Hoje é dia da Imaculada Conceição

Hoje celebramos a Solenidade da Imaculada Conceição. E temos um carinho muito grande com Maria neste dia. Foi neste dia que retornamos as atividades do blog e seguimos aqui evangelizando. Sei que as vezes falhamos, mas é parte do caminhar cair e levantar. Desejamos a todos neste dia que Maria, imaculada, abençoe a cada leitor e sua família.

Queremos, além de relembrar a história da Imaculada Conceição, nossa mãe Maria, estabelecer que ela é nossa padroeira. O blog Anunciador se consagra a Imaculada Conceição.

Obrigado Mãe por tantas bençãos alcançadas!

Conheça a história da Imaculada Conceição

Esta verdade, reconhecida pela Igreja de Cristo, é muito antiga. Muitos padres e doutores da Igreja oriental, ao exaltarem a grandeza de Maria, Mãe de Deus, usavam expressões como: cheia de graça, lírio da inocência, mais pura que os anjos.

Já a Igreja ocidental, que sempre muito amou a Santíssima Virgem, tinha uma certa dificuldade para a aceitação do mistério da Imaculada Conceição. Em 1304, o Papa Bento XI reuniu na Universidade de Paris uma assembleia dos doutores mais eminentes em Teologia, para terminar as questões de escola sobre a Imaculada Conceição da Virgem.

Foi o franciscano João Duns Escoto quem solucionou a dificuldade ao mostrar que era sumamente conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois a Santíssima Virgem era destinada a ser mãe do seu Filho. Isso é possível para a Onipotência de Deus, portanto, o Senhor, de fato, a preservou, antecipando-lhe os frutos da redenção de Cristo.

Rapidamente a doutrina da Imaculada Conceição de Maria, no seio de sua mãe Sant’Ana, foi introduzido no calendário romano. A própria Virgem Maria apareceu em 1830 a Santa Catarina Labouré pedindo que se cunhasse uma medalha com a oração: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”. 

A confirmação do Dogma

No dia 8 de dezembro de 1854, através da bula Ineffabilis Deus do Papa Pio IX, a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma: “Maria isenta do pecado original”.

A própria Virgem Maria, na sua aparição em Lourdes, em 1858, confirmou a definição dogmática e a fé do povo dizendo para Santa Bernadette e para todos nós:

“Eu Sou a Imaculada Conceição”.

Nossa Senhora da Imaculada Conceição, rogai por nós! 

Por Marquione Ban | Texto retirado do site Canção Nova

Hoje é dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição

8 de Dezembro
Mais do que memória ou festa de um dos santos de Deus, neste dia estamos solenemente comemorando a Imaculada Conceição de Nossa Senhora, a Rainha de todos os santos.
Esta verdade, reconhecida pela Igreja de Cristo, é muito antiga. Muitos padres e doutores da Igreja oriental, ao exaltarem a grandeza de Maria, Mãe de Deus, usavam expressões como: cheia de graça, lírio da inocência, mais pura que os anjos.

A Igreja ocidental, que sempre muito amou a Santíssima Virgem, tinha uma certa dificuldade para a aceitação do mistério da Imaculada Conceição. Em 1304, o Papa Bento XI reuniu na Universidade de Paris uma assembleia dos doutores mais eminentes em Teologia, para terminar as questões de escola sobre a Imaculada Conceição da Virgem. Foi o franciscano João Duns Escoto quem solucionou a dificuldade ao mostrar que era sumamente conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois a Santíssima Virgem era destinada a ser mãe do seu Filho. Isso é possível para a Onipotência de Deus, portanto, o Senhor, de fato, a preservou, antecipando-lhe os frutos da redenção de Cristo.
Rapidamente a doutrina da Imaculada Conceição de Maria, no seio de sua mãe Sant’Ana, foi introduzido no calendário romano. A própria Virgem Maria apareceu em 1830 a Santa Catarina Labouré pedindo que se cunhasse uma medalha com a oração: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”. 
No dia 8 de dezembro de 1854, através da bula Ineffabilis Deus do Papa Pio IX, a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma: “Maria isenta do pecado original”.
A própria Virgem Maria, na sua aparição em Lourdes, em 1858, confirmou a definição dogmática e a fé do povo dizendo para Santa Bernadette e para todos nós: “Eu Sou a Imaculada Conceição”. 
Nossa Senhora da Imaculada Conceição, rogai por nós!

Hoje é dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Viva a Nossa Senhora!!!!

Hoje é dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Nossa Senhora sem pecado original. Foi neste dia que tomei a decisão de retomar as publicações deste blog, que a princípio era apenas um trabalho acadêmico. Me assustei ao entrar em um dia 08 de dezembro na plataforma de edição do blog e me deparar que um post de um ano atrás, referente a missa de Nossa Senhora da Imaculada Conceição em minha paróquia, ter atingido um alto número de visualizações. Por causa disso, as bençãos de Maria, entendi que tinha de evangelizar pela internet.

Hoje, não só celebro o dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, mas também o dia da padroeira deste blog. Anunciar Jesus é nossa missão. Viva a Maria, concebida sem pecado original. Pura virgem, nossa mãe e mãe de Deus.

Imaculada Conceição

Conheça a história de Nossa Senhora da Imaculada Conceição: 

Mais do que memória ou festa de um dos santos de Deus, neste dia estamos solenemente comemorando a Imaculada Conceição de Nossa Senhora, a Rainha de todos os santos.

Esta verdade, reconhecida pela Igreja de Cristo, é muito antiga. Muitos padres e doutores da Igreja oriental, ao exaltarem a grandeza de Maria, Mãe de Deus, usavam expressões como: cheia de graça, lírio da inocência, mais pura que os anjos.

A Igreja ocidental, que sempre muito amou a Santíssima Virgem, tinha uma certa dificuldade para a aceitação do mistério da Imaculada Conceição. Em 1304, o Papa Bento XI reuniu na Universidade de Paris uma assembleia dos doutores mais eminentes em Teologia, para terminar as questões de escola sobre a Imaculada Conceição da Virgem. Foi o franciscano João Duns Escoto quem solucionou a dificuldade ao mostrar que era sumamente conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois a Santíssima Virgem era destinada a ser mãe do seu Filho. Isso é possível para a Onipotência de Deus, portanto, o Senhor, de fato, a preservou, antecipando-lhe os frutos da redenção de Cristo.

Rapidamente a doutrina da Imaculada Conceição de Maria, no seio de sua mãe Sant’Ana, foi introduzido no calendário romano. A própria Virgem Maria apareceu em 1830 a Santa Catarina Labouré pedindo que se cunhasse uma medalha com a oração: “Ó Mariaconcebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”.

No dia 8 de dezembro de 1854, através da bula Ineffabilis Deus do Papa Pio IX, a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma: “Maria isenta do pecado original”.

A própria Virgem Maria, na sua aparição em Lourdes, em 1858, confirmou a definição dogmática e a fé do povo dizendo para Santa Bernadette e para todos nós: “Eu Sou a Imaculada Conceição”.

Nossa Senhora da Imaculada Conceição, rogai por nós!

Imaculada Conceição: viva mãe de Deus e nossa

Hoje é dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Nossa Senhora sem pecado original. Foi neste dia que tomei a decisão de retomar as publicações deste blog, que a princípio era apenas um trabalho acadêmico. Me assustei ao entrar em um dia 08 de dezembro na plataforma de edição do blog e me deparar que um post de um ano atrás, referente a missa de Nossa Senhora da Imaculada Conceição em minha paróquia, ter atingido um alto número de visualizações. Por causa disso, as bençãos de Maria, entendi que tinha de evangelizar pela internet.

Hoje, não só celebro o dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, mas também o dia da padroeira deste blog. Anunciar Jesus é nossa missão. Viva a Maria, concebida sem pecado original. Pura virgem, nossa mãe e mãe de Deus.

Imaculada Conceição
Salve Maria, mãe de Deus e nossa!

Conheça a história de Nossa Senhora da Imaculada Conceição: 

Mais do que memória ou festa de um dos santos de Deus, neste dia estamos solenemente comemorando a Imaculada Conceição de Nossa Senhora, a Rainha de todos os santos.

Esta verdade, reconhecida pela Igreja de Cristo, é muito antiga. Muitos padres e doutores da Igreja oriental, ao exaltarem a grandeza de Maria, Mãe de Deus, usavam expressões como: cheia de graça, lírio da inocência, mais pura que os anjos.

A Igreja ocidental, que sempre muito amou a Santíssima Virgem, tinha uma certa dificuldade para a aceitação do mistério da Imaculada Conceição. Em 1304, o Papa Bento XI reuniu na Universidade de Paris uma assembleia dos doutores mais eminentes em Teologia, para terminar as questões de escola sobre a Imaculada Conceição da Virgem. Foi o franciscano João Duns Escoto quem solucionou a dificuldade ao mostrar que era sumamente conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois a Santíssima Virgem era destinada a ser mãe do seu Filho. Isso é possível para a Onipotência de Deus, portanto, o Senhor, de fato, a preservou, antecipando-lhe os frutos da redenção de Cristo.

O Dogma

Rapidamente a doutrina da Imaculada Conceição de Maria, no seio de sua mãe Sant’Ana, foi introduzido no calendário romano. A própria Virgem Maria apareceu em 1830 a Santa Catarina Labouré pedindo que se cunhasse uma medalha com a oração:

 “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”.

No dia 8 de dezembro de 1854, através da bula Ineffabilis Deus do Papa Pio IX, a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma: Maria isenta do pecado original“.

A própria Virgem Maria, na sua aparição em Lourdes, em 1858, confirmou a definição dogmática e a fé do povo dizendo para Santa Bernadette e para todos nós: “Eu Sou a Imaculada Conceição”.

Nossa Senhora da Imaculada Conceição, rogai por nós!

Missa em devoção

Hoje a comunidade Imaculada Conceição encerra o tríduo e grande festa à Nossa Senhora da Imaculada Conceição.  A missa vai ser presidida pelo Padre Efferson Andrade.  As comemorações começaram a partir das 19h com a oração do Ofício. A comunidade Imaculada Conceição fica localizada no Bairro Caçula, na Av Guido Marlieri com Av Roberto Burle Marx, próximo ao Trevo do Panorama.  Participe!

Imaculada Conceição: viva mãe de Deus e nossa

Hoje é dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Nossa Senhora sem pecado original. Foi neste dia que tomei a decisão de retomar as publicações deste blog, que a princípio era apenas um trabalho acadêmico. Me assustei ao entrar em um dia 08 de dezembro na plataforma de edição do blog e me deparar que um post de um ano atrás, referente a missa de Nossa Senhora da Imaculada Conceição em minha paróquia, ter atingido um alto número de visualizações. Por causa disso, as bençãos de Maria, entendi que tinha de evangelizar pela internet.

Hoje, não só celebro o dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, mas também o dia da padroeira deste blog. Anunciar Jesus é nossa missão. Viva a Maria, concebida sem pecado original. Pura virgem, nossa mãe e mãe de Deus.

Imaculada Conceição
Salve Maria, mãe de Deus e nossa!

Conheça a história de Nossa Senhora da Imaculada Conceição: 

Mais do que memória ou festa de um dos santos de Deus, neste dia estamos solenemente comemorando a Imaculada Conceição de Nossa Senhora, a Rainha de todos os santos.

Esta verdade, reconhecida pela Igreja de Cristo, é muito antiga. Muitos padres e doutores da Igreja oriental, ao exaltarem a grandeza de Maria, Mãe de Deus, usavam expressões como: cheia de graça, lírio da inocência, mais pura que os anjos.

A Igreja ocidental, que sempre muito amou a Santíssima Virgem, tinha uma certa dificuldade para a aceitação do mistério da Imaculada Conceição. Em 1304, o Papa Bento XI reuniu na Universidade de Paris uma assembleia dos doutores mais eminentes em Teologia, para terminar as questões de escola sobre a Imaculada Conceição da Virgem. Foi o franciscano João Duns Escoto quem solucionou a dificuldade ao mostrar que era sumamente conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois a Santíssima Virgem era destinada a ser mãe do seu Filho. Isso é possível para a Onipotência de Deus, portanto, o Senhor, de fato, a preservou, antecipando-lhe os frutos da redenção de Cristo.

O Dogma

Rapidamente a doutrina da Imaculada Conceição de Maria, no seio de sua mãe Sant’Ana, foi introduzido no calendário romano. A própria Virgem Maria apareceu em 1830 a Santa Catarina Labouré pedindo que se cunhasse uma medalha com a oração:

 “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”.

No dia 8 de dezembro de 1854, através da bula Ineffabilis Deus do Papa Pio IX, a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma: Maria isenta do pecado original“.

A própria Virgem Maria, na sua aparição em Lourdes, em 1858, confirmou a definição dogmática e a fé do povo dizendo para Santa Bernadette e para todos nós: “Eu Sou a Imaculada Conceição”.

Nossa Senhora da Imaculada Conceição, rogai por nós!

Missa em devoção

Hoje a comunidade Imaculada Conceição encerra o tríduo e grande festa à Nossa Senhora da Imaculada Conceição.  A missa vai ser presidida pelo Padre Aloísio Viera.  As comemorações começaram a partir das 19h com a oração do Ofício.

A comunidade Imaculada Conceição fica localizada no Bairro Caçula, na Av Guido Marlieri com Av Roberto Burle Marx, próximo ao Trevo do Panorama.  Participe!

Festa em devoção a Imaculada Conceição em Ipatinga-MG

Imaculada ConceiçãoA comunidade católica do bairro Caçula está em festa. Entre os dias 5 e 8/12 os fiéis estarão reunidos para rezarem em devoção a Imaculada Conceição, padroeira da comunidade.

As celebração começa no dia 5/12, com a Santa Missa presidida pelo Padre Zezinho. Este dia tem como tema “Maria Modelo de Fé paras as Famílias”. Já no dia 6/12, sob o tema “Maria, caminho perfeito que nos leva a Fé” o padre Jefferson Veronês celebra a Santa Missa. No terceiro dia do tríduo ( 7/12), o tema a ser refletido é “Maria berço da Fé”. Neste dia, a missa será celebrada pelo Padre Aloísio Vieira. Todos os dias as missas começam as 19h com a oração do Oficio à Virgem Maria.

O encerramento do tríduo e grande festa à Nossa Senhora da Imaculada Conceição será no dia 8/12. A missa vai ser presidida pelo Padre Aloísio Viera.  As comemorações começaram a partir das 19h com a oração do Ofício.

A comunidade Imaculada Conceição fica localizada no Bairro Caçula, na Av Guido Marlieri com Av Roberto Burle Marx, próximo ao Trevo do Panorama.  Participe!

Hoje é dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Viva a Nossa Senhora!!!!

Hoje é dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Nossa Senhora sem pecado original. Foi neste dia que tomei a decisão de retomar as publicações deste blog, que a princípio era apenas um trabalho acadêmico. Me assustei ao entrar em um dia 08 de dezembro na plataforma de edição do blog e me deparar que um post de um ano atrás, referente a missa de Nossa Senhora da Imaculada Conceição em minha paróquia, ter atingido um alto número de visualizações. Por causa disso, as bençãos de Maria, entendi que tinha de evangelizar pela internet.

Hoje, não só celebro o dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, mas também o dia da padroeira deste blog. Anunciar Jesus é nossa missão. Viva a Maria, concebida sem pecado original. Pura virgem, nossa mãe e mãe de Deus.

Imaculada Conceição

Conheça a história de Nossa Senhora da Imaculada Conceição: 

Mais do que memória ou festa de um dos santos de Deus, neste dia estamos solenemente comemorando a Imaculada Conceição de Nossa Senhora, a Rainha de todos os santos.

Esta verdade, reconhecida pela Igreja de Cristo, é muito antiga. Muitos padres e doutores da Igreja oriental, ao exaltarem a grandeza de Maria, Mãe de Deus, usavam expressões como: cheia de graça, lírio da inocência, mais pura que os anjos.

A Igreja ocidental, que sempre muito amou a Santíssima Virgem, tinha uma certa dificuldade para a aceitação do mistério da Imaculada Conceição. Em 1304, o Papa Bento XI reuniu na Universidade de Paris uma assembleia dos doutores mais eminentes em Teologia, para terminar as questões de escola sobre a Imaculada Conceição da Virgem. Foi o franciscano João Duns Escoto quem solucionou a dificuldade ao mostrar que era sumamente conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois a Santíssima Virgem era destinada a ser mãe do seu Filho. Isso é possível para a Onipotência de Deus, portanto, o Senhor, de fato, a preservou, antecipando-lhe os frutos da redenção de Cristo.

Rapidamente a doutrina da Imaculada Conceição de Maria, no seio de sua mãe Sant’Ana, foi introduzido no calendário romano. A própria Virgem Maria apareceu em 1830 a Santa Catarina Labouré pedindo que se cunhasse uma medalha com a oração: “Ó Mariaconcebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”.

No dia 8 de dezembro de 1854, através da bula Ineffabilis Deus do Papa Pio IX, a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma: “Maria isenta do pecado original”.

A própria Virgem Maria, na sua aparição em Lourdes, em 1858, confirmou a definição dogmática e a fé do povo dizendo para Santa Bernadette e para todos nós: “Eu Sou a Imaculada Conceição”.

Nossa Senhora da Imaculada Conceição, rogai por nós!

Tríduo em devoção a Imaculada Conceição, em Ipatinga, começa nesta quarta

Imaculada ConceiçãoO tradicional tríduo em devoção a Imaculada Conceição, no bairro Caçula (Ipatinga) começa no dia 05/12, com a missa presidida pelo Pe. Alex Maria, da paróquia São Geraldo (Bom Jardim). No dia 06/12 a missa é por conta do Pe. Jorge, pároco na cidade de João Monlevade. E no dia 07/12 Dom Odiolon, bispo de Itabira/Cel. Fabriaciano é quem preside a missa. A festa de encerramento será no dia 08/12, dia de Imaculada Conceição, presidida pelo Pe. Aloísio Vieira, pároco da paróquia Sagrada Família. Todos os dias as missas serão as 19h30. A comunidade fica localizada à Av. Guido Marliere, saída do trevo do Panorama para o bairro Iguaçu.

Além de missas todos os dias para festejar a mãe de Deus, a comunidade também é convidada a chegar um pouco antes do horário das missas, as 19h, para rezarem o ofício da Imaculada Conceição. Cada dia da festa também será abordado um tema diferente. O primeiro dia é “Maria, intercedei pelas nossas famílias.” No segundo dia, a temática estudada será “Maria, coração transbordante de paz e fé.” O último dia do tríduo o tema é “Maria fortalece a juventude”.

Imaculada Conceição

A igreja católica acredita que Maria não foi escolhida ao acaso. Deus já havia predestinado Nossa Senhora para ser mãe de Jesus. Como é sabido, todos nós nascemos com o pecado original, cometido por Adão e Eva que desobedeceram a Deus e comeram do fruto da árvore proibida. Esse pecado para os católicos não existia em Maria. Por isso o título dado, Imaculada Conceição.

Para os católicos Maria não teve pecado original, era pura, sem maculas. Foi concebida sem que o pecado de Adão e Eva, pais da humanidade a tivesse acometido.  Esse é um dogmas da Igreja, verdades incontestáveis para os católicos.

80 religiosas correm maratona na China por obras de caridade da Igreja

(ACI).- Na terça-feira 27 de novembro 80 religiosas na China correram na Maratona Internacional de Pequim com o fim de divulgar e promover as obras de caridade da Igreja Católica.

Conforme informa a agência vaticana Fides, entre os 30 mil corredores, as religiosas, de 16 províncias chinesas, correram por 30 projetos de caridade relacionados a anciãos, pobres, crianças deficientes, órfãos, entre outras.

Uma destas irmãs foi Yu Chun Jing da Congregação das Almas do Purgatório de Xing Tai, que participa da maratona desde 2009, continua participando da prova até hoje, como confirmou durante uma coletiva de imprensa em 23 de novembro na presença de todos os principais jornais chineses e estrangeiros.
ppfoto281112
Jinde Charity, a organização católica de caridade chinesa que organiza o evento “Corra pelas obras de caridade da Igreja” também se propôs a sensibilizar a comunidade católica de Pequim para promover a iniciativa e o apoio aos seus projetos. Durante uma Missa celebrada no dia 24 de novembro, poucos dias antes das freiras participarem da corrida, na paróquia da Imaculada Conceição, os fiéis recolheram 3 mil dólares americanos para obras caritativas das irmãs.

Além disso, Jinde Charity, entidade caritativa chinesa organizadora de “Corra para as obras caritativas da Igreja” sensibilizou a comunidade católica de Pequim para promover a iniciativa e apoiar os projetos. Durante a missa celebrada em 24 de novembro, na paróquia da Imaculada Conceição, os fiéis arrecadaram 17.399 ¥ (cerca de 2.400 euros).

O site oficial da Maratona dedicou um espaço ao “2012 Run for Charity” com artigos das religiosas que apresentam obras destinadas a pessoas idosas e sós, doentes, crianças com deficiências e órfãos.

Em 2009, apenas 10 religiosas de duas províncias participaram da maratona, por curiosidade; em 2010, apresentaram-se 44 religiosas para 13 projetos de caridade; em 2011, ano que foi lançada oficialmente a iniciativa “Corra pelas obras de caridade da Igreja”, participaram 52 (com 4 sacerdotes e 2 seminaristas) em 14 projetos. Também sete freiras e um sacerdote percorreram todo o percurso de 42.195 km em pouco mais de 5 horas (5 religiosas são da mesma congregação, Servas do Espírito Santo), informou a agência fides.

Todas as “Nossas Senhoras” são a mesma Mãe de Deus: “Nossa Senhora Desatadora dos Nós”

Essa devoção nasceu na Alemanha, em 1700, como Maria Knotenlöserin (do alemão knot, “nó”, e löser, “desatar”). Na época, o presbítero da capela de St. Peter Am Perlach, na cidade de Augsburg, encomendou ao pintor Johann Schmittdner um quadro de Nossa Senhora. Para compor o painel foi buscar inspiração nos dizeres de Santo Irineu, Bispo de Lyon, no Século III: “Eva atou o nó da desgraça para o gênero humano; Maria por sua obediência o desatou”.

Maria é representada como a Imaculada Conceição e encontra-se entre o céu e a terra. O Espírito Santo derrama sua luzes sobre a Virgem. Em sua cabeça vemos 12 estrelas. Um dos anjos entrega-lhe uma faixa com nós grandes e pequenos, separados e juntos. Estes nós simbolizam o pecado original e nossos pecados cotidianos, que impedem de a graça frutificar em nossas vidas. Na parte inferior do quadro vemos que a faixa cai livremente e que um nó está desatado. Há um anjo, um homem e um cachorro que dirigem-se à uma igreja. Parece ser uma referência ao livro de Tobias (6,13) onde este empreende uma longa e penosa viagem quando conhece Sara que já casara sete vezes e que na noite de núpcias seus maridos morriam devido a um demônio que dela se enamorara. Tobias casa-se com ela e volta à casa de seu pai. Isto significa que há de se desatar primeiro os nós para que dois corações venham se encontrar.

Assim, Nossa Senhora Desatadora dos Nós é invocada como aquela que nos ajuda a tirar todos os males de aflições que nos escravizam e nos tornam infelizes e pessimistas, dando-nos a verdadeira liberdade que só seu Filho Nosso Senhor Jesus Cristo pode nos dar.

Dogmas marianos: conheça as verdades de fé sobre Maria

A Igreja possui uma série de verdades de fé, conhecidas como dogmas, em que os católicos devem crer. No total, são 44 dogmas subdivididos em 8 categorias diferentes – sobre Deus; sobre Jesus Cristo; sobre a criação do mundo; sobre o ser humano; sobre o Papa e a Igreja; sobre os sacramentos; sobre as últimas coisas; sobre Maria.

Segundo o doutorando em Mariologia pela Universidade Católica de Dayton (EUA) e membro do Instituto Secular dos Padres de Schoenstatt, Alexandre Awi de Mello, os dogmas na Igreja são verdades salvíficas. “Muitas vezes utiliza-se a palavra dogma como se fosse algo pesado, difícil, mas, na realidade, é uma grande bênção, um presente. São verdades da fé em que cremos e que a Igreja sente necessidade de esclarecer. São verdades que trazem salvação e mensagem de esperança”, salienta.

Os dogmas marianos são alguns dos que levantam as discussões mais acaloradas.  Eles são quatro:

 – Maria, Mãe de Deus

Maria é verdadeiramente Mãe do Deus encarnado, Jesus Cristo. Já nos primeiros três séculos, os Padres da Igreja utilizaram as definições Mater Dei (em latim) ou Theotókos (em grego), que significam Mãe de Deus, tais como Inácio (107), Orígenes (254), Atanásio (330) e João Crisóstomo (400). Essa doutrina foi definida dogmaticamente pelo Terceiro Concílio Ecumênico, realizado em Éfeso, em 431.

“Jesus é plenamente homem e plenamente Deus. Maria foi Mãe deste Deus feito homem, que é Jesus; assim, Maria é Mãe de Deus. É uma realidade que dá fundamento a todas as outras. É uma verdade, em primeiro lugar, sobre Cristo, pois é preciso afirmar que Jesus é verdadeiramente Deus para que possamos falar que Maria é Mãe de Deus”, explica padre Alexandre.

 – Perpétua Virgindade de Maria

Ensina que Maria é virgem antes, durante e depois do parto. É o dogma mariano mais antigo das Igrejas Católica e Oriental Ortodoxa, afirmando a “real e perpétua virgindade mesmo no ato de dar à luz o Filho de Deus feito homem” (Catecismo da Igreja Católica, 499). Essa doutrina foi definida dogmaticamente pelo Concílio de Trento, em 1555, embora já fosse um dogma no cristianismo primitivo, como indicam escritos de São Justino Mártir e Orígenes.

“É uma crença que já está na sagrada Escritura e defende que Maria concebeu Jesus virginalmente, deu à luz virginalmente e assim permaneceu até o final da vida”, ressalta padre Alexandre.

 – Imaculada Conceição de Maria

Defende que a concepção de Maria foi realizada sem qualquer mancha de pecado original, no ventre da sua mãe. Dessa forma, ela foi preservada por Deus do pecado desde o primeiro momento da sua existência, como apontam as palavras do Anjo Gabriel – “sempre cheia de graça divina” – kecaritwmenh, em grego. Essa doutrina foi definida dogmaticamente pelo Papa Pio IX na Constituição Ineffabilis Deus, em 8 de dezembro de 1854.

A festa da Imaculada Conceição de Maria é celebrada em 8 de Dezembro, definida inicialmente em 1476 pelo Papa Sixto IV. Também neste caso, muitos escritos dos Padres da Igreja já defendiam a Imaculada Conceição de Maria, pois era adequado que a Mãe do Cristo estivesse completamente livre do pecado para gerar o Filho de Deus.

 – Assunção de Maria

Indica que a Virgem Maria, ao fim de sua vida terrena, foi elevada em corpo e alma à glória dos céus. Essa doutrina foi definida dogmaticamente pelo Papa Pio XII na Constituição Munificentissimus Deus, em 1º de novembro de 1950.

“Depois de elevar a Deus muitas e reiteradas preces e de invocar a luz do Espírito da Verdade, para glória de Deus onipotente, que outorgou à Virgem Maria sua peculiar benevolência; para honra do seu Filho, Rei imortal dos séculos e vencedor do pecado e da morte; para aumentar a glória da mesma augusta Mãe e para gozo e alegria de toda a Igreja, com a autoridade de nosso Senhor Jesus Cristo, dos bem-aventurados apóstolos Pedro e Paulo e com a nossa, pronunciamos, declaramos e definimos ser dogma divinamente revelado que a Imaculada Mãe de Deus e sempre Virgem Maria, terminado o curso da sua vida terrena, foi assunta em corpo e alma à glória do céu”, indica o Papa.

“É uma verdade em que a Igreja acredita desde os séculos 5 e 6, quando já havia uma celebração da então chamada Dormição de Maria”, complementa padre Alexandre.

noticias.cancaonova.com – Padre, o senhor afirmou que os dogmas são uma bênção para o católico viver a sua fé. Mas há quem questione que os dogmas são apenas uma construção da Igreja ao longo da história. Frente a isso, quais são os principais fundamentos (bíblia, tradição, magistério), ao que a Igreja se reporta para proclamar um dogma?

Padre Alexandre Awi de Mello – Em primeiro lugar, o fundamento de toda a verdade é a própria Sagrada Escritura, que contém as verdades fundamentais da fé e de onde se podem deduzir os dogmas e verdades que a Igreja foi acreditando ao longo dos séculos. Quem acredita são os fiéis e o que o Magistério faz é declarar o que já está na fé do povo. São verdades que são vivas, em primeiro lugar, na fé e na crença do povo cristão. Não é uma invenção da Igreja, mas a explicitação daquilo em que o povo já crê. Os primeiros fundamentos estão na Sagrada Escritura, pois cremos que Deus prometeu o Seu Espírito para guiar a Igreja, que vai confirmando as verdades de fé à medida que aprofunda o seu conteúdo.

Logo no início da Igreja, toda a atenção estava voltada para Cristo, mas, desde muito cedo, também se pergunta sobre de onde veio esse cristo, o que faz parte do próprio pensamento semita de perguntar sobre a identidade de alguém indo a sua origem. Assim, despertou-se o interesse para se saber de onde Ele veio, onde nasceu, e quem é aquela de onde veio o Cristo. No Evangelho de Lucas há muitos elementos – inclusive ele mesmo poderia ter perguntado isso à Mãe de Deus. E isso foi sendo transmitido ao longo da tradição da Igreja, ou seja, as verdades que foram sendo descobertas a respeito de Maria.

A própria Sagrada Escritura tem muitos desses fundamentos: basta citar as Bodas de Caná (Jo 2), que indica o poder intercessor de Maria, a possibilidade que o próprio Jesus lhe dá de interceder pelo bem dos fiéis. No final do texto aparece a menção de que, logo após o milagre das Bodas de Caná, os discípulos creram nele. Esse é o único interesse da intercessão de Maria: Que os discípulos creiam n’Ele, no Seu filho, para fazer a vontade de Jesus. Então, se as pessoas, de alguma maneira, desprezam essa possibilidade que Deus está dando, quem tem a perder são elas próprias.

Dentro do plano de Deus, essa verdade é para a nossa salvação e está assegurada pela tradição e pelos 2000 anos de história da Igreja, que experimenta essa intercessão, esse exemplo e presença de Maria conduzindo a Jesus. Não acolher este dom, que o próprio Jesus deu aos pés da Cruz (Jo 19, 25-27), é justamente perder uma verdade salvífica, um dom de salvação que o próprio Deus nos oferece.

noticias.cancaonova.com  O senhor faz parte do Movimento Apostólico de Schoenstatt, que prima muito pela devoção mariana. Por que podemos afirmar que essa devoção não faz o cristão se aproximar menos de Jesus, mas, ao contrário, auxilia no caminho de encontro com Cristo?

Padre Alexandre – Em primeiro lugar, pela própria experiência. Aqueles que conhecem pessoas que são verdadeiramente marianas, que têm um forte amor a Nossa Senhora, experimentam que o amor a Ela conduz mais fortemente ao coração de Jesus. Maria é aquela que ajuda a formar Cristo em nós, intercede junto a Deus e ao Espírito Santo para que se possa gerar, em nossa vida, a imagem de Jesus, nos fazer pequenos Jesus, como diz o fundador do nosso Movimento, o padre Joseph Kentenich.

Acreditamos que, quanto mais nos assemelhamos a Maria, mais temos condição de viver em união com Cristo. Essa é nossa experiência, como salienta São Luís Maria de Montfort, que afirma que Maria é o caminho mais próximo, direto e imediato para encontrar-se com Jesus.

Na prática, quando as pessoas chegam à intimidade com Maria, não se dirigem a Ela por Ela mesma, mas para que possam chegar a Jesus. Pelo amor a Maria, pela vinculação a Ela, chegam a uma vinculação mais profunda e perfeita com Jesus. Porque imitar as atitudes e virtudes de Maria é fazer o que todo o cristão deve fazer, já que Ela foi pessoa mais próxima de Jesus, que mais aprendeu d’Ele.

Por outro lado, Jesus não quer um cristianismo cristomonista, exclusivo só para Ele. Na sua forma de atuar, Jesus sempre integra o número maior possível de pessoas, de mediadores, para chegar até Ele, que é Mediador com maiúscula por excelência. Por isso existem os sacramentos, os padres, a própria Igreja, Maria, os santos, e tantos outros mediadores com minúscula que conduzem ao Mediador com maiúscula, que é Jesus.

Essa é a forma de atuar de Deus, que quis agir na Sua Igreja e quer continuar atuando até hoje. Por isso, a vinculação a Maria leva a uma vinculação mais profunda com o próprio Cristo e com o Deus Trino.

Fonte Canção Nova

Comunidade do Caçula celebra Imaculada Conceição

Para festejar a padroeira da comunidade, Imaculada Conceição, a comunidade católica do bairro Caçula celebra com missa o dia dedicado à mãe de Deus. A missa vai ser amanhã, dia 08/12, às 19h30, com o padre Aloísio Vieira, pároco da paróquia Sagrada Família de Ipatinga.

Durante três dias a comunidade se preparou com o tríduo. Estiveram celebrando na comunidade o Padre Zezinho, Dom Odilon – bispo de Itabira/Cel. Fabriciano. Hoje à noite, 07, é vez de Padre Jorge, de João Monlevade celebrar o último dia do tríduo.

A comunidade Imaculada Conceição fica localizada à Av. Guido Marliere, trevo do Jardim Panorama sentido Iguaçu.

Nossa Senhora da Imaculada Conceição

Mais do que memória ou festa de um dos santos de Deus, neste dia estamos solenemente comemorando a Imaculada Conceição de Nossa Senhora, a Rainha de todos os santos.

Esta verdade, reconhecida pela Igreja de Cristo, é muito antiga. Muitos padres e doutores da Igreja oriental, ao exaltarem a grandeza de Maria, Mãe de Deus, usavam expressões como: cheia de graça, lírio da inocência, mais pura que os anjos.

A Igreja ocidental, que sempre muito amou a Santíssima Virgem, tinha uma certa dificuldade para a aceitação do mistério da Imaculada Conceição. Em 1304, o Papa Bento XI reuniu na Universidade de Paris uma assembleia dos doutores mais eminentes em Teologia, para terminar as questões de escola sobre a Imaculada Conceição da Virgem. Foi o franciscano João Duns Escoto quem solucionou a dificuldade ao mostrar que era sumamente conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois a Santíssima Virgem era destinada a ser mãe do seu Filho. Isso é possível para a Onipotência de Deus, portanto, o Senhor, de fato, a preservou, antecipando-lhe os frutos da redenção de Cristo.

Rapidamente a doutrina da Imaculada Conceição de Maria, no seio de sua mãe Sant’Ana, foi introduzido no calendário romano. A própria Virgem Maria apareceu em 1830 a Santa Catarina Labouré pedindo que se cunhasse uma medalha com a oração: “Ó Mariaconcebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”.

No dia 8 de dezembro de 1854, através da bula Ineffabilis Deus do Papa Pio IX, a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma: “Maria isenta do pecado original”.

A própria Virgem Maria, na sua aparição em Lourdes, em 1858, confirmou a definição dogmática e a fé do povo dizendo para Santa Bernadette e para todos nós: “Eu Sou a Imaculada Conceição”.

Nossa Senhora da Imaculada Conceição, rogai por nós!

Maria Imaculada: Ministério do amor de Deus pela Humanidade

Padre Stefano Cecchin explica a virgindade de Maria

 Dia 8 de dezembro será celebrada, em todo o mundo Católico, a festa da Imaculada Conceição de Maria, mas quem era Maria? Por que os católicos a veneram tanto? Por que a sua virgindade é tão importante?

O site da ZENIT fez estas e outras perguntas para Padre Stefano Cecchin, da Ordem Franciscana dos Frades Menores (O.F.M), Secretário da Pontifícia Academia Mariana Internacional. (WWW.accademiamariana.org)

Por que é tão importante a virgindade de Maria?

Pe. Cecchin: A virgindade de Maria é um elemento essencial da fé cristã, é a garantia de que Jesus o “filho de Deus” se fez homem no ventre de uma mulher. José, o “esposo de Maria” (Mt,1,20) não é o verdadeiro pai de Jesus. Porque Maria, diz o Evangelho de Mateus, concebeu Jesus sem ter tido nenhum relacionamento com o marido (Mt,1,25). Aquele que foi gerado nela é “obra do Espírito Santo” (Mt,1,20), por essa razão Cristo é  homem, no que diz respeito a humanidade, por ter sido gerado de uma mulher; mas ao mesmo tempo é Deus, por esta gestação ter ocorrido pela ação da Santíssima Trindade em Maria. Maria é verdadeiramente mãe, então Jesus é verdadeiramente homem; Maria é virgem, então Jesus é filho de Deus: está é uma síntese da fé cristã.

Quem era Maria?

Pe.Cecchin: Maria era uma “virgem”, “esposa prometida” de um homem da casa de Davi chamado José (Lc, 1,26). Os Evangelhos não oferecem muitas explicações. Sabemos apenas que era parente de Isabel, considerada descendente de Aarão e então de uma família sacerdotal (Lc 1, 5). Vemos uma mulher inteligente, que antes de dar seu consentimento ao anjo quis entender como Deus a solicita. Sempre atenta à Palavra, preserva e interpreta-a em seu coração. Mãe carinhosa se preocupa com que o menino esteja coberto e na manjedoura. Angustiada procura-o por três dias até que o encontra no templo, entre os doutores: ouvimos as últimas palavras de Maria e as primeiras de Jesus no evangelho de Lucas. Em Caná estava preocupada pelos noivos que ficaram sem vinho, e sem medo se dirige a Jesus convencida de que Ele poderia resolver o problema.

Por isso convida os servos a fazer: “aquilo que Ele vos disser”.  Encontramo-la ao lado do crucifixo, onde a Ela é confiada a Igreja, onde a encontramos depois da ascensão do Senhor junto com os seus discípulos.

Esta é a Maria que conhecemos dos Evangelhos: a mulher sempre disposta a ouvir a Palavra e a colocá-la em prática: o exemplo mais belo de verdadeiro seguidor de Jesus.

Por que esse nome?

Pe. Cecchin: Maria é um nome muito antigo encontrado em diversas línguas do Oriente Médio. Parece que deriva do egípcio Myrhian que significa “princesa”. Outras interpretações traduzem “Altíssima” (nos visitou do alto um sol nascente, ou seja, de Maria), ou também Mareamamor ou ser amado, pelas dores sofridas na Paixão do Filho. Alguns Pais da igreja a interpretam como “estrela do mar”. A Bíblia recorda Miriã, a irmã de Moisés. De qualquer modo, os Evangelhos não nos dão nenhuma explicação sobre o motivo deste nome.

Por que foi escolhida por Deus para trazer ao mundo Jesus?

Pe. Cecchin: Esta questão é respondida pela própria Virgem: “Porque viu a humildade de sua serva” (Lc 1, 48).

Quais são as virtudes dela?

Pe. Cecchini: O beato João Paulo II nos recorda que: “Maria, resplandece como modelo de virtude diante de toda a comunidade dos eleitos” (Redemptoris Mater, 6). Isto porque a Igreja a vê como criatura perfeitamente realizada, enquanto, “ninguém como ela respondeu com um amor tão grande ao amor imenso de Deus” (Pastores dabo vobis, 36). As virtudes dela estão em consonância com a concepção de Jesus, com a sua responsabilidade para fazer crescer em “santidade e graça” aquela criança, com seu caminho de fé que progredia no seguimento de Cristo, até o momento da cruz e a alegria da ressurreição. Maria é a mulher rica de virtudes, porque é plenamente “mulher”, ou seja, é aquela que viveu plenamente a vida humana.

Por que os católicos rezam tanto a Maria?

Pe. Cecchin: Porque são os “discípulos de Jesus” que da cruz indicou que deveriam ter Maria como “Mãe”!

Como explicar a Festa da Imaculada ao mundo de hoje?

Pe.Cecchin: Esta verdade de fé não é fácil de entender! No entanto, é símbolo do amor supremo de Deus que deseja fazer “amizade” com o homem. Após o pecado, de fato, Deus prometeu colocar inimizade entre a mulher e o mal (representado pela serpente), e os seus descendentes. Com a vinda de Cristo essa promessa se realizou. A Mãe do Messias não poderia nunca ter sido a amiga da serpente. E para a missão de mãe do Salvador, Deus lhe concedeu uma graça antecipada em vista de toda a obra de Cristo salvador e redentor que graças ao sim de Maria estava prestes a acontecer.

 Maria, portanto, gozou da nossa própria redenção, mas que para ela ocorreu de maneira diferente para provar que Cristo é verdadeiramente o Redentor perfeitíssimo, cuja redenção age antes e depois do acontecimento da cruz. Se hoje falamos de prevenção de doenças: aqui está o médico perfeitissimo, que foi capaz  não só de curar os pecados do mundo, mas também de preveni-los: e realizou isto junto com a sua mãe. Assim, a celebração deste dogma, como todos os dogmas marianos, quer exaltar primeiramente a Cristo. É útil para melhor compreender o verdadeiro caráter da obra de nossa redenção: a universalidade e a potência mediadora de Cristo.

(Tradução:Maria Emília Marega)

Por Antonio Gaspari

Fonte ZENIT.org

O Anunciador completa dois anos

Neste mês de setembro O Anunciador completa dois anos. Conheça um pouco da história deste blog.

Nascido de um trabalho para a faculdade de Comunicação Social – Jornalismo, cursada por Marquione Ban e Eliana Silva Leite. A ideia do blog surgiu na disciplina de webjornalismo, ministrada pela docente Patricia Oliveira.

O primeiro post do blog caiu na net no dia 18/09 – dia de São José de Cupertino. As postagens continuaram até o mês de dezembro de 2009. Depois disso o blog ficou sem atualização até novembro de 2010. Neste mês coloquei algumas postagens no blog, mas sem motivação de continuar atualizando o blog.

Quase um ano sem postar nada no blog, eu Marquione Ban, recebi em e-mail de notificação do blog informando sobre um comentário em um dos posts. No caso o texto comentado foi “Devoção a Imaculada Conceição”.

Esse é o post mais visto do blog até hoje com 193 visualizações. Neste dia, resolvi então retomar os textos ao blog. Desta vez já não contava mais com a ajuda da colega Eliana Silva Leite. Então a partir de dezembrode 2010 retomei as atualizações do blog com frequência diária.

Dados

Nestes dois anos de O Anunciador o blog tem se consolidado como instrumento de evangelização. Alguns dados comprovam que seu objetivo inicial de evangelizar e tem sido cumprido.

Veja alguns dados:

Post mais lido: “Devoção a Imaculada Conceição” com 193 views;

08/12/10 é o dia com mais visualizações – 277 ao todo;

Mês de São José – abril – é o blog registrou mais de 5000 visualizações;

São 27.410 visualizações neste dois anos de O Anunciador;

Agradecimento

Primeiramente gostaria de agradecer a Deus Pai pela generosidade de me conceder tempo para este trabalho e a Maria pela sopro profético de incentivo a retomar as postagens em novembro de 2010.

Obrigado ainda à aqueles que contribuíram com essa ideia: Eliana Silva Leite, Patrícia Oliveira – professora de webjornalismo; à minha irmã e meu cunhado, Pauliane Gomes e Wemerson Procópio, por permitirem eu usar o computador deles.

Obrigado também a todos que divulgaram este blog, assinaram suas postagens, fizeram comentários. Que Deus abrace todos com bênçãos e saúde.

Sei que a caminhada ainda é longa, mas com fé eu vou, pois a fé não falha. Viva a Jesus Cristo!! Viva a Maria.

Por Marquione Ban

Imagem da Internet

 

Sábado de aleluia: juntemo-nos a Maria à espera da Ressurreição de Cristo

Hoje, após termos celebrado os mistérios da paixão e morte de Jesus, chegamos ao sábado, dia do silêncio, de recolhimento e da oração à espera da Ressurreição do Senhor. Por isso, queremos dedicar esses minutos do nosso tempo para pensarmos sobre a espera de Maria por esse acontecimento e a mensagem de esperança e de amor profundo que vem através dele.

Naquela madrugada de domingo, o sol ainda não raiara e algumas mulheres, entre elas Maria Madalena, estavam dirigindo-se à sepultura do Seu amado, para terminar de ungir o seu corpo com mirra e óleo perfumado. Essa passagem bíblica é contada pelos evangelistas com algumas variações.

Mateus conta-nos que “ao raiar do primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria vieram ver o sepulcro” cuja pedra da entrada havia sido removida por um anjo, que anunciou a ressurreição de Jesus e disse-lhes para irem contar aos discípulos. E então o próprio Filho de Deus apareceu ressuscitado às santas mulheres e disse-lhes “não temais, ide anunciar a meus irmãos que se dirijam para a Galiléia; lá me verão”. E assim foi feito.

Marcos conta que Jesus aparecera primeiramente a Maria Madalena, que “foi anunciá-lo àqueles que tinham estado em sua companhia e que estavam aflitos e choravam”. Eles, ouvindo que Ele estava vivo e que fora visto por ela, não creram. Como também não creram nos outros dois discípulos que disseram terem-no visto ressuscitado. “Finalmente – lê-se no Evangelho segundo São Marcos -, ele se manifestou aos Onze, quando estavam à mesa, e censurou-lhes a incredulidade e a dureza de coração, porque não haviam dado crédito aos que o tinham visto ressuscitado”.

São Lucas narra a passagem com a chegada das mulheres ao sepulcro já aberto, onde encontram dois homens, que perguntam: “por que procurais Aquele que vive entre os mortos? Ele não está aqui, ressuscitou. Lembrai-vos de como vos falou, quando ainda estava na Galiléia: é preciso que o filho do Homem seja entregue às mãos dos pecadores, seja crucificado, e ressuscite no terceiro dia. E elas se lembraram de suas palavras. Elas creram, mesmo sem ver.

E acreditaram também Simão Pedro e outro discípulo, que, de acordo com o Evangelho segundo São João, entraram no sepulcro e viram os panos que envolviam o corpo de Jesus por terra, e o sudário que cobria a sua cabeça.

Maria, a mãe de Jesus, não estava entre essas mulheres que foram ungir o corpo de Jesus, pois tinha certeza da ressurreição de Seu Filho, do Filho de Deus, a qual havia sido por ele preanunciada. Por isso, não o procurava entre os mortos, mas esperava que a ela se mostrasse vivo. Essa aparição não é explicitada na Bíblia, pois deve ser subentedida, sendo obvio que Jesus ressuscitado apareceu antes a sua mãe, e depois aos outros. Ela sofreu com a morte do filho, mas teve fé, e foi recompensada por isso, vendo-o ressuscitado, indo de encontro ao seu Pai eterno, ao Reino dos Céus.

Quantas vezes também nos desesperamos, sofremos, mas depois vemos nossa fé recompensada com um desfecho que confirma nossas esperanças? Quando temos fé e esperança no bem, na palavra de Deus, nossos corações se enchem de amor e força para sairmos do sofrimento e renascermos na alegria. Como Maria, mãe do filho de Deus, mãe de todos nós. Que Ela nos guie no nosso percurso de renascimento interno, nos empreste sua fé e seu amor – por nós mesmos, pelos nossos irmãos e por Deus, Ele que é onde tudo inicia, termina e renasce

4º Dor de Maria: Caminho do Calvário

Hoje rezemos pelas mães que enfrentam um calvário com seu filhos nas drogas, principalmente o crak. Mãe das Dores, ensina-nos a resistir com a mesma perseverança que viste seu filho, nosso Senhor, sacrificar-se no calvário, as dores das drogas. Pai dai-nos perseverança para acreditarmos na ressureição assim como Maria. Ensinai-nos a caminharmos firmes na fé. Olhai ainda pelas mães da tragédia da escola de realengo. Senhor nós te pedimo paz.

Leitura do evangelho de Jesus Cristo segundo São Luca – Lc 23, 26 a 31

E quando o iam levando, tomaram um certo Simão, cireneu, que vinha do campo, e puseram-lhe a cruz às costas, para que a levasse após Jesus.

E seguia-o grande multidão de povo e de mulheres, as quais batiam nos peitos, e o lamentavam.

Jesus, porém, voltando-se para elas, disse: Filhas de Jerusalém, não choreis por mim; chorai antes por vós mesmas, e por vossos filhos.

Porque eis que hão de vir dias em que dirão: Bem-aventuradas as estéreis, e os ventres que não geraram, e os peitos que não amamentaram!

Então começarão a dizer aos montes: Caí sobre nós, e aos outeiros: Cobri-nos.

Porque, se ao madeiro verde fazem isto, que se fará ao seco?

Palavra da Salvação. Gloria a vós Senhor. Amém

3º Dor: Jesus fica no templo

Nesta segunda dor de Maria, quando Jesus fica no templo, vamos rezar pelas mães que tem seus filhos perdidos. Para que possam encontrar seus filhos como Maria e José acharam Jesus. Pedimos ainda pelas mães e pais da crianças vitimas da loucura humana no Rio de Janeiro. Hoje faz sete dias de seu falecimento. Que Maria as encontre e afague esses corações rachados pela dor da perda.

Vamos ler o Santo Evangelho de Jesus Cristo narrado por Lucas, capitulo 2, 41 a 28.

Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa;

E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.

E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o soube José, nem sua mãe.

Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia, e procuravam-no entre os parentes e conhecidos;

E, como o não encontrassem, voltaram a Jerusalém em busca dele.

E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os.

E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas.

E quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos.

Ave Cheia de Graça, o Senhor é contigo. Bendito seja o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria mãe de Deus, rogai por pecadores. Agora e na hora de nossa morte. Amém.

2º Dor: Fuga para o Egito – Nossa Senhora da Dores, rogai por nós

Hoje iremos ler o evangelho que narra a segunda dor de Maria. A fuga para o Egito. Vamos pedir a Deus que console todas as  mães que tem de fugir de imperadores da morte. Maria e José fugiam com Jesus de Herodes e hoje as Marias – mães – fogem do império das drogas, prostituição, brigas e intrigas familiares. Que cada mãe deste mundo encontre um Egito como terra segura para educar seus filhos.

Nossa Senhora das Dores possa sempre guiar os passos de cada mãe deste mundo e da Igreja. Agradecemos o Pai pelas muitas visualizações deste blog no mês que passou e neste que estamos.

Evangelho de Jesus Cristo, segundo São Mateus,   capitulo 2, 13 a 15

 

E, tendo eles se retirado, eis que o anjo do Senhor apareceu a José em sonhos, dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga; porque Herodes há de procurar o menino para o matar.

E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito.

E esteve lá, até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho.

Palavra da Salvação.

 

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, agora e sempre pelos séculos em fim,

amém.