De acordo com perito teologia do Papa não é a Teologia da Libertação

(ACI/EWTN Noticias).- Embora o encontro não estivesse na lista oficial de audiências privadas do Papa Francisco, o Vaticano confirmou que a pedido do Arcebispo Gerhard Muller, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, o Papa Francisco recebeu na quinta-feira o Padre Gustavo Gutiérrez, o teólogo peruano considerado como um dos pais da controvertida teologia da libertação.

A amizade pessoal do Arcebispo Muller com o teólogo de 85 anos, que entrou para a ordem dos dominicanos a finais dos anos 90 para evitar estar sob a jurisdição do atual Arcebispo de Lima, Cardeal Juan Luis Cipriani, gerou uma série de especulações sobre o suposto apoio “oficial” à teologia da libertação no Vaticano.

As especulações dos vaticanistas se geraram logo depois da difusão pelo jornal do Vaticano, L’Osservatore Romano (LOR), de um ensaio do Padre Gutiérrez originalmente publicado como parte de um livro escrito com o Arcebispo Muller, publicado em alemão faz 9 anos e traduzido recentemente ao italiano. O sacerdote peruano apresentou em Roma esta edição.

Entretanto, faz alguns meses o sacerdote jesuíta argentino Juan Carlos Scannone, um dos mais conhecidos representantes da teologia da libertação na América Latina, explicou que o Papa Francisco, como sacerdote e arcebispo, nunca apoiou os postulados polêmicos do Padre Gutiérrez.

Em uma extensa entrevista que aparece no livro publicado recentemente “Francis Our Brother Our Friend” (Francisco Nosso Irmão Nosso Amigo” (Ignatius Press, 2013) do diretor do Grupo ACI, Alejandro Bermúdez, o Padre Scannone, que foi um dos professores do Papa Francisco em seu processo de formação, explicou que “na teologia da libertação há distintas correntes, e há uma que é a corrente argentina”.

No texto que dentro de pouco será publicado em sua versão original em espanhol, o Padre Scannone recorda que “o Cardeal Quarracino (antecessor do Cardeal Bergoglio como Arcebispo de Buenos Aires) apresentou ao L’Osservatore Romano o primeiro documento da Congregação para a Doutrina da Fé sobre a teologia da libertação, e ele distinguiu quatro correntes, citando sem nomear um artigo que eu tinha escrito dois anos antes”.

“E há uma corrente argentina, que o mesmo Gustavo Gutiérrez diz que é uma corrente com características próprias da teologia da libertação, que nunca usou categorias do tipo marxista ou a análise marxista da sociedade, mas sem desprezar a análise social privilegia uma análise histórica cultural”, explicou.

O perito jesuíta adicionou que “na teologia argentina da libertação não se usa a análise social marxista, mas se usa preferentemente uma análise histórica-cultural, sem desprezar o sócio-estrutural e sem ter como base a luta de classes como princípio determinante de interpretação da sociedade e da história”.

Segundo Scannone, “a linha argentina da teologia da libertação, que alguns chamam ‘teologia do povo’, ajuda a compreender a pastoral de Bergoglio como bispo; assim como muitas de suas afirmações e ensinamentos”.

Para o Padre Scannone, “há coisas que acredito que marcaram de maneira especial o Cardeal Bergoglio, sobretudo o tema da evangelização da cultura, o tema da piedade popular. Uma coisa muito de Bergoglio é falar do povo fiel. Quando saiu à sacada (de São Pedro, quando foi eleito Papa), o primeiro que fez foi pedir que o povo rezasse por ele para que Deus lhe abençoe, antes de abençoar o povo. Isso é muito dele”.

Scannone adiciona que “este tipo de teologia” sem categorias marxistas, fez parte “do ambiente no qual ele exerceu a sua pastoral. De fato, a problemática da piedade popular e da evangelização da cultura, e enculturação do Evangelho, é chave nesta linha teológica”.

Discurso de uma menina doente ao Papa Francisco comoveu o mundo

Papa toma chuva enquanto cumprimenta os fiéis

(ACI/EWTN Noticias).- As palavras da Michelle, uma menina doente de câncer que se encontrou com o Papa Francisco comoveram todo o mundo: “Papa Francisco, reza pelos nossos pais para que possam ter sempre um sorriso como o teu”, disse a menor.

O Papa Francisco recebeu Michelle junto com um grupo de 22 crianças doentes no Domus Santa Marta no dia 31 de maio pela tarde. O grupo estava conformado pelos pacientes de oncologia pediátrica do hospital policlínico de Roma Agostino Gemelli que tinha acabado de regressar a Itália depois de uma peregrinação a Lourdes. Conforme o L’Osservatore Romano do dia 2 de junho, durante o encontro o Papa teve um momento junto com eles e cedeu a palavra a jovem Michelle, que prometeu ao Papa rezar por ele.

“Estou muito feliz de estar aqui na tua casa com meus amigos do Gemelli, os médicos, os voluntários, e com os sacerdotes da Unitalsi que nos acompanharam a Lourdes, disse a menina. É bom poder te ver de verdade, e não como sempre na televisão! Em Lourdes rezamos por ti, desenhamos a gruta da Virgem, como um presente para você. Prometemos que rezaremos ainda por ti e queremos pedir-te que rezes por todas as crianças doentes do hospital Gemelli e do mundo”.

O Papa agradeceu estas palavras com um forte abraço e, comovido, disse: “Jesus agora está aqui conosco. Tenham certeza. E bem, está conosco porque nos ama sempre. Jesus caminha conosco na vida e quando temos problemas sempre está ao nosso lado”.

As crianças chegaram acompanhadas pelo Pe. Gianni Toni, o sacerdote italiano da União Nacional Italiana de Transporte de Doentes a Lourdes e Santuários Internacionais (UNITALSI), e assinalou que o encontro do Papa com as crianças foi como “uma brincadeira que terminou da melhor forma”.

“Quando estávamos em frente da gruta de Massabielle, para aliviar com um pouco de alegria o cansaço, improvisamos um jogo: desenhar a gruta de Lourdes para mostrar depois ao Papa que não a conhece. Mas claro, quando dizíamos isto às crianças nunca ninguém pensou que eles iriam realmente estar na presença do Papa”, explica o Pe. Toni.

O íntimo encontro aconteceu graças ao desenho do Giovanni, um menino de oito anos da Sardenha (Itália), que ficou cego por causa de um tumor no cérebro. O desenho foi feito no quadro braile com base na descrição da gruta que lhe fizeram os enfermeiros, e os comoveu de tal maneira que decidiram enviar-lhe ao Papa junto com uma carta explicativa.

Ao relatar o encontro entre o jovem cego e o Papa Francisco, o sacerdote assinalou que Giovanni levava doces como presentes para o Papa. “Mas você é guloso?”, perguntou-lhe. O Papa respondeu “sim, muitíssimo. Eu gosto de bolos e de chocolate. A ti também? Sim, mas não te causam dor no fígado?”.

Giovanni mostrou-lhe então um grande saco vermelho e lhe disse: “Felizmente que és guloso porque eu trouxe-te os doces típicos da Sardenha!”. “Uhm! Obrigado, mas então podemos comê-los com as outras crianças?”, respondeu o Papa.

O Pe. Toni explicou que a conversação foi como a de “um avô com seus netinhos”.

As crianças também estiveram acompanhadas pelos seus pais, e todos rodearam em semicírculo ao Papa e rezaram junto a ele.

O encontro durou mais ou menos uma hora e o Santo Padre disse às crianças: “O que faz Jesus quando encontra uma criança que chora? O que faz? Para? Jesus para. Por que? Porque as crianças são aqueles que Jesus mais ama!”.

“Assim é Jesus. E hoje Jesus está perto de todos nós, de todos vocês que vieram aqui. Sério! Jesus está aqui, conosco!”, exclamou.

Para terminar o Papa recordou às crianças que “Jesus sempre está conosco. Quando estamos felizes e contentes Jesus está conosco. Quando estamos tristes, Jesus está sempre conosco porque Jesus nos ama. Não esqueçam nunca disso”.

Em Santa Marta o encontro com um grupo de crianças doentes – O sorriso do Papa

 L’Osservatore Romano | Uma brincadeira que se concluiu no melhor modo possível. O pe. Gianni Toni, assistente regional da União nacional italiana de transportes de doentes a Lourdes e aos santuários internacionais (Unitalsi), explica assim o encontro entre o Papa Francisco e os seus vinte e dois assistidos, realizado na capela da Domus Sanctae Marthae na tarde de sexta-feira 31 de Maio, não por acaso o último dia do mês mariano.

Os pequenos hospedes do departamento de oncologia pediátrica do hospital de Roma Agostino Gemelli regressaram à cidade há poucos dias depois de uma peregrinação a Lourdes. «Quando estávamos em frente da gruta de Massabielle – explicou-nos o pe. Gianni – para aliviar com um pouco de alegria o cansaço improvisámos um jogo: desenhar a gruta de Lourdes, para o mostrar  depois ao Papa que não a conhece». Certamente, revelou-nos o sacerdote, enquanto dizia estas coisas às crianças, nunca ninguém pensou que elas iram estar na presença do Papa para lhe mostrar a gruta de Lourdes. Mas o desenho de Giovanni – um menino da Sardenha de oito anos, que se tornou cego devido a um tumor cerebral – realizado no quadro braille com base na descrição da gruta que lhe faziam os assistentes comoveu-os de tal maneira que decidiram enviá-lo realmente ao Pontífice   acompanhado por  uma carta que explicava do que se tratava. Portanto,  não foi necessário muito mais para que a brincadeira acabasse exactamente «da melhor forma».

Teria sido bom vê-los, o pequeno João e o Papa Francisco, ontem à tarde, um diante do outro. João perguntou-lhe: «Mas tu és guloso?». E o Papa: «Sim, muitíssimo. Gosto de bolos e de chocolate. Tu também? Sim? Mas não te  causam dor de fígado?». Giovanni mostrou-lhe então um grande saco vermelho: «Felizmente que és guloso, porque eu trouxe-te os doces da Sardenha». Então o Papa respondeu: «Uhm, obrigado! Mas então podemos comê-los juntamente com as outras crianças?».

E assim o encontro prosseguiu com o tom de diálogo entre um avô e os sues netinhos. As crianças, com os seus pais, os assistentes da Unitalsi do Lácio, guiados pela presidente da subsecção romana Preziosa Terrinoni, sentaram-se em semicírculo em frente do Papa que estava diante do altar. Rezaram juntos e a seguir o Pontífice começou a contar às crianças uma pequena história: «Certa vez Jesus teve que visitar um lugar muito importante. Mas não conseguia lá chegar. Depois do meio dia chegou e, imediatamente, os discípulos foram ter com ele: «Mas mestre, por que chegaste atrasado?». Sabem o que Jesus lhe respondeu?  Ouçam muito bem: «Ao longo do caminho encontrei uma criança que estava a chorar. Parei para ficar com ela». Assim faz Jesus com uma criança que chora. Com uma criança que tem qualquer problema. Toca o coração de Jesus, que o ama muito».

Sucessivamente, o Papa Francisco deu a palavra à pequena Michelle. «Estou muito feliz – disse-lhe – por estar aqui na tua casa com os amigos do hospital Gemelli, os médicos, os voluntários, e com os sacerdotes da Unitalsi que nos acompanham a Lourdes.  É bom poder ver-te verdadeiramente e não na televisão! Em Lourdes rezámos por ti, desenhámos a gruta de Nossa Senhora para te oferecer.   Prometemos que rezaremos ainda por ti e queremos pedir-te para que rezes por todas as criança doentes do Gemelli e do mundo. O Pontífice agradeceu à menina abraçando-a. Continuou a cariciar prolongadamente a sua cabecinha enfaixada. Comovido recomeçou a falar com as crianças, continuando o diálogo sobre o amor de Jesus e perguntando-lhes: «Será  que Jesus está neste momento aqui connosco? Sim? Tendes certeza? Bem. Ele está connosco porque nos ama sempre. Jesus caminha connosco na vida e quando temos problemas ele está sempre ao nosso lado».

O encontro prosseguiu numa atmosfera muito especial. Criou-se gradualmente uma corrente de amor extraordinária. Tudo se concluiu com a oração. Mas antes o Pontífice quis falar de novo ao coração das crianças, pedindo-lhe para que repetissem com ele: «Jesus está sempre connosco. Quando estamos felizes e contentes Jesus está sempre connosco. Quando estamos tristes, Jesus está ao nosso lado. E por quê? Porque Jesus nos ama. Nunca vos esqueçais». Será difícil que estes pequeninos e os seus pais o possam esquecer. Assim como será difícil que o Papa possa esquecer o último pedido de Michelle: «Papa Francisco, reza pelos nossos pais para que possam ter sempre um sorriso como o teu».

Mario Ponzi

GIRO DE NOTÍCIAS: Shimon Peres, Reforma da Cúria, Nomeações, Dia do Trabalhador e eCatholicus – “facebook” da igreja

289185

Shimon Peres recebe o título de “Cidadão Honorário para a Paz”

O Presidente israelense Shimon Peres recebeu em Assis, na Itália, o título de “Cidadão honorário para a paz” na manhã desta quarta-feira, 1º. A cerimônia realizou-se no Salão papal do Sacro Convento.

Peres foi recebido na Basílica de São Francisco pelo Custódio do Sacro Convento, Padre Mauro Gambetti, pela comunidade franciscana conventual, pelo Bispo de Assis, Dom Domenico Sorrentino, e pelo prefeito da cidade, Claudio Ricci. Antes do início da cerimônia, Peres se recolheu em oração diante do altar da Basílica Superior de São Francisco.O evento foi transmitido no site sanfrancesco.org.

Reforma da Cúria

O arcebispo responsável pela primeira das duas secções da Secretaria de Estado do Vaticano, Dom Angelo Becciu, disse nesta quarta-feira, 1º, que é “prematuro” falar de reformas na Cúria Romana, estrutura central do governo na Igreja Católica.

“Depois de ter falado com o Santo Padre, posso dizer que neste momento é absolutamente prematuro avançar qualquer hipótese acerca da futura organização da Cúria. O Papa Francisco está ouvindo a todos, mas em primeiro lugar pretende ouvir os que escolheu como conselheiros”, declarou o substituto de Secretaria de Estado em entrevista ao jornal do Vaticano, ‘L’Osservatore Romano’.

Nomeações

O Papa nomeou no último dia 13 oito cardeais dos cinco continentes para o aconselharem no governo da Igreja e estudarem o aperfeiçoamento da Constituição Apostólica ‘Pastor bonus’ (O bom pastor), que regulamente a Cúria Romana, publicada pelo Papa João Paulo II (1920-2005) a 28 de junho de 1988. O primeiro encontro com o grupo está marcado para o próximo mês de outubro.

Dia do Trabalhador

Em comemoração ao Dia do Trabalhador, na última quarta-feira, 01 de maio, a CNBB manifestou através de uma nota “o seu apoio aos que pelo trabalho contribuem na construção de um mundo melhor”. Leia a íntegra da  nota AQUI.

@pontifex

O Pontífice escreve: “Penso em todos os que estão desempregados, frequentemente por causa duma mentalidade egoísta que procura o lucro a todo o custo”. Na homilia da missa celebrada no dia 1º de maio, Francisco definiu como “injusta” uma sociedade que não oferece trabalho ou explora os trabalhadores.

eCatholicus – rede social da igreja

O eCatholicus é uma rede social da Igreja Católica, com parceira da JMJ 2013 e apoio da CNBB. A rede pretende ser “um lugar exclusivo para você fazer milhões de amigos e se preparar para a Jornada,” afirmam no site da rede. A ideia é proporcionar aos usuários o encontro com padres, bispos, religiosos(as), leigos e leigas discípulos de Jesus, além de paróquias e comunidades da Igreja Católica em todo o Brasil. Veja o site, clique AQUI ou na imagem abaixo.

Logo-ecatholicus

Vaticano divulga foto do Papa pagando a conta no check-out

G1 – Uma imagem divulgada nesta sexta-feira (15) pelo ‘L’Osservatore Romano’, o jornal doVaticano, mostra o momento em que o Papa Francisco foi acertar a conta e fazer o check-out da residência onde estava hospedado como cardeal para participar do conclave, em Roma.

Apesar de o local ser de posse da Santa Sé, agora comandada pelo próprio Papa Jorge Mario Bergoglio, ele insistiu em pagar pela hospedagem, segundo o Vaticano, para “dar um bom exemplo”.

Foto do 'Osservatore Romano' mostra o Papa Francisco fazendo o check-out da residência onde se hospedou, em Roma (Foto: Reuters/Osservatore Romano)

 

“Profecia” maia sobre fim do mundo não tem base científica alguma, esclarece astrônomo do Vaticano

Pe. José Funes

(ACI/EWTN Noticias).- O diretor do Observatório Astronômico do Vaticano, o jesuíta argentino José Gabriel Funes, escreveu em um artigo para o jornal L’Osservatore Romano que o mundo não acabará no dia 21 de dezembro deste ano tal como assegura uma publicitada profecia dos maias.

Segundo esta “profecia”, o mundo deve terminar com o alinhamento dos planetas e do sol com o centro da Via Láctea e a inversão dos pólos magnéticos do campo terrestre. O Pe. Funes considera que atualmente “a base científica dessas afirmações é obviamente falsa”.

O sacerdote jesuíta afirma que conhece bem a cultura maia e toma com humor o fato de que o mundo acabar. Em 2003 visitou as ruínas do centro maia de Copán -onde se percebe o assombroso avanço astronômico desta civilização-. Então, o perito ensinava na Universidade de Tegucigalpa (Honduras) um curso de astronomia extragaláctica, “que não se trata de um estudo dos jogadores do Real Madrid, mas sim das galáxias”, brinca.

Ele refere que o Google oferece mais de 40 milhões de resultados sobre a temática maia e os cientistas da atualidade que falam do impressionante avanço sobre o conhecimento dos astros entre os maias, mas isso não significa que suas teorias sejam perfeitas.

Os maias mediam o tempo de maneira cíclica e estavam interessados em encontrar um desenho repetitivo do cosmos que pudesse dar-se no futuro, de maneira que sua astronomia se desenvolvia em base à política e a religião com a obsessão dos ciclos temporários.

Neste sentido assinalou que embora possa tonar fascinante o estudo da astronomia maia, o universo foi criado há 14 trilhões de anos e segundo os dados atuais sabe –se que este se encontra em expansão contínua.

Para o jesuíta, o universo e a história têm sentido e no interior do ser humano está a convicção fundamental de que a morte não pode ter a última palavra.

“A cosmologia nos mostra que o universo caminha a um estado final de frio e de escuridão; a mensagem cristã nos ensina por outro lado que na ressurreição final, o último dia, Deus reconstituirá cada homem e cada mulher e o universo inteiro”, concluiu.

Habemus twitter papal: Papa abrirá conta no microblog dia 03 de dezembro

(ACI/EWTN Noticias).- O Papa Bento XVI estreará sua conta pessoal de Twitter em dezembro. Para o lançamento está programada uma conferência de imprensa no Vaticano na segunda-feira, 03/12.

Na coletiva de imprensa estarão presentes o Presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, Dom Claudio Maria Celli, o Secretário desse dicastério, Mons. Paul Tighe, o porta-voz vaticano, Padre Federico Lombardi, o diretor de L´Osservatore Romano, Gian Maria Vian, e o novo assessor de comunicação da Secretaria de Estado vaticana, Greg Burke.

Representando a rede social Twitter também estará presente na conferência de imprensa a sua Diretora de Inovação Social, a doutora Claire Diaz-Ortiz.

No último 9 de novembro, o Padre Lombardi explicou ao grupo ACI que “estivemos falando há algum tempo sobre ter (uma conta de) Twitter em representação do Papa”.

Embora na conta o Papa não escreverá pessoalmente as mensagens, elas contarão com sua aprovação.

Os tweets estarão em cinco ou seis idiomas. Acredita-se também que algumas das mensagens estarão escritas em latim, o idioma oficial da Igreja Católica.

O Santo Padre já usou Twitter antes, quando inaugurou o novo site de notícias do Vaticano. Naquela oportunidade escreveu: “Queridos amigos, acabo de lançar news.va. Louvado seja Jesus Cristo! Com minha oração e bênção, Benedictus XVI”.

Sobre a conta do Papa, um funcionário do Vaticano disse ao Newsmax que “os tweets serão pouco frequentes e seu conteúdo provavelmente não será muito diferente dos seus textos e em muitas ocasiões apontarão às coisas que o Papa diz”.

Papa comemora aniversário ao lado de irmão

Numa pequena capela, dois anciãos sentados, lado a lado, recolhidos em oração. Esta é a imagem publicada pelo jornal vaticano L’Osservatore Romano, nesse domingo, 15, para documentar os irmãos Ratzinger, fotografados de costas no sábado, 14, enquanto rezam as laudes depois de celebrar a Missa da manhã.

Na simplicidade da oração cotidiana, o L’Osservatore Romano se une a seus leitores e aos homens e mulheres de todas as convicções religiosas que desejam ao Papa um Feliz Aniversário. “Quem crê nunca está sozinho”, costuma repetir Bento XVI, que sente o carinho de tantas pessoas, próximas e distantes, além da amizade dos santos, frisou o jornal da Santa Sé.

O L’Osservatore recorda que o Papa “retornou de Castel Gandolfo, onde se encontrava desde a tarde do Domingo de Páscoa, para acolher o irmão, monsenhor Georg Ratzinger, que passará com ele os próximos dias, marcados por recorrências especiais: o 85º aniversário, segunda-feira, o sétimo ano da eleição a sucessor do Apóstolo Pedro, quinta-feira, 19, e do solene início de Pontificado, terça, 24”.

O artigo se encerra com felicitações em latim: “ad multos annos, beatissime pater, ad multos et felicissimos annos!”.