Padre do Texas vai a ouvir confissões via Snapchat

Padre-do-Texas-vai-passar-a-ouvir-confissoes-pelo-Snapchat-890x395_cAtualmente temos vistos muitos movimentos da igreja para acompanhar os tempos modernos e suas consequências nos fiéis. Muitas iniciativas surgem por meio dos jovens. Contudo, tem coisas que o Vaticano aceita de boa e outras não, e alguns dogmas ainda são assunto para discussões acaloradas na web e fora dela.

Recentemente, um padre estadunidense, do Texas, declarou que passará a ouvir confissões através do Snapchat. Lógico que alguém já gritou “polêmica à vista”.

Snapchat 

Snapchat-LogoDe acordo com o wikipédia, “Snapchat é um aplicativo de mensagens com base de imagens, criado e desenvolvido por Evan Spiegel, Bobby Murphy e Reggie Brown, estudantes da Universidade de Stanford. Com o aplicativo, usuários podem tirar fotos, gravar videos, adicionar textos e desenhos à imagem e escolher o tempo que a imagem ficará no visor do amigo de sua lista. Com a nova atualização é possível iniciar uma conversa com texto ou vídeo com seus amigos, mesmo sem ativar sua câmera para conversar. O tempo de cada snap é de 1 a 10 segundos, e após aberto, a imagem ou vídeo somente poderá ser vista pelo tempo escolhido pelo remetente. A imagem é excluída do dispositivo e também dos servidores“.

O Padre

App não pode ser usado para confissão.
App não pode ser usado para confissão.

O tal padre, que prefere se manter anônimo (obviamente temendo represálias) se identifica como @PriestDavid na rede social. Segundo a reportagem do News, o experimento começou quando o clérigo, que teria 23 anos de sacerdócio resolveu usar o app de mensagens para ouvir um estudante e ajudá-lo com seu projeto. De acordo com o sacerdote as religiões precisam “se engajar com os jovens (isso soou estranho…), com onde eles estão e como eles vivem”.

Para o padre, moderninho, é importante para a igreja utilizar outras formas de aproximação, que incluem o uso das ferramentas digitais. Com era de esperar, muitos não concordam com a nova forma de confissão. Outros padres e fiéis dizem que “utilizar um app não é uma confissão”, e que o mesmo só pode ser feito à moda antiga: na presença do padre, seja cara a cara, ou num confessionário.

E a Igreja?

A Arquidiocese de San Antonio (a qual o padre pertenceria) publicou um comunicado deixando claro que a igreja não tem nada a ver com a decisão do mesmo, e que “a confissão pessoal é um dos alicerces dos sacramentos”. Trocando em miúdos o padre estaria desobedecendo os dogmas católicos deliberadamente, o que é passível de punições bem pesadas. Como por exemplo a excomunhão.

E agora José?

Claro, tudo pode ser um belo hoax de alguém querendo pregar uma peça nos católicos, mas fica o questionamento: ferramentas como o Snapchat (que em tese destrói tudo que os usuários compartilham) deveriam ser usadas para tal propósito a fim de tornar a religião mais atraente para os jovens?

Há um tempinho atrás, houve essa discussão com um app para Ifone. A resposta do Vaticano foi bem enfática, dizendo que “o app não substitui a confissão”. Vale para o caso do Padre e de outros que queiram entrar na onda.

E  você?

O que acha dessa possibilidade? Algum dia a Igreja deve se abrir as tecnologias para alguns sacramentos?  Sabemos que a internet não é segura. Prova disso o Vatileaks que jogou na cara do mundo escândalos no Vaticano. Eu particularmente, não sou a favor. O risco de seus pecados serem jogados na nuvem de tags por aí é grande. Sabemos que mesmo alegando apagar as informações na web, nada se perde. Mas e você? Pensa o que? Deixe um comentário…

Com informações de meiobit.com e CoM.

2 comentários em “Padre do Texas vai a ouvir confissões via Snapchat”

  1. Gostei do trocadilho kkkkkkkkkk e concordo com sua opinião. Há modernidades que não devemos adotar. Acho que a confissão via app ou web seria muito legal, mas a insegurança desses meios não nos ajuda em nada. Além da frieza com o Padre pode lidar com isso. Ele pode nem ler ou ouvir e dizer ao fim, “está perdoado”. Não dá.

    Curtir

  2. Ir até o sacerdócio é como uma peregrinação. Imagine se todos resolverem assistir a missa por vídeoconferência. O Padre aí consagra a hóstia e todo mundo “mentaliza” que está tomando a Comunhão.

    Logo, por pura economia, vão propor que se mude o nome da Igreja para Igreja Virtuólica Apostólica Romana.

    Curtir

Deixe uma resposta para Júlio César Coelho (Ebrael) Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s