Como o papa Francisco deverá resolver o “problema do celibato”?

AP Photo/Erin Stubblefield

AP Photo/Erin Stubblefield

Eu sou um padre católico casado.

Já fui ministro anglicano. Recebi a ordenação sacerdotal católica graças à provisão pastoral criada por São João Paulo II para permitir que ex-ministros protestantes casados fossem dispensados do voto de celibato a fim de se ordenarem na Igreja católica.

Muitas pessoas acham que a permissão de casamento para os padres resolverá a crise das vocações sacerdotais. Pode até ajudar, mas não será, necessariamente, a solução mágica. Permitir que homens casados ​​sejam ordenados trará tantos problemas novos quantas soluções de problemas velhos. Para começar, a Igreja terá que avaliar muito bem se tem condições de sustentar padres casados e suas famílias. Uma fonte confiável no Vaticano me disse, em conversa privada, que, quando a questão dos padres casados ​​é discutida, são os bispos das igrejas de rito oriental, que permitem o casamento do clero, os que na maioria das vezes mais desaconselham a mudança desta disciplina.

Num artigo publicado recentemente pela mídia, afirmou-se que o papa Francisco teria prometido “resolver o problema do celibato”. Esta declaração, por si só, já levanta uma série de perguntas. Em primeiro lugar, o que viria a ser esse “problema do celibato”? O celibato já seria em si mesmo um problema? Se a maioria dos padres católicos prometeu e viveu o celibato ao longo dos últimos mil anos, não parece que ele seja um problema tão grande a ponto de precisar de urgente reforma. É claro que existem os críticos do celibato. O ex-monge Richard Sipe, por exemplo, escreveu um contundente questionamento do celibato. O mesmo foi feito pelo dissidente católico Donald Cozzens. Enquanto isso, o padre anglicano Ray Ryland, convertido, escreveu em forte defesa tanto do celibato dos sacerdotes quanto da continência perfeita dos padres já casados​​ (ou seja, da abstenção de todas as relações sexuais).

A primeira pergunta a ser feita, portanto, é esta: o que é esse “problema do celibato?”. Existem muitas pressões contra o celibato em nossa sociedade altamente sexualizada. O acesso e a aceitabilidade do “sexo livre” faz com que o celibato pareça muito estranho neste contexto. Além disso, com a diminuição das vocações sacerdotais, mais sacerdotes vivem o peso crescente da solidão; e com a expectativa de vida aumentando, a perspectiva de um voto de celibato pelo resto da vida se torna uma dificuldade maior ainda. O celibato, em si, pode não ser um problema urgente, mas é certamente verdade que a observância do celibato é muitas vezes bem desafiadora.

E como poderia o papa Francisco “resolver o problema do celibato”?

Continuar lendo

About these ads

Da série “Tunica de Jesus”: “pastor” lê errado a Bíblia e comete adultério com fiel. Onde chegamos?

Meu Deus! Quando vi isso no face achei que era piada e de mal gosto. Mas não. É verdade e tão verdade que repórter mostra ao “pastor” como é a leitura correta da palavra. Ah! e Deus revelou isso a ele e a ela. Tudo isso me lembrou piadas internas da igreja em cursos sobre como é importante que a leitura da Palavra seja feita por pessoas bem instruídas como é caso de quando os soldados tentam dividi a túnica de Jesus e conta a piada que alguém leu Tunica e afirmava que Cristo tinha esposa. (kkkk)

Esse é o trecho que o “pastor” leu:

O Senhor disse-me: Ama de novo a uma mulher que foi amada de seu amigo, e que foi adúltera, pois é assim que o Senhor ama os filhos de Israel, embora se voltem para outros deuses e gostem das tortas de uvas. (Oséias 3, 1)

Veja a matéria completa:

Mais uma vez “evangélicos” (#SQN) quebram imagens religiosas

vandalismo_padroeiraO CATEQUISTA | Nesta quarta-feira (16/07), mais um caso de vandalismo contra imagens de santos entristeceu o povo católico: dois jovens evangélicos invadiram a Igreja Matriz de Sacramento-MG e quebraram oito esculturas, entre elas, a imagem de Nossa Senhora do Patrocínio do Santíssimo Sacramento, tombada pelo Patrimônio Histórico Municipal (foto acima). A maioria das imagens destruídas tinha mais de 100 anos. Cadeiras e vitrais também foram destruídos. Fonte: CBN.

Um dos criminosos está preso, outro está foragido. Esse caso vem se somar aos recentes episódios da cidade de Carrapateiras-PB e na cidade de Montes Claros-MG (veja aqui), onde evangélicos também promoveram a destruição de imagens católicas.

Esses acontecimentos estão tendo pouco destaque na grande mídia. Talvez a desculpa seja a de não promover a rixa entre católicos e protestantes. Acreditamos que a maioria dos protestantes reprova tais ataques contra o patrimônio religioso alheio, mas é evidente que está crescendo a intolerância de uma parcela considerável dos evangélicos contra a fé católica. Os fatos estão aí! Tapar o sol com a peneira só vai favorecer a repetição desse tipo de crime.

Ou lideranças as evangélicas conscientizam seus fiéis para que respeitem os objetos de culto alheios, ou terão um número cada vez maior de seus membros fanáticos atrás das grades. Estamos em um país de maioria católica, lembrem-se disso, irmãos! Está também mais do que na hora das autoridades católicas mais eminentes do nosso país se manifestem publicamente contra esses atos, que já estão virando modinha.

- See more at: http://ocatequista.com.br/archives/13481#sthash.6VuEdRe4.dpuf

Hoje é dia de Nossa Senhora do Carmo. Viva a Mãe de Deus e nossa!!!

Ao olharmos para a história da Igreja encontramos uma linda página marcada pelos homens de Deus, mas também pela dor, fervor e amor à Virgem Mãe de Deus: é a história da Ordem dos Carmelitas, da qual testemunha o cardeal Piazza: “O Carmo existe para Maria e Maria é tudo para o Carmelo, na sua origem e na sua história, na sua vida de lutas e de triunfos, na sua vida interior e espiritual”.

Cantemos

Carmelo (em hebraico, “carmo” significa vinha; e “elo” significa senhor; portanto, “Vinha do Senhor”): este nome nos aponta para a famosa montanha que fica na Palestina, donde o profeta Elias e o sucessor Elizeu fizeram história com Deus e com Nossa Senhora, que foi pré-figurada pelo primeiro numa pequena nuvem (cf. I Rs 18,20-45). Estes profetas foram “participantes” da Obra Carmelita, que só vingou devido à intervenção de Maria, pois a parte dos monges do Carmelo que sobreviveram (século XII) da perseguição dos muçulmanos, chegaram fugidos na Europa e elegeram São Simão Stock como seu superior geral; este, por sua vez, estava no dia 16 de julho intercedendo com o Terço, quando Nossa Senhora apareceu com um escapulário na mão e disse-lhe: “Recebe, meu filho, este escapulário da tua Ordem, que será o penhor do privilégio que eu alcancei para ti e para todos os filhos do Carmo. Todo o que morrer com este escapulário será preservado do fogo eterno”.

Vários Papas promoveram o uso do escapulário e Pio XII chegou a escrever: “Devemos colocar em primeiro lugar a devoção do escapulário de Nossa Senhora do Carmo – e ainda – escapulário não é ‘carta-branca’ para pecar; é uma ‘lembrança’ para viver de maneira cristã, e assim, alcançar a graça duma boa morte”. Neste dia de Nossa Senhora do Carmo, não há como não falar da história dos Carmelitas e do escapulário, pois onde estão os filhos aí está a amorosa Mãe.

Oração a Nossa Senhora do Carmo

Oh! Virgem Maria, Mãe de Deus e Mãe também dos pecadores, e especial Protetora dos que vestem teu sagrado Escapulário; Pelo que sua divina Majestade vos engrandece, escolhendo-vos para verdadeira Mãe sua, vos suplico me alcances de teu querido Filho o perdão de meus pecados, a emenda de minha vida, a salvação de minha alma, o remédio de minhas necessidades, a esperança de minhas aflições e a graça especial que peço nesta novena, se convém para sua maior honra e glória, e bem de minha alma: Que eu, Senhora, para consegui-lo me valho de vossa intercessão poderosa, e quisera ter o Espírito de todos os anjos, Santos e justos a fim de poder adorar vos dignamente;

E unindo minhas vozes com seus afetos, vos saúdo uma e mil vezes, dizendo:

Bendita sois sempre Virgem Maria.

Rezar três Ave-Marias

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós!

ORIENTE MÉDIO: 12 horas de oração pela Paz

JovenRezando_DanielIbanez_ACIPrensa(ACI/EWTN Noticias).- Numerosos grupos de jovens na Itália e em vários outros países se unirão aos jovens de Jerusalém que nesta quinta-feira, 17 de julho, dedicarão doze horas de oração contínua pela paz na Terra Santa.

A agência vaticana Fides assinala que em Roma se reunirão na Basílica de Santa Anastásia al Palatino, para realizar 12 horas de oração contínua pedindo ao Senhor o dom da paz na Terra Santa.

A vigília de oração começará às 18h com uma celebração eucarística presidida pelo reitor da Basílica, Padre Alberto Pacini, e continuará até 6h da sexta-feira, 18 de julho, com a Adoração Eucarística.

Esta vigília de oração será feita como resposta ao forte chamado do Papa Francisco que no dia 13 de julho pediu para continuar “rezando com insistência pela paz na Terra Santa, à luz dos trágicos acontecimentos dos últimos dias”.

Para promover esta iniciativa, indica Fides, os jovens convidaram as comunidades, grupos, movimentos e outras realidades a juntar-se a este momento de silêncio, de adoração e intercessão.

Papa pede insistentes orações pela paz no Oriente Médio

000_par7908212-1(ACI).- Rezar nunca é em vão: disse o Papa Francisco após a oração mariana do Angelus, este domingo, ocasião em que fez mais um apelo pelo fim do conflito no Oriente Médio, pedindo que todos continuem rezando com insistência pela paz na Terra Santa.

Referindo-se ao encontro de 8 de junho passado com o Patriarca Bartolomeu, o Presidente Peres e o Presidente Mahmoud Abbas, “alguém poderia pensar que este encontro se realizou em vão”, disse o Papa.

Ao invés não, porque a oração nos ajuda a não nos deixar vencer pelo mal nem nos resignar ao fato de que a violência e o ódio predominem sobre o diálogo e a reconciliação.

O Pontífice exortou israelenses, palestinos e todos os que têm responsabilidades políticas em nível local e internacional a não pouparem oração e esforços para que cesse toda hostilidade e se obtenha a paz desejada pelo bem de todos.

E convidou os fiéis e peregrinos na Praça a um momento de oração silenciosa, depois do qual pronunciou as seguintes palavras:

Agora, Senhor, ajuda-nos Tu! Doa-nos Tu a paz, ensina-nos Tu a paz, guia-nos Tu rumo à paz. Abre os nossos olhos e doa-nos a coragem de dizer: “nunca mais a guerra!”; “com a guerra, tudo está perdido!”. Infunde em nós a coragem de realizar gestos concretos para construir a paz… Torna-nos disponíveis a ouvir o clamor dos nossos cidadãos que nos pedem para transformar as nossas armas em instrumentos de paz, os nossos medos em confiança e as nossas tensões em perdão.

#PauseforPeace: una-se à campanha para que na final da Copa se faça uma “Pausa pela Paz”

Aqui o blogueiro que vos escreve. Vamos participar. #Pauseforpeace

Aqui o blogueiro que vos escreve. Vamos participar. #Pauseforpeace

(ACI).- Este domingo será a final da Copa do Mundo de Futebol Brasil 2014 e se espera que a partida entre a Argentina e Alemanha quebre recordes de sintonia em todo mundo. Ao mesmo tempo milhares de pessoas seguirão o evento sofrendo os estragos da guerra no Oriente Médio e outras partes do mundo e para chamar a atenção sobre este drama, o Vaticano lançou a campanha #PauseforPeace / #PausaporlaPaz  pedindo um momento de silêncio antes do encontro.

Em poucas horas, o tema se tornou viral nas redes sociais e é necessário somar esforços. Uma das ideias é compartilhar fotos com a etiqueta #PauseforPeace. Para ajudar na campanha animamos os brasileiros a tirarem fotos exibindo o logotipo da iniciativa e compartilhá-la no Facebook,  Twitter ou sua rede social favorita com o hashtag #PAUSEforPeace.

“Os esportes nasceram ao redor de festividades religiosas. Os eventos esportivos eram momentos de paz quando as guerras cessavam, um momento para a trégua olímpica”, explicou Mons. Melchor Sánchez de Toca y Alameda, Subsecretário do Pontifício Conselho para a Cultura e encarregado da seção de cultura e esporte. “Por que não para a Copa do Mundo (de futebol)? Por que não uma pausa, um momento de silêncio, uma trégua pela paz?”.

Falando de lugares onde a violência tem afugentado a paz, até o momento a ofensiva Israelense na Faixa Gaza –iniciada há quatro dias-, ocasionou cerca de 100 mortos e perto de 700 feridos, incluindo mulheres e crianças.

Várias pessoas aderiram a campanha.

Várias pessoas aderiram a campanha.

As autoridades de Israel assinalaram que a operação procura frear o lançamento de mísseis por parte do Hamas, grupo radical islâmico, contra território israelense, os quais em sua grande maioria são interceptados pelo sistema antimíssil isralense. Além disso, acusaram o grupo islâmico de ocultar-se em zonas civis e não deixar que as pessoas abandonem o lugar a pesar do anúncio dos bombardeios.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, anunciou na quinta-feira um endurecimento da operação militar na Gaza e inclusive a preparação de uma ofensiva terrestre, o qual traria mais vítimas.

O desencadeante da crise atual foi o sequestro e assassinato de três jovens judeus, seguidos da morte de um jovem palestino, supostamente em vingança pela morte dos rapazes hebreus.

O Egito está tentando um cessar fogo. Mas, assinalam fontes da imprensa, que os esforços estão fracassando pela “teimosia” das partes que querem por um lado a subida ao poder da irmandade muçulmana e outras que reivindicam um governo mais igualitários.

Por que não uma pausa pela paz? Compartilhe sua foto! O símbolo da campanha pode ser baixado AQUI.   Ou clique na imagem abaixo.

Símbolo da campanha.

Símbolo da campanha.