Bendito o que vem em nome do Senhor!

Hoje iniciamos a Semana Santa. Cristo entra triunfante em Jerusalém, com o povo ao seu lado e gritos de Hosana.

A nós resta uma reflexão. Como estamos permitindo a entrada de Cristo em nossa vida?

O questionamento nos faz pensar sobre tudo que ocorre hoje no mundo e como lidamos com os fatos. A moda humana, egocêntrica ou a moda de Cristo?

Cristo nos ensinou a amar sem medida. E deu sua vida por nós, como também é lembrado na liturgia deste domingo. E vendo tudo que ocorre é possível dizer que estamos como aquele povo. Festejamos Cristo nas ruas de Jerusalém e o condenamos nos tribunais à morte.

E preciso mais amor. É preciso mais Cristo em nós. Sejamos como o Senhor nos ensina e amemos uns aos outros.

Assim peço que apoiemos as medidas de isolamento nessa pandemia. Quem não conseguir que cuide e cumpra os protocolos. A vacina é importante. Só com ela salvamos CNPJs e pessoas (O mais importante).

por Marquione Ban

Uma consideração sobre “Bendito o que vem em nome do Senhor!”

  1. SEMANA SANTA

    A Semana Santa fecha o tempo quaresmal. É a ocasião em que é celebrada a paixão de Cristo, sua morte e ressurreição. Ela se inicia com o Domingo de Ramos e se encerra com a festa do Domingo da Pascoa. É o período em que a Igreja nos conclama a meditar, sobretudo a via sacra de Jesus, sua paixão e morte de Cruz, para a nossa salvação.

    A semana Santa é muito antiga e tradicional na Igreja, ela foi instituída em 325 d.C. no Concílio de Nicéia presidido pelo Imperador Constantino I e organizado pelo Papa Silvestre. Durante a semana Santa, existem cinco momentos ou podemos dizer, cinco celebrações importantíssimas no calendário litúrgico da Igreja, a saber:
    Domingo de Ramos:
    A semana Santa se inicia com o Domingo de Ramos. Este dia a Igreja lembra a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, montado em um jumentinho (o símbolo de humildade) aclamado Rei e Messias pelos judeus e a Igreja recorda os louvores da multidão cobrindo os caminhos para a passagem de Jesus, com ramos de oliveira e de palmeiras proclamando: “Hosana ao Filho de David. Bendito o que vem em nome do Senhor”. (Lc 19, 38 – MT 21, 9). Com esse gesto, portando ramos durante a procissão, os cristãos de hoje manifestam sua fé em Jesus como nosso verdadeiro Rei e Senhor, nosso Salvador.

    Quinta-feira Santa
    Na quinta feira santa é o dia que celebramos a Instituição do Sacramento da Eucaristia. Jesus, desejoso de deixar aos homens um sinal da sua presença antes de morrer, instituiu a Eucaristia. Na Quinta-feira Santa, destacamos dois grandes acontecimentos: A benção dos Santos Óleos pelo Bispo na Catedral Diocesana e depois a Missa de instituição da Eucaristia e o Rito do Lava pés. Por isto esta missa é popularmente conhecida como a Missa do Lava Pés. Imediatamente ao final desta missa, inicia-se com muito respeito e silencio o rito da vigília da paixão, que se segue até as 15h00 da sexta feira da paixão.

    Sexta-feira Santa
    Único dia do ano que não se celebra a Santa Missa. Celebra-se a paixão e morte de Jesus Cristo. O silêncio, o jejum e a oração devem marcar este dia que, ao contrário do que muitos pensam, não deve ser vivido em clima de luto, mas de profundo respeito diante da morte do Senhor que, morrendo, foi vitorioso e trouxe a salvação para todos, ressurgindo para a vida eterna. Às 15 horas, horário em que Jesus foi morto, é celebrada a principal cerimônia do dia: a Paixão do Senhor. Ela consta de três partes: liturgia da Palavra, adoração da cruz e comunhão eucarística. Depois deste momento não há mais comunhão eucarística até que seja realizada a celebração da Páscoa, no Sábado Santo.

    Sábado Santo
    No Sábado Santo ou Sábado de Aleluia, a principal celebração é a “Vigília Pascal”.
    Vigília Pascal: Inicia-se na noite do Sábado Santo em memória da noite santa da ressurreição gloriosa de Nosso Senhor Jesus Cristo. É a chamada “A mãe de todas as santas vigílias”, porque a Igreja mantém-se de vigília à espera da vitória do Senhor sobre a morte. Cinco elementos compõem a liturgia da Vigília Pascal: a benção do fogo novo e do círio pascal; a proclamação da Páscoa, que é um canto de júbilo anunciando a Ressurreição do Senhor; a liturgia da Palavra, que é uma série de leituras sobre a história da Salvação; a renovação das promessas do Batismo e, por fim, a liturgia Eucarística.

    Domingo de Páscoa
    A palavra páscoa vem do hebreu Peseach e significa “passagem”. Era vivamente comemorada pelos judeus do antigo testamento.
    A Páscoa que os Judeus ainda hoje comemoram, é a passagem do mar Vermelho, que ocorreu muitos anos antes de Cristo, quando Moisés conduziu o povo hebreu para fora do Egito, onde eram escravos. Mas, Jesus condenado à morte na cruz e sepultado, ressuscitou três dias após, num domingo, logo depois da Páscoa judaica. A ressurreição de Jesus Cristo é o ponto central e mais importante da fé cristã. Através da sua ressurreição, Jesus prova que a morte não é o fim e que Ele é, verdadeiramente, o Filho de Deus.
    Que todos os católicos da nossa Paróquia, vivam intensamente a Semana Santa.

    Flávio Cardoso (Católico Graças a Deus)
    GUARIBA – SP

    Curtir

Deixe uma resposta para FLAVIO CARDOSO Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s