Arquivo da tag: ferreria

As lições espirituais da Copa das Confederações

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz
Bispo Diocesano de Campos

A Copa das Confederações foi ganha pelo Bras¬¬il, esta edição da Copa teve características atípicas e inéditas que nos fazem pensar e refletir. Uma primeira consideração a fazer que foi a primeira vez que o foco da atenção do pais não esteve no campo do jogo mas nas ruas.

A paixão pelo futebol do povo brasileiro deixou espaço para o protesto, o comentário não foram as jogadas do time da seleção mas o time do povo, os jovens que tomaram as cidades do pais sendo jogadores de outra copa, sem duvida mais importante porque define a vida de todos.  Por primeira vez os governantes descobriram atônitos que não basta investir pesadas somas e quantias de dinheiro no padrão FIFA da Copa  para agradar ao povo, mas estar mais perto e cientes das demandas do dia a dia, na saúde, educação e segurança.

O povo acordou e sentiu-se arbitro, ator principal, expressando claramente aquilo que não quer, transporte público de péssima qualidade, impunidade, corrupção, venalidade e descaso na administração pública. O brado e o grito das ruas é certamente impreciso, desfocado, sem prioridades, mas sincero e autêntico, também com a presença infeliz de provocadores que incitam a atos de violência.

No entanto, ignorá-lo seria alienar-se de um verdadeiro sentimento popular de repulsa e de uma indignação visceral com a banalização da mediocridade, do mal e da prática maquiavélica do exercício do poder. Estamos contentes com a conquista da Copa, pois nossa seleção apresentou um time que prioriza o trabalho de equipe, o coletivo, o grupo como família, só assim nos tornamos merecedores de aspirar a objetivos e vitórias transcendentes.

Quem sabe o Brasil todo vira o jogo e se torna uma equipe campeã, no certame da vida pública, no desenvolvimento integral para todos/as, na luta contra a corrupção e a miséria, ganhando a Copa da educação, da cidadania, construindo um poder-serviço e uma democracia participativa realmente eficaz.

Deus seja louvado!

A visão cristã sobre o meio ambiente

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz
Bispo de Campos (RJ)

Dia 05 de junho a humanidade celebra e comemora o dia mundial do meio ambiente. Faz-se necessária uma reflexão e um discernimento, para podermos colaborar com a preservação da integridade do planeta.

Trata-se de uma questão profundamente espiritual que procede do mandato divino do Gênesis de cuidar e transformar a Terra. Alguns pensadores atuais atribuem a uma interpretação equivocada desta missão, focalizada no domínio predatório e abusivo que gerou a atual crise ecológica. Esquecem que foi o iluminismo racionalista do século XVIII, que separou a razão da fé, e começou a conceber a terra como um mecanismo, uma máquina que com a revolução industrial se converterá em matéria prima e mercadoria de troca.

O cristianismo não vê oposição entre ciência, ação humana e cuidado da terra, como certos ambientalistas radicais que diagnosticam o fim da espécie humana como uma única saída para salvar a terra. Mais, acreditamos que com a sabedoria do Evangelho, somos capazes de amar, cuidar e proteger as criaturas que Deus nos confiou, optando por um desenvolvimento integral, solidário e sustentável.

Um crescimento qualitativo em consciência, e inteligência cordial e espiritual, que resgate o olhar para a criação como um dom divino, como a Casa que o Pai nos entregou para vivermos com alegria, partilha, simplicidade e sobriedade, incluindo e acolhendo a todas as pessoas, respeitando a vida de todos os seres.

Também nossa fé cristã, nos liberta de considerar a terra como uma deusa, ou como a quarta pessoa da Trindade Santa, o cosmocentrismo leva a desvios, como o de querer substituir a Carta da Declaração dos Direitos Humanos pela Carta da Terra; o ser humano Imago Dei (imagem de Deus) foi instituído pelo Criador, gerente, cuidador e jardineiro da Terra, com uma dignidade intrínseca e específica. Que São Francisco, padroeiro da Ecologia nos ajude a viver a fraternidade universal com todas as criaturas e a cuidar com ternura e bondade da criação. Deus seja louvado !