Papa escolhe tema da JMJ 2016

1235436_662769397078416_1357237373_nAs Bem-aventuranças nortearam o Papa para a escolha do tema da Jornada Mundial da Juventude de 2016 em Cracóvia, Polônia.  Os versículos do capítulo 5 do Evangelho de Mateus marcarão as etapas do itinerário de preparação espiritual que durante três anos conduzirá à celebração internacional de Cracóvia, em julho de 2016.

O tema é “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia”. #RumoaJMJ2016.

Anúncios

Organizadores da JMJ venderão cemitério para pagar dívidas

Como já era de se esperar, íamos ter dívidas. A JMJ é um evento muito grande e por isso gasta-se muito para realizar. Só o dinheiro de doações e inscrições seriam insuficiente para todos os gastos.

De acordo com a colunista da Folha de São Paulo, Mônica Bergamo, depois da Arquidiocese do Rio de Janeiro vender o prédio do hospital D’Or, agora será a vez do cemitério Catumbi.

O espaço é de uma ordem religiosa, que espera arrecadar cerca de R$ 80 milhões com o negócio. Os recursos seriam repassados como empréstimo para o Instituto Jornada Mundial da Juventude. Estima-se que o rombo da festa estrelada pelo pontífice ultrapasse os R$ 100 milhões, informa a colunista.

Da coluna de Mônica Bergamo para a Folha de São Paulo

Para quem não entendeu o Papa sobre os homossexuais: a orientação homossexual não é pecado, mas os atos, sim.

Em recente entrevista, ainda dentro do avião rumo a Itália, o Papa Francisco fez uma declaração que muitos, muitos mesmos, vão distorce-la. Ele afirmou ao G1 que: “se uma pessoa é gay e procura Deus e a boa vontade divina, quem sou eu para julgá-la?”, disse. No entanto a leitura em recortes pode levar a entender tudo errado. Leia o trecho da entrevista e observe as frases marcadas em negrito.

Conversando com jornalistas a bordo do avião que o levou do Rio a Roma após a Jornada Mundial da Juventude, Francisco também afirmou que, segundo o Catecismo da Igreja Católica, a orientação homossexual não é pecado, mas os atos, sim.

“Se uma pessoa é gay e procura Deus e a boa vontade divina, quem sou eu para julgá-la?”, disse.

“O Catecismo da Igreja Católica explica isso muito bem”, disse. “Ele diz que eles não devem ser marginalizados por causa disso, mas que devem ser integrados à sociedade.”

“O problema não é ter essa orientação. Devemos ser irmãos. O problema é fazer lobby por essa orientação, ou lobbies de pessoas invejosas, lobbies políticos, lobbies macônicos, tantos lobbies. Esse é o pior problema”, disse.

O Papa confirma as orientações do Catecismo da Igreja e nos mostra como devemos agir diante de irmãos que possuem essa orientação sexual. Acolher é a palavra chave. Deixá-lo manter no pecado não é nossa função.

Olha o que o catecismo da Igreja diz:

Quais os principais pecados contra a castidade?   ( 2351 – 2359 ; 2396)

São pecados gravemente contrários à castidade, cada um segundo a natureza do objecto: o adultério, a masturbação, a fornicação, a pornografia, a prostituição, o estupro, os atos homossexuais. Estes pecados são expressão do vício da luxúria. Cometidos contra os menores, são atentados ainda mais graves contra a sua integridade física e moral.

Homossexuais não devem ser julgados ou marginalizados. “O Catecismo da Igreja Católica explica isso muito bem”, diz Papa

1_1G1 | O Papa Francisco disse nesta segunda-feira (29) que os homossexuais não devem ser “julgados ou marginalizados” e que devem ser integrados à sociedade.

Conversando com jornalistas a bordo do avião que o levou do Rio a Roma após a Jornada Mundial da Juventude, Francisco também afirmou que, segundo o Catecismo da Igreja Católica, a orientação homossexual não é pecado, mas os atos, sim.

“Se uma pessoa é gay e procura Deus e a boa vontade divina, quem sou eu para julgá-la?”, disse.

“O Catecismo da Igreja Católica explica isso muito bem”, disse. “Ele diz que eles não devem ser marginalizados por causa disso, mas que devem ser integrados à sociedade.”

“O problema não é ter essa orientação. Devemos ser irmãos. O problema é fazer lobby por essa orientação, ou lobbies de pessoas invejosas, lobbies políticos, lobbies macônicos, tantos lobbies. Esse é o pior problema”, disse.

As declarações foram feitas quando o Papa respondia a uma pergunta sobre o chamado lobby gay do Vaticano.

“Vocês veem muito escrito sobre o lobby gay. Eu ainda não vi ninguém no Vaticano com um documento de identidade dizendo que é gay”, brincou.

Mulheres
Francisco também afirmou que a proibição de mulheres sacerdotes na Igreja Católica é “definitiva”, apesar de que ele gostaria que elas tivessem mais papéis de liderança nas atividades pastorais e de administração.

“A Igreja falou e disse ‘não’… essa porta está fechada”, disse, em seu primeiro pronunciamento público sobre o tema como Papa.

Ele se referiu a um documento firmado pelo falecido Papa João Paulo II de que o banimento do sacerdócio feminino era parte dos ensinamentos infalíveis da Igreja e é definitivo.

A Igreja afirma que não pode ordenar mulheres porque Jesus só escolheu homens para serem seus apóstolos. Defensores do sacerdócio feminino dizem que ele estava agindo conforme os costumes daquele tempo.

Banco do Vaticano

O pontífice também disse que o banco do Vaticano, envolvido em uma série de escândalos, deve ser “honesto e transparente”, e que ele vai ouvir as recomendações de uma comissão que criou para definir se o banco deve ser reformado ou mesmo fechado.

O Vaticano anunciou nesta segunda que assinou um acordo sobre a troca de informações financeiras e bancárias com a Itália para combater a lavagem de dinheiro, confirmando reportagem da Reuters na semana passada.

Viagem de volta
O avião que transportava o pontífice, um Airbus A330 da companhia Alitalia, aterrissou no aeroporto de Ciampino, em Roma, às 11h25 (6h25 de Brasília), após percorrer os 9.201 quilômetros que separam o Rio de Janeirox da capital italiana.

O Papa desceu a escada do avião carregando a sua maleta preta de mão, que havia chamado a atenção já na viagem de ida.

Do aeroporto, o pontífice foi de helicóptero até o Vaticano, pondo fim a sua primeira viagem internacional como Papa.

O Papa mandou uma mensagem pelo Twitter avisando que chegou, dizendo que sua alegria era maior que seu cansaço.

1_2

Vaticano concede “nada obsta” à beatificação de Frei Bruno

freibruno01
Frei Bruno Linden

São Paulo (SP) – As preces de milhares de devotos, amigos, confrades e admiradores de Frei Bruno Linden foram atendidas. O bispo da Diocese de Joaçaba (SC), Dom Mário Marquez, OFMCap, informou ao governo provincial da Província Franciscana da Imaculada Conceição que recebeu o edital concedendo o “Nihil obstat” (nada obsta) para dar continuidade à causa de Frei Bruno Linden. O documento, datado do dia 7 de maio de 2013 e assinado pelo Cardeal Angelo Amato, Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, decreta não existir impedimento para a continuação do processo de beatificação do frade franciscano.

Com esse “sinal verde” da Santa Sé, a partir de agora Dom Mario Marquez assume o processo diocesano da causa. “Nesta fase, Dom Mario vai nomear o Tribunal Eclesiástico que recolherá os depoimentos juramentados sobre as virtudes do candidato. Simultaneamente será nomeada a Comissão Histórica que vai reunir todos os documentos relativos à vida de Frei Bruno e também será constituída uma comissão para coletar e analisar os possíveis milagres de Frei Bruno”, explicou Frei Estevão Ottenbreit, Vigário Provincial e Vice-postulador da Causa.

Segundo Frei Estevão, ainda não foi definida uma agenda dos próximos passos a serem dados. “Deverei me encontrar com Dom Mário durante a Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, para definir a data de abertura deste Processo Canônico sobre a vida, virtudes e fama de santidade de Frei Bruno Linden”, explicou Frei Estevão.

Para a Província da Imaculada Conceição, que celebrou em 15 de julho 338 anos de fundação, a notícia não poderia ser melhor, como explica o Ministro Provincial Frei Fidêncio Vanboemmel: “A primeira coisa que me veio à mente foi: ‘que belo presente de aniversário a nossa Província recebeu hoje na festa franciscana de São Boaventura de Bagnoregio e na festa dos 338 anos de sua fundação’. E a história construída por vidas exemplares, como Santo Antônio de San’Ana Galvão e Frei Bruno.

“Este ‘sinal verde’ nos enche de alegria porque, como Província, podemos finalmente dar uma resposta ao grande clamor do povo que, insistentemente, nos pede a beatificação do ‘santo’ Frei Bruno. Este clamor popular vem de longa data. A prova mais evidente desta manifestação popular é a Romaria Penitencial em honra a Frei Bruno que acontece na cidade de Joaçaba, local da sua sepultura, desde 1987. Faça sol ou faça chuva, a cada ano que passa o clamor popular é mais vibrante e a devoção cresce sensivelmente!”, recorda o Ministro Provincial.

“Querer que Frei Bruno seja beatificado (e canonizado) é reconhecer nele a importância do peregrinar apostólico em espírito de pobreza e humildade, de sermos austeros e disciplinados na vida de oração, de jamais medirmos esforços para atender as pessoas, principalmente aquelas que mais necessitam da nossa misericórdia”, completa o Ministro Provincial.

Frei Bruno era sacerdote da Ordem dos Frades Menores – Província da Imaculada Conceição do Brasil. Nascido em 1876 em Dusseldorf, na Alemanha, ingressou aos 18 anos na família franciscana, recebendo o hábito em 1894. No mesmo ano, foi transferido para o Brasil.

Sua ordenação sacerdotal ocorreu em 1901, em Petrópolis (RJ). Em 1904, foi transferido para o sul do país, atuando em diversas localidades dos Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Exerceu a missão de superior e de pároco diversas vezes, e também foi coadjutor.

De 1926 a 1945, atuou na cidade de Rodeio (SC). Neste período, foi o orientador espiritual da Companhia das Irmãs Catequistas Franciscanas. Quando completou 80 anos, seus superiores o enviaram para a cidade de Joaçaba (SC). Em seus últimos anos de vida, Frei Bruno exerceu o apostolado de visita às famílias. Atendeu confissões até o último dia de sua vida. Faleceu no dia 25 de fevereiro de 1960.

(CM-franciscanos.org)

Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2013/07/16/vaticano_concede_nada_obsta_%C3%A0_beatifica%C3%A7%C3%A3o_de_frei_bruno/bra-710758 do site da Rádio Vaticano

Veja o quarto em que o Papa ficará hospedado em Sumaré, Rio de Janeiro, durante a JMJ

Quando chegar ao Rio de Janeiro, o Papa Francisco ocupará, no Centro de Estudos de Sumaré, um quarto igual a outros sete reservados aos Cardeais de sua comitiva, não obstante tenha sido reservada a ele uma suíte com dois ambientes, estande de livros, closet, cama mais confortável e frigobar.

Segundo o site da Jornada Mundial da Juventude, o Papa escolherá o quarto onde irá ficar, ao chegar à casa Assunção, no Centro de Estudos do Sumaré. Os oito quartos têm cama, uma pequena mesa de trabalho, mesinha de cabeceira, cama de solteiro e um frigobar.

O casarão em estilo clássico onde o Papa ficará entre os dias 22 e 28 de julho passou por uma reforma nos últimos três meses. A residência recebeu o papa João Paulo II em 1980 e em 1997. Segundo irmã Terezinha, superiora da residência Assunção, outros 30 cardeais deverão ficar hospedados nos quartos do centro de estudos.

As quatro religiosas que trabalham no Sumaré serão auxiliadas por outras 24 irmãs do Instituto Nossa Senhora do Bom Conselho e vinte funcionários.

A residência Assunção foi construída nos anos 1950 e tem uma porta em estilo barroco de 270 anos, que pertenceu à antiga Igreja de São Pedro dos Clérigos, no centro do Rio, demolida em 1944.

935027_432752183499501_1245195615_n

MP-RJ pede cancelamento de R$ 7,8 milhões que seriam repassados à JMJ Rio2013

 (ACI).- Uma ação pública movida pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) pegou os organizadores da Jornada Mundial da Juventude de surpresa, quando pediu o cancelamento do repasse de R$ 7,8 milhões para a 28° edição do evento, que acontecerá entre 23 e 28 deste mês, afirmando que este é um evento privado e não deve ter incentivo governamental.

O pedido foi ajuizado na última terça-feira, 9, e em nota o Comitê Organizador Local (COL) reafirma o caráter público do evento, que não cobra a venda de ingressos, não possui fins lucrativos e tem a programação aberta a todos os cidadãos, apesar na natureza religiosa.

“A JMJ Rio 2013 será um evento realizado em parceria com o Poder Público. O Ministério Público, embora regularmente informado, insiste em ignorar que diversos pedidos para sediar a JMJ Rio 2013 foram formulados, por escrito, pelo Governo Federal (assinado pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e reiterado pela Presidente da República, Dilma Roussef), pelo Governo Estadual e pela Prefeitura do Rio de Janeiro, no sentido de que a cidade do Rio de Janeiro fosse escolhida para sediar esta versão da JMJ”, explica o COL.

A licitação publicada pelo município do Rio seria para a contratação de serviços de saúde para a Jornada, e este veto pode resultar no cancelamento total ou parcial dos eventos que integram a programação, caso o Instituto Jornada Mundial da Juventude não mantenha a programação de atenção à saúde e nem preserve os contratos já estabelecidos.

A organização relembra que, por decisão da Presidência da República, a segurança do evento será conduzida pelas Forças Armadas. “Assim, verifica-se empenho do Poder Público em prover a segurança do evento. Nada mais justo do que o Poder Público prover atendimento médico aos participantes do evento, bem como a todos os que estiverem nas imediações e necessitarem de eventual atendimento médico”, declara.

O COL demonstra sua preocupação com os peregrinos e o empenho para que tudo saia como planejado, “os organizadores da JMJ 2013 informam que oferecerão oportunamente resposta à inicial proposta, certos de que o Poder Judiciário decidirá a questão atendendo a todos os anseios da sociedade, e que, apesar de tais obstáculos, a JMJ Rio2013 será um sucesso”.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, fez um pronunciamento no Palácio da Cidade, nesta quarta-feira, durante a passagem dos símbolos da JMJ, que estão no município desde o dia 6 de julho, defendendo o apoio do Governo Municipal à Jornada. “A prefeitura vai disponibilizar todos os serviços públicos necessários para atender bem a essa multidão que aqui está. (…) A prefeitura deve executar o serviço de atendimento médico pré-hospitalar fixo e móvel nos eventos a serem realizados em Copacabana e Guaratiba”, afirmou.

A organização da JMJ Rio2013 também ressalta os benefícios que o evento trará para a cidade. “É fato que a JMJ Rio2013 trará ao Município do Rio de Janeiro um público de magnitude inédita, que já está chegando à cidade, vindo de todas as partes do planeta, fato este que, incontestavelmente, promoverá mundialmente nossa cidade, trazendo literalmente milhões de turistas e incontáveis oportunidades para os cariocas e para todos os setores da economia local”.

“Resta claro então que a JMJ Rio2013 não pode ser compreendida como um evento exclusivamente religioso e muito menos privado”, destacou.

Padre vende Mercedes dada pela família após catequese do Papa

carro2O Papa Francisco, que participará da Jornada Mundial da Juventude no Rio, no fim do mês, já começa a mudar a Igreja Católica na América Latina. Depois de ouvir um pronunciamento do sacerdote, o Padre Hernando Alvarez Fajid Yacub, da Paróquia de São Miguel de Santa Marta, na Colômbia, decidiu pôr seu carro à venda: um Mercedes E 200 avaliado em 62.500 dólares, segundo informações da Rádio Vaticano.

No pronunciamento, no último sábado, o Papa Francisco afirmou que se sentia mal quando via “um padre ou uma irmã com um carro último modelo”. Ele também aconselhou aos religiosos “se você gosta daquele belo carro, pense em quantas crianças morrem de fome”.

O carro havia sido um presente de família e foi anunciado para venda na terça-feira. O dinheiro obtido com a venda do veículo deve ser revertido na compra de um modelo mais modesto e para obras sociais.

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/depois-de-sermao-do-papa-padre-colombiano-abre-mao-de-mercedes-8988853.html#ixzz2Yguu7FBk

JMJ: Divulgada lista dos Bispos que darão as catequeses durante o evento

Mais de 250 bispos de diferentes nacionalidades vão fazer pregações que aprofundam o lema da Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013) nas três manhãs de catequese. Selecionados pelo Pontifício Conselho para os Leigos (PCL), eles serão alocados cada dia em um ponto de catequese diferente. De acordo com o diretor do Setor Preparação Pastoral, padre Leandro Lenin, não será divulgado a alocação dos bispos. “Nós queremos que esse contato entre o jovem e o bispo aconteça como uma surpresa nessas manhãs”.

As catequeses, que acontecem de quarta a sexta, têm três temas diferentes. No dia 24 de julho, o tema abordado será “sede de esperança, sede de Deus”. No dia 25, será “ser discípulo de Cristo”. Já no dia 26, os bispos vão meditar sobre “ser missionário, Ide!”.

No voucher de inscrição, cada peregrino será destinado a um local de catequese. Além de receber formação, ele vai pegar o kit café da manhã, para os que fizeram opção por alimentação.

“Nas catequeses nós teremos um número de acesso restrito. Cada catequese foi pensada para um determinado grupo de peregrinos e então evitaremos, da maneira possível, superlotação de catequese. Também nós queremos ter em conta que o número de kits de café da manha disponíveis em cada uma das sedes também seja suficiente para os peregrinos que já estão destinados a cada um dos pontos”, explica padre Leandro.

As catequeses acontecem pelas manhãs de 9h às 13h e finalizam com a Missa presidida pelo bispo catequista. Durante a manhã, os peregrinos podem confessar-se e fazer perguntas ao bispo.

Clique e conheça os bispos catequistas

JMJ: Rio de Janeiro ganha estátua do Papa Francisco

Uma estátua do Papa Francisco, em frente à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), chama a atenção dos curiosos que passam por ali. O Pontífice virá para o Rio de Janeiro durante a Jornada Mundial da Juventude, que acontece entre os dias 23 e 28 de julho (Foto: Marcelo Fonseca/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)
Uma estátua do Papa Francisco, em frente à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), chama a atenção dos curiosos que passam por ali. O Pontífice virá para o Rio de Janeiro durante a Jornada Mundial da Juventude, que acontece entre os dias 23 e 28 de julho (Foto: Marcelo Fonseca/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)

Declarações de apoio às manifestações supostamente dadas pelo Papa não são verdadeiras

(ACI/EWTN Noticias).-  O Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Padre Federico Lombardi, desmentiu o jornal espanhol El País, de forte tendência anticatólica, que assegurou hoje que o Papa Francisco “considera os protestos do Brasil justos e de acordo com o Evangelho” e se referirá a elas durante a próxima Jornada Mundial da juventude (JMJ) Rio 2013.

Com os protestos do Brasil, um importante número de cidadãos expressou seu desacordo com o aumento de tarifas no transporte público, e pedem também que cesse a corrupção no governo. Os manifestantes também criticam os elevados gastos que se realizam em vistas à Copa do Mundo de Futebol de 2014 e pedem maior investimento em saúde e educação.

Em uma nota publicada em 24 de junho, os Bispos do Brasil expressaram sua “solidariedade e apoio às manifestações”, sempre e quando estas sejam pacíficas.

Os Prelados reconheceram em seu comunicado que estes protestos são “um fenômeno que envolve o povo brasileiro e despertam uma nova consciência”. “Requer atenção e compreensão para identificar seus valores e limites, sempre com o objetivo de construir a sociedade justa e solidária que desejamos”, assinalaram.

O jornal El País, em um artigo publicado hoje, afirmou que o Papa Francisco, “no discurso que dirigirá aos mais de um milhão de jovens que se concentrarão no Rio de Janeiro com motivo da Jornada Mundial da Juventude (JMJ)” fará alusão “às manifestações, segundo informações de fonte fidedigna recebidas por este correspondente”.

O meio espanhol assegurou também que os Bispos do Brasil não teriam escrito nem publicado seu comunicado de fins de junho “se não tivessem estado antes concordado com o papa Francisco, que está por chegar ao Brasil”.

Entretanto, em comunicação com o grupo ACI, o Padre Federico Lombardi esclareceu que “o jornal El País não é a fonte dos discursos do Papa”.

Consultado pelo suposto discurso a favor das manifestações no Brasil ao que faz menção o jornal espanhol, Lombardi assinalou que “não me consta. Não vi nada a respeito”.

Erros e desinformação no El País

Já em 2006, El País inventou um suposto apoio do Papa Bento XVI às negociações iniciadas pelo governo da Espanha, com José Luis Rodríguez Zapatero, do Partido Socialista Obrero Español (PSOE) à cabeça, com o grupo terrorista ETA.

Nessa ocasião, o então delegado diocesano de Meios de Comunicação da Arquidiocese de Madri, Pe. Manuel Bru, desmentiu terminantemente as conjeturas de El País, assinalando que este atribuiu “falsamente ao Santo Padre Bento XVI um apoio explícito ao mal chamado processo de paz”.

Em 24 de janeiro deste ano, o jornal espanhol teve que deter a circulação de toda a edição do dia, depois de fazer-se público que a foto de sua capa, em que aparecia Hugo Chávez Frías entubado, era falsa.

Relíquias dos beatos João Paulo II, Pier Giorgo Frassati, Santa Teresinha do Menino Jesus, Chiara Luz Badano e Federico Ozanam serão exposta na JMJ

(ACI/EWTN Noticias).- Os organizadores da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio 2013, que se realizará no Rio de Janeiro (Brasil) entre os dias 23 e 28 de julho, anunciaram que uma ampola que preserva o sangue do beato João Paulo II estará presente durante o evento.

O Pe. Arnaldo Rodriguez, um dos diretores do Setor de Preparação Pastoral do Comitê Organizador Local (COL), assinalou que o relicário que contém a ampola com o sangue do Beato, fundador das Jornadas Mundiais da Juventude, ficará no Brasil do dia 7 de julho até 13 de outubro.

A relíquia, indicou o sacerdote, “ficará exposta para veneração na Catedral do Rio de Janeiro. Estamos também preparando um trabalho pastoral pós-jornada para aproveitar sua presença aqui”.

O Comitê Organizador Local também está trabalhando para que cheguem ao Brasil as relíquias da Santa Teresinha do Menino Jesus, padroeira das missões da Igreja; do Beato Pier Giorgo Frassati, um terciário dominicano glorificado por sua humildade, seu serviço aos pobres e sua militância apostólica; da Beata Chiara Luz Badano, leiga do Movimento dos Focolares que levou com integridade e testemunho a doença que a levou à morte; e do Beato Federico Ozanam, fundador da Sociedade de Conferências de São Vicente de Paula, reconhecido pela sua apologética na escola e na universidade.

Vaticano exorta cristãos e budistas a unir-se em defesa da vida

(ACI).- O Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso enviou uma mensagem aos seguidores do budismo com ocasião da festa do Vesakh –sua principal festividade-, para convidá-los a unir-se aos cristãos na defesa da vida “sobre a base do patrimônio autêntico das nossas tradições religiosas”.

“Unamos nossas forças para desmascarar as ameaças à vida humana e despertar a consciência ética dos nossos respectivos seguidores para despertar um renascimento moral e espiritual dos indivíduos e da sociedade a fim de sermos verdadeiros construtores da paz, amando, defendendo e promovendo a vida humana em todas as suas dimensões”, alenta a mensagem assinada pelo Cardeal Jean-Louis Tauran e pelo Pe. Miguel Angel Ayuso Guixot, presidente e secretário deste dicastério respectivamente.

O texto recorda que no início do seu Pontificado, o Papa Francisco “reafirmou a necessidade de diálogo e de amizade entre os seguidores das diferentes religiões, assinalando que ‘a Igreja é (…) consciente da responsabilidade que todos temos com o nosso mundo, com a criação inteira que devemos amar e custodiar”, assim como com os pobres e débeis, “para promover a justiça, para promover a reconciliação, para construir a paz”.

Este caminho, recordou o dicastério, “passa acima de tudo pelo respeito da vida humana, considerada em seus múltiplos aspectos, desde sua concepção, em seu desenvolvimento e até seu fim natural”.

“Autênticos trabalhadores pela paz são, então, os que amam, defendem e promovem a vida humana em todas as suas dimensões: pessoal, comunitária e transcendente. A vida em plenitude é o cume da paz. Quem quer a paz não pode tolerar atentados e delitos contra a vida”, indicou, recordando a mensagem para a Jornada Mundial da Paz 2013.

Nesse sentido, expressou “o sincero respeito” da Igreja pela tradição religiosa budista. “Frequentemente observamos uma consonância com os valores expressos também nos vossos livros religiosos: respeito pela vida, contemplação, silêncio, simplicidade. O nosso autêntico diálogo fraterno requer que nós, budistas e cristãos, desenvolvamos o que temos em comum, sobretudo o profundo respeito pela vida que compartilhamos”, assinalou.

O texto finaliza alentando seguir “trabalhando com renovada compaixão e fraternidade para aliviar o sofrimento da família humana, protegendo o caráter sagrado da vida humana. Com este espírito renovo meus melhores desejos para uma festa do Vesakh pacífica e alegre”.

Padre Manzotti: “Eu estou cantor, estou apresentador, estou escritor. Mas sou padre”

JVA | Débora Anício – O Padre Reginaldo Manzotti concedeu entrevista a jornalista Débora Anício, do Jornal Vale do Aço, de Ipatinga. Manzotti esteve na cidade, ontem (29), por ocasião da festa do trabalhador realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos da região. Peguei alguns tópicos da entrevista que pode ser acessado na íntegra no link acima.

JVA – Qual das tarefas o senhor gosta mais?
Pe. Manzotti – Ser padre. Rezar missa é a melhor parte do dia, é o que mais gosto de fazer. Essa é minha identidade. Eu estou cantor, estou apresentador, estou escritor. Mas sou padre.

JVA – Como o senhor recebeu a notícia de que teríamos um papa argentino? 
Pe. Manzotti – Fiquei feliz por ser um papa latino-americano, o que veio trazer um rosto diferente para o mundo europeu. Existe uma diferença muito grande entre as culturas europeias e latinas. As formas de se postar, querer e expressar são diferentes. Não sei o que Francisco irá trazer para a Igreja, mas ele já dá sinais de renovação e humildade. Apesar disso não acredito que haja grandes reformas.

JVA – Quais são os maiores desafios da Igreja Católica hoje?
Pe. Manzotti – Fazer a Jornada Mundial da Juventude (evento católico que acontece no Rio em julho) dar frutos, fazer com que os jovens permaneçam na Igreja. Atrair a juventude é uma coisa, fazer com que eles fiquem é outra. Também acredito que outro desafio seja investir mais na formação de novos padres, capacitá-los para que possam responder às necessidades do mundo atual, curar a ferida da Igreja causada por assuntos de pedofilia nos ultimos anos. É preciso trazer pessoas mais resolvidas para a Igreja, investir na questão afetiva, humana e intelectual. Antes as pessoas perguntavam o que é pecado, hoje elas perguntam por que é pecado. É preciso ter padres cultos e preparados para essas questões.

JVA – A que o senhor atribui a violência crescente no Brasil, que chega a ser banalizada muitas vezes?
Pe. Manzotti – Isso é um sinal da banalização do valor da vida. Quando as pessoas começam a brincar de Deus, decidir quem nasce e quem morre,  optar por não ter o filho e decidir pela eutanásia, elas percebem que a vida não é tão importante. A violência é um problema social muito sério que começa na família. É preciso haver uma reestruturação social.

JVA – O senhor é a favor da redução da maioridade penal?
Pe. Manzotti – Não. A Igreja é contra, pois não é trazendo a criminalização para uma data mais baixa que a violência vai acabar.  Os jovens repetem o que veem dos adultos, o que veem em casa. É preciso investir na família e na educação. Falta corpo docente no Brasil, e isso gera pessoas ignorantes, violentas e desestruturadas.

JVA – Mesmo com tantas informações sobre os danos causados pelas drogas é cada vez mais crescente o número de jovens que entra neste mundo. O que a Igreja faz para erradicar este problema? 
Pe. Manzotti – Eu parto da questão do equilíbrio familiar, do nível dos relacionamentos. Não quero ser moralista, mas filhos de pais separados, de pais que se batem e crianças criadas por terceiros não recebem o carinho devido no berço. Está faltando substrato, liderança. A Igreja Católica pode oferecer modelos bons. A Jornada Mundial da Juventude tem grande mérito de mostrar modelos positivos para os jovens.

Giro de Notícias: Papa, JMJ, Assembléia Geral do Bispos, Bento XVI, Venezuela

Papa Francisco: “O triunfalismo não é cristão”

Durante a Missa celebrada no domingo no Domus Santa Marta, o Papa Francisco recordou que o cristão deve manter-se sempre humilde e afastar-se da tentação do triunfalismo.

“Que o Senhor nos salve das fantasias triunfalistas, porque o triunfalismo não é cristão, não é do Senhor. O caminho do Senhor é o caminho de cada dia, na presença de Deus”, afirmou.

Papa Francisco: 30 dias de papado

Neste sábado, 13 de abril cumpriu-se um mês desde que, em um Conclave de apenas dois dias, oColégio Cardinalício escolhesse como sucessor do hoje Bispo emérito de Roma Bento XVI, o Papa Francisco, anteriormente Arcebispo de Buenos Aires (Argentina), o Cardeal Jorge Mario Bergoglio.

O Papa na favela

O Arcebispo do Rio do Janeiro (Brasil) e presidente do Comitê Organizador da Jornada Mundial da Juventude 2013 (JMJ), Dom Orani Tempesta, apresentou ao Pontifício Conselho para os Leigos uma série de novas atividades para que o Papa Francisco realize neste evento juvenil, que inclui a visita a uma favela da cidade.

100 Dias para a JMJ

A noite de sexta-feira, 12 de abril, foi de transformação para muitos jovens no Centro do Rio. Na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, milhares de jovens compareceram à missa de abertura das comemorações para os “100 dias rumo à JMJ”, presidida pelo padre Reginaldo Manzotti.

100DIAS_ESPORTES_noticia_12042013133404
Após a missa, eles saíram em procissão junto com um trio elétrico, conduzido pelo padre Reginaldo e pela Banda Bom Pastor, passando por diversas ruas da Lapa, berço da boemia carioca, em direção à Igreja de Sant’Ana, onde foi realizada a Adoração ao Santíssimo Sacramento. À medida que a procissão andava o número de pessoas aumentava, chegando à marca de 5.000 jovens e ocupando um espaço de quase três quarteirões.

51ª Assembleia Geral do Bispos 

Na manhã do sábado, 13 de abril, os participantes da 51ª Assembleia Geral da CNBB, em Aparecida (SP), iniciaram a apresentação das contribuições das reflexões sobre os temas prioritários do evento: o diretório de Comunicação e a Questão Agrária.

Durante o final de semana eles fizeram um retiro. As atividades voltaram hoje, segunda-feira, 15/04

Bento XVI faz aniversário amanhã

Amanhã, nosso papa emérito Bento XVI completa mais um ano de vida. Bento XVI, cardeal Joseph Aloisius Ratzinger, nasceu em Marktl am Inn, Alemanha, no dia 16 de abril de 1927. Se tornou Papa Emérito da Igreja Católica. Seu outro título é Romano Pontífice Emérito. Foi papa da Igreja Católica e bispo de Roma de 19 de abril de 2005  a 28 de fevereiro de 2013, quando oficializou sua abdicação. Desde sua renúncia é Bispo emérito da Diocese de Roma, foi eleito, no conclave de 2005, o 265º Papa, com a idade de 78 anos e três dias, sendo o sucessor de João Paulo II e sendo sucedido por Francisco.

67fb297482de418d951ce80470f705b1-f350aa2bd9d64f16ba4305c551bd318a-0-h

Eleição na Venezuela

O sucessor de Hugo Chaves no poder foi eleito com margem mínima de maioria dos votos. Maduro teve 50,66% dos votos. Durante esse processo de eleição os bispos do país emitiram nota.

A Conferência Episcopal da Venezuela sobre as eleições presidenciais no país, realizadas domingo, 14, exortou as comunidades a participarem no escrutínio “de forma consciente, livre e responsável”. O episcopado destacou que “votar é um dever e um ato de amor à pátria, à sua gente e ao seu destino.”

 

#NãoASecularesNaJMJ2013

Na s últimas semanas, alguns veículos de comunicação noticiaram que o Comitê Organizador (COL) da Jornada Mundial da Juventude – JMJ, que será no Rio, em julho deste ano, pretende convidar cantores seculares para apresentações durante o evento. Na lista estão contados Ivete Sangalo, Michel Telo, Milton Nascimento e com certeza outros por aí.

Esse fato tem gerado muita discussão na rede. De tudo que se fala e falou até agora sobre o assunto o COL apenas declarou que as apresentações tem de ser avaliadas pelo Vaticano para serem aprovados.

COL divulga nota sobre participação de artistas seculares na JMJ

O Anunciador, diante desse fato e do COL não se posicionar de forma mais clara sobre o assunto, lançou ontem na página do blog um meme contra a participação dos cantores seculares na JMJ. Lembremos que somos povo de Deus e que a JMJ é um evento evangelizador e não cultural.

Sei que muitos não importam com isso, mas é de nos nos importarmos sim. A palavra de Deus nos chama a deixarmos de sermos mornos. Ou somos QUENTES ou FRIOS, mas mornos, nunca.

Vamos compartilhar a imagem no face, twitter e todas as redes que pensarmos.

Uma sugestão dada por um amigo, Aguinaldo Soares,  é que entremos no site da www.rio2013.com e “enviemos mensagens para o COL ou diretamente para o e-mail atoscentrais@rio2013.com para não deixarmos que isso aconteça, queremos pessoas que com sua música e vida transmitam Deus para essa juventude linda. #BoteFÉ juventude.”

60607_600650923280635_1998058231_n

COL divulga nota sobre a participação de artistas seculares na JMJ

O Comitê Organizador Local (COL) da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio2013 divulgou uma nota, nesta terça-feira, 9, sobre informações veiculadas pela imprensa nos últimos dias, com referência à participação de artistas seculares na JMJ.

De acordo com a nota, a participação dos artistas citados pela mídia não está oficializada pela organização do evento. O texto também salientou que todas as apresentações na JMJ Rio2013 serão ainda analisadas pelo Vaticano.

Leia a nota na íntegra

“O Comitê Organizador Local (COL) da Jornada Mundial da Juventude Rio2013 esclarece que a informação sobre a participação de artistas musicais, citados pela imprensa nos últimos dias, não está confirmada pela organização do evento, uma vez que a agenda de atividades culturais não foi oficializada pela organização.

É importante salientar que as apresentações durante a JMJ Rio2013 são analisadas e devem ter o parecer final do Pontifício Conselho para os Leigos (PCL), que exerce a função de Comitê Organizador Central da JMJ e está ligado ao Vaticano.”

Opinião

Não é atoa que o ditado popular que diz que “onde a fumaça a fogo” faz todo o sentido nesta história. Sei que jornalistas da impressa marrom fazem de tudo para aparecer, mas parte do boato sempre é verdade. Não entendo como um evento católico de tamanha magnitude pode ter pensado em colocar tais artistas para se apresentarem aos jovens. Daí surgem algumas verdades sobre nossa igreja em ser relapsa em algumas coisas. Lembrem-se, que não sejamos mornos, mas quentes ou frios. Escolhi ser quente em Cristo.

com informações da Canção Nova

 

 

Papa recorda a Alegria, o Mistério da Cruz e os Jovens em sua homilia de Domingo de Ramos

(ACI).- Em sua primeira Missa de Domingo de Ramos como Sumo Pontífice o Papa Francisco falou sobre o mistério da cruz e recordou a Jornada Mundial da Juventude, celebrada anualmente em Roma e em outras dioceses do mundo nesta data litúrgica e que a cada 3 ou 2 anos também se realiza em algum país eleito pelo próprio Santo Padre. Francisco falou também sobre a edição do evento que se realiza este ano no Brasil.

Falando inicialmente da multidão que louva Jesus em sua entrada a Jerusalém cantando “Hosana ao Filho de Davi”,  o Papa Francisco afirmou: “No início da Missa, também nós o repetimos. Agitamos os nossos ramos de palmeira e de oliveira. Também nós acolhemos Jesus; também nós expressamos a alegria de acompanhá-Lo, de senti-Lo perto de nós, presente em nós e em meio a nós, como um amigo, como um irmão, também como rei, isto é, como farol luminoso da nossa vida. Jesus é Deus, mas se abaixou para caminhar conosco”.

“É o nosso amigo, o nosso irmão. Quem nos ilumina no caminho. E assim O acolhemos. E esta é a primeira palavra que gostaria de dizer a vocês: alegria! Nunca sejam homens e mulheres tristes: um cristão não pode nunca sê-lo! Não vos deixeis invadir pelo desânimo! A nossa não é uma alegria que nasce do fato de possuirmos muitas coisas, mas de termos encontrado uma Pessoa: Jesus, que está em meio a nós; nasce do saber que com Ele nunca estamos sozinhos, mesmo nos momentos difíceis, mesmo quando o caminho da vida é confrontado com problemas e obstáculos que parecem insuperáveis, e há tantos!”, exortou o Papa.

O Papa recordou aos presentes que “Jesus não entra na Cidade Santa para receber as honras reservadas aos reis terrenos, a quem tem poder, a quem domina; entra para ser flagelado, insultado e ultrajado, como preanuncia Isaías na Primeira Leitura (cf. Is 50, 6); entra para receber uma coroa de espinhos, uma vara, um manto de púrpura, a sua realeza será objeto de escárnio; entra para subir ao Calvário carregado em uma madeira”.

“Jesus entra em Jerusalém para morrer na Cruz”, recalcou o Santo Padre.

“E é precisamente aqui que brilha o seu ser Rei segundo Deus: o seu trono real é o madeiro da Cruz! Penso naquilo que Bento XVI dizia aos Cardeais: vós sois príncipes, mas de um Rei crucificado. Aquele é o trono de Jesus. Jesus toma sobre si… Por que a Cruz? Porque Jesus toma sobre si o mal, a sujeira, o pecado do mundo, também o nosso pecado, de todos nós, e o lava, o lava com o seu sangue, com a misericórdia, com o amor de Deus”, completou.

Francisco recordou também que “há 28 anos o Domingo de Ramos é o Dia da Juventude!”

“Queridos jovens, eu os vi na procissão, quando vocês entraram; imagino-vos fazendo festa ao redor de Jesus, agitando os ramos de oliveira; imagino-vos gritando o seu nome e expressando a vossa alegria por estardes com Ele! Vós tendes uma parte importante na festa da fé! Vós nos trazeis a alegria da fé e nos dizeis que devemos viver a fé com um coração jovem, sempre: um coração jovem, mesmo aos setenta, oitenta anos! Coração jovem! Com Cristo o coração não envelhece nunca!”, disse o Papa aos milhares de jovens presentes na celebração realizada na Praça de São Pedro.

“Entretanto, todos sabemos e vós o sabeis bem, que o Rei que seguimos e que nos acompanha é muito especial: é um Rei que ama até à cruz e nos ensina a servir, a amar. E vós não tendes vergonha da sua Cruz! Antes, abraçam a Cruz, porque compreendem que é na doação de si mesmo, na doação de si mesmo, no sair de si mesmo, que se alcança a verdadeira alegria e que com o amor de Deus Ele venceu o mal. Vós levais a Cruz peregrina por todos os continentes, pelas estradas do mundo! Vocês a levaram respondendo ao convite de Jesus “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (cf. Mt 28, 19), que é o tema da Jornada da Juventude deste ano. Vocês a levam para dizer a todos que, na cruz, Jesus abateu o muro da inimizade, que separa os homens e os povos, e trouxe a reconciliação e a paz”, completou o Papa Francisco ao dirigir-se aos jovens.

Por último, o Papa Francisco falou sobre a Jornada Mundial da Juventude que este ano será celebrada no Rio de Janeiro entre os dias 23 e 28 de julho.

“Olho com alegria para o próximo mês de Julho, no Rio de Janeiro! Vinde! Encontramo-nos naquela grande cidade do Brasil! Preparai-vos bem, sobretudo espiritualmente, nas vossas comunidades, para que este Encontro seja um sinal de fé para o mundo inteiro. Os jovens devem dizer ao mundo: é bom seguir Jesus; é bom caminhar com Jesus; é boa a mensagem de Jesus; é bom sair de si mesmo, às periferias do mundo e da existência para levar Jesus! Três palavras: alegria, cruz, jovens”.

“Peçamos a intercessão da Virgem Maria. Que Ela nos ensine a alegria do encontro com Cristo, o amor com que O devemos contemplar ao pé da cruz, o entusiasmo do coração jovem com que O devemos seguir nesta Semana Santae por toda a nossa vida. Assim seja”, concluiu o Santo Padre.

Cardeais brasileiros concedem entrevista coletiva em Roma

cardeais_brasileiros14032013Conforme publicado pelo portal de notícias G1, os cardeais brasileiros concederam na manhã desta quinta-feira, 14 de março, em Roma, uma entrevista coletiva em que avaliaram a escolha do cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio, o Papa Francisco, como sucessor de Bento XVI. Dos cinco cardeais brasileiros que participaram da eleição do pontífice, três participaram da entrevista: o presidente da CNBB e arcebispo de Aparecida (SP), dom Raymundo Damasceno Assis; o arcebispo emérito de Salvador (BA), dom Geraldo Majella; e o arcebispo de São Paulo (SP), dom Odilo Pedro Scherer.

A coletiva foi realizada no Colégio Pio Brasileiro. “As cotações prévias foram todas para o espaço”, afirmou dom Odilo, dizendo que, segundo a crença, há outros elementos envolvidos na escolha de um novo Papa. “Há de se aprender que a Igreja não é só feita de cálculos humanos. De fato, o Espírito Santo orienta a Igreja.”

Questionado sobre a possível pressão sentida por ter sido considerado um dos favoritos para ser o novo Papa, dom Odilo disse ter enfrentado tudo com muita tranquilidade. “Tenho os pés muito no chão, sabendo que havia muitas outras pessoas com muitas possibilidades.”

Ele afirmou não ter pensado que poderia vencer. “Depois de ter rezado, se colocado diante da possibilidade de ser eleito, ficaria difícil dizer não. Mas nunca pensei que viesse a acontecer”, disse. “Ser Papa não é uma honra simplesmente, não é um poder. É um serviço muito grande. Quem é eleito Papa sente esse peso.”

Após a eleição e dos ritos formais feitos, todos os cardeais saudaram pessoalmente o Papa. “O saudei, lhe dei os parabéns, pedi que Deus o abençoasse. Lembrei da Jornada Mundial da Juventude, que ele irá ao Brasil em julho. Depende dele confirmar, com certeza o fará”, disse dom Odilo.

O arcebispo de São Paulo revelou que visitou o túmulo de São Francisco de Assis, no domingo anterior ao conclave. Chegando lá, ele encontrou o cardeal arcebispo de Viena, Christoph Schönborn. “Mas um dominicano num lugar tão franciscano!”, comentou o brasileiro na ocasião. O colega disse que seria bom que a Igreja tivesse um Papa com espírito franciscano. “É um sinal para o que a Igreja quer e precisa fazer”, afirmou Odilo na entrevista coletiva. “Não se fazem saltos mortais na Igreja, mas existe uma continuidade.”

Também dom Geraldo revelou que foi a Assis no período pré-conclave. “Rezei naquela hora para que o Papa pudesse realmente ser o que fizesse as vezes de São Francisco”, afirmou. “Ele [Bergoglio] foi chamado e não teve nenhuma dificuldade de ser aclamado. Ele tem 76 anos, mas pode em pouco tempo fazer muito. O testemunho dele vai ser muito importante para o mundo, vai chamar a atenção do mundo. Vamos rezar para que ele seja feliz e, sendo feliz, faça a Igreja feliz”, disse.

Para dom Geraldo, a escolha não foi surpreendente. “Não foi uma grande surpresa no sentido de que ele não pudesse ser o possível candidato”, disse. “É um grande dom de Deus para a Igreja, para o mundo, um homem que tem um testemunho de vida. Ele vive o nome Francisco, é diferente dos outros”, afirmou. “Agradeço a Deus por um grande final.”

Já Dom Raymundo, que abriu a coletiva, disse que houve surpresa. “Não preciso dizer para vocês que foi uma surpresa para todos nós”, afirmou. Os cardeais também contaram que, ainda na noite de quarta (13), após anúncio do pontífice, o Papa Francisco falou que precisaria ir nesta quinta-feira à Casa Internacional do Clero em Roma, onde estava hospedado antes do conclave, para pagar a conta e pegar suas coisas. Dom Raymundo foi informado de que o Papa foi mesmo à Casa nesta quinta, e insistiu para pagar sua hospedagem.

Depois da apresentação pública do novo Papa aos fiéis, os cardeais e o pontífice fizeram uma confraternização na Casa Santa Marta. “Foi muito fraterna, com um cardápio semelhante ao dos dias do conclave. Mas não poderia deixar de ter uma champanhe para comemorar”, disse dom Raymundo.

“Depois da solenidade de apresentação, para voltar para a Casa Santa Marta, como protocolo ofereceram o carro oficial do Papa. Mas ele recusou e quis voltar como foi: no ônibus junto com os outros cardeais”, disse dom Odilo.

Os cardeais foram questionados sobre a rivalidade entre Brasil e Argentina, muito presente em diversos temas. “A disputa é mais no campo do futebol, entre o Maradona e o Pelé. No campo religioso não há isso, se trata da mesma Igreja”, disse dom Raymundo. “Como os argentinos são chamados no Brasil? De hermanos. Somos povos irmãos, nos sentimos assim”, completou dom Odilo.

Os cardeais também foram questionados sobre o papel da nova evangelização no novo pontificado e como o Papa Francisco deve direcioná-la. “Ela já foi uma das ênfases no pontificado de João Paulo II e Bento XVI. E na América Latina é fundamental. Esse objetivo de ir ao encontro dos mais afastados, distantes, esquecidos. A Igreja é chamada a ir ao encontro das pessoas, ficando em estado permanente de missão”, disse dom Raymundo.

Dom Odilo afirmou que dentro do conclave, em nenhum momento foi possível ver possíveis divisões dos cardeais ou identificar partidos. “Não existe direita e esquerda, não percebi. Foi um clima muito bonito, de grande responsabilidade e serenidade.”

“Era um ambiente muito especial, com um grupo bastante reduzido em relação ao número de católicos do mundo, mas 115 cardeais de todo o mundo. Transcorreu num clima de muita abertura, liberdade, fraternidade. É uma instância na qual a gente não sente pressão. Se sente totalmente livre, e isso é muito importante. E o ambiente é um dos mais belos em termos de arte no mundo, a Capela Sistina”, disse dom Raymundo. E completou: “O nome do novo Papa é uma mensagem de abertura ao mundo, de diálogo com o mundo, simplicidade, pobreza, solidariedade com os mais simples.”

O novo Papa tem 76 anos, o que surpreendeu algumas pessoas – muitos imaginavam que o escolhido seria mais jovem, para ter um pontificado mais longo que o de Bento XVI. Segundo Dom Geraldo, a idade não influenciou a escolha. “Havia vários [cardeais] com 60 anos, mas isso não pesou. Não foi uma surpresa a idade. O Espírito Santo sopra onde quer. Esse é um sinal para o mundo, sobretudo aos que mais sofrem.”

Ele também afirmou que os recentes escândalos de abusos sexuais no clero e de fraudes no Banco do Vaticano não tiveram peso dentro do conclave. “Em absoluto, não pesaram, ninguém teve preocupação com isso. Estamos preocupados com a Justiça, o Papa tem que defender a Justiça, os mais sofridos.”

Os cardeais foram questionados algumas vezes durante a coletiva sobre uma possível influência do conclave passado. À época, foi dito que o então cardeal Bergoglio renunciou aos votos recebidos no conclave em favor de Ratzinger, que foi eleito o Papa Bento XVI. Foi questionado se essa atitude o teria beneficiado agora. Os cardeais disseram não saber da veracidade dessa informação.

“Ninguém sabe se isso é verdade. Só dom Geraldo, que estava lá, mas ele não pode falar”, disse dom Odilo, sendo recebido por risadas dos presentes. Dom Geraldo era o único dos cardeais que deu entrevista que participou do conclave de 2005.

Subsídio Hora da Família 2013: Transmissão e educação da fé cristã na família

1ª-Capa-WEBNa próxima reunião do Conselho Permanente, que será realizada entre os dias 6 e 8 de março, a Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família (CEPVF), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), apresentará o subsídio “Hora da Família” para 2013. O texto, cujo tema de 2013 é “A Transmissão e Educação da Fé Cristã na Família”, é utilizado em todo o Brasil para encontros e reflexões.

“O tema deste ano é um dos temas mais importantes para a família que quer ver os filhos crescendo em sabedoria, estatura e graça como o evangelho fala de Jesus (cf Lc 2, 52)”, menciona o presidente da CEPVF, e bispo de Camaçari (BA), dom João Carlos Petrini.

Ainda de acordo com dom Petrini, esta é mais uma edição do subsídio “Hora da Família”, especialmente preparado para a Semana da Família que acontece no mês de agosto e que se realiza em todas as (arqui) dioceses do Brasil. “Vamos todos juntos rezar e promover a família e todas as suas dimensões em especial nos relacionamentos entre pais e filhos”, disse.

A publicação “Hora da Família 2013” oferecerá sugestões de celebrações que envolvem os membros da família em ocasiões comemorativas, cantos, além de orientações sobre Associações de Famílias, e ainda terá a relação dos endereços eletrônicos de toda a organização da CEPVF.

“A Hora da Família 2013, no ano da fé e em sintonia com a Jornada Mundial da Juventude propõe ser um valioso instrumento para o relacionamento pai e filhos, principalmente na transmissão educação da fé cristã”, destacou o assessor da CEPVF, padre Wladimir.