explicou ao grupo ACI que “estivemos falando há algum tempo sobre ter (uma conta de) Twitter em representação do Papa”.

Embora na conta o Papa não escreverá pessoalmente as mensagens, elas contarão com sua aprovação.

Os tweets estarão em cinco ou seis idiomas. Acredita-se também que algumas das mensagens estarão escritas em latim, o idioma oficial da Igreja Católica.

O Santo Padre já usou Twitter antes, quando inaugurou o novo site de notícias do Vaticano. Naquela oportunidade escreveu: “Queridos amigos, acabo de lançar news.va. Louvado seja Jesus Cristo! Com minha oração e bênção, Benedictus XVI”.

Sobre a conta do Papa, um funcionário do Vaticano disse ao Newsmax que “os tweets serão pouco frequentes e seu conteúdo provavelmente não será muito diferente dos seus textos e em muitas ocasiões apontarão às coisas que o Papa diz”.

O Papa a Obama após ganhar eleições: Justiça e liberdade devem guiar os EUA

 (ACI/EWTN Noticias).- O Papa Bento XVI enviou uma mensagem ao presidente reeleito dos Estados Unidos, Barack Obama, na qual o alenta a que os ideais de liberdade e justiça guiem os caminhos dessa nação.

O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, informou hoje que o Santo Padre fez estas afirmações em uma mensagem enviada a Obama através da Nunciatura Apostólica nos Estados Unidos.

No texto, disse o sacerdote jesuíta, o Papa expressa seus melhores desejos ao Presidente para o novo mandato e assegura suas orações a Deus para que lhe assista em suas importantes responsabilidades para com seu país e a comunidade internacional, e para que os ideais de liberdade e justiça que guiaram aos fundadores dos Estados Unidos da América continuem resplandecendo no caminhar da nação.

O Padre Lombardi comentou depois, ante as perguntas dos jornalistas, que “como todos sabemos, a tarefa do Presidente dos Estados Unidos é de grande responsabilidade, não só para seu grande país, mas também para todo o mundo, dado o papel dos Estados Unidos no âmbito internacional”.

“Por isso, todos desejamos ao presidente Obama que responda às expectativas que seus concidadãos esperam, para que possa servir à justiça e a justiça para o bem e o crescimento de cada pessoa em respeito dos valores humanos e espirituais essenciais na promoção da cultura da vida e da liberdade religiosa”, concluiu.