Arquivo da tag: novela

Globo, Beijo Gay e você

Na última semana de janeiro a rede Globo de televisão colocou no ar aos capítulos finais de mais uma novela. Para mim, o fim dessa novela e de tantas outras passou despercebido. Primeiro, pelo fato de que eu não vejo mais essas coisas  Graças a Deus. E outro, que em minha casa não pega mais a rede Globo.  No entanto, um novela com história mal contada e muitos erros de continuidade, e não sou eu quem digo, mas AQUI e AQUI, AQUI e AQUI e tantos outros artigos que tive de ler para escrever sobre, tentou na última hora chamar a tenção do país. Aparentemente o fez. Aparentemente.

Novela ensinou que a vida é uma bagunça e não há certo ou errado. Tudo é permitido. E você, aplaudiu?
Novela ensinou que a vida é uma bagunça e não há certo ou errado. Tudo é permitido. E você, aplaudiu?

Muito tem se falado sobre seu último capítulo e ainda vão falar devido ao tão esperado beijo gay na TV brasileira. Ops, Silvio Santos já havia feito em uma novela. Coitada da Grobo, perdeu a novidade e ficou para trás. Mas é sério. Teve um beijo gay nesta novela que só ensinou, pelo visto, coisas erradas? Pior que teve sim.

Um tentativa desesperada pela audiência. Sei que muitos estão falando em vitória do lobby gay e tal. Mas em uma trama que ensinou a matar sem impunidade, roubar o marido alheio, deixar o esposo cego, jogar crianças em caçambas (Que foi feito pelo irmão gay da protagonista), e que a impunidade é leal a quem faz maldades por aí.  Será que houve ganho para alguém. Diretamente associou os gays a pessoas cruéis e sem noção. Ah ele se redimiu. Sim, mas pagou na lei pelas suas crueldades? Não.

Há anos, as novelas desta emissora, e das outras também vem, levantando bandeiras contra os valores cristãos. Contudo, os católicos e evangélicos lá estão, na frente da TV. Torcem pela mocinha que separou um casal para que o amor “verdadeiro” vença no fim. Torcem pela vilã, para que ela mate e “desmate” a todo custo e no fim, saia impune de seus erros. Emfim, as décadas as novelas nos mostram o que não fazer. Nós escolhemos vê-las e segui-las. Escolhemos os “desvalores”. Aquilo que é imoral e ilegal como parceiros de caminhada.

Médica mata outra no Hospital e polícia não descobre. Imagina, né?
Médica mata outra no Hospital e polícia não descobre. Imagina, né?

Sabe, já era previsto que em uma dessas obras a toda poderosa rede grobo colocasse esse beijo. Era de esperar. O que não é de se esperar é que nós CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS aceitemos essa imposição. Não é previsto e muito menos aceitável que defendamos o erro. O pecado. A depravação dos valores do Senhor.

Lembro que a TV é livre para colocar no ar a programação que quiser, assim como nós somos livres para mudar de canal. Mudar de canal. Isso mesmo. Não se assuste. Existe vida além da grobo. Há um série de emissoras seculares e religiosas que respeitam ainda os valores da fé cristã. Há filmes. Acredito ainda, e essa é a melhor opção, há mesas em sua casa. Conversem, afinal ainda temos boca e ideias para dialogar. Mas não assistamos essas besteiras televisivas.

Com toda essa história de beijo gay, muitos levantaram a voz e disseram não mais ver a novelas. Espero que cumpram. Mas sempre que ocorre algo sem valor moral nessas histórias, vemos essas expressões e ao visitar as redes sociais das pessoas e as suas casas, vemos que elas estão lá, na frente da TV. Vendo mais um capítulo da tão difamada trama.

Acordar para a realidade de quem somos é o que devemos fazer. Mães e país reclamam dos filhos violentos, os gays da homofobia, as professoras da má educação das crianças, mas nós deixamos os pequenos serem educados pela TV, vídeos “educativos” e cartilhas mal feitas. Esquecemos que pai e mãe são para educar e não para brincar. Esquecemos de amar.

A Globo, o Beijo Gay iam se unir cedo ou tarde. Você é quem determinou isso. Sua fidelidade as tramas do canal e suas imposições. Sua aceitação.

Termino esse texto, lembrando: o controle está na sua mão. Literalmente, na sua mão. Mudar depende de você. E só.

 por Marquione Ban

Enquanto isso na Argentina… “Beijo gay em novela causa alvoroço”

Tirem suas conclusões, mas a minha é que infelizmente não demora muito acontecer isso em nossa nação. Todo novela sempre tem um casal homoafetivo. Além do que, a pressão do movimento gayzista tem crescido cada vez mais. Infelizmente a naturalidade das relações humanas tem sido mudada a vontade de poucos e desinformação de muitos. Oremos por todos nós.

Leia parte do texto

//////////////////////////

BBC | A cena ainda nem foi ao ar, mas já causa alvoroço na Argentina. A expectativa em torno do beijo entre dois homens casados na novela Farsantes, do Canal 13, virou um dos temas mais comentados nas redes sociais no país.

Os comentários refletem a polêmica em torno da questão. Um dos usuários do Twitter disse se tratar de uma “flor de novela” (ótima novela, em tradução livre). Outro disse sentir “asco, asco, asco”.

A cena também ganhou destaque na imprensa. “A primeira vez e o encontro sexual entre Guillermo e Pedro”, era uma das manchetes do site Infobae. A notícia ficou também entre as mais lidas no site do Clarín.

Na trama, da produtora Polka, de Buenos Aires, o ator argentino Julio Chávez e o ator chileno Benjamin Vicuña representam dois advogados casados e que se apaixonam pela primeira vez por um homem.

Chávez é Guillermo, de 50 anos, casado, pai de um filho e dono de um escritório de advocacia. Já Vicuña é um advogado criminalista jovem e com a mulher grávida.

Na trama, Guillermo já teve suas saídas com homens, mas de forma fugaz. Só que é a paixão pelo jovem advogado que o faz se separar da mulher.

Continue lendo AQUI ou não.

Hoje é dia de São Jorge: conheça a história deste santo que não é o da novela

Com a novela global estreando muitos tem buscado aqui no blog sobre São Jorge. É valido lembrar que SÃO JORGE NÃO É OGUM e vesse e versa. Ogum é um entidade, Deus africano adorado por tribos de lá, que aqui no Brasil foi associado a imagem de São Jorge como fuga da perseguição escravocrata que infelizmente tinha no Brasil colonial. Os negros para não serem mortos por adorar outro Deus que não fosse Jesus e venerar os santos católicos começaram a associar as suas divindade a imagem de Santos Católicos.

São Jorge é santo da igreja católica, mas a expressão que  dá título a novela não. “Salve Jorge” desculpe a ignorância por saber qual exatamente é expressão de uma religião afrobrasileira, creio que o candomblé.

__________________________________________

Depois dessa simples introdução, vaga até, que tal conhecer a história de fato de São Jorge?

História

Conhecido como ‘o grande mártir’, foi martirizado no ano 303. A seu respeito contou-se muitas histórias. Fundamentos históricos temos poucos, mas o suficiente para podermos perceber que ele existiu, e que vale à pena pedir sua intercessão e imitá-lo.

Pertenceu a um grupo de militares do imperador romano Diocleciano, que perseguia os cristãos. Jorge então renunciou a tudo para viver apenas sob o comando de nosso Senhor, e viver o Santo Evangelho.

São Jorge não queria estar a serviço de um império perseguidor e opressor dos cristãos, que era contra o amor e a verdade. Foi perseguido, preso e ameaçado. Tudo isso com o objetivo de fazê-lo renunciar ao seu amor por Jesus Cristo. São Jorge, por fim, renunciou à própria vida e acabou sendo martirizado.

Uma história nos ajuda a compreender a sua imagem, onde normalmente o vemos sobre um cavalo branco, com uma lança, vencendo um dragão:

“Num lugar existia um dragão que oprimia um povo. Ora eram dados animais a esse dragão, e ora jovens. E a filha do rei foi sorteada. Nessa hora apareceu Jorge, cristão, que se compadeceu e foi enfrentar aquele dragão. Fez o sinal da cruz e ao combater o dragão, venceu-o com uma lança. Recebeu muitos bens como recompensa, o qual distribuiu aos pobres.”

Verdade ou não, o mais importante é o que esta história comunica: Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé. Se compadeceu do povo porque foi um verdadeiro cristão. Isto é o essencial. O dragão pode ser comparado ao poder político dominador da época e tantas outras coisas que prejudicavam o povo daquela região.

Ele viveu sob o senhorio de Cristo e testemunhou o amor a Deus e ao próximo. Que Ele interceda para que sejamos verdadeiros guerreiros do amor.

São Jorge, rogai por nós!

Conheça a história de São Jorge, que não é Ogum

Com a novela global estreando muitos tem buscado aqui no blog sobre São Jorge. É valido lembrar que SÃO JORGE NÃO É OGUM e vesse e versa. Ogum é um entidade, Deus africano adorado por tribos de lá, que aqui no Brasil foi associado a imagem de São Jorge como fuga da perseguição escravocrata que infelizmente tinha no Brasil colonial. Os negros para não serem mortos por adorar outro Deus que não fosse Jesus e venerar os santos católicos começaram a associar as suas divindade a imagem de Santos Católicos.

São Jorge é santo da igreja católica, mas a expressão que  dá título a novela não. “Salve Jorge” desculpe a ignorância por saber qual exatamente é expressão de uma religião afrobrasileira, creio que o candomblé.

__________________________________________

Depois dessa simples introdução, vaga até, que tal conhecer a história de fato de São Jorge? Confira abaixo:

Conhecido como ‘o grande mártir’, foi martirizado no ano 303. A seu respeito contou-se muitas histórias. Fundamentos históricos temos poucos, mas o suficiente para podermos perceber que ele existiu, e que vale à pena pedir sua intercessão e imitá-lo.

Pertenceu a um grupo de militares do imperador romano Diocleciano, que perseguia os cristãos. Jorge então renunciou a tudo para viver apenas sob o comando de nosso Senhor, e viver o Santo Evangelho.

São Jorge não queria estar a serviço de um império perseguidor e opressor dos cristãos, que era contra o amor e a verdade. Foi perseguido, preso e ameaçado. Tudo isso com o objetivo de fazê-lo renunciar ao seu amor por Jesus Cristo. São Jorge, por fim, renunciou à própria vida e acabou sendo martirizado.

Uma história nos ajuda a compreender a sua imagem, onde normalmente o vemos sobre um cavalo branco, com uma lança, vencendo um dragão:

“Num lugar existia um dragão que oprimia um povo. Ora eram dados animais a esse dragão, e ora jovens. E a filha do rei foi sorteada. Nessa hora apareceu Jorge, cristão, que se compadeceu e foi enfrentar aquele dragão. Fez o sinal da cruz e ao combater o dragão, venceu-o com uma lança. Recebeu muitos bens como recompensa, o qual distribuiu aos pobres.”

Verdade ou não, o mais importante é o que esta história comunica: Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé. Se compadeceu do povo porque foi um verdadeiro cristão. Isto é o essencial. O dragão pode ser comparado ao poder político dominador da época e tantas outras coisas que prejudicavam o povo daquela região.

Ele viveu sob o senhorio de Cristo e testemunhou o amor a Deus e ao próximo. Que Ele interceda para que sejamos verdadeiros guerreiros do amor.

São Jorge, rogai por nós!