Papa considera escandaloso mulheres ganharem menos que homens

Hoje, quarta-feira (29), o Papa Francisco fez um apelo pelo fim da diferença salarial entre homens e mulheres. Ele classificou a situação como “um escândalo” e que todos nós cristãos deveríamos reprovar.

“Por que é dado como certo que mulheres devem ganhar menos que homens? Não! Elas possuem os mesmos direitos. A discrepância é um escândalo”, disse. 

Em tom mais enfático, Francisco disse que cristãos deveriam “definitivamente apoiar o direito de igualdade salarial para trabalhos iguais”. É valido lembrar que essa fala do papa não é nenhum apoio ao feminismo, mas sim uma fala de luta pela igualdade. Se um mulher é CEO de uma empresa não se justifica o salário mais baixo só porque é mulher.

O Papa Francisco no Vaticano nesta quarta-feira (29) (Foto: Max Rossi/Reuters)
O Papa Francisco no Vaticano nesta quarta-feira (29) (Foto: Max Rossi/Reuters)

Salários

Mulheres na União Europeia receberam em média 16,4% a menos que homens em 2013, de acordo com estatísticas da agência Eurostat, e dados norte-americanos indicam que mulheres ganham 77 centavos de dólar a cada dólar que um homem ganha, de acordo com salários médios anuais.

Mulheres na Igreja

Francisco disse que quer que mulheres tenham um papel maior na Igreja Católica romana ao redor do mundo e na burocracia do Vaticano, mas disse que “a porta está fechada” para a possibilidade de mulheres se tornarem padres.

A igreja ensina que mulheres não podem se tornar padres porque Jesus deliberadamente escolheu somente homens como seus apóstolos. Os que defendem o sacerdócio feminino rejeitam essa versão, alegam que agiu de acordo com as normas de sua época. É importante também lembrar, quanto a esse assunto, que Jesus quebrou vários paradigmas em sua vinda, mas não quebrou o do sacerdócio.

Com informações do G1 

Anúncios

Papa: “são duas as coisas que o povo de Deus não pode perdoar: um padre apegado ao dinheiro e um padre que maltrata as pessoas”

Papa Francisco: não deixar celebrar casamento com missa é "pecado de escândalo"
Papa Francisco: não deixar celebrar casamento com missa é “pecado de escândalo”

O texto é do ano passado, mas a “catracada’ é atualíssima. Vejam:

//////////////////////////////

A Igreja nunca seja um comércio, pois a redenção de Cristo é gratuita. Esta foi a mensagem de hoje do Papa Francisco na missa em Santa Marta, na Festa Litúrgica da Apresentação da Virgem Santa Maria no Templo.

Na sua breve reflexão, o Papa sublinhou a Liturgia de hoje que propõe a passagem evangélica na qual Jesus expulsa os vendilhões do Templo, que transformam a casa de oração em covil de ladrões. Este gesto de Jesus é um verdadeiro ato de purificação: o Templo tinha sido profanado e, como tal, também o Povo de Deus, profanado com o grande pecado do escândalo. E o Papa acrescentou que este tipo de comportamento pode escandalizar o povo, mesmo hoje em dia. Quantas vezes, ao entrarmos na igreja, deparamos com uma lista de preços: batizados, bênçãos, intenções de Missa afirmou o Santo Padre que contou uma pequena história.

“Uma vez, recentemente ordenado, eu estava com um grupo de universitários, e um casal queria se casar. Tinham ido a uma paróquia: mas queria casar-se com Missa. E lá, o secretário paroquial disse: – ‘Não é possível’. Mas porque não se pode casar com Missa? Se o Concílio recomenda fazer sempre com a Missa…’. ‘Não é possível porque não podemos passar de 20 minutos’. – ‘Mas por quê’? – ‘Porque tem outros horários marcados’. – ‘Mas nós queremos a Missa’. – ‘Então vocês devem pagar dois horários’. E para casar com Missa tiveram que pagar dois horários. Este é umpecado de escândalo”.

O Papa Francisco recordou ainda: “Sabemos o que Jesus diz àqueles que são motivo de escândalo: “É melhor que sejam atirados ao mar”.

“Quando aqueles que estão no Templo – sejam sacerdotes, leigos, secretário, mas que precisam administrar a Pastoral do Templo – transformam-se em homens de negócio, o povo se escandaliza. E nós somos responsáveis por isto. Os leigos, inclusive! Todos. Porque se vejo que isso acontece na minha paróquia, devo ter a coragem de dizer isso cara a cara ao pároco. E as pessoas sofrem aquele escândalo. É curioso: o povo de Deus sabe perdoar os seus sacerdotes que apresentam alguma fraqueza, que escorregam num pecado… sabe perdoar. Mas são duas as coisas que o povo de Deus não pode perdoar: um padre apegado ao dinheiro e um padre que maltrata as pessoas.”

“Porque a redenção é gratuita; Ele vem trazer a gratuidade de Deus, a gratuidade total do amor de Deus. E quando a Igreja ou as Igrejas se tornam comércio, diz-se que …, não é tão gratuita, a salvação… É por isso que Jesus pega o chicote na mão para fazer este rito de purificação no Templo. Hoje a liturgia celebra a Apresentação de Nossa Senhora no Templo: da menina… Uma mulher simples, como Ana que está naquele momento, e entra Nossa Senhora. Que ela ensine a todos nós, a todos os pastores, a todos aqueles que têm responsabilidades pastorais, a manter limpo o Templo, para receber com amor os que vêm, como se cada um deles fosse Nossa Senhora”.

(Por Aleteia, com Rádio Vaticano – sources: RÁDIO VATICANO

Habemus padres dançarinos. Que legal!

O vídeo de uma dupla de padres americanos dançando e ‘duelando’ em Roma se tornou viral, seguindo os passos da agora famosa freira italiana Cristina Scuccia, que com sua voz semelhante a de Alicia Keys venceu um concurso de canto e conquistou um contrato com uma gravadora.

O reverendo David Rider, de 29 anos, de Hyde Park, Nova York, e o reverendo John Gibson, de 28, de Milwaukee, despontaram para a fama na internet quando foram filmados em abril durante um evento para arrecadação de fundos do Colégio Pontifico Norte Americano, um seminário de elite do Vaticano.
Os padres David Riter (esquerda) e John Gibson dançam no Colégio Pontifico Norte Americano, em Roma, em foto de 13 de outubro (Foto: AP Photo/Domenico Stinellis)
Os padres David Riter (esquerda) e John Gibson dançam no Colégio Pontifico Norte Americano, em Roma, em foto de 13 de outubro (Foto: AP Photo/Domenico Stinellis)

Rider aqueceu a plateia com alguns passos de sapateado, para depois ser superado pelos rápidos passos de dança irlandesa de Gibson. Logo eles estavam ‘duelando’ e tentando impressionar a plateia.

No fundo da sala, a jornalista Joan Lewis gravou o evento e, mais tarde, publicou o vídeo no YouTube. “De repente os números começaram a subir e subir”, disse Lewis à Associated Press. O vídeo já tem mais de 300 mil acessos.

Vaticano acata denúncia de bispo e afasta três padres em Foz do Iguaçu

D. Dirceu Vegini, bispo de Foz do Iguaçu
D. Dirceu Vegini, bispo de Foz do Iguaçu

Rádio Cultura  – A igreja católica afastou três padres de Foz do Iguaçu, após a denúncia feita pelo bispo Dom Dirceu Vigine, da Diocese Iguaçuense, acusando que os religiosos haviam invadido o e-mail pessoal do bispo e divulgado as informações. A denúncia de crime virtual foi feita em julho deste ano pelo próprio bispo, que prestou queixa contra sete padres na Delegacia da Polícia Civil. O caso teve grande repercussão.

Nesta semana, a Congregação para o Clero, do Vaticano, aceitou a denúncia do bispo de Foz do Iguaçu e afastou os padres Sérgio Bertoti, Agostinho Gatelli e Paulo de Souza, que já havia sido transferido para a cidade de Guarapuava. O prazo dado pelo Vaticano para que os religiosos deixassem as paróquias acabou no final da tarde deste sábado (2).

A invasão e distribuição de mais de 200 e-mails teria acontecido em 2012 e veio a público em 2013, após a denúncia do bispo à polícia. O conteúdo dos e-mails não foi divulgado pela polícia, mas seria de críticas de Dom Dirceu a padres da cidade e inclusive ao Papa Francisco, conforme informou na época o advogado dos padres, Alvaro Albuquerque. Em entrevista coletiva à imprensa, no mesmo período da denúncia, o bispo negou as críticas nos e-mails.

//////////////////////////////////////////////////////////

Após suposta violação de e-mails, igreja afasta três padres no Paraná

Após investigações de denúncias de violação de e-mails envolvendo a Cúria Diocesana de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, a Igreja Católica decidiu afastar três padres supostamente envolvidos no escândalo. O decreto que determina a suspensão das funções sacerdotais foi entregue aos religiosos na sexta-feira (1º) e dava prazo para que eles deixassem as paróquias até o fim da tarde deste sábado (2). Foram afastados os padres Sérgio Bertoti, Agostinho Gatelli – de Foz do Iguaçu – e Paulo de Souza, que havia sido transferido para Guarapuava.

A determinação de afastamento é assinada pela Congregação para o Clero, com sede no Vaticano, e se baseia em denúncias feitas pelo bispo Dom Dirceu Vegine e por fiéis apontando que sete padres tiveram acesso a mensagens eletrônicas confidenciais. O crime virtual envolvendo a Cúria Diocesana vem sendo investigado pela Polícia Civil e internamente pela própria igreja. A distribuição dos mais de 200 e-mails ocorreu em agosto de 2012, mas o caso só foi divulgado no dia 16 de julho de 2013 após o bispo denunciar a invasão de privacidade à polícia. O conteúdo das mensagens está sob segredo de justiça.

Procurados pelo G1, os padres confirmaram o afastamento, mas preferiram não se pronunciar. A equipe também tentou entrar em contato com o bispo de Foz do Iguaçu, mas até a publicação desta reportagem ele não havia sido encontrado para comentar o assunto.

Em nota, a Cúria Diocesana informou que a Santa Sé solicitou a investigação prévia dos três sacerdotes conforme exige o Código de Direito Canônico, a qual será feita pelo Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Cascavel, também no oeste. “O Decreto Administrativo do Tribunal Eclesiástico determinou que, durante a investigação processual, os sacerdotes citados fossem afastados de suas funções ministeriais e ofícios. As disposições atuais poderão ser revogadas ou findarão ao cessar o Processo Penal Canônico”, diz o comunicado assinado pelo chaceler do Bispado, padre Mariano Venzo.

Na época em que o caso foi divulgado, o advogado Álvaro Albuquerque, que representa os sacerdotes, alegou que um funcionário roubou a senha do bispo e acessou mensagens eletrônicas confidenciais trocadas entre Dom Dirceu e outros religiosos. As mensagens continham críticas a alguns padres, cardeais e até ao Papa Francisco.

“Nestes e-mails, eles [o bispo e outros religiosos] falam mal das pessoas. O bispo falando mal do próprio Papa [Francisco], que acabou de ser eleito (…). E basicamente xingando, falando pejorativamente, colocando apelidos e denigrindo a imagem de, pelo menos, dez a 20 padres aqui da diocese”, afirmou o advogado dos padres denunciados. Ainda segundo Albuquerque, pelo menos 50 paróquias da cidade tiveram acesso ao conteúdo das mensagens particulares.

Bispo nega acusações

No dia 19 de julho, Dom Dirceu falou sobre o caso em uma entrevista coletiva concedida à imprensa. Na ocasião, ele negou que teria falado mal dos sacerdotes e afirmou que não fez denúncia pessoal a ninguém. “Eu não conheço estas críticas e queria dizer mais: a pessoa que teve acesso ao meu correio eletrônico, ela pôde, também, escrever o que ela quis. E, para me incriminar, enviar para as pessoas as quais ela achou conveniente”, defendeu-se ao dizer que só procurou a polícia para esclarecer o caso.

/////////////////////////

Tem caroço neste angu. Além dos fatos que não conhecemos, pelo visto as “levadesas”, como diriam os antigos,  não param só em 2012, mas se estenderam por 2013 a fora, afinal o Papa Francisco foi eleito em março deste ano. Sinal que há algo mal contado.

Mas, não é este o problema aqui. Sim a falta de hierarquia que há nesta diocese, onde o bispo não é respeitado a ponto de seus subordinados invadirem seus e-mail. Fico triste com essas coisas. Mostra que muitos estão unidos não com a igreja, mas consigo mesmo.

À distância se enxerga melhor?

Dom Aloísio Roque Oppermann, scj
Arcebispo Emérito de Uberaba / MG

As avaliações sobre a importância do Concílio Vaticano II vão desde a glorificação exaltada, até a hostilização mais mal humorada. Isso acontece por sintonizarmos a retomada de suas grandes idéias no cinqüentenário de seu início (11 de outubro de 1962). Os Padres Conciliares, em número aproximado de 2.500 na média, viram esse maravilhoso acontecimento eclesial, em centenas de visões diversificadas.

A grande maioria viu seu espírito numa linha de continuidade com a história da Igreja.  Mas alguns quiseram ver nele uma ruptura com a fé milenar dos discípulos de Cristo, e até uma compactuação com a mentalidade secularizada do mundo moderno. Vamos tentar dar um pequeno apanhado de suas linhas fundamentais, cujos conceitos apelam para um aprofundamento neste ano da Fé, que inicia neste mês (10/12).

A definição (ou descrição) de Igreja jamais foi tão ampla e  completa. Nem Santo Tomás de Aquino, nem Santo Agostinho alcançaram tais alturas, atingidas pelo Concílio, (sem os Padres esquecer as Escrituras). Agora existe a convicção de que todos somos Igreja, e não só o clero.

A Reforma Litúrgica conseguiu ultrapassar séculos de passividade, para levar o povo a uma participação ativa e frutuosa, sobretudo na Eucaristia. As celebrações se tornaram mais vivas e compreensíveis.

Em que pese nossa boa e velha Tradição, o Concílio nos levou a um renovado amor ás Escrituras Sagradas. Elas voltaram a ser a “alma de toda a teologia”. Hoje até na Catequese elas voltaram a ser prioritárias.

Os Padres Conciliares nos levaram a uma grande redescoberta da Patrística. Os escritos dos primeiros quatro séculos foram traduzidos para as línguas modernas, e todos podem buscar o elo que liga os ensinamentos dos apóstolos aos tempos modernos.

O enfoque das relações Igreja x Mundo foi deslocado. Agora não se trabalha mais, considerando o mundo como um grande inimigo, mas se procura dialogar. Isso é um benefício recíproco.

Houve um esforço, nem sempre bem sucedido, de aproximação com os cristãos de outras denominações. Mas as relações melhoraram, apesar de haver um longo caminho a percorrer. Um dia a oração de Cristo será eficaz, e “seremos todos um”  ( Jo 17, 11).

Ordenação sacerdotal em Ipatinga-MG neste domingo, dia 12

No dia em que a Igreja comemora o Pentecostes, 12 de junho, a Diocese de Itabira/Cel. Fabriciano receberá dois novos padres. Os diáconos Dirceu Pacífico da Silva e Efferson Dionízio Ramos Andrade serão ordenados sacerdotes.

A celebração será no Santuário São Judas Tadeu, paróquia Cristo Libertador, Ipatinga. O santuário fica localizado à Av. Galileia, nº 40, bairro Canaã. A ordenação presbiterial começará as 9h30. Antes da cerimônia haverá um café da manhã partilhado.

As primeiras missas vão ocorrer na em BH e em Itaberá-SP. Veja a programação:

Padre Dirceu

19 de junho às 19h30 na comunidade Nossa Senhora da Conceição, Itaberá – SP.

Padre Efferson

13 de junho na comunidade Santo Antônio da Pampulha, bairro Aeroporto, às 19h em BH;

18 de junho na comunidade Nossa Senhora Aparecida, bairro Santa Rosa às 19h30 em BH;

19 de junho na Paróquia Sagrada Família, bairro Havaí, às 9h em BH;

por Marquione Ban

Imagem Canção Nova

Ordenação sacerdotal em Ipatinga-MG

No dia em que a Igreja comemora o Pentecostes, 12 de junho, a Diocese de Itabira/Cel. Fabriciano receberá dois novos padres. Os diáconos Dirceu Pacífico da Silva e Efferson Dionízio Ramos Andrade serão ordenados sacerdotes.

A celebração será no Santuário São Judas Tadeu, paróquia Cristo Libertador, Ipatinga. O santuário fica localizado à Av. Galileia, nº 40, bairro Canaã. A ordenação presbiterial começará as 9h30.

As primeiras missas vão ocorrer na em BH e em Itaberá-SP. Veja a programação:

Padre Dirceu

19 de junho às 19h30 na comunidade Nossa Senhora da Conceição, Itaberá – SP.

Padre Efferson

13 de junho na comunidade Santo Antônio da Pampulha, bairro Aeroporto, às 19h em BH;

18 de junho na comunidade Nossa Senhora Aparecida, bairro Santa Rosa às 19h30 em BH;

19 de junho na Paróquia Sagrada Família, bairro Havaí, às 9h em BH;

por Marquione Ban

Imagem Canção Nova

Número de padres aumenta na África, Ásia e América Latina

A nova edição do Anuário Estatístico da Igreja Católica revela um aumento de 1,4% no número de padres em todo o mundo entre 1999 e 2009. os dados foram apresentados, nesta sexta-feira, 11, pela Santa Sé.

O volume, que vai ser apresentado nos próximos dias, elenca 410 mil sacerdotes, dos quais mais de 275 mil diocesanos e cerca de 135 mil de ordens e congregações religiosas.

De acordo com os dados, o número de padres ordenados em 2009 ultrapassou o dos sacerdotes que faleceram ou abandonaram este ministério, situação que não acontecia desde 1999. Na Europa, contudo, o número de mortes continua a ultrapassar o das ordenações sacerdotais.

O novo Anuário Estatístico revela ainda que o número de padres e de católicos aumenta na África, Ásia e América Latina, caindo na Europa e América do Norte.

Annuarium Statisticum Ecclesiae 2009 é redigido pelo departamento central de estatística da Igreja e publicado pela Livraria Editora Vaticana.

 

Fonte Canção Nova, com Agência Eclesia