Revista “O Meu Papa” chega ao Brasil e vale a pena ler

Neste último domingo, 17, cheguei em casa e me deparei com um correspondência. Ao abrir, uma agradável surpresa. O grupo Panini, responsável por diversas publicações católicas me enviou a primeira edição da revista “O Meu Papa” publicada em terras tupiniquins.  A revista já pode ser encontrada nas bancas do país. O valor é de R$ 4,90.

A revista é linda! Lembro de quando li a noticia que o Vaticano preparava um espécie de “Quem” ou “Caras” do Papa. Lançada ano passado na Itália, O Meu Papa chega aqui. Eis ela aí.

Capa da Revista O Meu Papa

Capa da Revista O Meu Papa

“O Meu Papa” é um revista para se colecionar. Apesar do nome, não se trata de um paparazzi do Papa Francisco e/ou um compilado de sua agenda. Passa sim, pelas suas lições em suas pregações e reflexões. Mostra o cotidiano papal e também do Vaticano. Lembrem-se, o Papa não é a Igreja sozinho, mas a conduz. Acima de tudo, a revista lembra Cristo. Isso é que vale a pena nela. Ter todo um conteúdo cristocentrico.

Em suas páginas, O Meu Papa traz ainda a historio de um santo, nesta edição a de São Pedro e também os santos do mês.

20150520_091526

Ler essa revista é um prazer inenarrável para qualquer cristão. Confesso, que em minha casa tem dado “briga” para ver quem fica com ela. Já fiz escala para ninguém deixar de ler.

Já sou e serei comprador assíduo dessa revista.

Papa nos convida a nos unirmos a videira que é Cristo, Jesus

No domingo, 03 de maio, o Papa Francisco falou aos milhares de peregrinos que estava na Praça São Pedro e também aos católicos espalhados pelo mundo. Francisco convidou a cada cristão a permanecer unido, como ramos a videira, a Jesus por meio dos sacramentos e assim dar os frutos necessários para perseverar e construir o Reino de Deus. Esse frutos, segundo o papa, são o meio pelo qual nos reconhecem como verdadeiros cristãos.

O Papa Francisco do balcão do Palácio Apostólico / Foto: L'Osservatore Romano

O Papa Francisco do balcão do Palácio Apostólico / Foto: L’Osservatore Romano

Papa Francisco comentou o Evangelho do dia, que mostra Jesus se apresentando na Última Ceia.

“Pela última vez Ele está com seus discípulos e então quer imprimir bem em suas mentes uma verdade fundamental: também quando Ele não estiver mais fisicamente em meio deles, eles ainda poderão permanecer unidos a Ele de uma maneira nova, e assim dar muito fruto”, afirma.

Francisco atualiza as palavras do santo Evangelho e afirma que todos nós podemos nos ligar a jesus de um modo novo. Se não nos conectarmos, perdermos a união com Ele, “a comunhão com Ele”, nos tornaríamos estéreis” o que é prejudicial para nós e para a comunidade.

“Para expressar esta realidade, este modo novo de estar unidos a Ele, Jesus utiliza as imagens da videira e os ramos e diz assim: ‘Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira, assim tampouco vocês se não permanecerem em mim. Com esta figura (Jesus) nos ensina como permanecer nele, estar unidos a Ele, embora Ele não esteja fisicamente presente”, diz o papa.

Continuar lendo

Papa considera escandaloso mulheres ganharem menos que homens

Hoje, quarta-feira (29), o Papa Francisco fez um apelo pelo fim da diferença salarial entre homens e mulheres. Ele classificou a situação como “um escândalo” e que todos nós cristãos deveríamos reprovar.

“Por que é dado como certo que mulheres devem ganhar menos que homens? Não! Elas possuem os mesmos direitos. A discrepância é um escândalo”, disse. 

Em tom mais enfático, Francisco disse que cristãos deveriam “definitivamente apoiar o direito de igualdade salarial para trabalhos iguais”. É valido lembrar que essa fala do papa não é nenhum apoio ao feminismo, mas sim uma fala de luta pela igualdade. Se um mulher é CEO de uma empresa não se justifica o salário mais baixo só porque é mulher.

O Papa Francisco no Vaticano nesta quarta-feira (29) (Foto: Max Rossi/Reuters)

O Papa Francisco no Vaticano nesta quarta-feira (29) (Foto: Max Rossi/Reuters)

Salários

Mulheres na União Europeia receberam em média 16,4% a menos que homens em 2013, de acordo com estatísticas da agência Eurostat, e dados norte-americanos indicam que mulheres ganham 77 centavos de dólar a cada dólar que um homem ganha, de acordo com salários médios anuais.

Mulheres na Igreja

Francisco disse que quer que mulheres tenham um papel maior na Igreja Católica romana ao redor do mundo e na burocracia do Vaticano, mas disse que “a porta está fechada” para a possibilidade de mulheres se tornarem padres.

A igreja ensina que mulheres não podem se tornar padres porque Jesus deliberadamente escolheu somente homens como seus apóstolos. Os que defendem o sacerdócio feminino rejeitam essa versão, alegam que agiu de acordo com as normas de sua época. É importante também lembrar, quanto a esse assunto, que Jesus quebrou vários paradigmas em sua vinda, mas não quebrou o do sacerdócio.

Com informações do G1 

E o Papa Francisco vai para Cuba

O papa Francisco fala aos fiéis da Praça São Pedro, no Vaticano, durante o Ângelus (Foto: Andreas Solaro/AFP)

O papa Francisco fala aos fiéis da Praça São Pedro, no Vaticano, durante o Ângelus (Foto: Andreas Solaro/AFP)

(ACI/EWTN Noticias).- O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, confirmou hoje que o Papa Francisco visitará Cuba no próximo mês de setembro antes de sua viagem aos Estados Unidos.

O Pe. Lombardi assinalou: “posso confirmar que o Santo Padre Francisco, tendo recebido e aceito o convite por parte das autoridades civis e dos bispos de Cuba, decidiu efetuar uma etapa na ilha antes de chegar aos Estados Unidos com motivo da viagem anunciada já há algum tempo”.

Ainda não se sabe a data exata e os detalhes do novo destino do Pontífice, mas a confirmação chega depois de que a Santa Sé afirmou que estava estudando a possibilidade da viagem.

Além disto, hoje, 22, chegou a Cuba o Cardeal Beniamino Stella, Prefeito da Congregação do Clero, que permanecerá até o 28 de abril. O Cardeal foi Núncio em Cuba de 1993 a 1999 e ajudou a organizar a visita de São João Paulo II em 1998, a primeira vez que um Papa foi à ilha, e a de março de 2012 realizada pelo agora Papa Emérito Bento XVI.

A visita do Cardeal Stella ocorre após o anúncio do dia 17 de dezembro, quando Cuba e Estados Unidos anunciaram o reinicio das relações diplomáticas e reconheceram a contribuição fundamental que a Santa Sé teve neste processo.

O Papa Francisco viajará aos Estados Unidos no próximo mês de setembro para participar do Encontro Mundial das Famílias entre os dias 22 a 25 desse mês na Filadélfia.

Papa Francisco: ” a mulher não é replica do homem”

(ACI).- Conforme anunciou na semana passada, o Papa Francisco falou novamente na catequese desta quarta-feira sobre o homem e a mulher, aprofundando desta vez o tema da complementariedade de ambos.

O Papa deteve-se no segundo capítulo do libro do Gênesis, quando Deus fala de como “criou o homem do pó da terra e o homem tornou-se um ser vivo”.

Uma declaração que vai de encontro as teorias feministas.

Uma declaração que vai de encontro as teorias feministas.

Para o Papa, este “foi o momento culminante da criação, mas algo estava faltando. Então, Deus coloca o homem em um belo jardim para cultivar e cuidar da criação”.

O Santo Padre disse ainda que “a Bíblia nos diz algo precioso: o homem encontra a mulher, eles se encontram e o homem deve deixar tudo para encontrá-la totalmente. Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá a ela. Esse acontecimento é lindo! Eles começam juntos um novo caminho. O homem é totalmente para a mulher e a mulher é totalmente para o homem.”

Francisco comentou como Deus viu que não era bom que o homem estivesse sozinho. “Era como uma falta de comunhão, faltava ‘uma’ comunhão, havia uma falta de plenitude.” Finalmente, Deus criou a mulher e o “homem acolhe exultante essa criatura, e reconhece que ela é parte dele.”

“Há uma reciprocidade entre eles”, disse. Com a imagem bíblica da costela de Adão, da qual Eva é plasmada por Deus, não se quer afirmar uma inferioridade ou subordinação da mulher – ela não é uma réplica do homem-, mas expressa uma reciprocidade neles, que o homem e a mulher são da mesma substância e se complementam”.

“E o fato de que Deus na parábola crie a mulher, enquanto o homem dorme, não significa que ela é a criatura do homem, mas de Deus” e “para encontrar a mulher o homem primeiro precisou sonhar “.

O pontífice disse que “a fidelidade de Deus no homem e na mulher, a quem Ele confia a terra, é generosa, é directa e total”. Mas “o maligno faz surgir em suas mentes suspeitar e desconfiar de Deus” e, finalmente, “desobedecer ao mandamento que os protegia. Caíram nessa ilusão de onipotência que contamina tudo e destrói a harmonia.” “Também é algo que sentimos dentro de nós mesmos muitas vezes”, afirmou.

Sobre o pecado, o Papa explicou que este “gera indiferença e divisão entre homem e mulher. Seu relacionamento será prejudicado de muitas formas de abuso e subjugação, sedução e arrogância humilhante, às vezes pode ser dramático e violento “.

“Pensemos, por exemplo, nos excessos negativos das culturas patriarcais. Pensemos nas múltiplas formas de machismo, em que a mulher é considerada de segunda classe. Na instrumentalização e mercantilização do corpo feminino na atual cultura mediática. ” O Papa citou ainda uma recente “epidemia” de ceticismo, e até mesmo de hostilidade que se difunde na nossa cultura, em especial a partir de uma compreensível desconfiança por parte das mulheres, em relação a uma aliança saudável entre os gêneros.

Para Francisco, a desvalorização social desta aliança é certamente uma perda para todos, e os filhos virão ao mundo sempre mais desarraigados. “Devemos honrar o matrimônio e a família! ”, concluiu.

“A desvalorização social da aliança estável entre o homem e a mulher é certamente uma perda para todos,” portanto, ” é importante que o matrimonio e a família sejam valorizados”.

Finalmente, Francisco afirmou que “os cuidados desta aliança entre o homem e a mulher, mesmo na sua condição de pecadores, é para nós cristãos uma vocação de compromisso e valentia no mundo de hoje “.

Papa: “são duas as coisas que o povo de Deus não pode perdoar: um padre apegado ao dinheiro e um padre que maltrata as pessoas”

Papa Francisco: não deixar celebrar casamento com missa é "pecado de escândalo"

Papa Francisco: não deixar celebrar casamento com missa é “pecado de escândalo”

O texto é do ano passado, mas a “catracada’ é atualíssima. Vejam:

//////////////////////////////

A Igreja nunca seja um comércio, pois a redenção de Cristo é gratuita. Esta foi a mensagem de hoje do Papa Francisco na missa em Santa Marta, na Festa Litúrgica da Apresentação da Virgem Santa Maria no Templo.

Na sua breve reflexão, o Papa sublinhou a Liturgia de hoje que propõe a passagem evangélica na qual Jesus expulsa os vendilhões do Templo, que transformam a casa de oração em covil de ladrões. Este gesto de Jesus é um verdadeiro ato de purificação: o Templo tinha sido profanado e, como tal, também o Povo de Deus, profanado com o grande pecado do escândalo. E o Papa acrescentou que este tipo de comportamento pode escandalizar o povo, mesmo hoje em dia. Quantas vezes, ao entrarmos na igreja, deparamos com uma lista de preços: batizados, bênçãos, intenções de Missa afirmou o Santo Padre que contou uma pequena história.

“Uma vez, recentemente ordenado, eu estava com um grupo de universitários, e um casal queria se casar. Tinham ido a uma paróquia: mas queria casar-se com Missa. E lá, o secretário paroquial disse: – ‘Não é possível’. Mas porque não se pode casar com Missa? Se o Concílio recomenda fazer sempre com a Missa…’. ‘Não é possível porque não podemos passar de 20 minutos’. – ‘Mas por quê’? – ‘Porque tem outros horários marcados’. – ‘Mas nós queremos a Missa’. – ‘Então vocês devem pagar dois horários’. E para casar com Missa tiveram que pagar dois horários. Este é umpecado de escândalo”.

O Papa Francisco recordou ainda: “Sabemos o que Jesus diz àqueles que são motivo de escândalo: “É melhor que sejam atirados ao mar”.

“Quando aqueles que estão no Templo – sejam sacerdotes, leigos, secretário, mas que precisam administrar a Pastoral do Templo – transformam-se em homens de negócio, o povo se escandaliza. E nós somos responsáveis por isto. Os leigos, inclusive! Todos. Porque se vejo que isso acontece na minha paróquia, devo ter a coragem de dizer isso cara a cara ao pároco. E as pessoas sofrem aquele escândalo. É curioso: o povo de Deus sabe perdoar os seus sacerdotes que apresentam alguma fraqueza, que escorregam num pecado… sabe perdoar. Mas são duas as coisas que o povo de Deus não pode perdoar: um padre apegado ao dinheiro e um padre que maltrata as pessoas.”

“Porque a redenção é gratuita; Ele vem trazer a gratuidade de Deus, a gratuidade total do amor de Deus. E quando a Igreja ou as Igrejas se tornam comércio, diz-se que …, não é tão gratuita, a salvação… É por isso que Jesus pega o chicote na mão para fazer este rito de purificação no Templo. Hoje a liturgia celebra a Apresentação de Nossa Senhora no Templo: da menina… Uma mulher simples, como Ana que está naquele momento, e entra Nossa Senhora. Que ela ensine a todos nós, a todos os pastores, a todos aqueles que têm responsabilidades pastorais, a manter limpo o Templo, para receber com amor os que vêm, como se cada um deles fosse Nossa Senhora”.

(Por Aleteia, com Rádio Vaticano – sources: RÁDIO VATICANO

Papa Francisco: “pena de morte é inadmissível”

(ACI).- O Papa Francisco recebeu esta manhã em audiência privada uma delegação da Comissão Internacional contra a pena de morte. No encontro o Santo Padre entregou uma carta a Federico Mayor, Presidente da instituição, na qual ressaltou que “hoje em dia a pena de morte é inadmissível”.

pena-de-morte

No texto o Santo Padre afirma que “hoje em dia a pena de morte é inadmissível, por mais grave que tenha sido o delito do condenado. É uma ofensa à inviolabilidade da vida e à dignidade da pessoa humana que contradiz o intuito de Deus sobre o homem e a sociedade e sua justiça misericordiosa, e impede de cumprir com qualquer finalidade justa das penas. Não faz justiça às vítimas, e sim fomenta a vingança”.

”Para um Estado de direito, a pena de morte representa um fracasso, porque o obriga a matar em nome da justiça. Nunca se alcançará a justiça dando morte a um ser humano”, acrescenta.

O Papa afirma deste modo que “com a aplicação da pena capital, nega-se ao condenado a possibilidade da reparação ou emenda do dano causado; a possibilidade da confissão, pela qual o homem expressa sua conversão interior; e da contrição, pórtico do arrependimento e da expiação, para chegar ao encontro com o amor misericordioso e sanador de Deus”.

Continuar lendo