Arquivo da tag: Diário do Aço

Aff 6: cidade mineira cria lei que institui “Dia da Esposa do Pastor”

Enquanto a crise no país pega fogo, aqui, perto da minha cidade, em Cel. Fabriciano-MG vereadores aprovam essa lei que cira o Dia da Mulher do Pastor.  Vejam a matéria do jornal Diário do Aço:

////////////////////////////////////////////

Andréia Botelho - Foto divulgação/Diário do Aço
Andréia Botelho – Foto divulgação/Diário do Aço

DIÁRIO DO AÇO | DA REDAÇÃOA aprovação na terça-feira do Projeto de Lei nº 2.559/2015, da vereadora Andréia Botelho (PSL), que cria em Coronel Fabriciano o Dia Municipal da Esposa do Pastor, causou grande repercussão, principalmente nas redes sociais. Pela proposta, a data será comemorada no dia 3 de março de cada ano, em alusão ao Dia Internacional da Mulher, celebrado dia 8 do mesmo mês.

O assunto pautou muitos comentários e críticas nas redes sociais. O fato foi replicado várias vezes, acompanhado de duras críticas à matéria. E houve questionamentos como o próprio papel do legislador frente a tantas demandas urgentes no município. “Fabriciano não tem pediatria de urgência pelo SUS… Não tem Maternidade de urgência pelo SUS… e essa… fazendo isso”, criticou um usuário do Facebook.

A necessidade de melhoria no serviço da saúde foi reforçada em vários comentários: “esses vereadores poderiam é verificar o atendimento nos postos de saúde, falta de remédio, pois parece que é atendimento pra cachorro, ou aliás, cachorro é bem mais tratado. Poderiam fazer um projeto de humanização do atendimento público… tirar um pouco de enrolo na solução dos problemas”. “Ééé brincadeira! Estão ressuscitando a “Sucupira” mineira”, escreveu outra pessoa em alusão à impagável e cada mais atualizada obra “O Bem Amado”, do romancista Dias Gomes, que foi traduzida em novela, série televisiva e filme.

No debate nas redes, o fato também serviu para reflexões acerca da responsabilidade dos eleitores na escolha de seus representantes, como neste post: “Cada cidade tem o vereador, o prefeito e a Câmara que merece. Ela e muitos outros não estão lá por indicação, mas sim porque foram votados. O dia que um saco de cimento ou uma marcação de consulta não valer voto aí, sim, teremos uma política séria”, resumiu um usuário. Um morador do município completou: “Cada parlamentar… e pensar que nós, eleitores, somos responsáveis indiretamente por isso”.

Continuar lendo Aff 6: cidade mineira cria lei que institui “Dia da Esposa do Pastor”

Ipatinga-MG terá marcha do Terreiros de Umbanda

No próximo feriado. dia 15, Ipatinga-MG terá sua primeira Caminhada dos Terreiros de Umbanda. O evento será no bairro Canaã, a partir das 8h. Segundo os organizadores, a marcha tem como objetivo pedir por liberdade religiosa.

Em entrevista ao jornal local, Diário do Aço, a líder do terreiro Ilê Axé de Ogum, Fátima de Oxum falou que a caminhada ocorre no Dia Nacional da Umbanda. A data de 15 de novembro, já consagrada à comemoração da Umbanda em diversos municípios brasileiros, se refere ao dia em que o médium Zélio Fernandino de Moraes teria recebido, em Niterói (RJ), a missão de fundar o novo culto, no ano de 1908, cuja prática seria a caridade espiritual.

A Umbanda é uma religião brasileira com raízes africanas.  Segundo Fátima de Oxum ainda hoje o preconceito a religião é grande devido a falta de informação.  “É preciso parar com essa briga de religião, isso é horrível. O pedido que fazemos é por respeito. Eu não quero que me amem, mas quero que me aceitem e respeitem. Durante a caminhada, essa frase será repetida”, destacou Fátima de Oxum ao Diário do Aço.

A concentração da marcha será organizada na praça da avenida Galiléia, no Canaãzinho, às 8h. Por volta de 9h, o cortejo sairá pelas ruas do bairro. A caminhada será encerrada com uma celebração e almoço no terreiro Ilê Axé de Ogum, localizado na rua Madalena, 137, no mesmo bairro.

com informações do DA

Dia da pátria é marcado pelo Grito dos Excluídos em Ipatinga/MG

Na última sexta a Igreja no Brasil organizou em todos as dioceses o tradicional Grito dos Excluídos. Na diocese de Itabira/Cel. Fabriciano o evento aconteceu no Regional III, que compreende a região mineira do Vale do Aço. Precisamente ao Grito ocorreu na cidade de Ipatinga.

Veja a matéria feita pelo repórter do jornal Diário do Aço Wesley Rodrigues.

//////////////////////////

I021378.jpg

IPATINGA – Já tradicional na data em que se comemora o Dia da Independência, em sua 18ª edição, o Grito dos Excluídos mobilizou cerca de 400 pessoas, conforme os organizadores, na manhã dessa sexta-feira (7). Com o tema “Queremos um Estado a serviço da Nação, que garanta direitos à população”, movimentos sociais, pastorais e organizações populares fizeram uma passeata, saindo da Praça dos Três Poderes, no Centro, em direção ao Parque Ipanema.

As mobilizações do Grito dos Excluídos ocorrem por todo o país, na Semana da Pátria, exigindo melhorias na área social. O Grito em Ipatinga foi coordenado por católicos da regional 3 da diocese Itabira – Coronel Fabriciano, que reúne 22 paróquias. De acordo com a secretária da instituição religiosa e integrante da organização do grito, Marlene Gonçalves Bonifácio, o manifesto ocorre em 7 de setembro para se contrapor a uma “suposta Independência do Brasil e para expressar a indignação dos participantes com injustiças sociais”.

Dentre os temas protestados pelo movimento, assuntos como saúde pública, soberania popular, consumo de drogas, violência contra a mulher, e outros pontos que “são postos à margem pelo Estado”, eram expressados nos cartazes e bandeiras carregados pelos manifestantes.

“Nós queremos um novo Estado, que esteja a serviço da nação. Todos nós sabemos que o país vivenciou um crescimento nos últimos anos. Por outro lado, ainda há muita pobreza. Somos dominados por um sistema capitalista que privilegia poderosos e os serviços básicos à classe baixa são marginalizados”, disse o bispo diocesano, Dom Odilon Guimarães Moreira, presente à manifestação.

Motivação

Nascida na França, Irmã Nicole Henner, 65 anos, mora há 16 anos em Coronel Fabriciano. E, desde que se mudou para o município, participa da mobilização. “É uma manifestação importante para que as pessoas abram os olhos para a realidade em que vivem. Já alcançamos conquistas como a Lei da Ficha Limpa, por meio de uma mobilização que está além do grito, mas da qual somos parte. As pessoas estão mais acomodadas nos últimos anos e a luta é difícil. E, nossas conquistas, por menores que sejam, nos motivam a continuar lutando e manifestando contra as injustiças sociais”, enfatizou a religiosa, que atua na paróquia Santo Antônio.

I021379.jpg

Manifesto chama atenção  para o voto consciente

A passeata ressaltou também a seriedade das eleições em face do pleito que definirá prefeitos e vereadores no próximo mês. “Há um ditado que diz ‘o povo tem o governo que merece’. É o momento para que a população tome consciência da seriedade e responsabilidade do voto. O voto é algo sério – é como se assinássemos um cheque em branco, colocando todas as responsabilidades nas mãos de governantes”, comentou Dom Odilon, bispo da diocese Itabira – Coronel Fabriciano.

E com o mesmo sentimento, os jovens Iuri Fernandes Araújo e Axell Dancar Macclawd foram ao Grito dos Excluídos pela primeira vez. Os estudantes, ambos com 16 anos, votarão pela primeira vez neste ano. “As pessoas só reclamam da atuação dos políticos. Mas é preciso fazer por onde para poder reclamar, votando certo”, disparou Iuri. Axell, por sua vez, afirma que será criterioso na escolha de seus representantes.

“Devido ao incidente no Hospital Municipal e a saúde da nossa região, a saúde pública é o primeiro critério que avalio das propostas dos candidatos. E, além disso, a educação”, resume.

Repórter : Wesley Rodrigues

 

PAIXÃO DE CRISTO: emoção no parque

I018132.JPG

Ontem aconteceu no Parque Ipanema, em Ipatinga, o tradicional Teatro da Paixão de Cristo. Este ano foi a 17ª edição do evento que conta a participação de mais de 100 jovens católicos da cidade.

Veja a matéria do maior jornal diário de Ipatinga – Diário do Aço:

IPATINGA – Mesmo sob sol forte e o calor do Vale do Aço o público lotou o Parque Ipanema, para assistir a encenação da Paixão de Cristo.   Produzido pelas Paróquias da Igreja Católica de Ipatinga, o evento ocorreu na última sexta-feira (6). Para driblar o tempo quente as populares sombrinhas, geralmente usadas em tempos de chuva, se destacaram em meio à multidão que cercava a lagoa do parque.

A programação da “Sexta-Feira Santa” foi iniciada por volta da 8h30, com caminhada saindo do trevo do bairro Jardim Panorama em direção ao Parque Ipanema. Todos os anos o trajeto é feito antes da encenação em sinal de misericórdia. Para trabalhar o tema da fraternidade 2012 entre os jovens, os fiéis traziam o lema “Vida sim, Drogas não!”.

Com objetivo de enfatizar o lema durante toda a marcha, os participantes faziam declarações e protestos com relação ao abandono dos jovens mergulhados nas drogas. Em seguida após a concentração de atores e expectadores nas proximidades da lagoa, o teatro da Paixão de Cristo foi iniciado. Baseada nos relatos bíblicos, a peça é feita em forma de Via Sacra, que divide a caminhada de Jesus rumo à crucificação em 15 estações.

A ressurreição lembrada neste “Domingo de Páscoa” está prevista para ser apresentada hoje no Santuário São Judas Tadeu, no bairro Canaã, às 19h30. Segundo a coordenação do evento o ator que representa Jesus fará uma levitação de oito metros, usando técnicas da arte, para mostrar a ascensão de Jesus ao céu.

Celebração

O Padre Geraldo Ildeu da Paróquia Sagrado Coração de Jesus destaca que desde o início da sua história, a igreja celebra toda a caminhada do Messias, do seu nascimento até a morte e ressurreição, enfatizando a cruz como encontro de toda burrice e sujeira humana com a infinita misericórdia de Deus. “Então a igreja como mãe e mestra procura incentivar os católicos e cristãos do mundo inteiro a estar por dentro do que aconteceu porque, Jesus venceu, mas sofreu na cruz”, afirmou.

Fonte Diário do Aço

Foto: Wôlmer Ezequiel