7º Dia da novena de São Bento

Vamos rezar com São Bento. Acesse nossa página e ore conosco.

https://www.facebook.com/Oanunciador

Novena em Devoção a São Bento

A partir de hoje iniciamos junto com o Padre Reginaldo Manzotti a novena em devoção a São Bento. O Anunciador vai fazer a novena online no facebook. Vamos rezar. Acesse www.facebook.com/Oanunciador e reze conosco.

A Cruz Sagrada seja a minha luz, não seja o dragão meu guia.
Retira-te satanás!
Nunca me aconselhes coisas vãs.
É mau o que tu me ofereces, bebe tu mesmo o teu veneno!

Rádio utiliza Facebook para homenagear Nossa Senhora

FMDomBoscoDepois que entrou na rede social Facebook, a FM Dom Bosco, rádio dirigida pelos Salesianos em Fortaleza (CE), atinge milhares de pessoas em todo o mundo – 20 países já fazem a interação na página da emissora na rede. O número de assinantes já passa de 5.700 pessoas, fruto do estudo de pesquisas do Departamento de Marketing da mesma e do trabalho dedicado do Departamento Jornalístico e de cada locutor.

No dia de Nossa Senhora Auxiliadora, 24 de maio, dentro do programa “Clube de Amigos” foi lançado um banner para compartilhamento. A peça continha a inscrição “Se você acredita que Maria é teu auxílio em todos os momentos, compartilhe” e ao lado a imagem de Nossa Senhora Auxiliadora com a frase de Dom Bosco “Maria foi verdadeiramente constituída por Deus auxílio dos Cristãos”. Até esta quinta-feira, 31 de maio, o quadro teve mais de 10.837 compartilhamentos diretos e estimados 75.000 compartilhamentos indiretos atingindo 1.706.400 pessoas diretamente segundo dados fornecidos pela fanpage do Facebook.

Este recorde, além de representar a homenagem da rádio a Nossa Senhora Auxiliadora, também revela o resultado positivo alcançado pelo núcleo de comunicação da emissora que busca sempre aliar inovação, tecnologia e evangelização.

Neste mês, a emissora comemorou 11 anos de atividades. Segundo o vice diretor, padre Anderson Alvelino, educar e evangelizar pelas ondas do rádio é a missão do veículo de comunicação salesiano, diante de um mundo onde tudo muda e somente Deus permanece. “Hoje, na era digital, percebemos que é evidente a mudança nas tecnologias que evoluem e influenciam muito a nossa cultura. Nesse sentindo a FM Dom Bosco como emissora educativa, por natureza, busca comunicar valores que dão sentindo e plenitude à vida, através da produção e veiculação de programas e também pelas redes sociais”, afirmou o padre.

Informação e liberdade: o futuro das redes sociais

o-poder-das-redes-sociais-16A China é hoje o maior mercado de internet do mundo. Existem mais de 221 milhões de blogs, 181 milhões de blogueiros e 235 milhões de usuários de redes sociais, segundo informações da Red Ant (organização inglesa especializada em análise de internet e redes sociais). O cenário da mídia social é complexo, vasto e sempre em mudança. Também, progressivamente, as redes sociais estão se tornando parte crucial da vida do povo chinês, sendo um dos poucos meios que saltam as barreiras impostas pela censura do governo à informação.

Atualmente, existem milhões de cadastrados nas diversas redes sociais chinesas. O Sina Weibo é o maior microblogging do país. Seus usuários são executivos entre 20 e 30 anos de idade e 48% dos usuários acessam o microblog em seus telefones celulares, segundo dados da Fundação Centro Unitário para a Cooperação Missionária na China (Fondazione Cum). O Weibo.com – que é uma cópia do Twitter – tem mais de 200 milhões de inscritos, mais do que toda a população brasileira. O governo chinês nomeou 700 censores para administrar o microblog. Como o alfabeto chinês é baseado em ideogramas, e cada ideograma tem um ou vários significados, a quantidade de informações em 140 caracteres é muito superior ao do alfabeto latino, na qual um conjunto de letras define um significado apenas, fazendo assim com que os chineses consigam transpor a barreira da censura no país com um elevado fluxo de informações.

Segundo o assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação Social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), padre Clovis Andrade de Melo, o impacto das redes sociais na humanidade está mudando as relações interpessoais. “As redes sociais são um caminho sem volta. É um espaço dinâmico de convívio social. A censura só aumenta o desejo por conhecimento pois, quem tem a informação, tem o poder em suas mãos. Por isso a China tem em sua política o bloqueio parcial da informação, que na minha opinião é uma política equivocada”, explicou.

Não somente o Twitter é clonado, como no caso do site Weibo, as outras redes sociais também o são, como o Facebook, Blogger, Google+, LinkedIn, Instagram, Flickr, Youtube, além dos famosos motores de buscas, como o Google, Bing, Yahoo.

A lei chinesa quanto a utilização das redes sociais para fins políticos e críticas sociais é bastante rigorosa. Um dos casos mais representativos é o de Chen Wei, 42 anos, que em dezembro passado foi condenado a nove anos de prisão por quatro artigos publicados em seu blog. A acusação é de “incitação à subversão contra o poder do Estado”. Na verdade, Chen foi detido em fevereiro de 2011 por querer “promover a Primavera Árabe” na China, inspirada nas revoltas no Oriente Médio.

Para o jesuíta e integrante do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, padre Antônio Spadaro, profundo estudioso das mídias sociais, as redes sociais não são um meio de comunicação, mas o lugar da comunicação. “Não podemos pensar a rede como um instrumento, mas sim um lugar que nos permite existirmos no mundo digital”, disse o padre Spadaro em sua palestra, em Brasília (DF) no último dia 19 de maio, no Seminário para Jovens Comunicadores promovido pela CNBB.

Ainda de acordo com o padre Spadaro, hoje nenhuma mensagem passa se ela não for transmitida através de uma relação. “Comunicar não significa transmitir, mas relacionar-se. É justamente por isso que muitos canais de televisão estão morrendo pois, os únicos canais que sobreviverão serão aqueles que criarem a capacidade de interagirem com o público. A lógica das redes sociais nos faz compreender que o conteúdo oferecido está sempre ligado a pessoa que o oferece, não existindo assim comunicação neutra, ela sempre será parcial”, explicou.

No Brasil

twitter_dom_odilo1As redes sociais fazem o maior sucesso em terras tupiniquins. Pesquisas apontam que um em cada três brasileiros está conectado a internet, o que equivale a 70 milhões de pessoas. O brasileiro gasta, em média, 23 horas e 12 minutos aos mês com internet. Entre os conectados, 79% utilizam as redes sociais, ou seja, 55 milhões de pessoas. Só para ter ideia do crescimento das redes sociais no país, somente em 2008, o Twitter cresceu 1382%.

O episcopado brasileiro também faz parte das estatísticas e se utiliza das novas ferramentas para a evangelização. Seja na pessoa do cardeal, arcebispo e bispo, quanto de uma arquidiocese, diocese ou prelazia, as redes sociais são parte integrante da comunicação social moderna. As redes mais usadas são o Facebook e o Twitter.

Um dos bispos mais atuante é o cardeal arcebispo de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer. “Saúdo a todos vocês, que ajudam a anunciar, também aqui no mundo digital, que ‘Deus habita esta cidade’! Se Jesus pregasse o Evangelho hoje, usaria também a imprensa escrita, o rádio, a TV, a internet, o Twitter. Dê uma chance a Ele!”, postou o arcebispo em sua estreia na mídia social.

Visão do Papa

papanotwitter“Verdade, proclamação e autenticidade da vida na era digital”, esse foi o título da mensagem do papa Bento XVI para o 45º Dia Mundial das Comunicações, no ano de 2011. O papa enalteceu pontos positivos da utilização das redes sociais como a promoção do diálogo, mas alertou para algumas condições: “Entrar no ciberespaço pode ser sinal de uma busca autêntica de encontros pessoais com os outros, desde que as pessoas estejam atentas e evitem perigos como o de se inserir em uma espécie de existência paralela ou de o exposição excessiva ao mundo virtual”.

No dia 28 de junho de 2011, o papa estreou no Twitter. Segundo o próprio Pontífice, o objetivo foi divulgar o lançamento de um portal de notícias do Vaticano, o News.va. “Queridos amigos, acabei de lançar o News.va. Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo. Com minhas orações e bênçãos. Bento XVI”, foi o primeiro post do Sumo Sacerdote, na rede social.

Novo jogo para Facebook reproduz a história de Jesus Cristo

Quem não joga no Facebook? Acho que só quem não possui perfil na rede. Se não joga hoje, já jogou alguma vez. Uma das empresas que produzem os jogos online do criou um jogo onde é possível vivenciar os caminhos, a vida de Cristo.

Veja a matéria da Superinteressante

Depois de Mafia WarsFarmville e Apocalipcity, os games de Facebook se voltam para o mundo bíblico: em Journey of Jesus, que está sendo lançado hoje, o jogador participa da história de Jesus Cristo, clicando em itens e realizando tarefas para que ela possa contecer. O game é grátis – basta acessar a página dele no Facebook – , mas há um porém. Como em outros jogos do tipo, é possível comprar créditos (com dinheiro) e usá-los para liberar novos objetos e recursos. Bem ao estilo vendilhões do templo Farmville, o que talvez ofenda algumas pessoas. A criação é da empresa americana Lighthouse, que já havia lançado um game sobre Moisés.

Menino com síndrome de down comove milhares no Facebook falando a favor da vida

Uma fotografia na qual se aprecia um sorridente menino com síndrome de down sustentando um pôster com um breve “resumo” de sua vida comoveu usuários do Facebook por seu tocante testemunho.

Na foto se aprecia ao pequeno sustentando um pôster que, em inglês, diz o seguinte:

“Talvez não seja perfeito
mas sou feliz.
Sou obra das mãos de Deus
Estou feito a sua imagem
E sou abençoado
Faço parte de 10 por cento de meninos
com Síndrome de Down
que sobreviveu o Roe vs.Wade” (decisão que despenalizou o aborto nos EUA).

Desde a sentença favorável ao aborto no caso Roe vs. Wade, 90 por cento das crianças com síndrome de down perecem no ventre materno por causa desta prática anti-vida.

A fotografia faz parte de uma campanha titulada “We can end abortion” (Podemos pôr fim ao aborto) promovida pelo site pró-vida LifeSiteNews.

Para ver a publicação original viste:

http://www.facebook.com/pages/We-cão-end-abortion/165284543530775#!/photo.php?fbid=232331486826080&set=pu.165284543530775&type=1&theater 

Fonte ACI Digital

Foto: (foto We can end abortion)

JMJ quer chegar a 1 milhão de seguidores nas redes sociais

A organização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2011 lançou uma campanha para chegar a um milhão de seguidores nas redes sociais em todo mundo.

Esta iniciativa, que busca fazer que todos conheçam este grande evento, foi gerada na área de redes sociais da JMJ desde onde foi lançado o desafio para que cada um dos participantes se converta em embaixador deste encontro entre seus amigos.

“De nós depende que ninguém perca esta festa!”, diz o slogan da campanha da JMJ, traduzido do espanhol.

A JMJ está presente desde 2009 no FacebookYouTube,TwitterFlickerTuenti, para fazer que os jovens de todo o mundo conheçam do evento “sem importar o lugar onde se encontrem”.

Durante este tempo os fãs foram crescendo. Começou-se com 6 idiomas, agora são 21 no Facebook. Hoje já são mais de 300 000 fãs de 82 países que seguem a JMJ nas redes sociais; e mais de 1 milhão de reproduções no canal da JMJ no YouTube.

A JMJ, recordam os organizadores, é sobre tudo uma festa de jovens que convidam outros jovens. Uma festa da fé à qual todos estão convidados, e que conta com o apoio de todos eles para sair adiante.

A jornada deste ano acontecerá entre os dias 16 e 21 de agosto, em Madri, na Espanha.

As mídias sociais já são realidade na vida dos brasileiros e ferramentas de evangelização da Igreja

Há exatamente 5 anos, o americano Jack Dorsey publicou pela primeira uma mensagem de 140 caracteres em um microblog, que chamaria de Twitter.

Mas, o boom desta rede social se deu em 2008, com a campanha política do então candidato à presidência dos Estados Unidos, Barack Obama. No Brasil, o Twitter se tornou mais popular no ano seguinte.

Esta ferramenta de comunicação, somada a outras como Facebook, Orkut, Youtube e Blogs, vem se expandindo cada vez mais no Brasil e no mundo.

Em terras brasileiras, assim como na Índia, a mais utilizada ainda é o Orkut, fundado em 2004. Porém, é visível o crescimento do Facebook, que já é considerada a maior rede social do mundo. Em comparativos, se o Facebook fosse um país, seria o 4º maior do mundo. No Brasil, o número de usuários nos últimos seis meses aumentou de 2,4 milhões para 5 milhões.

Já os blogs, há tempos que deixaram de ser um diário e se tornou um meio de informação especificada em determinados assuntos. Em números, o Brasil é o segundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

A Igreja – No ano 2000, o papa João Paulo II declarou que a Igreja precisava Evangelizar pelos meios de comunicação virtuais.

Atualmente, o papa Bento XVI fortalece esta idéia, e estes meios de comunicação já fazem parte da realidade da Igreja em seu trabalho de Evangelização. O Vaticano dispõe de uma conta Oficial no Twitter e recentemente, foi criada uma página oficial no Facebook, na qual os internautas poderão acompanhar todo o processo de beatificação do Papa Bento XVI.

A Igreja no Brasil também incorporou as redes sociais como forma de Evangelização. Diversas paróquias, dioceses e movimentos pastorais mantêm seus perfis nas diferentes ferramentas. Além disso também há mídias sociais especificas para cristãos.

Saiba mais: As redes sociais e as igrejas.

Fonte A12

Imagem A12

 

Vaticano lança Facebook e canal no YouTube de João Paulo II

João Paulo II será beatificado dia 01 de maio deste ano

Faltam menos de 50 dias para a beatificação do Papa João Paulo II e as expectativas são, cada vez mais, crescentes. Com o objetivo de disseminar toda a vida e testemunho de santidade de Karol Wojtyla, o Vaticano criou páginas especiais no Facebook e Youtube.

Nos dois canais, os internautas podem acessar uma série especial de conteúdo multimídia que conta a história do futuro beato e uma seleção, sempre atualizada, dos principais eventos e temas do seu pontificado, que durou de 1978 até 2005.

Todo material foi disponibilizado pelo Centro Televisivo do Vaticano e os vídeos, áudios e textos são exibidos em diversos idiomas.

A iniciativa do Vaticano segue a orientação do Papa Bento XVI em suas reflexões sobre a evangelização e o uso das novas tecnologias. Em recente discurso na plenária do Pontíficio Conselho para as Comunicações Sociais, o Santo Padre afirmou que a transmissão da mensagem evangélica e dos exemplos de santidade daqueles que concretizaram em suas vidas esta mensagem podem ser realizadas através das novas ferramentas, a fim de propagar os verdadeiros valores espirituais.

“Hoje, somos chamados a descobrir, também na cultura digital, símbolos e metáforas significativas para as pessoas, que possam ajudar a falar do Reino de Deus ao homem contemporâneo”, enfatizou o Pontífice sobre o modo de tornar atual os meios de evangelização.

Fonte Canção Nova

Imagem Canção Nova

Manual de instruções para ser cristão na era do Facebook

Verdade e autenticidade são o programa e o manual de instruções que Bento XVI oferece aos cristãos presentes na internet e nas redes sociais, explica Guillaume Anselin, especialista em comunicação de marcas e instituições. Nesta entrevista a Agência Zenit, Anselin, que já trabalhou em cargos executivos de alguns dos mais importantes grupos de mídia, como McCann EricksonOgilvyPublicis, comenta a mensagem que o Papa enviou por ocasião do Dia Mundial das Comunicações Sociais.

ZENIT: “As novas tecnologias não mudam apenas a maneira de se comunicar, mas a própria comunicação”, diz Bento XVI. Estamos diante de uma pós-cultura?

Guillaume Anselin: O Santo Padre assinalou que “criou uma nova forma de aprender e de pensar, bem como novas oportunidades para estabelecer relações e criar laços de comunhão”. Isto não só se refere ao canal internet, mas a uma nova “era digital”, sinal de uma nova cultura em que já entramos.

A era digital é uma sociedade de “tudo-comunicação”, permanentemente conectada, que redefine a relação individual com o mundo, com os outros e a maneira de consumir ou produzir informação. Nesta era “digital”, a informação circula principalmente através de “círculos sociais”, com o risco de dar mais crédito ao que está mais estendido (“popularizado” pelos “amigos” reais ou virtuais) que às fontes oficiais. O perigo é, obviamente, uma visão distorcida da realidade.

Implica também a abolição das fronteiras e distâncias, uma cultura da imagem ao invés da escrita, uma sociedade “de conversação”, na qual o conteúdo é o próprio objeto da conversa em grande escala.

É um fenômeno cultural inédito e recente: social, midiático, de informação imediata, que não deixa tempo para respirar, com suas comunidades de interesse e cerca de dois bilhões de pessoas online em todo o mundo. Basta lembrar que, há seis anos, FacebookYouTubeTwitter, tão presentes em nossa vida diária, não existiam.

No caso de países de cultura midiática intensa, podemos falar efetivamente de pós-cultura, no sentido de uma mudança em direção a uma “sociedade digital”.

ZENIT: “Os jovens estão experimentando essa mudança na comunicação com todas as aspirações, as contradições e a criatividade daqueles que se abrem com entusiasmo e curiosidade às novas experiências de vida”, explica o Papa. Quais são os riscos e desafios disso?

Guillaume Anselin: A era digital implica, obviamente, em um salto geracional. A televisão dos nossos pais já não é a de hoje. Com o advento do “tudo multimídia”, há uma forte migração do público jovem para o mundo digital (internet, celular etc.). Amanhã haverá gerações inteiras que terão conhecido desde sempre o Facebook como o principal canal de proximidade para informar-se, falar ou encontrar-se.

A internet exerce um fascínio: nela temos um meio pessoal no qual eu posso construir a identidade que eu quiser, conter-me com os outros, estar “conectado” e falar sobre o que eu quiser e com quem eu quiser. Um lugar no qual eu posso criar algo, mergulhar em universos pré-existentes, jogar, ouvir música, ver vídeos, ler…

A internet é vista como o “último mundo livre”, democrático, pois permite a expressão de qualquer opinião minoritária, sem obrigações nem consequências… e em aparente segurança para quem a utiliza.

O perigo, como explica o Papa, é o a coexistência de duas identidades, uma digital (um avatar de si próprio) e outra real, assim como duas vidas paralelas: uma real e contingente e outra virtual e fácil, apesar de ser também muito real, pois ocupa uma parte importante da minha vida.

O desafio é a construção da pessoa, sua unidade de vida, e a formação da consciência, graças a uma utilização equilibrada da internet no que ela tem de melhor: um maravilhoso instrumento prático e lúdico, quando sabemos utilizá-lo. Pois encontrar uma informação na internet não significa sempre encontrar uma solução.

ZENIT: “Existe um estilo cristão de presença também no mundo digital”, afirma o Papa, convidando o cristão a “dar testemunho coerente” do Evangelho na era digital. Como responder a este convite do Papa?

Guillaume Anselin: O Papa nos oferece um programa e um manual de instruções muito claro: a verdade e a autenticidade. Em questão de estratégia de comunicação, não poderia fazer uma proposta melhor! É um incentivo a comprometer-se sem ter medo e com lucidez. Podemos ficar com três aspectos importantes para o comunicador cristão:

  1. Em primeiro lugar, a verdade antes de tudo, pois, em matéria de fé, nós, nós, cristãos, não temos nada melhor a oferecer em resposta a essa sede inscrita no coração dos homens. Em uma época cada vez mais saturada de informação, isso quer dizer estar presente e dar razões: fontes fiáveis da doutrina (visíveis, com uma linguagem acessível) e testemunhar com simplicidade aquilo em que cremos e a maneira como o vivemos, com os meios à nossa disposição (a informação, a narração, os vídeos, fóruns, blogs etc.).Implica também em restabelecer um equilíbrio no ecossistema digital e dar aos jovens dois elementos essenciais: o direito de saber e de escolher. Ser cooperatores Veritatis (colaboradores da Verdade, slogan de Bento XVI, N. da R.) para anunciar o Evangelho e favorecer um encontro pessoal com Jesus, que é o Caminho, a Verdade e a Vida. Em outras palavras: não estar decididamente presente no continente digital é uma contraverdade. É um dever de justiça e um serviço à caridade em um mundo em aceleração, no qual frequentemente se procura apagar a dimensão espiritual e o valor da mensagem cristã.
  2. Para conseguir isso, o Santo Padre nos oferece o manual de instruções: é preciso ser autêntico (…), com coerência, constância, para entrar em diálogo com o Outro. Ser o que somos, sem ceder no fundamental, com uma escuta ativa, para ser tudo para todos.Como Bento XVI nos disse várias vezes, o estilo cristão não procura agradar, correndo o risco de desvirtuar aquilo que recebemos. Nossa comunicação é afirmação alegre, positiva… e delicada. É também coerente e social, pois se integra nas culturas da nossa época. É evangelização, para tocar os corações e as inteligências. É unidade, para apoiar todas as realidades pastorais e eclesiais. Mas o Santo Padre nos alerta também sobre a tentação do “tudo digital”, pois as tecnologias devem permitir a aproximação de uma prática de fé, vivida em nossas comunidades cristãs, na Igreja.
  3. A verdade, por último, merece uma nova atitude. Por este motivo, Bento XVI conclui convidando-nos a uma “criatividade responsável” e a um sentido de “escrupuloso profissionalismo”. São necessárias habilidades particulares, pois a internet exige hoje uma atitude totalmente profissional e meios adequados. Temos de construir as catedrais do saber, os átrios e as ágoras do continente digital… formados por avenidas e praças, mas também por cantos nos quais as pessoas se perdem.

ZENIT: “Manter vivas a questões eternas sobre o homem.” Como diz Bento XVI, a busca de sentido e respostas sobre a fé e a vida é intensa entre os nossos contemporâneos. O que o continente digital oferece, neste sentido?

Guillaume Anselin: A oferta é diversificada, mas também altamente fragmentada. Muitas iniciativas têm dificuldade em encontrar o seu público devido à falta de recursos, à oferta editorial, ou porque é difícil ir além dos públicos tradicionais. Para entrar em um site católico, é preciso sê-lo, pelo menos um pouco…

A força dos grandes projetos na internet é sua dimensão claramente multimedial e uma inteligência conectiva, a partir de uma necessidade claramente identificada. No campo da fé, faltam iniciativas nas quais, muito além de publicar notícias de atualidade, sejam oferecidas respostas simples nos formatos mais variados às questões levantadas pelas pessoas sobre a fé, a vida e a sociedade.

Temos de responder a esta questão eterna do homem, do seu anseio de transcendência, com projetos grandes, interativos, que transmitam o que recebemos.

É preciso responder ao “porquê” e ao “como” com criatividade, modernidade e apoiar o trabalho pastoral das pessoas, como sacerdotes, educadores, religiosos, catequistas e todos aqueles que no mundo investem suas energias na produção de blogs e sites.

No fundo, não é nada novo: assim como os cristãos se comprometeram, há tempos, a favor do progresso das sociedades em nossas cidades e campos, da mesma forma, o continente digital espera também nossa presença visível, serena, à altura dos desafios desta “sociedade digital”.Manual de instruções para ser cristão na era do Facebook

Mensagem do Papa para o dia mundial das comunicações

Fonte Agência Zenit.