Viva a São Jorge!!!

Conhecido como ‘o grande mártir’, foi martirizado no ano 303. A seu respeito contou-se muitas histórias. Fundamentos históricos temos poucos, mas o suficiente para podermos perceber que ele existiu, e que vale à pena pedir sua intercessão e imitá-lo.

Pertenceu a um grupo de militares do imperador romano Diocleciano, que perseguia os cristãos. Jorge então renunciou a tudo para viver apenas sob o comando de nosso Senhor, e viver o Santo Evangelho.

São Jorge não queria estar a serviço de um império perseguidor e opressor dos cristãos, que era contra o amor e a verdade. Foi perseguido, preso e ameaçado. Tudo isso com o objetivo de fazê-lo renunciar ao seu amor por Jesus Cristo. São Jorge, por fim, renunciou à própria vida e acabou sendo martirizado.

Uma história nos ajuda a compreender a sua imagem, onde normalmente o vemos sobre um cavalo branco, com uma lança, vencendo um dragão:

“Num lugar existia um dragão que oprimia um povo. Ora eram dados animais a esse dragão, e ora jovens. E a filha do rei foi sorteada. Nessa hora apareceu Jorge, cristão, que se compadeceu e foi enfrentar aquele dragão. Fez o sinal da cruz e ao combater o dragão, venceu-o com uma lança. Recebeu muitos bens como recompensa, o qual distribuiu aos pobres.”

Verdade ou não, o mais importante é o que esta história comunica: Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé. Se compadeceu do povo porque foi um verdadeiro cristão. Isto é o essencial.

Ele viveu sob o senhorio de Cristo e testemunhou o amor a Deus e ao próximo. Que Ele interceda para que sejamos verdadeiros guerreiros do amor.

São Jorge, rogai por nós!

E o Papa Francisco vai para Cuba

O papa Francisco fala aos fiéis da Praça São Pedro, no Vaticano, durante o Ângelus (Foto: Andreas Solaro/AFP)

O papa Francisco fala aos fiéis da Praça São Pedro, no Vaticano, durante o Ângelus (Foto: Andreas Solaro/AFP)

(ACI/EWTN Noticias).- O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, confirmou hoje que o Papa Francisco visitará Cuba no próximo mês de setembro antes de sua viagem aos Estados Unidos.

O Pe. Lombardi assinalou: “posso confirmar que o Santo Padre Francisco, tendo recebido e aceito o convite por parte das autoridades civis e dos bispos de Cuba, decidiu efetuar uma etapa na ilha antes de chegar aos Estados Unidos com motivo da viagem anunciada já há algum tempo”.

Ainda não se sabe a data exata e os detalhes do novo destino do Pontífice, mas a confirmação chega depois de que a Santa Sé afirmou que estava estudando a possibilidade da viagem.

Além disto, hoje, 22, chegou a Cuba o Cardeal Beniamino Stella, Prefeito da Congregação do Clero, que permanecerá até o 28 de abril. O Cardeal foi Núncio em Cuba de 1993 a 1999 e ajudou a organizar a visita de São João Paulo II em 1998, a primeira vez que um Papa foi à ilha, e a de março de 2012 realizada pelo agora Papa Emérito Bento XVI.

A visita do Cardeal Stella ocorre após o anúncio do dia 17 de dezembro, quando Cuba e Estados Unidos anunciaram o reinicio das relações diplomáticas e reconheceram a contribuição fundamental que a Santa Sé teve neste processo.

O Papa Francisco viajará aos Estados Unidos no próximo mês de setembro para participar do Encontro Mundial das Famílias entre os dias 22 a 25 desse mês na Filadélfia.

Papa Francisco: ” a mulher não é replica do homem”

(ACI).- Conforme anunciou na semana passada, o Papa Francisco falou novamente na catequese desta quarta-feira sobre o homem e a mulher, aprofundando desta vez o tema da complementariedade de ambos.

O Papa deteve-se no segundo capítulo do libro do Gênesis, quando Deus fala de como “criou o homem do pó da terra e o homem tornou-se um ser vivo”.

Uma declaração que vai de encontro as teorias feministas.

Uma declaração que vai de encontro as teorias feministas.

Para o Papa, este “foi o momento culminante da criação, mas algo estava faltando. Então, Deus coloca o homem em um belo jardim para cultivar e cuidar da criação”.

O Santo Padre disse ainda que “a Bíblia nos diz algo precioso: o homem encontra a mulher, eles se encontram e o homem deve deixar tudo para encontrá-la totalmente. Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá a ela. Esse acontecimento é lindo! Eles começam juntos um novo caminho. O homem é totalmente para a mulher e a mulher é totalmente para o homem.”

Francisco comentou como Deus viu que não era bom que o homem estivesse sozinho. “Era como uma falta de comunhão, faltava ‘uma’ comunhão, havia uma falta de plenitude.” Finalmente, Deus criou a mulher e o “homem acolhe exultante essa criatura, e reconhece que ela é parte dele.”

“Há uma reciprocidade entre eles”, disse. Com a imagem bíblica da costela de Adão, da qual Eva é plasmada por Deus, não se quer afirmar uma inferioridade ou subordinação da mulher – ela não é uma réplica do homem-, mas expressa uma reciprocidade neles, que o homem e a mulher são da mesma substância e se complementam”.

“E o fato de que Deus na parábola crie a mulher, enquanto o homem dorme, não significa que ela é a criatura do homem, mas de Deus” e “para encontrar a mulher o homem primeiro precisou sonhar “.

O pontífice disse que “a fidelidade de Deus no homem e na mulher, a quem Ele confia a terra, é generosa, é directa e total”. Mas “o maligno faz surgir em suas mentes suspeitar e desconfiar de Deus” e, finalmente, “desobedecer ao mandamento que os protegia. Caíram nessa ilusão de onipotência que contamina tudo e destrói a harmonia.” “Também é algo que sentimos dentro de nós mesmos muitas vezes”, afirmou.

Sobre o pecado, o Papa explicou que este “gera indiferença e divisão entre homem e mulher. Seu relacionamento será prejudicado de muitas formas de abuso e subjugação, sedução e arrogância humilhante, às vezes pode ser dramático e violento “.

“Pensemos, por exemplo, nos excessos negativos das culturas patriarcais. Pensemos nas múltiplas formas de machismo, em que a mulher é considerada de segunda classe. Na instrumentalização e mercantilização do corpo feminino na atual cultura mediática. ” O Papa citou ainda uma recente “epidemia” de ceticismo, e até mesmo de hostilidade que se difunde na nossa cultura, em especial a partir de uma compreensível desconfiança por parte das mulheres, em relação a uma aliança saudável entre os gêneros.

Para Francisco, a desvalorização social desta aliança é certamente uma perda para todos, e os filhos virão ao mundo sempre mais desarraigados. “Devemos honrar o matrimônio e a família! ”, concluiu.

“A desvalorização social da aliança estável entre o homem e a mulher é certamente uma perda para todos,” portanto, ” é importante que o matrimonio e a família sejam valorizados”.

Finalmente, Francisco afirmou que “os cuidados desta aliança entre o homem e a mulher, mesmo na sua condição de pecadores, é para nós cristãos uma vocação de compromisso e valentia no mundo de hoje “.

Bispo é ameaçado de morte na Ilha de Marajó

A situação da Ilha de Marajó e muito crítica. Recentemente, Padre Marços, que hoje atua em João Monlevade-MG, esteve em minha comunidade. Explicou como são os mandos e desmandos dos coronéis na região, sem cotar a impunidade. Antes dessa matéria sair, ele disse que Dom José Azcona, cuja minha diocese é irmã da Prelazia de Marajó e já esteve várias vezes por aqui, em Itabira/Cel. Fabriciano, estava ameaçado.

Defender a vida naquela região é dar a morte. Em sua reflexão ele disse que o “batizado não pode ter mede de dar o pescoço pelo reino de Deus”, afirmou Padre Marcos.

Gente, oremos pelos sacerdotes que lá estão, o bispo e principalmente pelo povo de Deus que vaga sem ajuda da lei dos homens, mas confiados a misericórdia de Deus.

Sobre as declarações do Padre Fábio de Melo

Prefiro não escrever um texto sobre isso, quando os irmãos do O Catequista já o fizeram de forma sublime e corretíssima. Cair no relativismo como fez o padre, no leva a aceitar as consequências dessa união estável que destabiliza a família, verdadeira.

No Dia Mundial do Café, qual relação entre a bebida e os papas?

Hoje, 14 de abril, é o Dia Mundial do Café – e certamente não vai faltar gente disposta a celebrar muito bem essa data saboreando o próprio “homenageado”, que tem fãs fervorosos em todos os lugares.

Para acompanhar a merecida pausa de hoje para um bom cafezinho (ou vários), aqui vão três casos curiosos sobre o café e três papas!

CLEMENTE VIII

Diz a lenda que, no século XVII, vários padres italianos pediram ao papa Clemente VIII (1536-1605) que proibisse o consumo de café, então considerado uma “bebida projetada por Satanás para os infiéis”. É que o café, de fato, era muito popular entre os turcos muçulmanos, os dervixes sufistas e as tribos africanas não cristãs.

O papa, muito prudente, quis conhecer melhor a situação e pediu um café para provar. Conforme o relato da escritora britânica Claudia Roden em seu livro “Coffe: A Connoisseur’s Companion“, de 1981, o papa teria provado um café da melhor qualidade e, logo em seguida, declarou:

“Pois bem. Esta ‘bebida de Satanás’ é tão deliciosa que seria um pecado deixá-la somente para os infiéis. Enganemos Satanás batizando-a!”

PAULO VI

Issa é um cristão árabe de Jerusalém. Em 1963, ele trabalhava na empresa responsável pela manutenção elétrica do Santo Sepulcro. No começo do ano seguinte, o papa Paulo VI iria visitar a Terra Santa e Issa confidenciou um grande desejo ao seu pároco: “Eu gostaria de encontrar o papa!”. Mas Issa não obteve nenhuma resposta.

No dia 6 de janeiro de 1964, o pároco pediu a Issa e à sua esposa Leila: “Estendam um belo tapete vermelho na entrada”. Os dois jovens obedeceram. Pouco depois, Paulo VI em pessoa apareceu, cumprimentou o vizinho, ouviu em confissão uma pessoa gravemente doente e aceitou uma xícara de café oferecida por Leila.

“Foi uma surpresa! Não esperávamos que Paulo VI entrasse mesmo na nossa casa”, conta o casal, ainda cheio de emoção, do alto dos seus 80 anos de idade e muitas histórias para compartilhar.

Ah, sim: sabe o que eles fizeram com a xícara em que o papa tomou seu café?

FRANCISCO

No começo de 2014, o jornalista espanhol José Manuel Vidal visitou a Casa Santa Marta e ficou surpreso com a simplicidade do almoço que é servido ao papa Francisco e aos seus colaboradores.Ele conta que, no centro de cada mesa, havia uma fruteira com bananas, kiwis e tangerinas. Ao lado, uma garrafa de água com gás e duas garrafas de vinho: um tinto e um branco, de rótulos “simples e populares”. O primeiro prato foi um macarrão parafuso “normalzinho”; o segundo, escalope “apenas passável”, com guarnição de ervilhas e pimentões fritos. Quem quisesse salada de alface podia se levantar e servir-se. Como sobremesa, fruta. E, isto sim, um bom café: “espresso” ou “macchiato”.

Sabemos que Francisco gosta de chimarrão, mas também sabemos que, nas poucas vezes em que viajava para Roma quando ainda era cardeal de Buenos Aires, Bergoglio gostava de tomar um “caffè ristretto” (curto) encostado ao balcão de alguma cafeteria, enquanto dava uma caminhada.

Outra curiosidade interessante para os brasileiros: durante a sua estadia no Brasil em 2013, o papa Francisco saboreou o café baiano “Natura Gourmet”. Mas isto não foi novidade para ele (nem teria sido para Bento XVI): esse café, produzido em Ibicoara, na Chapada Diamantina, é consumido em todo o Vaticano desde 2010, quando o produto foi selecionado para atender a demanda da Cidade-Estado!

O papa até pode ser argentino. Mas o café que ele toma é brasileiro!

sources: ALETEIA

Papa: “são duas as coisas que o povo de Deus não pode perdoar: um padre apegado ao dinheiro e um padre que maltrata as pessoas”

Papa Francisco: não deixar celebrar casamento com missa é "pecado de escândalo"

Papa Francisco: não deixar celebrar casamento com missa é “pecado de escândalo”

O texto é do ano passado, mas a “catracada’ é atualíssima. Vejam:

//////////////////////////////

A Igreja nunca seja um comércio, pois a redenção de Cristo é gratuita. Esta foi a mensagem de hoje do Papa Francisco na missa em Santa Marta, na Festa Litúrgica da Apresentação da Virgem Santa Maria no Templo.

Na sua breve reflexão, o Papa sublinhou a Liturgia de hoje que propõe a passagem evangélica na qual Jesus expulsa os vendilhões do Templo, que transformam a casa de oração em covil de ladrões. Este gesto de Jesus é um verdadeiro ato de purificação: o Templo tinha sido profanado e, como tal, também o Povo de Deus, profanado com o grande pecado do escândalo. E o Papa acrescentou que este tipo de comportamento pode escandalizar o povo, mesmo hoje em dia. Quantas vezes, ao entrarmos na igreja, deparamos com uma lista de preços: batizados, bênçãos, intenções de Missa afirmou o Santo Padre que contou uma pequena história.

“Uma vez, recentemente ordenado, eu estava com um grupo de universitários, e um casal queria se casar. Tinham ido a uma paróquia: mas queria casar-se com Missa. E lá, o secretário paroquial disse: – ‘Não é possível’. Mas porque não se pode casar com Missa? Se o Concílio recomenda fazer sempre com a Missa…’. ‘Não é possível porque não podemos passar de 20 minutos’. – ‘Mas por quê’? – ‘Porque tem outros horários marcados’. – ‘Mas nós queremos a Missa’. – ‘Então vocês devem pagar dois horários’. E para casar com Missa tiveram que pagar dois horários. Este é umpecado de escândalo”.

O Papa Francisco recordou ainda: “Sabemos o que Jesus diz àqueles que são motivo de escândalo: “É melhor que sejam atirados ao mar”.

“Quando aqueles que estão no Templo – sejam sacerdotes, leigos, secretário, mas que precisam administrar a Pastoral do Templo – transformam-se em homens de negócio, o povo se escandaliza. E nós somos responsáveis por isto. Os leigos, inclusive! Todos. Porque se vejo que isso acontece na minha paróquia, devo ter a coragem de dizer isso cara a cara ao pároco. E as pessoas sofrem aquele escândalo. É curioso: o povo de Deus sabe perdoar os seus sacerdotes que apresentam alguma fraqueza, que escorregam num pecado… sabe perdoar. Mas são duas as coisas que o povo de Deus não pode perdoar: um padre apegado ao dinheiro e um padre que maltrata as pessoas.”

“Porque a redenção é gratuita; Ele vem trazer a gratuidade de Deus, a gratuidade total do amor de Deus. E quando a Igreja ou as Igrejas se tornam comércio, diz-se que …, não é tão gratuita, a salvação… É por isso que Jesus pega o chicote na mão para fazer este rito de purificação no Templo. Hoje a liturgia celebra a Apresentação de Nossa Senhora no Templo: da menina… Uma mulher simples, como Ana que está naquele momento, e entra Nossa Senhora. Que ela ensine a todos nós, a todos os pastores, a todos aqueles que têm responsabilidades pastorais, a manter limpo o Templo, para receber com amor os que vêm, como se cada um deles fosse Nossa Senhora”.

(Por Aleteia, com Rádio Vaticano – sources: RÁDIO VATICANO