Após escândalos e encontro com Papa bispos chilenos renunciam

Como foi amplamente divulgado na mídia, a Igreja no Chile passa por uma crise sem precedente. O mal que lhes afeta afeta a Igreja de Cristo há tempos. Abusos sexuais cometidos por sacerdotes. Infelizmente a “fumaça de Satanás” ocupa a parte humana da Igreja.

E como na maioria das vezes, a Igreja não expõe seus sacerdotes. Bispos omitem as informações no famoso “abafa o caso”. O que sabemos que há sim alguns que o fazem, mas que na maioria dos casos há punições internas. Questionáveis. Principalmente por parte das vítimas.

Hoje, quando via o jornal, vi que todos os bispos colocaram seus cargos há disposição. Renunciaram. E na matéria abaixo pedem perdão a todos pelos erros. Confira.

————————————-

Cidade do Vaticano | Vatican News |Depois de três dias de encontros com o Santo Padre e muitas horas dedicadas à meditação e à oração, seguindo as indicações do Papa Francisco, os bispos da Conferência Episcopal Chilena divulgaram a seguinte declaração:

“Antes de tudo, agradecemos ao Papa Francisco pela sua escuta paterna e a sua correção fraterna. Mas, sobretudo, queremos pedir perdão pela dor causada às vítimas, ao Papa, ao Povo de Deus e ao nosso país pelos graves erros e omissões cometidos por nós.

Agradecemos também a Dom Scicluna e ao Rev. Jordi Bertomeu por sua dedicação pastoral e pessoal, e pelo esforço investido nas últimas semanas para tentar sanar as feridas da sociedade e da Igreja no nosso país.

Agradecemos às vítimas por sua perseverança e sua coragem, não obstante as enormes dificuldades pessoais, espirituais, sociais e familiares que tiveram que enfrentar, unidas com frequência à incompreensão e aos ataques da própria comunidade eclesial. Mais uma vez imploramos o seu perdão e sua ajuda para continuar a avançar no caminho do tratamento das feridas para que possam ser sanadas.

Em segundo lugar, queremos comunicar que todos nós presentes em Roma, por escrito, colocamos os nossos cargos nas mãos do Santo Padre, para que Ele decida livremente por cada um de nós.

Nós nos colocamos em caminho, sabendo que esses dias de diálogo honesto representam uma pedra angular de um profundo processo de transformação guiado pelo Papa Francisco. Em comunhão com ele, queremos restabelecer a justiça e contribuir para a reparação do dano causado, para dar novo impulso à missão profética da Igreja no Chile, cujo centro sempre deveria ter sido em Cristo.

Desejamos que a face do Senhor volte a resplandecer na nossa Igreja e nos empenhemos para isso. Com humildade e esperança, pedimos a todos que nos ajudem a percorrer esta estrada.

Seguindo as recomendações do Santo Padre, imploramos a Deus que nessas horas difíceis, mas repletas de esperança, a Igreja seja protegida pelo Senhor e por Nossa Senhora do Carmo.

Os bispos da Conferência Episcopal Chilena”

O que pensar sobre tudo isso?

Para nós leigos é difícil entender as vezes o comportamento da Igreja. O próprio Papa Francisco já se posicionou fortemente contra a qualquer omissão, mas exige uma exortação caridosa de quem errou. E não pense  em correção caridosa como punição branda, mas uma punição justa.

Particularmente, sobre esse assunto, penso que a Igreja devia agir com mais firmeza e menos política. Esses casos geram desgastes incalculáveis. Coloca a fé na Santa Igreja como porta voz de Cristo em xeque.

No entanto, cabe a nós cristãos orarmos fortemente nesta batalha espiritual contra as ciladas dos demônio. Sempre na esperança de não haver mais tantas atrocidades dentro da Igreja de Cristo.

por Marquione Ban

Congregação para a Doutrina da Fé declara inocente bipo chileno acusado de abusos sexuais

Dom Cristián Contreras Molina (Foto Bispado de São Felipe)
Dom Cristián Contreras Molina (Foto Bispado de São Felipe)

(ACI/EWTN Noticias).- Depois de uma investigação exaustiva, a Congregação para a Doutrina da Fé no Vaticano definiu que as acusações de abusos sexuais contra o Bispo de São Felipe, Dom Cristián Contreras Molina, não são certas e que não existem elementos que o incriminem.

A informação foi divulgada hoje pelo Bispado de São Felipe em uma conferência de imprensa na qual se leu uma declaração pública sobre a conclusão da investigação anunciada em fevereiro deste ano, uma investigação que foi solicitada pelo mesmo bispo que sempre defendeu a sua inocência.

A declaração assinala que a Congregação para a Doutrina da Fé determinou que “estas acusações não são certas e estabeleceu a ausência de elementos que o incriminem”.

“Esta denúncia também foi objeto de uma investigação exaustiva em foro civil, disposta pelo Ministério Público, investigação que foi arquivada por falta de antecedentes”, precisa o texto. “Em ambas as indagações Dom Contreras Molina prestou a sua decidida e plena colaboração”, acrescentou.

Ante as perguntas da imprensa, o Prelado foi claro ao assinalar que não tem cabimento na Igreja os sacerdotes “que abusam dos menores, isto significa que eu sempre segui o protocolo da Igreja e isso indica que diante de qualquer denúncia é necessário seguir esse protocolo”.

“Sempre disse que esta acusação era uma calúnia, agora estou tranquilo, não tenho dúvidas de que o povo de Deus sabe quem são os seus pastores e recebi todo o apoio da minha família, da comunidade e dos sacerdotes”, indicou o Bispo de São Felipe.

A declaração indica também que “com fé e confiança em Jesus Cristo, o Bispo renova a sua adesão ao ministério que lhe foi confiado. Junto com agradecer a oração do Povo de Deus, continuará rezando por aqueles que lhe acusaram de delitos graves que ele mesmo denunciou de acordo com os procedimentos da Igreja”.

Com a conclusão da investigação canônica, Dom Contreras Molina disse que para ele se fecha este capítulo e que não falará das pessoas que o denunciaram falsamente.

Deus é a base da cultura: legalizar a maconha não resolve o problema das drogas, afirma Arcebispo de Santiago

Arcebispo de Santiago, Dom Ricardo Ezzati.

(ACI).- O Arcebispo de Santiago (Chile), recordou à sociedade que a cultura atual “tem um fundamento que é Deus”; além de assinalar a necessidade imediata de uma melhor distribuição da riqueza para melhorar a confiança no país. O Prelado advertiu ainda em recentes declarações ao jornal Mercurio, reproduzidas pelo site Iglesia.cl, que legalizar a maconha não solucionará o problema das drogas no país.

“Preocupa-me a crise de confiança no mundo político. O Chile pode crescer muito mais, muito mais em eqüidade, em solidariedade, em superação da extrema pobreza e pobreza, em uma distribuição justa dos bens. Isto, na medida em que a arte de governar encontre a confiança dos diversos projetos e haja uma colaboração para procurar o bem comum”, expressou.

Dom Ezzati afirmou que isto se deve ao fato que a sociedade do bem-estar “não avançou ao mesmo ritma no aprofundamento da relação com o outro”. Para isso, indicou, é preciso trabalhar na transmissão de valores dentro das famílias, porque “se os pais tiverem confiança nos seus filhos, os filhos acolherão o patrimônio que os pais transmitem”.

Do mesmo modo, durante a entrevista o Arcebispo afirmou que conforme as instituições e a sociedade chilena amadureçam, a mediação da Igreja já não será necessária na solução de conflitos.

“É bom que a Igreja vá perdendo seu papel mediador, que ela vá cedendo, porque isto quer dizer que a sociedade é capaz de solucionar seus próprios problemas, embora sempre estaremos disponíveis”, assinalou.

Sobre os casos de abusos sexuais cometidos por alguns clérigos, o Prelado disse que se está vivendo um segundo momento de recuperar a confiança. “Dependerá fundamentalmente da claridade com a que atuamos aqueles que temos responsabilidades na Igreja, e sobre tudo da qualidade da imensa maioria de sacerdotes que são muito queridos em suas comunidades”, assinalou.

Nesse sentido, recordou a transparência com a que a Igreja atuou diante dos casos de abusos.
“Não sei se outras instituições foram tão abertas como a Igreja Católica para pôr sobre a mesa problemáticas dessa natureza. Não parece que sejamos heróis, reconhecemos nossa responsabilidade e rêmora”, expressou.

Mons. Ezzati também afirmou que os jovens têm razões para protestar contra o lucro na educação, pois “descuidou-se uma dimensão que é fundamental que é a gratuidade, e não só a gratuidade econômica, mas também a gratuidade do fato educativo, da entrega educativa”. Entretanto, esclareceu que a violência nunca é aceitável.

Finalmente, o Arcebispo da capital chilena rechaçou que o combate às drogas seja feito legalizando o consumo da maconha, pois isto terminará prejudicando os próprios jovens. O necessário é a prevenção, afirmou.

Sacerdote culpado de abusos no Chile foi expulso do estado clerical

(ACI/EWTN Noticias).- A Arquidiocese de Santiago do Chile informou que depois do devido processo penal feito ao Padre Héctor Valdés Valdés, acusado de abusos sexuais contra dois menores de idade, o presbítero foi culpado e foi condenado à pena perpétua de demissão do estado clerical e foi, além disso, expulso do instituto religioso ao que pertencia.

Em um comunicado de imprensa divulgado pelo Departamento de Comunicações da Arquidiocese de Santiago, informa-se que em maio de 2012 a Congregação para a Doutrina da Fé encarregou ao Arcebispo de Santiago, Dom Ricardo Ezzati, instruir um processo administrativo penitenciário contra o Padre Valdés.

Logo depois de concluído o processo penal e conforme o Direito Canônico e as normas da Santa Sé sobre os delitos mais graves, o “sacerdote Valdés foi declarado culpado do delito de abusos sexuais de menores de idade contra duas vítimas, e de abuso de ministério”.

O texto precisa ademais que “com a autorização da Congregação para a Doutrina da Fé, condenou-se o Padre Valdés à pena perpétua de demissão do estado clerical e de demissão do Instituto religioso ao que pertence. Em consequência, fica retirado por toda a vida do exercício do ministério sacerdotal e da vida religiosa”.

Finalmente o texto assinala que o decreto com esta condenação tem data de 19 de abril de 2013 e se indica que o sacerdote poderá apelar da sentença no lapso de 60 dias hábeis contados a partir de 24 de abril, quando se notificou a Valdés.

A decisão da Arquidiocese de Santiago, como em outros casos similares, é consequente com a política de “tolerância zero” alentada pelo Bispo Emérito de Roma, Bento XVI, quem estabeleceu uma série de normas e procedimentos para sancionar os sacerdotes culpados de abusos sexuais.

Esta política foi reafirmada e alentada pelo Papa Francisco. No último dia 5 de abril, a Congregação para a Doutrina da Fé no Vaticano divulgou um comunicado no que se informou que “o Santo Padre recomendou em particular modo que a Congregação, continuando na linha querida por Bento XVI, atue com decisão no que diz respeito aos casos de abusos sexuais”.

Além de alentar as conferências episcopais a seguir o devido processo com os culpados de abusos, o Papa assegurou “que em sua atenção e em sua oraçãopelos que sofrem, as vítimas de abusos estão presentes de modo particular”.

CHILE: A IGREJA LANÇA A QUARESMA DA FRATERNIDADE 2012

A Igreja católica no Chile lançou a campanha Quaresma da Fraternidade 2012, orientada a apoiar os jovens em situação de vulnerabilidade social. De 22 de fevereiro a 1º de abril, a campanha promove o lema “40 dias para mudar histórias de jovens necessitados”.

A iniciativa foi apresentada em coletiva de imprensa, nesta terça-feira (21), por Dom Ricardo Ezzati, arcebispo de Santiago e presidente da Conferência Episcopal do Chile, junto com o secretário executivo da campanha, Damián Cantón. Participaram no lançamento universitários do Programa Bolsas de Apoio e Formação, concedidas pela Fundação Puente, um dos projetos beneficiados pela iniciativa.

Dom Ezzati recordou que a quaresma é uma oportunidade propícia de preparar o espírito para o grande mistério que celebraremos na semana santa, a páscoa da ressurreição. “A Igreja nos convida a viver profundamente este período de reflexão, oração e conversão, com um modo de vida austero e simples, cultivando uma especial solidariedade para com as pessoas que sofrem e passam mais necessidades”. O arcebispo acrescentou que não se trata apenas de dar o que nos sobra, mas de praticar uma “cultura do doar”, de compartilhar os nossos bens com os marginalizados, para crescermos juntos com menos desigualdade.

O presidente da conferência episcopal chilena destacou que os bispos do país quiseram priorizar o foco da pastoral e da ação social da Igreja nos jovens com menos possibilidades de melhorar suas condições de vida.

Damián Cantón observa que os intensos protestos de rua realizados recentemente pelos estudantes do Chile evidenciaram que os segmentos juvenis são os que mais sofrem as situações de pobreza e de desigualdade existentes no país. “Não podemos nos resignar à constatação desta grave dívida social. Como Igreja, queremos contribuir, com a generosidade de todos os crentes, para mudar a história de vida de tantos jovens deixados de lado. Nós vimos os frutos esperançadores que esses projetos dão, e isso nos anima a reavivar o nosso empenho nesta Quaresma da Fraternidade”.

A generosa contribuição dos fiéis à campanha possibilita que os jovens mudem de fato a sua história. “Temos quarenta dias para ajudar, através das coletas nas paróquias, capelas e colégios. Também temos uma conta corrente específica para a campanha”, explicou o secretário executivo.

A Quaresma da Fraternidade 2012 pretende arrecadar um bilhão de pesos chilenos (cerca de 3,5 milhões de reais) para apoiar projetos em todo o país.

Do montante arrecadado, 30% se destina a projetos sociais. Desde o ano 2000, a campanha já financiou 421 projetos. Cantón explica que 82 iniciativas estão sendo executadas atualmente no Chile, o que permite trabalhar conjuntamente com 2.300 jovens.

Entre os projetos que receberam o apoio da Quaresma da Fraternidade, encontra-se a Fundação Puente, organização privada sem fins lucrativos fundada em 1996 pelo sacerdote diocesano Andrés Moro Vargas, que acolhe, apoia e forma jovens estudantes em situação de vulnerabilidade social. O programa beneficia mais de 170 jovens de 18 a 30 anos, que cursam uma faculdade ou fazem um curso técnico em Santiago, a fim de se tornarem profissionais íntegros.

A diretora do organismo, Carolina Farfán, afirma que o apoio da Quaresma da Fraternidade tem ajudado a “dar um melhor acompanhamento e formação aos jovens que participam do programa”.

Para mais informações (em espanhol): www.cuaresmadefraternidade.cl.

Congresso Internacional “Igreja e Cultura Digital”, em outubro, no Chile

De 17 a 20 de outubro, acontecerá em Santiago, Chile, o Congresso Internacional “Igreja, Comunicação e Cultura Digital”, organizado pela Rede de Informática da Igreja na América Latina (RIIAL).

O Congresso é promovido pelo Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais (PCCS) e o Conselho Episcopal Latino Americano (Celam), junto com a Conferência Episcopal do Chile e Pontifícia Universidade do Chile. O PCCS, dom Claudio María Celli, marcará presença no evento, além de todos os bispos e assessores do Continente Latino Americano da comunicação e especialistas e profissionais da área.

De acordo com a coordenadora Geral da RIIAL, Leticia Soberón, o encontro dirigirá “um olhar lúcido, sem ingenuidade, porém cheio de esperança para a sociedade digital de hoje, para discernir suas oportunidades e evitar seus riscos. Nosso objetivo é conhecer melhor a cultura comunicativa para anunciar Jesus Cristo em sua própria linguagem, realizando a Missão Continental, suscitando autêntica comunhão numa sociedade hiper comunicada onde as pessoas se sentem com freqüência solitárias”.

Soberón afirmou ainda que o Congresso deseja lançar uma “decidida luta contra a exclusão digital de pessoas e comunidades, estudando o mapa da conectividade da Igreja onde estão as comunidades que não têm acesso ao banquete da cultura e do intercâmbio pela Internet, para contribuir também com suas próprias experiências”. Ela acrescentou que, como em uma mesa comum, vai tentar colocar juntos aqueles que possuem soluções com aqueles que as buscam.

O evento também vai recolher os frutos de vários anos de trabalhos realizados no continente por diversas entidades e pessoas, além do PCCS, o Celam e as Conferências Episcopais, como são as associações de comunicadores SIGNIS e OCLACC, o Centro Guadalupe e o Grupo de Investigação e Reflexão da RIIAL, a Associação de Servidoras, CAMECO e tantos outros serviços e meios eclesiais de comunicação.

Temas e participação

O Congresso inclui três grandes campos temáticos: Teológico e Pastoral, Inclusão digital e Aplicativos (discernimento tecnológico ante as diversas necessidades). O modo de participação pode ser: presencial ou virtual.

O programa do Congresso, o modo de participação e as contribuições do processo de preparação, se encontram disponíveis no site do congresso: http://www.riial.org/congreso.

CEBs criarão escola à distância para formação bíblica e teológica

 

CEB's - Comunidades Eclesiais de Base

A criação de uma escola à distância para formação bíblica e teológica para as CEBs foi uma das decisões tomadas pelos participantes do 9º Encontro Intercontinental de Articuladores das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), que terminou neste sábado, 9, no Chile. A escola terá o nome do arcebispo de El Salvador, assassinado em 1980, Oscar Arnulfo Romero.

O encontro reuniu, desde 31 de março, assessores e assessoras das CEBs dos quatro continentes. Do Brasil participaram oito pessoas, representando a CNBB, a Equipe Ampliada das CEBs e a articulação do Cone Sul das CEBs.

A Escola Oscar Arnulfo Romero começará a funcionar em janeiro do próximo ano e se estenderá até dezembro de 2014. Serão abertas vagas para 40 alunos.

“A escola busca responder a uma das principais urgências, que é a qualificação de animadores e animadoras das CEBs”, explica o assessor do Mutirão para a Superação da Fome e da Miséria, da CNBB, padre Nelito Dornelas, membro da Equipe Ampliada das CEBs.

Além da Escola, as CEBs promoverão também, em parceria com o Instituto Teológico de Pastoral Latino-americano do CELAM (ITEPAL), um curso sobre os desafios que as Comunidades de Base enfrentam no contexto social e eclesial. O curso será em Bogotá, na Colômbia, nos dias 5 a 25 de setembro deste ano.

Os articuladores das CEBs decidiram ainda dar continuidade ao processo de fortalecimento das CEBs na América Latina e Caribe e realizar o 9º Encontro Latino-americano de CEBs, na cidade de São Pedro Sula, em Honduras. O evento será de 16 a 22 de junho de 2012, com vagas para 200 participantes.

Padre Nelito destacou a reunião no Chile como momento forte de “oração, reflexão, estudo, convivência fraterna, partilha de experiências”. “Foram dez dias de profunda atenção aos sinais dos tempos que o Espírito vem suscitando na Igreja nos últimos cinquenta anos, impulsionados pelo Concílio Vaticano II, a Conferência de Medellín e os planos de pastoral em cada continente”, conta o padre.

Fonte CNBB

Imagem Internet