E a Igreja não faz nada? Sim, são 115 mil instituições de saúde gerenciadas por ela

topicCelebrou-se ontem, 11 de fevereiro, o XXIII Dia Mundial do Enfermo, instituído por João Paulo II em 1992. O Papa Francisco convida a meditar sobre o tema deste ano – “Eu era os olhos do cego e os pés do coxo” (Jó 29,15) – na perspectiva da “sapientia cordis”, a sabedoria do coração.

Na mensagem, o Santo Padre destaca “a absoluta prioridade da saída de si próprio para o irmão, como um dos dois mandamentos principais que fundamentam toda a norma moral e como  o sinal mais claro para discernir sobre o caminho de crescimento espiritual em resposta à doação absolutamente gratuita de Deus (EG, 179). Da natureza missionária da Igreja brotam inevitavelmente ‘acaridade efetiva para com o próximo, a compaixão que compreende, assiste e promove”.

Segundo revelam os dados do último “Anuário Estatístico da Igreja”, publicado pela Agência Fides por ocasião da Jornada Missionária, os Institutos sanitários, de assistência e beneficiência administrados pela Igreja em todo o mundo são 115.352, compreendendo:

– 5.167 hospitais (a maior parte na América, 1.493 e 1.298 na África);

– 17.322 dispensários, a maior parte na África, 5.256, América 5.137 e Ásia 3.760;

– 648 leprosários distribuídos principalmente na Ásia (322) e África (229);

– 15.699 casas para idosos, doentes crônicos e deficientes, a maior parte na Europa (8.200) e América (3.815);

– 10.124 orfanatrófios, principalmente na Ásia (3.980) e América (2.418);

– 11.596 jardins da infância, a maior parte na América (3.661) e Ásia (3.441);

– 14.744 consultores matrimoniais, distribuídos na maior parte no continente americano (5.636) e Europa (6.173);

– 3.663 centros de educação e re-educação social, além de 36.386 instituições de outros tipos.

sources: News.va

Rezemos pelo Papa emérito: jornalista diz que Bento XVI tem “algo muito grave”

Do Visão – A especialista espanhola em assuntos relacionados com o Vaticano adianta que a saúde do Papa emérito degradou-se de forma “muito rápida” nas últimas semanas, o que a leva a crer que Bento XVI tem “algo muito grave”

Rezemos pela saúde de Bento XVI
Rezemos pela saúde de Bento XVI

“Em 15 dias, sofreu uma deterioração física tremenda”, anunciou a jornalista Paloma Gómez Borerro, durante a apresentação do seu livro “De Bento a Francico. O Conclave da Mudança”.

A tal ponto se terá degradado a saúde do agora papa emérito, que a especialista em assuntos do Vaticano acredita que  Bento XVI não fique muito tempo no mosteiro Mater Ecclesiae, cujas obras de remodelação deverão estar concluídas em maio.

Vacinação contra a gripe começa neste sábado

Cerca de 65 mil postos de saúde em todo o país abrem neste sábado, 5, para o início da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. O horário de funcionamento será das 8h às 17h. A dose aplicada vai proteger também contra a influenza A(H1N1) – gripe suína.

Devem procurar os locais de vacinação idosos com mais de 60 anos, crianças de 6 meses a menores de 2 anos, grávidas em qualquer período da gestação, indígenas e profissionais de saúde. A meta é imunizar 24,1 milhões de pessoas até o dia 25 de maio.

Crianças que serão vacinadas pela primeira vez deverão tomar duas doses, com intervalo de 30 dias. Aquelas que já receberam uma ou duas doses da vacina no ano passado deverão receber apenas uma este ano. Os demais grupos deverão tomar dose única.

Em 2011, de acordo com dados do Ministério da Saúde, 25,134 milhões de pessoas foram vacinadas – 84% do público-alvo. No mesmo período, foi registrada uma redução de 64% nas mortes provocados pelo vírus Influenza H1N1. Ao todo, 53 óbitos foram confirmados. Também no ano passado, houve queda de 44% nos casos graves da doença, que totalizaram 5.230.

Pastoral da Saúde promove formação sobre espiritualidade e direitos da saúde

pastoral_saude_SCA Pastoral da Saúde da diocese de Criciúma (SC) inicia hoje, 19, o projeto itinerante “Espiritualidade e Mística do Agente da Pastoral da Saúde – Políticas Públicas, Direitos dos Cidadãos”.

O evento, que será realizado em todas as seis comarcas da diocese, é acompanhado pelo bispo diocesano, dom Jacinto Inácio Flach, que ministrará o tema espiritualidade e mística, durante as manhãs.

Nos períodos da tarde, serão abordados os “Direitos dos Usuários da Saúde”, com as professoras Márcia Piazza, Lurdes Fabris, Renize Zaniboni e a acadêmica Elizabete Araújo, do curso de Direito da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), parceiro da iniciativa e também de outras atividades de esclarecimento e auxílio junto à pastoral.

O projeto colabora de forma concreta com a proposta da Campanha da Fraternidade 2012, cujo tema é saúde pública, e com as dimensões solidária, comunitária e político-institucional que baseiam o serviço prestado pela Pastoral da Saúde.

“As dimensões focam o trabalho junto aos enfermos em hospitais, na família e na comunidade. O uso da sabedoria popular, através do trabalho com plantas medicinais e na prevenção de doenças, além da consolidação de parcerias junto a órgãos governamentais e não-governamentais para realização de políticas de saúde sustentadas pelos princípios de universalidade, integralidade e igualdade”, explica a Coordenadora diocesana da Pastoral da Saúde, Maria Rosa Mendes.

Riqueza e Saúde

Dom José Alberto Moura
Arcebispo de Montes Claros (MG)

Determinados tipos de enfermidades não são curados, mesmo se as pessoas tiverem rios de dinheiro. Um deles é a doença da falta de amor, justiça e solidariedade. Com a presença destas as pessoas superam seus limites ou deficiências, a ponto de se realizarem plenamente como humanas.

Jesus veio nos garantir a superação de nossas fragilidades com a vida de inteira doação de si em bem da humanidade.

Enriqueceu-nos com a dádiva do amor extremado, culminando com seu holocausto para nos redimir da doença do pecado e do egoísmo exacerbado. Seu perdão aos criminosos foi proferido do alto da cruz: “Pai, perdoai-lhes. Eles não sabem o que fazem”.  Mas sua aparente derrota com a morte mais vil na cruz foi instrumento necessário para demonstrar sua natureza divina, através da ressurreição a seguir.

Ele veio nos restituir a maior riqueza, a do amor. Com ele temos o instrumento necessário para erradicarmos as causas de morte e de doenças superáveis na face da terra. Deus quer o bem e a vida digna para todos. Mas nos dá a responsabilidade de o usarmos para promovermos a cidadania para todos. Riquezas materiais, intelectuais e espirituais são acumuladas em mãos de minorias, que nem sempre sabem partilhá-las com ações de promoção da justiça e da solidariedade. O egocentrismo é a pior doença. Quem a tem não pode ser feliz por não colaborar significativamente com a vida de qualidade para os outros. Tal enfermidade precisa ser prevenida e combatida com a educação para a alteridade. Para isso, não basta a formação para um futuro de maior ganho material. Desde o berço deve-se inocular na criança a vacina ou o antídoto contra a busca de vantagens econômicas e culturais sem a hipoteca do amor e da solidariedade. A fé religiosa formatada basicamente na busca do sobrenatural, que reforce o intimismo sem compromisso com o amor, a justiça, a solidariedade e a misericórdia, não consegue perfurar a blindagem do egoísmo. É preciso ativar o uso da dinamite da generosidade e do desprendimento para se  fazer chegar ao âmago da mente e do coração a fertilização do verdadeiro amor. Ele traz a autêntica saúde espiritual e tudo renova na pessoa.

Desta forma, o ser humano aceita como dom o que Cristo veio nos trazer: “Deus nos ressuscitou com Cristo e nos fez sentar nos céus, em virtude de nossa união com Jesus Cristo… é pela graça que sois salvos, mediante a fé” (Efésios 2,.8). Cooperando com o dom da fé, a pessoa a torna transformadora de sua vida e sua conduta, para ajudar a realizar um convívio de maior benefício social e humano. Assim coopera para que a saúde, em todas as dimensões, se torne realidade para todos.

Na história da serpente de bronze, erguida para que os judeus picados de cobra olhassem para ela e ficassem curados, encontramos uma simbologia de também sermos antídotos da doença do egoísmo para os outros (Cf. Jo 3,14-16). O próprio Jesus mandou que seus discípulos fossem luz para o mundo. Precisamos, de fato, ter sempre a energia do amor e da solidariedade para ajudarmos o próximo a enxergar essas mesmas virtudes e também aplicá-las  em sua vida. Desta forma, democratizaremos a saúde da solidariedade para todos.

I Semana de Aleitamento Materno é realizada em Ipatinga

Entre os dias 1º a 7 de agosto, a cidade de Ipatinga estará incluída nas comemorações da XX Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) e da realização da I Semana de Aleitamento Materno de Ipatinga. Durante toda a semana, os moradores da cidade de Ipatinga e região terão a oportunidade de participar de diversas atividades como exposição de fotografia e roda de bate papo sobre o tema central “Amamentação: Uma Experiência em 3D”. O evento acontecerá no Hall do Hospital Márcio Cunha e no Parque Ipanema. As gestantes, mães que estão amamentando e as pessoas interessadas pelo assunto estão convidadas para participar das ações que tem como finalidade comemorar a Semana Mundial do Aleitamento Materno.

Em Ipatinga, o evento é realizado pela Doula Erica Carattiero e pela Enfermeira Nádia Ribeiro da Silva, através da Quero Mamar, em parceria com o Hospital Márcio Cunha, Usisaúde, a Prefeitura Municipal de Ipatinga, através da Secretaria Municipal de Saúde – DEASA,  e Universidade Presidente Antônio Carlos do Vale do Aço (UNIPAC), através dos Cursos de Enfermagem e Fonoaudiologia.

As comemorações iniciam com uma Exposição de Fotografia do dia 1º a 6 de agosto no  Hall do Hospital Márcio Cunha e no dia 7 (domingo), de 10 as 15h, na área de eventos do Parque Ipanema. A Exposição vai retratar mães amamentando em diversas situações como prematuros, recém nascidos (primeiros minutos), amamentação de gêmeos, translactação, deficiente visual amamentando, gestante amamentando criança com mais de dois anos, amamentação simultânea de recém nascido e criança de dois anos e outros.

Durante toda a semana, serão distribuídos folhetos explicativos voltados para gestantes e mães com bebês em fase de amamentação em postos de saúde e Hospital. Para encerrar as atividades da Semana, além da Exposição de Fotografia no dia 7 de agosto (domingo), às 14h, será realizada também no Parque Ipanema uma roda de bate papo, que abordará esclarecimentos sobre amamentação e troca de experiências. Após essa atividade, acontecerá distribuição de brindes toalhinhas, curso de cuidados com o recém-nascido e consulta de consultoria em aleitamento materno. O evento no domingo terá a participação de alunos do curso de Enfermagem e Fonoaudiologia da UNIPAC Vale do Aço e haverá distribuição de balões a partir das 10h.

A I Semana de Aleitamento Materno de Ipatinga faz parte de um projeto de cunho educativo que tem como objetivos: demonstrar para as mães e familiares os benefícios extraordinários da amamentação, tanto para as mães como para seus filhos e em especial a maior proteção contra doenças, e a maior integração entre mãe e filho; estimular atividades de promoção, proteção e apoio à amamentação em toda a sociedade e inclusive na instituição de ensino; apoiar e conscientizar as mulheres para que exerçam seu papel como mães geradoras e alimentadoras de novos seres sociais e sensibilizar a sociedade para que compreendam e apóiem a mulher que amamenta.

Para a consultora em aleitamento materno e Enfermeira da Quero Mamar, Nádia Ribeiro da Silva, a ideia de realizar o evento foi uma iniciativa dela em conjunto com a Doula Érica Carattiero com o intuito de comemorar a Semana Mundial do Aleitamento Materno. “A importância do aleitamento materno se torna cada vez mais evidente e essa prática vem sendo incentivada em todo mundo, especialmente em nosso país, que se tornou modelo para os demais. A Semana da Amamentação é comemorada no mundo, inclusive no Brasil desde 1992. Agora, vamos iniciar este trabalho aqui em Ipatinga”, conclui.

Segundo Erica Carattiero, doula e também designer responsável pela curadoria da exposição de fotos, o objetivo é mostrar, através de fotos de mulheres comuns, que com a busca de informação, paciência e muito apoio, é possível amamentar pelo menos até os 6 meses de vida do bebê, sem precisar usar mamadeiras ou complementos com fórmula. “A escolha das fotos que compõem a exposição foi muito difícil, pela quantidade de fotos disponibilizada pelas mães que participam de listas de discussão sobre parto e amamentação. Gostaríamos de colocar todas nos banners, mas escolhemos algumas que sensibilizam pelo fato de serem histórias de amamentação um pouco atípicas ao que é passado de informações até mesmo em campanhas”.

A Diretora do Departamento de Atenção à Saúde – DEASA, Nara Canêdo, reforça que o aleitamento materno é muito importante na prevenção de doenças na infância. ”As mães devem acreditar no poder da amamentação que traz muitas vantagens para o bebê, além de defesa contra inúmeras doenças na infância.”

Para a coordenadora do curso de Enfermagem da UNIPAC Vale do Aço, Letícia França, a inclusão dos acadêmicos de enfermagem nas ações da SMAM é de importância fundamental para a formação dos futuros profissionais que estarão em contato direto com as gestantes, pois o tema amamentação deve ser trabalhado desde o início da gravidez. É um processo contínuo e não isolado.

Após a semana oficial, a exposição de fotos retornará ao Hall de entrada do Hospital Márcio Cunha de8 a12 de agosto. O público que tiver interesse ainda poderá conferir a mostra de fotos dos dias15 a19 de agosto no Laboratório Vila Rica (Unidade do Canaã) e de22 a31 de agosto, na UNIPAC Vale do Aço no bairro Bethânia.

Semana Mundial de Aleitamento Materno – SMAM

Semana Mundial de Aleitamento Materno é idealizada pela Aliança Mundial para Açãoem Aleitamento Materno(WABA – The World Alliance for Breastfeeding Action) desde 1992. São eventos realizados há 20 anos por pessoas e entidades que apóiam a amamentação em mais de 170 países, e será a primeira vez que Ipatinga faz parte oficialmente desse evento mundial. A cada ano, uma temática faz a chamada para o desenvolvimento das ações. Neste ano, o tema “Amamentação: Uma Experiência em 3D” fala sobre a busca de informações e troca de experiências, que contribuem muito para o sucesso na amamentação

De acordo com a consultora em aleitamento materno e Enfermeira da Quero Mamar Nádia Ribeiro da Silva, neste ano de2011 aSemana Mundial de Amamentação (SMAM) traz uma abordagem muito pertinente. “O foco está na importância da conexão entre mãe e bebê, mas também no suporte do profissional de saúde, da família, dos amigos e especialmente das redes sociais. Mãe que recebe apoio, orientação, informação é uma mãe empoderada. A Mãe encorajada é capaz de identificar um problema, saber como solucioná-lo e, quando não consegue, tem forças e motivação para buscar ajuda imediatamente, sem desmamar ao sinal da primeira dificuldade”.

 

Vacinação contra pólio e sarampo começa amanhã

Crianças menores de 5 anos devem receber neste sábado, 18, a primeira dose da vacina contra a poliomielite (paralisia infantil). Pais e responsáveis devem levar o cartão de vacinação para atualização das doses. A primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação deste ano segue até o dia 22 de julho.

Em São Paulo, Minas Gerais, no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, em Pernambuco, na Bahia, no Ceará e em Alagoas, crianças de 1 a 7 anos também vão receber a vacina tríplice viral – que imuniza contra o sarampo, a rubéola e a caxumba.

Ao todo, 115 mil postos de saúde em todo o país devem funcionar das 9h às 17h. Além das unidades permanentes,shopping centers, rodoviárias e escolas também vão receber postos móveis. Mais de 350 mil profissionais de saúde estarão mobilizados.

A segunda dose da vacina contra a poliomielite será aplicada a partir do dia 13 de agosto. Nesse mesmo dia, os demais estados iniciam a aplicação da tríplice viral.

De acordo com o Ministério da Saúde, a criança só fica completamente protegida contra a paralisia infantil após receber as duas gotinhas previstas.

Crianças com febre acima de 38 graus ou com alguma infecção devem ser avaliadas por um médico antes de receber a vacina. Também não é recomendado vacinar crianças com problemas de imunodepressão (como pacientes com câncer e aids) ou que já apresentaram reação alérgica severa a doses anteriores.

A meta do governo é vacinar 95% do público-alvo – 14,1 milhão de crianças contra a poliomielite e 17 milhões contra o sarampo.