Arquivo da tag: doutor

Foto de bebê cumprimentando o médico no ventre materno dá volta ao mundo

Foto: Facebook.com/AClassicPinupA

 (ACI/EWTN Noticias).- Randy e Alicia Atkins, um casal norte-americano, conseguiu tirar uma foto do instante no qual, durante o nascimento por cesárea, sua filha Nevaeh conseguia agarrar a mão do doutor Allan Sawyer, uma imagem que está dando volta ao mundo.

Conforme relatou Randy ao site AZFamily.com, “o doutor me chamou e disse, ‘hei, ela está agarrando meu dedo’. Assim fui correndo para lá e tirei a foto, eu estava assombrado olhando. Era uma imagem impressionante”.

Alicia, fotógrafa profissional e proprietária da página do Facebook A Classic Pin-Up, assinalou que depois da publicação da foto de sua filha agarrando a mão do médico “não pensávamos que íamos ter tais comentários positivos. Pensávamos que ia conseguir mais negativos, como ‘isso é nojento’. Porém, todos comentaram que era a melhor coisa do mundo”.

Na sua página do Facebook, Alicia agradeceu a “todos os que comentaram, compartilharam, curtiram e expressaram seu amor pela foto da nossa filha nos últimos dias”.

“A foto tornou-se completamente viral em todo mundo, e como podem imaginar, estamos um pouco constrangidos”, disse.

Alicia assegurou que “obviamente não pensamos que isso seria tão imenso como o é agora”.

“Por favor, sejam pacientes conosco se não lhes respondermos imediatamente, já que ainda temos que atender aos nossos três filhos e aos nossos trabalhos. E, é obvio, as crianças estão em primeiro lugar. Obrigada de novo”.

O caso do casal norte-americano recorda ao de Samuel, um bebê com espinha bífida que foi operado antes de nascer, e que foi retratado por um fotógrafo do USA Today durante a cirurgia, no momento no qual esticava sua mão do interior do útero de sua mãe para agarrar um dos dedos do médico que o estava operando.

A favor da vida: Mãe brasileira adia tratamento de câncer e salva seu bebê do aborto

 (ACI/EWTN Noticias).- Simone Calixto uma mãe brasileira que se recusou a submeter-se a um aborto, como sugeriram os médicos em Ontario (Canadá) após o diagnóstico de câncer de mama que recebeu quase ao mesmo tempo que soube que estava grávida. Depois de optar pela vida de sua pequena viajou ao Brasil onde completou seu tratamento e teve seu bebê.

Os médicos canadenses indicaram a Simone, uma médica de 39 anos, que abortasse, pois sua gestação incrementava o tamanho do tumor em seu peito devido aos hormônios.
“Eles me disseram que a gravidez estava alimentando o tumor com hormônios, que dificilmente o bebê sobreviveria e que o mais seguro era interromper a gestação para poder fazer o tratamento correto”, disse Simone em entrevista ao Jornla O Estado de São Paulo.

Tal como recorda Simone, os médicos do melhor hospital de Ontario, a cidade em que residia, disseram-lhe que sem este passo (o aborto) não poderiam oferecer-lhe o tratamento.
“Se naquele centro de referência eles tinham essa conduta, percebi que em nenhum outro hospital seria diferente”, lamentou a mãe brasileira na sua entrevista ao “Estadão”.

Pressionada pela urgência de uma decisão para o procedimento, Simone afirmou que sentiu que ia morrer: “Senti que ia morrer, minha alma agonizava”, disse ao jornal paulistano.

Diante da situação, Simone Calixto decidiu usar o sonar, um aparelho que permite escutar os batimentos do coração do bebê no útero.
“Coloquei o sonar na barriga e em dez segundos comecei a ouvir o coraçãozinho. Senti que ele estava bem vivo”, afirmou.

Além disso, Simone recordou ter visto um programa de televisão brasileiro, no qual apresentaram um caso similar ao seu no qual o bebê nasceu são. Logo contatou o doutor Waldemir Rezende o especialista citado na notícia e viajou ao Brasil.

Em seu país natal, Calixto chegou às 36 semanas de gravidez e deu à luz através de uma cesárea. O súbito crescimento do tumor em seu peito, apesar da quimioterapia realizada, a obrigou a adiantar o parto.

A pequena Melissa nasceu sã, com apenas uma leve dificuldade respiratória. Posteriormente extirparam o tumor no seio de Simone.

Simone agora deve enfrentar uma bateria de exames que não puderam ser feitos durante a gravidez, como tomografias e mais sessões de químio.

“O mais difícil já passou. A Melissa é um milagre, uma promessa que se cumpriu”, afirmou Simone em sua entrevista.

MULHERES DE FÉ: A Pobreza e a Humildade de Maria

Hoje no dia da mulher, vamos falar um pouco da vida da mulher mais lembrada de toda a história, Maria – Mãe de Jesus e nossa. Para isso vou compartilhar um texto do professor Felipe de Aquino. Confira:

A pobreza e humildade de Maria

A Igreja ensina que Nossa Senhora foi escolhida por Deus “desde toda a eternidade” (Cat. § 488), para ser a Mãe do Seu Filho. Por causa de sua Maternidade Divina, ela foi sempre ‘Cheia de Graça” (gratia plena), concebida sem o pecado original, permanecendo Sempre Virgem (cf. Cat. §499), e Assunta ao Céu de corpo e alma. Pela altíssima dignidade de escolhida para ser a Mãe do divino Redentor, Maria nunca experimentou o pecado, nem o Original e nem o pessoal. S. Luiz de Montfort, fazendo coro com os Santos Padres, dizia que: “assim como o mar é a reunião de todas as águas, Maria é a reunião de todas as graças. Mas entre todas as virtudes de Nossa Senhora, podemos destacar a humildade e a pobreza. Ela é a Mulher humilde, pobre de espírito – exatamente o oposto de Eva soberba. Santo Irineu de Lião, doutor da Igreja (†202), disse que “a obediência de Maria desatou o nó da desobediência de Eva” (Ad. Haer.). A humanidade foi lançada nas trevas do pecado e da morte, porque nossos primeiros pais foram soberbos e desobedientes a Deus. Pela humildade Jesus se tornou o “novo Adão” e salvou o mundo (Rom 5,12s). “Sendo Ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens. E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz” (Fil 2,6-8). Maria, a mãe do Senhor, tornou-se a “nova Eva”. Os santos ensinam que foi a perfeita humildade de Nossa Senhora que fez com que Deus a escolhesse para a mãe do seu Filho, eleita entre todas as mulheres. Ela mesma canta no Magnificat: “Ele olhou para sua humilde serva” (Lc1,48).

A soberba é o pior pecado. É o que levou também os anjos maus a se rebelarem contra Deus, e levou Adão e Eva à desobediência mortal para toda a humanidade. Alguém disse que o orgulho é tão enraizado em nós, por causa do pecado original, que “só morre meia hora depois do dono”.

Ser humilde é ser santo, é descer do pedestal, é não se auto-adorar, é preferir fazer a vontade dos outros do que a própria, é ser silencioso, discreto, escondido, é fugir das pompas e dos aplausos, como Maria. Sendo Mãe de Deus nunca se orgulhou; mas permaneceu pobre e humilde. São João Batista nos ensina a humildade de Maria: “Importa que Ele cresça e que eu diminua!” (Jo 3,30). Jesus exaltou os “pobres de espírito” (Mt 5, 1) como a Virgem Maria que precisou de muito pouco das coisas materiais para servir o Seu Filho e Senhor, e ser aquela que, como disse João Paulo II, “foi a que mais cooperou para a obra da Redenção da humanidade”. Olhemos e imitemos a Estrela pobre e humilde, que é nossa Mãe.

Cine o Anunciador Especial – Maria, mãe do Filho de Deus

Frase marcante

Maria foi a primeira cristã – Padre Zezinho